You are on page 1of 7

Relatório de MIG/MAG

Tecnologia da Soldagem

Nome: Rafael Silva Lima Mat: 0320890

O processo MIG/MAG (Metal Inerte Gas/Metal Active Gas). visando à recuperação de peças desgastadas ou para a formação de um revestimento com características especiais (MARQUES. GMAW (Gas Metal Arc Welding) ou. ainda. Tal inserção é justificada na necessidade de. na atualidade. auxiliar na formação e manutenção do arco elétrico. viabilizar a proteção da gota metálica e da poça de fusão contra a atmosfera vizinha ao arco voltaico e. suprida com pressão e vazão adequadas. A soldagem é considerada como um processo de união. caracterizado pela abertura e manutenção do arco elétrico entre o metal de base (poça de fusão quando em regime) e o metal de adição (arame maciço alimentado continuamente). muitos processos de soldagem ou variações destes são usados para a deposição de material sobre uma superfície. externa. . 2005). além disso. Como o arame/eletrodo não apresenta revestimento (comum no processo Eletrodo Revestido) torna-se necessário à inserção de uma proteção gasosa (inerte "MIG" ou ativa "MAG"). “Soldagem a Arco Metálico com Atmosfera Gasosa (SAMG)” é um processo de soldagem. ao mesmo tempo. porém.Introdução Teórica A soldagem é o mais importante processo de união de metais utilizado na indústria. por fusão.

Adotar 15 e 25 mm para DBCP.  Avaliar os tipos de transferência metálica.  Avaliar o efeito da indutância de subida e de descida (soldagem por curtocircuito). .  Comprovar a capacidade de auto-ajuste da fonte eletrônica Inversal (300 ou 450) ou Merkle (RS550) para soldagem em corrente constante e tensão constante.Objetivos  Avaliar o efeito da DBCP (sem curto-circuito) sobre os sinais de tensão e de corrente de soldagem.

velocidade de alimentação de 13. a primeira. Para avaliar o efeito da DBCP. Segmento de Metalon. irregularidades.  Oscilogramas de tensão e de corrente de soldagem. Foram colocadas duas chapas para serem soldadas de modo que durante a soldagem.  Aspecto superficial do cordão de solda (geometria.35 mm a segunda.). Duas chapas de aço carbono com espessura de 12. Devem-se registrar os sinais de tensão e corrente de soldagem e fotos da metodologia. o arco passasse para uma região mais baixa. corrente de soldagem compatível com diâmetro do arame. etc. velocidade de soldagem de 20 a 40 cm/min. Métodos Deve-se utilizar eletrodo de 1.7 mm.7 mm de espessura. Valim de 6 m/min e velocidade de soldagem de 40 cm/min. e 6. Utilizou-se eletrodo de 1. com uma distancia do bico de contato a peça (DBCP) de 25 mm. Mistura de argônio com 4% CO2 (ou similar) com vazão de 12 l/min. Mesa de soldagem. foi feita uma soldagem por curto circuito empregando uma tensão constante de 22 V e Valim de 40 cm/min. O gás de proteção utilizado foi uma mistura de argônio com 4% CO2 (ou similar) com vazão de 12 l/min. Para avaliar o efeito do auto ajuste por controle interno. Os critérios de avaliação são:  Observação do arco voltaico (luminosidade e som). Computador. foi realizada uma soldagem com tensão constante de 36 V. variando a DBCP em 15 e 25 mm. . respingos. Para avaliar o efeito da indutância. variando a indutância em mínima e máxima possíveis no equipamento.Materiais e Métodos Materiais      Fonte Inversal.2 mm de diâmetro em chapas de aço de 12.2 mm de diâmetro em chapas de aço de 3 – 5 mm de espessura. utilizou-se modo de tensão constante.5 m/min e uma velocidade de soldagem de 20 cm/min.

Observou-se após a soldagem que mesmo em chapa fina. e o sistema CMT (Cold Metal Transfer). Foram colocadas duas chapas para serem soldadas de modo que durante a soldagem. Onde se gerou um bom cordão de solda. usando uma velocidade de alimentação de 2 m/min. Parte II Foi variada a velocidade de alimentação a fim de observarmos a mudança do tipo de transferência metálica. Após a soldagem.Resultados e Discussões Parte I Para avaliar o efeito do auto-ajuste por controle interno. observou-se que houve fusão do arame. velocidade de alimentação de 13. mais com um pouco de respingos e posteriormente na transição para goticular obteve-se um cordão de solda de maior qualidade.7 mm de espessura. Na transição para globular. uma corrente de curto-circuito de 350 A e com um passe pré-programado para ser de 150 mm. Para o processo foi utilizado uma tensão de 35 V. O gás de proteção utilizado foi uma mistura de argônio com 4% CO2. foi observado no início do cordão de solda um acúmulo inicial de arame na peça.2 mm de diâmetro em chapas de aço de 12. utilizamos como metal de base um segmento de Metalon com espessura de 1 mm. utilizou-se modo de tensão constante. não houve furo na chapa e nem respingos no material. . sendo assim uma ótima soldagem. Utilizou-se eletrodo de 1. o arco passasse para uma região mais baixa. tendo assim a ausência de fusão. Parte III Nessa etapa.5 m/min e uma velocidade de soldagem de 20 cm/min.

A DBCP influencia na corrente de soldagem. Os efeitos da DBCP são satisfatórios sobre os sinais de tensão e de corrente de soldagem. onde podemos observar o efeito do auto-ajuste. . menor a corrente requerida para um determinado consumo. A corrente variou de modo a tentar igualar a taxa de consumo com a velocidade de alimentação. sendo que quanto maior a DBCP.Conclusão Tivemos que a variação na tensão proporcionou uma diminuição na corrente. Sendo o auto-ajuste uma grande vantagem para procedimentos modernos.

BELO HTTP://WWW.Referencias   MARQUES. V.COM. 2005. SOLDAGEM: FUNDAMENTOS HORIZONTE: UFMG.BR/BR/POR/INSTRUCAO/APOSTILAS/UPLOAD/1901104REV 0_APOSTILASOLDAGEMMIGMAG. E TECNOLOGIA.ESAB. P.PDF .