You are on page 1of 24

Introdução

Estrutura de Dados II Prof Jairo Francisco de Souza

Conteúdo Programático

Parte 1 – Mani u!ação de ar"ui#os

$rdenação% ar"ui#os em s&rie e se"u'ncias% c!assificação e(terna% ar"ui#os de acesso direto *r"ui#os inde(ados e!a c+a#e rimária% ár#ores ,a!anceadas% ár#ores es aciais

Parte ) – Inde(ação

Parte - – Processamento de cadeias de caracteres

Pes"uisa digita!. Casamento de cadeias. Com ressão de te(to.

!emas reais usando rogramação ● .inárias111 ● ● *!goritmos2 como rogramar Estrutura de Dados I2 rogramação um ouco mais a#ançada Estrutura de Dados II2 a rende como reso!#er ro.Pr&/re"uisito ● 0amos usar todo o con+ecimento a rendido em Estrutura de Dados I ● Princi a!mente ár#ores .

Em rinc6 io% ) tra.!emas. ● 5ra. -4 ontos cada.a!+os ● ● ● Segunda c+amada ● ● . Somente "uem erdeu a!guma ro#a.*#a!iação ● Pro#as ● ● 3ma ro#a ara cada arte da mat&ria.a!+os #a!endo 7 ontos cada. Im !ementação de a!goritmos ara reso!ução de ro. Mat&ria toda.

. Materia! . Estrutura de Dados II<2 ===.Materia! de estudo ● 8otas de au!a ● Site do rofessor 9:ome .r?>airo@souza Sen+a etd)@)411 Aistas de e(erc6cios ● ● ● Ai#ros – .uf>f. Ensino .!iotecas .i.

edição americana. A.4D2E44.ra2 1111H4 ? C!assificação2 DE1.ra2 DJ7JH ? C!assificação2 DE1.K CI0ES5% C.-1 ● SFG*CCFI5EC% Jaime Au6z. Estruturas de dados e a!goritmos.K S5EI8% C. E!se#ier% )441.-.% C$CME8% 5. *!goritmos2 5eoria e Prática.-. Estruturas de Dados e seus *!goritmos.4D . A5C% 1HHI. E.ra2 11DE1E ? C!assificação2 DE1. Editora Cam us% )44). 8úmero da o. 8úmero da o.● Preiss% Bruno C. Cio de Janeiro2 Ed. 8úmero da o. 5radução da )a. 7DD .:.H)271E ● AEISECS$8% C.

ra2 DJ7E4 ? C!assificação2 DE1. 1HH7. 5enem. O835:% D. 8úmero da o.-.● Fi#iani% 8i#io. *ddison/Ges!eP% 1HJ-. Editora Mano!e% )44). Estrutura de Dados e a!goritmos em CNN. Programação com *r"ui#os.4D DrozdeM% *dam. Cengage Aearning% )44-.-. MaMron BooMs.aum% *aron% M. ● ● ● ● .– sorting and searc+ing. 8úmero da o.H)C 8E0ES% I..ra2 1)EH11 ? C!assificação2 DE1. Pro>eto de a!goritmos com im !ementaçLes em Pasca! e C. E. Cengage Aearning% )44H. Estruturas de Dados usando C.4DNE44. 5+e art of com uter rogramming – #.

net .sourceforge.http://dsgraph.

Introdução ● $ "ue & dadoQ Dado ( Informação ( Con+ecimento ( Sa.edoria .

.Introdução ● 5ra.a!+ar com com utação & mani u!ar mensagens em um dos n6#eis #istos anteriormente. Com o assar do tem o% es"uisadores da com utação tentam !idar com mensagens em n6#eis mais sofisticados ● ● Por&m% n6#eis mais rudimentares ainda são im ortantes2 no#os e"ui amentos 9dis ositi#os mR#eis% nanotecno!ogia% redes sociais% etc<.

semSntica sa.a!+aremos com o n6#e! mais .ai(o% "ue & .Introdução ● Camadas2 ● ● ● ● dados2 rocessamento% desem en+o informação2 .edoriaQ1 ● 8esta disci !ina% tra. .ase ara as demais camadas.anco de dados inte!ig'ncia2 sistemas es ecia!istas% =e.

..Introdução  Informação mantida em memória secundária:  HD  Disquete  Fitas  CD  ..

.  Possuem taman!o e tipos são "ariados  #m arqui"o possui um nome e a terminação que determina o seu tipo . p ani !a.. etc. dados.Introdução  Podem ser programas. imagens. texto.

gerenciada pe o +... e"entua mente organi)ada em registros ou outra estrutura ógica  #m arqui"o f&sico pode estar associado ao ógico: associação iniciada pe o ap icati"o. .Introdução  $xistem dois tipos de arqui"os:  %rqui"os F&sicos: sequencia de '(tes arma)enadas em disco  %rqui"os *ógicos: sequencia de '(tes.

Introdução  %rqui"os são acessados.empo de acesso  HD: a guns mi isegundos / 01ms  2%3: a guns nanosegundos / 01ns. tanto pe a memória principa . isto 7. HDs são 561..111 "e)es mais entos que memória 2%3 ..rdem de grande)a da diferença entre os tempos de acesso / 561. quanto por discos $ste acesso pode ser demorado.111.41ns  . dependendo do tipo de memória  .

Introdução  Capacidade de %rma)enamento  HD 8 muito a ta. a um custo re ati"amente 'aixo  2%3 8 imitada pe o custo e espaço  .ipo de %rma)enamento  HD 8 não "o áti  2%3 9 "o áti .

ento:  $ntão  o n.mero de acessos ao disco de"e ser minimi)ado  a quantidade de informaç<es recuperadas em um acesso de"e ser maximi)ada  $struturas de organi)ação de informação em arqui"os: .Introdução  $m resumo  acesso a disco 7 muito caro. isto 7.

'=eti"o: minimi)ar o tempo de acesso ao dispositi"o de arma)enamento externo .rgani)ação de %rqui"os  3eta: minimi)ar as des"antagens do uso da memória externa  ..

.rgani)ação de %rqui"os  $struturas de dados eficientes em memória principa são in"iá"eis em disco  +eria fáci o'ter uma estrutura de dados adequada para disco se os arqui"os fossem está"eis >não sofressem a teraç<es?  +o ução: organi)ação adequada de arqui"os no disco e de informaç<es em arqui"os. .

ons ● *.ordagem goog!e/do=n!oad/im ort/.ui!d/run .ordagem ana!iso/ es"uiso/ana!iso/im !emento ● $s mais ou menos ● *.E isso ser#e ra a!guma coisaQ1 ● SR ara os .ons1 ● $s mais ou menos somente usam com onentes rontos 9!eia/se% fáceis< sem ana!isar a so!ução im !ementada ● $s .

Mas% será "ue ser#e mesmoQ1 ● Com utadores estão cada #ez mais rá idos ● 3m ce!u!ar +o>e & muitas #ezes mais rá ido "ue o PC de 14 anos atrás 8ão dá tem o de gastar com aná!ises% me!+or egar acotes >á rontos ● $ mercado e(ige res ostas rá idas ● .

9search engines<% etc .Por&m..ateria durasseQ ● Mercado e(ige #e!ocidade sim ● ● Mas os ro.. ● Dis ositi#os mR#eis ● ● Pro.!ema com energia Mais rocessamento% mais gasto de energia – Tuanto tem o #oc' gostaria "ue a sua .!emas se tornaram mais com !e(os Uenoma% fisca!ização 9im osto de renda<% simu!açLes 9catástrofes<% =e.

.

$ grande desafio da com utação ● ● ● ● ● Má"uina com )JMm de circunfer'ncia H444 cientistas en#o!#idos 17 eta.Ptes etc E as so!uçLes de soft=areQ ● ● .Ptes de dados reco!+idos or ano Mi!+ares de +oras ara com utar esses dados E a redeQ "uanto tem o ara transferir esses dadosQ So!uçLes f6sicas2 criação de centros de su ercom utadores% redes giga.