You are on page 1of 41

Texto 01 – TÍTULO: Poema do coletivo

Gênero: Poesia Tipo: Narrativo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
1. Perguntar aos alunos se eles sabem que tipo de texto é um poema.
2. Explicar que esse tipo de texto se organiza em versos, em lugar de
linhas, e que um grupo de versos é uma estrofe.
3. Obsevar que os versos podem apresentar palavras que rimam, ou seja,
terminam em sons semelhantes ou iguais e que essa é uma das formas
de criar o ritmo de um poema, pois esse é um tipo de texto que
apresenta musicalidade.
4. Em seguida, fazer perguntas como: Vocês conhecem a palavra coletivo?
Qual o seu significado? Ouvir as respostas das crianças e propor a
leitura para confirmar ou refutar as respostas dadas.

2º momento – leitura
1. Leitura exemplar do(a) professor(a). Fazer a leitura expressiva de todo
o poema, dando a entonação adequada.
2. Em seguida, dividir a turma em grupos de alunos pelo número de
estrofes e solicitar que cada grupo leia uma estrofe designada pelo
professor.
3. Pedir que os alunos imitem a entonação dada pelo professor(a).
Depois solicitar que a turma leia o poema coletivamente, mantendo a
entonação ensinada pelo professor(a).

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Propor a execução da atividade em duplas, para que os alunos possam
interagir e trocar informações durante a execução da atividade.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA

1. Observar que, para que seja possível estudarmos a nossa língua, ela foi
divida em dez classes gramaticais, uma dessas classes é o substantivo.
2. Relembrar que os substantivos são palavras que têm por função dar
nomes a tudo o que existe, permitindo que nos comuniquemos,
identificando objetos, pessoas, lugares, animais, e tudo o mais que
precise de um nome.
3. Explicar que os substantivos recebem várias classificações, dependendo
de sua formação e significação. Uma dessas classificações é comum e
coletivo. O substantivo comum é aquele que dá nome a todos os seres
de uma mesma espécie.
Trabalhar as regularidades ortográficas, utilizando as palavras do texto
grafadas com “s” e com “c”.


SUBSTANTIVO COLETIVO

Explicar que o substantivo coletivo identifica uma coleção de seres de uma
mesma espécie, ou seja, identifica um grupo de elementos de um mesmo tipo.
Ex.: O substantivo coletivo turma indica um grupo de alunos. Dar outros
exemplos para sedimentar no aluno a ideia de substantivo coletivo. Pedir que
os alunos citem outras palavras que deem ideia de coletividade. Observar se
as palavras citadas pelos alunos são mesmo substantivos coletivos. Caso não
sejam, esclarecer para a turma o porquê de não serem.

4º momento – correção

Fazer uma correção coletiva participativa, com os alunos socializando suas
respostas. Refletir sobre as respostas dadas pelos alunos, esclarecendo as
possíveis incorreções.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Poema do coletivo

1- Dos substantivos coletivos.
2- A autora é Evelyn Cordeiro.
3- Pela ordem: boiada, cardume, multidão, exército, time, turma.
4- Pela ordem: abelha, flor, pinto, avião.
 (X) substantivos comuns.
5- Pela ordem: boiada, cardume, time, cacho.
 (X) substantivos coletivos.

Elaborando conceitos:
Resposta pessoal.


PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:






GÊNERO:
Gênero

Substantivos são palavras que designam os seres .Dividem-se em: comuns (designam seres da
mesma espécie. Exs.: meninos, casa, carro.);próprios ( os que se aplicam a seres específicos.
Exs.: Antônio, Fortaleza.); concretos (os que designam seres de existência real ou mesmo
imaginários, que tenham uma forma independente, ou qualquer ser que não dependa do
homem para existir. Exs. Homem, mulher, fada; abstrato (os que dependem do ser humano
para existir. Exs.: amor, alegria, estudo.
Gênero poético: distingue-se da prosa por se apresentar estruturado em versos e estrofes
(grupos de versos). É um tipo de composição em que o autor manifesta os seus sentimentos
por meio de um eu lírico, voz que se expressa no poema.


Texto 02 – TÍTULO: Dom Casmurro

Gênero: RomanceTipo:Narrativo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
1. Perguntar se os alunos já ouviram falar do autor Machado de Assis.
2. Caso tenham ouvido, questionar se já leram alguma de suas obras.
Solicitar que os alunos observem a capa do livro Dom Casmurro e
perguntar sobre o que eles acham que é o assunto da narrativa e se
conhecem o sentido da palavra casmurro.

2º momento – leitura

1. Fazer uma leitura expressiva para a turma. A leitura oral do(a)
professor(a) para os alunos é sempre relevante, pois se trata de uma
leitura exemplar.
2. Em seguida, dividir os parágrafos do texto por alguns alunos e pedir que
façam a leitura de forma expressiva, considerando as pontuações.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Sugerir que a atividade seja realizada em duplas, para que os alunos possam
interagir e trocar informações durante a execução da atividade.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
DICIONÁRIO
ADJETIVO
1. Ao solicitar que os alunos pesquisem o sentido das palavras no
dicionário (questão 03), esclarecer como elas se encontram nesse
material de pesquisa, explicar que as palavras estão sempre no singular
e na forma masculina, que os verbos encontram-se sempre na sua
forma infinitiva.
2. Lembrar que, nos dicionários, devemos procurar os vocábulos por
ordem alfabética. Utilizar o texto para trabalhar a grafia das plavras
escritas com dígrafos.
3. Sobre os adjetivos, observar que são palavras que sempre se
relacionam aos substantivos, atribuindo-lhes uma característica ou
qualidade e podem localizar-se antes ou depois dos substantivos.

4º momento – correção

Solicitar que os alunos, voluntariamente, apresentem suas respostas às
questões, discutindo com eles as respostas dadas, tirando as dúvidas que


houver e corrigindo as possíveis respostas incorretas, esclarecendo o porquê
da incorreção.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Dom Casmurro

1- Um romance é um texto constituído por vários núcleos que se
desenvolvem ao longo da narrativa. Como todo texto narrativo,
apresenta os elementos básicos da narração: ação, espaço, tempo,
personagens.
2- Foi apelidado por um rapaz que tentou mostrar-lhe uns versos, mas
não obteve a atenção que desejava. O apelido pegou por conta de
seus hábitos reclusos e calados.
3- Sucedeu: aconteceu; amuado: ofendido; alcunhado:apelidado; vulgo:
vulgarmente conhecido; rancor: raiva contida.
4- Sim, mas casmurro, além de calado, também pode significar teimoso.
5- Circular no texto os adjetivos: curta, maus, cansado, bonitos, amuado,
feios, reclusos, calados, caro.
6- MAUS CANSADO,RECLUSO,CALADO.
7- O meu poeta do trem ficará sabendo que não lhe guardo rancor.
PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:












Um pouco mais sobre o uso do dicionário





Adjetivos são palavras que expressam características ou qualidades dos seres. Quanto à
formação podem se primitivos (não derivam de outra palavra. Ex. forte); derivado (vêm de
um substantivo ou verbo. Ex.:famoso);simples (formado por apenas uma palavra); composto
(formado por mais de uma palavra. Ex.:castanho-escuro) Há também as locuções adjetivas,
expressões formadas por uma preposição e um substantivo que equivalem a um adjetivo.
Ex.:Amor de mãe.
USO DO DICIONÁRIO
O objetivo do trabalho com o dicionário é levar os alunos a conhecer como se
organiza uma obra como essa e incentivá-los a usá-la em seu cotidiano.
É importante que o uso do dicionário seja incentivado em várias situações:
 Durante a leitura de um texto, buscando o significado das palavras
desconhecidas,
 Nas produções de texto, buscando sinônimos para evitar repetição de
palavras,
 Na escrita de palavras, procurando a sua escrita convencional.







GÊNERO:




Romance: narrativa de ficção que apresenta vários conflitos que se desenvolvem ao longo da
trama, a qual apresenta acontecimentos semelhantes à realidade (verossimilhança).
Distingue-se de outros gêneros narrativos também pela maior extensão.
“A consulta ao dicionário pressupõe conhecimento sobre as convenções da
escrita e sobre as do próprio portador: além de saber que as palavras estão
organizadas segundo a ordem alfabética (não só das letras iniciais, mas
também das seguintes), é preciso saber, por exemplo, que os verbos não
aparecem flexionados, que o significado da palavra procurada é um critério
para verificar se determinada escrita se refere realmente a ela, etc. Assim, o
manejo do dicionário precisa ser orientado, pois requer aprendizagem de
procedimentos bastante complexos”
BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua
Portuguesa, op. Cit, p. 58.


Texto 03 – TÍTULO: Brincando de não me toque

Gênero: Poesia Tipo: Narrativo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
Você já ouviu falar ou brincou da brincadeira “Não me toque”? Se sim, como
ela é?

2º momento – leitura
1. Leia o poema de forma expressiva, ressaltando o ritmo.
2. Divida a classe emtrês grupos e peça que cada um desses grupos
declame uma parte do poema, procurando manter a expressividade.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
A atividade deve ser executada individualmente, após explicação do
professor(a) sobre as questões.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
Ao trabalhar o número de sílabas de uma palavra, fazer com que os alunos
pronunciem-nas para perceberem quantas vezes abrem a boca para emitirem
os grupos de sons que constituem cada palavra.

4º momento – correção
Fazer a correção coletiva, socializando as respostas dos alunos e esclarecendo
suas dúvidas, se houver.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Brincando de não me toque
1- O autor do poema é Elias José.
2- Brincando de não me toque.
3- Resposta pessoal coerente.
4- Resposta pessoal coerente.
5- Pela ordem de aparição: mão-1; por-ta-2; es-pe-lho-3; brin-ca-dei-ra-4.
6- (X) Não
7- SUGESTÕES:
MONOSSÍLABA: SÓ
DISSÍLABA: CAFÉ
TRISSÍLABA: BONECA
POLÍSSILABA: POLÍTICO, GRAMÁTICA

PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:



Trabalhar a divisão silábica das palavras, observando os dígrafos e os encontros consonantais.
Relembrar os dígrafos obrigatoriamente separáveis (RR, SS, SC, SC, XC) e os inseparáveis(LH,
NH, CH, GU(I), QU(I), SC, SÇ, XC), bem como os encontros consonantais separáveis e os
inseparáveis. Relembrar, também, a diferença entre ditongo, tritongo e hiato. Esse
conhecimento dará segurança ao aluno para separar corretamente as palavras.


Texto 04 – TÍTULO: A menina do leite

Gênero: Fábula Tipo:Narrativo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
1. Solicitar aos alunos que observem a ilustração do texto e a descrevam,
procurando relacioná-la ao título do texto.
2. Perguntar se eles conhecem o gênero de texto fábula. Caso conheçam,
pedir para que falem sobre alguma.
3. Perguntar se os alunos sabem o que o gênero fábula tem de diferente,
por exemplo, dos gêneros conto e poema.

2º momento – leitura

1. O professor deve ler o texto de forma expressiva para servir de modelo
para a turma.
2. Em seguida, solicitar uma leitura coletiva que deve manter a
expressividade, por meio das entonações adequadas, para tanto, os
alunos devem estar atentos à pontuação.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades

Após esclarecimentos do professor(a) sobre a atividade, esta deve ser
realizada indivudualmente.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA

1. Pedir que os alunos identifiquem os artigos do texto A menina do leite.
2. Observar que, assim como os adjetivos, os artigos sempre se
relacionam aos substantivos atribuindo-lhes ideia de definição ou
indefinição.
3. Faça a diferença entre definição e indefinição, não apenas pela
classificação do artigo, mas observando a diferença de sentido que os
artigos atribuem aos substantivos quanto à definição e indefinição. Por
exemplo: No primeiro parágrafo temos a frase “A menina não cabia em
si de felicidade.” Por que foi usado o artigo definido em lugar do
indefinido? Os alunos devem perceber que no título já houve uma
sinalização de quem se tratava a menina, portanto é uma menina
determinada. Caso o texto começasse por: “Uma menina não cabia em
si de felicidade”, seria uma menina indeterminada, ou seja, não poderia
ter havido menção anterior a esse personagem.
4. Observe, também, que os artigos devem concordar em gênero e número
com o substantivo.



4º momento – correção

Solicitar aos alunos que respondam oralmente à tarefa, socializando as
respostas e discutindo com eles suas hipóteses. Esse é um momento muito
importante para esclarecer as dúvidas dos alunos.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: A menina do leite

1- Uma menina que sonha sobre o que fará com o dinheiro da venda do
leite que está levando para a cidade.
2- Nessa fábula o personagem principal é uma pessoa.
3- A moral da história é “Não se deve contar com uma coisa antes de
consegui-la”. O restante da resposta é pessoal, mas deve ser coerente
com o texto.
4- Resposta pessoal com coerência.
5- Sugestões de respostas ao exercício:
a) meninos
b) galinha
c) quadro
d) leão
e) caneta
f) janelas
6- Os artigos, pois concordam com o substantivo em gênero e número.
7- Artigos definidos: O(S), A(S).
Artigos indefinidos:UM(A), UNS, UMAS.
8- Resposta pessoal.
PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:








GÊNERO:

Texto 05

Gênero: Tirinha Tipo: Narrativo Data:_____/______/2012

A classe de palavras artigo sempre se relaciona aos substantivos atribuindo-lhes ideia de
definição ou indefinição, são termos determinantes quanto às flexões de gênero e número
do substantivo. Os artigos indefinidos não devem ser confundidos com o numeral um(a).
Quando se trata de numeral, há duas formas de se identificar: 1-Há uma palavra de função
adverbial junto às palavras um, uma ou seus plurais. Ex.: Tenho somente um lápis. 2- Há um
numeral explicito na frase. Ex.: Tenho um lápis e duas canetas.
Fábulas são narrativas cujos personagens são normalmente animais personificados. A
finalidade da fabula é ensinar uma lição, daí a existência de uma moral que pode estar
explícita no texto ou que pode ser depreendida dele.


Texto 05 – TÍTULO: Tirinha da Mafalda

Gênero: Tirinha Tipo:Narrativo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto

Fazer perguntas tais como: Você conhece o personagem Mafalda? Sabe quem
é seu autor? Já leu algumas das tirinhas em que ela aparece? Ela é uma
menina comum? Por quê?

2º momento – leitura
1. Pedir que os alunos façam a leitura individual da tirinha.
2. Em seguida, ter oralmente para eles e discutir as ideias que Mafalda
parece ter sobre a vida.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Solicitar que os alunos resolvam a atividade em duplas, após orientação.


ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
PRONOME PESSOAL CASO RETO
1. Apresentar aos alunos os pronomes pessoais do caso reto, informando
que são assim classificados porque têm a função de agentes das ações
expressas pelos verbos.
2. Mostrar aos alunos qual a posição correta do pronome reto na frase,
ressaltando que não podem ser usados, na linguagem culta, como
complemento do verbo. EX.: Não se pode dizer: Comprei um presente e
dei ele a minha mãe.
3. Explicar que os pronomes servem para evitar repetições de palavras no
texto.

4º momento – correção
Fazer a correção coletivamente, socializando as respostas dos alunos e
esclarecendo-lhes as dúvidas.


GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO:

1- Felipe pergunta o que Mafalda está fazendo.
2- Mafalda responde que está planejando a vida dela.
3- Ela traça um plano.
4- Responta pessoal com coerência.
5- Resposta pessoal com coerência.
6- Resposta pessoal com coerência.


7- Cada balão expressa a fala de um personagem, portanto sabemos que
eles estão conversando.
8- Sim. Além de diferenciar os falantes, eles serem para expressar as
emoções e sentimentos dos personagens.
9- São historinhas em quadrinhos, que tem as mesmas características dos
HQs: humor, uso de balões, mas são menores em extensão.
10- Você
11- Antes do verbo estar: Eu estou...
12- Elas; Eu;Ela;Eles;Eles/Elas/Vocês;você/ela/ele

Elaborando conceitos: pronomes pessoais do caso reto são palavras que
substituem os nomes e representam as pessoas do discurso: 1ª, 2ª e 3ª.
13- Pela ordem em que aparecem na questão:
Você: 2ª pessoa do singular
Nós: 1ª pessoa do plural
Ela: 3ª pessoa do singular
Eles: 3ª pessoa do plural
Eu: 1ª pessoa do singular


PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:









GÊNERO:




PRONOME PESSOAL CASO RETO
Os pronomes pessoais do caso reto substituem as palavras que têm
função de sujeito, representando as pessoas do discurso. As pessoas
do discurso são três: 1ª pessoa- a que fala: eu, nós; 2ª pessoa- a com
quem se fala: tu, vós; 3ª pessoa: a de que se fala: ele, ela, eles, elas.

O gênero tirinha caracteriza-se de forma semelhante às histórias em quadrinhos,as chamadas
HQs, mas distinguem-se delas por serem de menor extensão. São narrativas verbo-visuais, ou
somente visuais que se valem dos mesmos recursos das HQs, como balões diferentes para
expressar as ações e os sentimentos dos personagens. Muitas vezes, as tirinhas caracterizam-
se pela comicidade, mas sem deixar de suscitar reflexões sobre variados temas.


Texto 06 – TÍTULO: Pão da vovó

Gênero: Receita Tipo:Instrucional Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
Fazer as seguintes perguntas: Para o que você acha que serve uma receita?
Você já tentou fazer algum alimento seguindo uma receita? Onde podemos
encontrar receitas? Em sua casa, as pessoas que cozinham usam receitas?

2º momento – leitura
1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Fazer a leitura coletiva do texto receita da vovó. Observar que a receita
é um texto que possui duas partes: ingredientes e modo de fazer.
Mostrar como é diferente a organização dessas partes.


3º momento – Execução – Caderno de Atividades

Solicitar que os alunos respondam às perguntas em dupla, socializando as
respostas.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
1. Mostrar que os numerais são muito utilizados no nosso dia a dia, e está
em toda a parte, desde o número que identifica a residência em que
moramos até o que indica a nossa idade, por isso é importante
conhecermos bem os numerais para saber usá-los adequadamente.
2. Apresentar, por meio de exemplos, a classificação dos numerais,
fazendo a diferença entre elas.

4º momento – correção
Fazer a correção coletiva, socializando as respostas dos alunos e
esclarecendo as suas dúvidas.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Pão da vovó

1- Pão da vovó.
2- Resposta pessoal com coerência.
3- Água morna, óleo, açúcar, ovos, fermento, farinha de trigo e sal.
4- Colocam-se todos os ingredientes em uma vasilha e amassa-se bem.
5- Coloca-se mais trigo.
6- Quando a massa tiver crescido e ficado corada.
7- Os numerais 1, 2 e 3. São chamados numerais cardinais.


8- Sugestão de resposta:
Cardinal: Comi cinco pãezinhos.
Ordinal: Acabei de comer o segundo pãozinho.
Multiplicativo: Comi o dobro de pães que você comeu.
Fracionário: Você comeu um terço dos pães que a vovò fez.
9- Resposta pessoal.

PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:











GÊNERO:




Numeral é a classe de palavra que exprime uma quantidade, um número, que
pode se classificar como cardinal, ordinal, multiplicativo ou fracionário.
Incluem-se entre os numerais as palavras zero, ambos (dois),os coletivos par,
dezena, década, dúzia, milheiro, milhar entre outros que indicam
agrupamentos determinados por números. Já as palavras último e penúltimo
não são numerais, mas adjetivos. Observe que elas não possuem ideia de
número.

A receita culinária é um gênero de texto do tipo instrucional, ou seja, um texto que tem por
função ensinar alguém a fazer alguma coisa. Nesse tipo de texto, inscrevem-se, por exemplo,
a receita médica, os manuais, as bulas e as instruções de uso das embalagens de produtos
dos mais variados.


Texto 07 – TÍTULO: Portaria oficializa indicação de O palhaço

Gênero: NotíciaTipo: Narrativo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
Você gosta de assistir a filme? Você assiste a filmes com mais frequência em
casa ou no cinema? Já assistiu ao filme o palhaço? Você acha que um filme
pode ser tema de uma notícia? Como, então, seria essa notícia?

2º momento – leitura
1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Antes de pedir que os alunos leiam o texto silenciosamente, dar
indicações sobre o que eles devem localizar na leitura, tais como: Qual é
o assunto do texto? O que se está destacando sobre esse assunto?

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Solicitar que os alunos respondam as questões em dupla, socializando as
respostas.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
Genero noticia:
1. Pedir que os alunos pesquisem notícias recentes em jornais, revistas, ou
sites.
2. Solicitar que eles identifiquem as partes que constituem uma notícia.
3. Em seguida, pedir para que eles elaborem coletivamente uma
notícia(pode ser apenas oralmente) anotar a produção na lousa,
destacando as partes da notícia e observando se o texto pode, de fato,
classificar-se como tal.
Som x: A letra x possui a característica de representar vários fonemas.
Trabalhe com os alunos a grafia de palavras com x, representando esses
diferentes sons: /ch/: xícara, xadrez, xarope; /cs/: tóxico, táxi, sexo; /z/:
examinar, exato, exílio;/SS/:próximo, máximo; /s/:texto, sexta.


4º momento – correção

Corrigir os exercícios coletivamente, incentivando a participação dos alunos e
esclarecendo as suas dúvidas.





GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Portaria oficializa indicação de O
palhaço

1- a) A indicação do filme o palhaço comoo candidato ao Oscar.
b)Em portaria do Ministério da Cultura.
c) Na sexta-feira, dia 28.
d) Por escolha dos sete membos da comissão especial criada ela
Secretaria do Audiovisual, do Ministério da Cultura.
e) O jornalista que escreveu a notícia e todos os mencionados nela.
f) A todos os apreciadores de cinema, especialmente do cinema brasileiro.
g) Divulgar um acontecimento relacionado ao cinema brasileiro: o fato de
um filme brasileiro ter sido escolhido para concorrer ao Oscar, famoso
prêmio do cinema americano.
h) Essa notícia pode ser encontrada em jornais, revistas e sites sobre
cinema ou variedades.
2- Sexta, próxima, executivo
3- Resposta oral.
4- PEIXE:/ch/; EXPOR:/s/;EXAME:/z/; TÁXI:/cs/.
5- a) EXAME; b) EXERCÍCIO; c) EXÉRCITO; d) BEXIGA

PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:












GÊNERO:



Texto 08 – TÍTULO: O preconceito racial
Som x: Professor(a), é importante que o aluno não confunda letra com
fonema. O fonema é o som, a letra é o grafema que o representa. A letra X
merece destaque, pois representa vários sons, conforme já foi mencionado
nas estratégias de trabalho com a gramática. É preciso observar que em
certos casos, há algumas regularidades que podem ser consideradas na
escrita, como: escrevem-se com X palavras que se iniciam pela sílaba EN.
Ex.: enxugar. Palavras de origem indígena ou africana também são escritas
com x. Ex.: xavante, orixá. Quanto à pronúncia do X nas palavras, só a prática
da leitura e a consulta a um bom dicionário podem trazer maiores
esclarecimentos, mas podemos observar também as seguintes regularidades:
no início das palavras o X tem som de /ch/, no interior da palavra, no final da
sílaba, o x tem som de /s/.

Notícia: É um gênero narrativo jornalístico, ou seja, tem por finalidade divulgar fatos que
possam ser de interesse público. Constitui-se de partes bem definidas (manchete, lead, texto
principal, informações adicionais) e reponde a alguns questionamentos básicos: O quê? A
quem? Onde? Quando? Por quê? A notícia pode sofrer pequenas alterações de formato,
dependendo do seu suporte (revistas, sites, jornais), mas mantém seus constituintes
fundamentais.




Gênero: Artigo de opinião Tipo: Dissertativo-argumentativo
Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
Fazer os seguintes questionamentos: Você acha que a sociedade brasileira é
racista? Você já testemunhou algum ato relacionado a racismo? Você já
pensou sobre o porquê das pessoas serem racistas? O que você pensa sobre
o racismo?

2º momento – leitura
1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Solicitar que os alunos façam uma leitura silenciosa.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Solicitar que os alunos realizem a atividade individualmente, após orientação
do professor(a).

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
1. Assinalar algumas palavras no texto e solicitar que os alunos as
substituam por seus sinônimos e, em seguida, por seus antônimos.
2. Peça que esse exercício seja feito com a utilização do dicionário.
Lembrar que uma mesma palavra pode ter muitas acepções, que
dependerão do contexto de que façam parte.
3. É importante observar isso, sobretudo com relação à pesquisa em
dicionário.

4º momento – correção

Corrigir as atividades coletivamente, socializando as respostas dos alunos e
esclarecendo suas dúvidas.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: O preconceito racial
1- O preconceito racial é um dos problemas mais falados e um dos crimes
mais forte, que só acabará por meio de discussões nas escolas,
comunidades, etc.
2- Resposta pessoal, com coerência.
3- Resposta pessoal, com coerência.
4- Emitir uma opinião.
5- Ter conhecimento do assunto.
6- a) Não funcionam. As pessoas não deixam de ser preconceituosas por
causa das leis.


b) Que agridem os negros.
c) Aceitação
d) errado
e) estirpe, linhagem, categoria


PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:








GÊNERO:




Sinônimos e antônimos: Sinônimas são palavras de sentido semelhante. Dificilmente há
palavras de sentido igual. É importante observar aos alunos que eles têm de levar em conta o
contexto ao selecionar uma palavra no dicionário, pois cada sentido terá um uso diverso. Já
palavra antônima é aquela que expressa um sentido contrário com relação a uma outra.
O artigo de opinião é um texto dissertativo–argumentativo. Caracteriza-se pela defesa de
uma ideia, por meio de argumentos expressos de forma coesa e coerente, visando ao
convencimento do leitor de que o ponto de vista do autor sobre o tema abordado é o
correto. O registro adequado a esse gênero textual é a língua padrão, ou seja, a norma culta.


Texto 09 – TÍTULO: Paródia: asa branca

Gênero: ParódiaTipo: Poesia Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
Fazer as seguintes perguntas: Você já ouviu falar em paródia? Conhece
alguma? Qual? Você já ouviu a música Asa Branca? Sabe quem a compôs?
Por que o texto que vamos ler em seguida é uma paródia?

2º momento – leitura

1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Cantar o texto com os alunos, usando a música Asa Branca.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Pedir que os alunos executem a atividade em duplas.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA

Utilizar a letra da paródia para identificar os verbos com os alunos. Pedir que
assinalem as palavras que indicam tempo passado, presente ou futuro.

4º momento – correção
Correção coletiva com a socialização das respostas dos alunos.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Paródia: asa branca
1- Canto da música Aza Branca.
2- É uma letra criada com base em outra já existente.
3- Um feijão delicioso.
4- a) passado
b) presente
5-Sugestão: Comerei de novo o teu feijão.
6- B) SAIREI – FUTURO
C)ESTAVA- PASSADO
D) COMI- PASSADO
E) VIAJAREI- FUTURO
7- Não. No dicionário, os verbos estão escritos na forma nominal
infinitivo.


PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA: Verbo pres pass fut


O verbo é a palavra que indica tempo, alterando-se em sua estrutura
para expressar tempo presente, passado ou futuro. O verbo flexiona-se,
ainda, em modo (indicativo, subjuntivo e imperativo) número (singular e
plural) e pessoa (1 [, 2ª e 3ª).


GÊNERO:




A paródia tem como elemento principal, na maioria das vezes, a comédia, ou seja, a
partir da estrutura de um poema, música, filme, obras de arte ou qualquer gênero que
tenha um enredo que possa ser modificado. Mantém-se o esqueleto, isto é,
características que remetam à produção original, como por exemplo o ritmo – no caso
de canções – mas modifica-se o sentido. Com cunho, em muitos casos, cômico,
provocativo e/ou retratação de algum tema que esteja em alta no contexto abordado
(Brasil, mundo política, esporte, entre outros).
O novo contexto empregado à estrutura do que já existia passa por um processo de
intertextualização para o leitor, ouvinte, espectador. Para compreender a intenção da
paródia, às vezes, é necessário um pré-conhecimento do objeto inicial, por isso, em
geral, opta-se por parodiar obras que sejam conhecidas pelo público a ser atingido.
http://www.brinquedoteca.org.br/si/site/000506/p/F%C3%A1bulas%20e%20Lendas


Texto 10 – TÍTULO: Iracema

Gênero: RomanceTipo: Narrativo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto

Você já ouviu falar no nome José de Alencar? Quem ele era? Você já ouviu
falar em suas obras literárias? Pela capa do romance Iracema, do que você
acha que ele vai tratar?

2º momento – leitura
1. Ler para a turma oralmente, de forma exemplar.
2. Solicitar que realizem a leitura coletivamente.


3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Solicitar que os alunos resolvam as questões em dupla.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA

1. Observar aos alunos que estas palavras, embora de grafia parecida e
pronúncia igual, são classificadas de formas diferentes e possuem
diferentes funções.
2. Dar exemplos dessas palavras em frases, apresentando essas
diferenças.
3. Mostrar que mau é o antônimo de bom, e classifica-se como adjetivo, já
a palavra mal é antônimo de bem, e classifica-se como advérbio.
Aproveite para rever conceituação de sinônimo e antônimo.

4º momento – correção
Fazer a correção coletiva, com os alunos socializando as respostas e
esclarecendo suas dúvidas com o professor.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Iracema
1- A virgem dos lábios de mel.
2- Seu sorriso era doce como o mel e seus cabelos, negros como a
asa da graúna.
3- a) Sono da tarde.
b) A aparição de um homem branco.
c) Branco como as areias do mar, olhos azuis tristes, tem o corpo
coberto por tecidos e armas desconhecidos.
4- Desferiu uma flecha contra o estranho.
5- O rosto do guerreiro branco ficou ferido.
6- Estancou o sangue que escorria da ferida.


7- Iracema o convida a ir à cabana de seu pai, Araquém.
8- a ) pouco
b) ruim
9- a) Conjunção, sinônimo de porém , contudo.
b) intensidade.


PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:











GÊNERO:




Advérbio mau mal mais mas

É um adjetivo; usado como contrário de bom.
Exemplos:
- Eduardo é um mau garoto.
- Ela está sempre de mau humor.

MAL Pode ser: - advérbio de modo: usado como contrário de bem. - substantivo: com sentido de doença, tristeza, desgraça, tragédia. - conjunção temporal:
com o sentido de quando. Exemplos:
- Ele dirige muito mal. (adv)
- Ela cantava mal. (adv.)
- Mal cheguei em casa, o telefone tocou (conj.)
- Mal me viu, começou a falar sobre o fato. (conj.)
- Seu mal não tem cura. (subst.)
- Deve-se evitar o mal. (subst.)
Romance indianista: Gênero criado por José de Alencar, elevou o indígena à categoria de
herói romântico. indianistas mais famosos de José de Alencar são Iracema e O Guarani. Seus
protagonistas são belos, fortes e de caráter íntegro, valorizando a figura do indígena
brasileiro.


Texto 11 – TÍTULO: Comida do nordestino

Gênero: Poesia (subgênero cordel)Tipo: Narração
Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
Fazer as seguintes perguntas: Você já ouviu falar em cordel? Já leu algum?
Sabe por que esse texto tem esse nome? Vamos descobrir?

2º momento – leitura

1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Dividir a turma em grupos e solicitar que cada grupo leia uma estrofe do
cordel. Relembrar o ritmo e entonação adequados à leitura do poema.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Solicitar aos alunos que resolvam as atividades individualmente.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
1. Observar aos alunos que, na Língua Portuguesa padrão, ou seja,
quando utilizamos o registro culto da língua, certos aumentativos são
rejeitados.Por exemplo, não devemos dizer mesona. Em lugar de
utilizarmos esses tipos de aumentativos, devemos usar a forma
analítica, que é aquela formada com o uso de um advérbio de
intensidade: mesa grande, mesa enorme, por exemplo. Essa forma torna
a linguagem mais elegante.
2. Pedir que os alunos elaborem frases (podem ser apenas orais), com
aumentativos e diminutivos variados. Procure mostrar a adequação do
uso.

4º momento – correção
Corrigir coletivamente, socializando as respostas dos alunos e esclarecendo
suas dúvidas.


GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Comida do nordestino
1- O gênero textual é poesia. O cordel é considerado um subgênero da
poesia, pois, embora seja um poema, pois se estrutura em versos e
estrofes, possui características próprias como número determinado
de versos em cada estrofe (seis) e métrica específica.
2- O autor é Roberto Ribeiro.
3- Resposta pessoal, com coerência.


4- A)COMIDINHA, QUENTINHA
B) Nenhum. A palavra macarrão não configura ideia de aumento de
tamanho, portanto não está no aumentativo. Da mesma forma não
estariam as palavras botão ou portão. A terminação ÃO nessa
palavra não indica aumento de tamanho.
C) Estão no grau normal as palavras farinha e macarrão (pelo que
já foi exposto).
5- DIMINUTIVO: BOLINHA, MENININHA,LIGEIRINHO,BOQUINHA.
AUMENTATIVO:BOCARRA, PRATARRAZ,
CHAPELÃO,RAPAGÃO

NORMAL: FEIJÃO, BAIÃO, PIRÃO, SAL, GALINHA


PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:













Diminutivo e aumentativo
É uma das formas de flexão de grau das palavras variáveis. O aumentativo ou diminutivo se
formam de duas maneiras. A forma sintética, formada a partir de um sufixo: menininha e a
forma analítica: menina pequena, formada com o acréscimo de uma palavra intensificadora.
As formas aumentativas e diminutivas tanto dos substantivos quanto dos adjetivos também
assumem valor afetivo ou pejorativo. Observe: Aquela mulherzinha é insuportável; Meu
filhinho já tem oito meses; Aquela garota virou um mulherão. Esses diminutivos e
aumentativos nada têm a ver com o tamanho dos seres, mas possuem caráter valorativo.



Entenda mais do Cordel e faça com seus alunos
Faça a sua gravura
Você vai precisar de:
- Guache de várias cores
- Folhas brancas e coloridas
- Pincéis
- Um rolinho de espuma
- Tesoura
- Bandejinhas de isopor (daquelas de frios)
- Palito de churrasco ou lápis
Agora veja, passo a passo, como é fácil e divertido!
Passo 1: Tire as bordas da bandejinha. Depois, desenhe o que
quiser com um palito de churrasco ou um lápis. Você não precisa
marcar os traços com cor (aí na foto a cor preta aparece apenas
para sinalizar os traços para você, aqui nas instruções). O que você
precisa fazer é afundar bem o palito, ou o lápis) para fixar o
desenho no isopor.

Passo 2: Com a ajuda do rolinho de espuma, espalhe o guache por
toda a bandeja.

Passo 3: Depois de ter preenchido a bandeja inteirinha, pegue uma
folha e a pressione, com as mãos, sobre a parte pintada. Devagar,
puxe a folha e veja como a impressão sai perfeita, como se fosse
mesmo uma xilo.

Passo 4: Se quiser inventar ainda mais, corte as bordas em
triângulos e, com o pincel, pinte cada parte de uma cor.

Passo 5: Faça o mesmo processo de puxar o papel devagar e veja
que figura diferente você criou!

Passo 6: Também dá para pintar tudo de uma cor só e imprimir em
um papel colorido! Crie, invente, faça o que quiser e encha sua casa
de cores! Para secar bem, você pode espalhar pela mesa ou, quem
sabe, pendurar no varal como se fosse uma exposição de xilo.
Divirta-se!


GÊNERO





















http://blogs.estadao.com.br/estadinho/tag/xilogravura/



Poesia em corda

Você já imaginou uma conversa em versinhos do Lobo com a Chapeuzinho Vermelho? Com a
literatura de cordel, até os contos clássicos podem ser rimados e transformados em poesia popular.
Muito comum no Nordeste, esse gênero da literatura chegou ao Brasil na mala de viajantes que
vinham da Europa.

As histórias eram escritas em folhetos e pregadas em um cordão. Assim, colocadas em sequência,
elas ganhavam começo, meio e fim.
Como muitas pessoas não sabiam ler e escrever, as palavras rimadas eram facilmente decoradas. E
de boca em boca, o cordel se espalhou pelo sertão.
Quer saber como criar um cordel? É fácil.

O QUE É CORDEL?
Os cordéis são feitos em versos. Cada verso é uma linha que compõe um poema. E agrupando esses
versos em um conjunto, você forma uma estrofe.
Agora, para ser cordel de verdade, é preciso levar três coisas em consideração: a rima, a métrica e a
oração.
A RIMA
Rimar é repetir o mesmo som no final dos versos. Chocolate, por exemplo, rima com abacate. Boneca
com caneca. Futebol com caracol e assim por diante.
A MÉTRICA
Este é um assunto um pouco mais complicado. Ela representa o tamanho dos versos, pois métrica
vem de metro.

O que mais se usa no cordel é o redondilha maior. Nele, cada frase é feita com sete sílabas. Como
esta: “O Ce-a-rá é meu chão”.
Os cordelistas podem fazer isso de cabeça, usando a intuição. Mas, muitas vezes, esse trabalho é
totalmente raciocinado.
A ORAÇÃO
É o último passo- a- passo para você aprender e antes de treinar, escrevendo seu próprios versinhos.
Para o escritor e artista cearense Klévisson Viana, é preciso “dizer coisa com coisa”, ter
espontaneidade e clareza no assunto que se vai escrever ou falar.
De nada adianta ficar preso às rimas, por exemplo, e fugir do tema. Um bom verso de cordel é aquele
que junta os três passos em uma única história.
Depois dos versos prontos é que vem as ilustrações. Elas aparecem no meio da história e também na
capa. A técnica de ilustração mais usada nos cordéis, desde 1950, é a xilogravura. O desenho é feito
na madeira e, para imprimir, o artista passa tinta nessa peça e depois a carimba em um papel.



Texto 12 – TÍTULO: A lenda da Vitória Régia

Gênero: Poesia (subgênero cordel)/ lenda Tipo: Narrativo
Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto

Fazer pergunta como: Você sabe o que são lendas? Quais delas você
conhece? Já ouviu falar na lenda da vitória régia? Que tal conhecê-la de uma
forma diferente? Vamos ler a lenda da vitória régia em poesia de cordel.

2º momento – leitura
1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Ler com a turma como em um jogral, dividindo os grupos de alunos para
que cada um deles leia uma estrofe.Não se esquecer de lembrar o ritmo
e a entonação adequados à leitura.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Solicite aos alunos que resolvam individualmente a atividade.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
Advérbios:
1. Colocar frases na lousa com as várias posições possíveis do advérbio
na oração e variando as classes de palavras a quais ele pode se referir:
ao verbo, ao adjetivo e ao próprio advérbio.
2. Esperar que os próprios alunos identifiquem essa característica do
advérbio, pela observação. Se isso não acontecer, mostrar-lhes.
3. Em seguida, pedir que elaborem frases, exemplificando os usos do
advérbio. Observar, também, que se estiverem em destaque, ou
deslocados, devem ser separados por vírgula.

4º momento – correção

Correção coletiva, com a socialização das respostas dos alunos. Não deixar de
esclarecer as dúvidas e os possíveis enganos.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: A lenda da Vitória Régia
1- Esse texto é um exemplo de intergênero. O conteúdo é o de uma
conhecida lenda indígena, mas a estrutura é a de um poema de cordel,
portanto, pela forma, esse texto é classificado como um poema de
cordel, não como uma lenda.
2- A forma indica que se trata de um poema de cordel.


3- Rouxinol do Rinaré
4- Da história de uma moça que amava a lua e foi transformada por ela, ao
morrer, em uma bela planta aquática, a Vitória Régia.
5- Que a lua ouvia os pedidos que as moças lhe faziam.
6- Tornar-se uma estrela.
7- Mergulhou nas águas, querendo abraçar a lua.
8- A lua, com muita pena da moça, a transformou em uma linda flor: a
Vitória Régia.
9- Aqui, nunca, hoje (Professor(a), há muitas locuções adverbiais no texto,
mas a lição não aborda isso. Tome cuidado, também, para os alunos
não confundirem as palavras muita, muitos,muitas, poucos, pouca,
poucas, com advérbios. O advérbio não se flexiona, portanto essas
palavras flexionadas em gênero e número são classificadas como
pronomes indefinidos.

Continuando e aprofundando...

Sugestão de respostas:
1- a) Amanhã; b) depressa; c) talvez; d) bastante (Professor(a), lembrar ao
aluno que muita seria errado, pois é pronome indefinido, não
advérbio.);e) perto.
2- a) tempo; b) modo; c) dúvida, d) intensidade; e) lugar


PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:







GÊNERO:




Advérbios: Palavra invariável em gênero, número ou grau que se refere a
adjetivos, verbos ou a um outro advérbio, atribuindo-lhes uma ideia de
circunstância, classificando-se de acordo com a circunstância que expressar.

LENDA: Narrativa curta de caráter fantástico e sobrenatural que os povos antigos usavam
para explicar fenômenos naturais cujas causas desconheciam. Essas narrativas são muito
ricas e imaginativa, frequentemente apresentando muitos dos valores relativos às culturas
que as originou.


Texto 13 – TÍTULO: Último pau de arara

Gênero: Poesia Tipo: narrativo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto

Questionar os alunos: Você já ouviu falar em pau de arara? O que é? Ainda
existem paus de araras hoje em dia?

2º momento – leitura
1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Cantar a letra da música com os alunos

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Resolver a tarefa com os alunos coletivamente.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
Preposições:

1. Escrever frases na lousa em que haja preposições variadas.
2. Mostrar os alunos que são palavras que tem por função unir as palavras
e que isoladamente não tem significado, mas atribuem sentidos
específicos aos substantivos, dependendo do contexto. Ex.: O meteoro
veio do espaço -ideia de origem.

4º momento – correção
Corrigir coletivamente, discutindo as respostas dos alunos.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Último pau de arara

1- Um retirante que se recusa a deixar a sua terra natal, apesar das
dificuldades, então ele afirma que só sairá da sua terra “no último
pau de arara”.
2- Resposta pessoal, com coerência.
3- a) de; b) com; c) por; d) em
Elaborando conceitos...

As preposições servem para conectar as palavras dentro da oração.
4- aos; da; nesta; naquela; aonde; daqui; no

PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:









GÊNERO:




Preposições: Classe de palavras invariável que tem por função conectar as
palavras dentro do texto, algumas vezes atribuindo-lhes nuances de sentido.
O uso correto das preposições é um recurso importante para a manutenção
da coesão do texto.

O gênero canção também se insere nos gêneros poéticos pela sua estrutura, ritmo e métrica.
O que distingue a canção dos outros gêneros poéticos é que se trata de um texto para ser
cantado.


Texto 14 – TÍTULO: Como funcionam os submarinos

Gênero: Informativo Tipo: Descritivo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
Questionar os alunos: Você sabe o que é um submarino? Já teve curiosidade
de saber como eles funcionam? Como você imagina que seja?

2º momento – leitura
1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Pedir que alguns alunos leiam os parágrafos do texto separadamente.
Em seguida, fazer comentários generalizantes sobre a qualidade da
leitura feita, observando o que precisa melhorar e elogiando o que já
está bom.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades

Pedir que os alunos resilvam individualmente a atividade, depois de orientá-los.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
Acentos agudo e circunflexo:
Escrever na lousa frases com palavras cujos acentos gráficos tenham sido
retirados. Os acentos devem indicar tanto sons abertos (agudo) quanto
fechados (circunflexo). Pedir para que os alunos pronunciem essas palavras e
decidam qual acento deve ser colocado. Observar, também, que as sílabas que
recebem esses acentos são as tônicas, ou seja, as mais fortes das palavras.

4º momento – correção
Corrigir coletivamente, ouvindo as respostas dos alunos, esclarecendo as
dúvidas e corrigindo os enganos.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Como funcionam os submarinos

1- Arquimedes
2- O objeto que afunda tem um peso maior que a força do liquido em
puxá-lo para cima.
3- O seu peso.
4- Do site canal kids
5- (X) Utiliza palavras retiradas do campo da ciência.
(X) É direta e não traz opiniões pessoais.
(X) É precisa e objetiva.
6- ...apresentar informações sobre algo.


7- princípio, atrás, já, flutuará, superfície, é.
8- Leitura oral das palavras.
9- Umas têm sílabas com sons fechados:crochê, tênis; e abertos: nós,
vovó.
10- Cruzadinha.
11- Palavras com acento agudo: café, picolé;
12- Palavras com acento circunflexo: tênis, bebê.
13- Aberto/Fechado.


PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:






GÊNERO:




Acentos agudo e circunflexo: o acento agudo é usado sobre a sílaba
tônica cujo som é aberto; o acento circunflexo é usado sobre a sílaba
tônica cujo som é fechado.

Os textos informativos podem ter como suporte revistas científicas e livros didáticos. São
textos de linguagem objetiva, de registro culto e formal e apresentam informações
embasadas cientificamente sobre algum assunto.


Texto 15 – TÍTULO: O cravo e a rosa

Gênero: Poesia Tipo: Narrativo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto

Perguntar: Você conhece a canção O cravo e a rosa? Vamos ouvir uma nova
versão?

2º momento – leitura

1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Professor(a), ler, com os alunos, como em um jogral. Observar a
entonação expressiva do poema.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Resolver o exercício em dupla.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
1. Solicitar pesquisa no dicionário sobre sinônimos e antônimos de
palavras indicadas em frases que o professor(a) deve expor na lousa.
2. Relembrar observações feitas em outras atividades sobre a adequação
das acepções ao contexto das frases.


4º momento – correção
Correção coletiva com a socialização das respostas dos alunos.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: O cravo e a rosa

1-Resposta pessoal com coerência.
2- Resposta pessoal com coerência.
3- Resposta pessoal com coerência.
4- Resposta pessoal com coerência.

PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:





Sobre sinônimos e antônimos, verificar observações feitas em atividade
anterior.



Texto 16 – TÍTULO: Havia um menino

Gênero: Poesia Tipo: Narrativo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
Perguntar aos alunos: Você conhece o poeta português Fernando Pessoa? Já
ouviu ou leu algum de seus poemas?

2º momento – leitura

1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Leitura oral coletiva, observando a entonação e ritmos do poema.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades

Realizar a tarefa em duplas.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
Porque

Colocar frases na lousa com a palavra porquê nos seus vários usos. Reflita
com os alunos sobre as diferenças de uso dessa palavra e as implicações
dessas mudanças de sentido em sua escrita. Pedir, em seguida, que os alunos
elaborem frases em que essa palavra seja usada em suas variadas formas.

4º momento – correção
Correção coletiva, com socialização das respostas dos alunos, discutindo se
estão corretas ou não.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Havia um menino

1- Resposta pessoal com coerência.
2- Resposta pessoal com coerência.
3- Um caracol de cabelo.
4- Resposta pessoal com coerência.
5- Trata-se de uma explicação.
6- Atenção: Os diálogos dos balões estão completos.
7- Por que: pergunta direta; porque: resposta, explicação; por quê: no final
de uma pergunta direta; porquê: substantivo sempre antecedido por um
artigo , no caso “o”.
8- Resposta pessoal.







PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:






























Usos do porquê
Há quatro maneiras de se escrever o porquê: porquê, porque, por que e por quê.
Vejamo-las:
01) Porquê:
É um substantivo, por isso somente poderá ser utilizado quando for precedido de artigo
(o, os), pronome adjetivo (meu(s), este(s), esse(s), aquele(s), quantos(s)...) ou
numeral (um, dois, três, quatro).
Ninguém entende o porquê de tanta confusão.
Este porquê é um substantivo.
Quantos porquês existem na Língua Portuguesa?
Existem quatro porquês.

02) Por quê:
Sempre que a palavra que estiver em final de frase, deverá receber acento, não
importando qual seja o elemento que surja antes dela.
Ela não me ligou e nem disse por quê.
Você está rindo de quê?
Você veio aqui para quê?

03) Por que:
Usa-se por que quando houver a junção da preposição por com o pronome
interrogativo que ou com o pronome relativo que. Para facilitar, pode-se substituí-lo por
por qual razão, pelo qual, pela qual, pelos quais, pelas quais, por qual.
Por que não me disse a verdade? = por qual razão
Gostaria de saber por que não me disse a verdade. = por qual razão
As causas por que discuti com ele são particulares. = pelas quais
Ester é a mulher por que vivo. = pela qual

04) Porque:
É uma conjunção subordinativa causal ou conjunção subordinativa final ou
conjunção coordenativa explicativa, portanto ligará duas orações, indicando causa,
explicação ou finalidade. Para facilitar,pode-se substituí-lo por já que, pois ou a fim de
que.
Não saí de casa, porque estava doente. = já que
É uma conjunção, porque liga duas orações. = pois
Estudem, porque aprendam. = a fim de que

http://www.gramaticaonline.com.br/texto/825/Usos_do_porqu%C3%AA


Texto 17 – TÍTULO: Cariri participa do Projeto Livro de Graça na Praça

Gênero: Notícia Tipo:Narrativo Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto

Fazer os seguintes questionamentos: Existe algum projeto de leitura popular
em sua cidade? Você o conhece? Já participou dele?

2º momento – leitura
1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Solicitar que os alunos leiam a notícia e, baseados no que já estudaram
sobre esse gênero, vão identificando seus elementos. Determinar que
essa atividade seja feita em duplas.


3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Responder aos exercícios coletivamente, pois já houve um semelhante em outra
atividade, desse modo a atual servirá como revisão.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
Verbete de dicionário:

Informar aos alunos que as palavras no dicionário recebem o nome de
verbete e relembrar que elas se organizam em ordem alfabética. A seguir,
solicitar que, em duplas, os alunos verifiquem que outras informações, além
dos significados das palavras, podem encontrar em um verbete de dicionário.
Pedir que listem no caderno essas informações para socializar com a turma. O
professor(a) deve acrescentar as informações que não forem detectadas pelos
alunos.

4º momento – correção
Fazer a correção coletivamente, socializando as respostas dos alunos e
esclarecendo suas dúvidas.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Cariri participa do Projeto Livro de
Graça na Praça
1- a) A chegada ao Cariri do projeto chamado livro na praça.
b) No Cariri.
c) O projeto surgiu há 10 anos.
d) O professor José Mauro resolveu desenvolver um projeto para
incentivar a leitura e aproximar mais os leitores dos escritores.


e)Um professor mineiro que percebeu que seus alunos não liam.
f) Aos leitores do jornal O Povo.
g) Com a intenção de informar sobre um projeto de incentivo à
leitura.
h) Esse tipo de notícia pode ser encontrado em jornais ou revistas.

2- (X) Informa fatos.
(X)Encontra-se em jornais.
(X)Dirige-se a quem quer se informar.
(X)Apresenta fatos reais.
3- valorizando, elogiando
3- Resposta pessoal.

PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:









Verbete de dicionário:
Apresenta a acepção ou acepções de uma palavra, alguns dicionários
mais completos trazem a origem conhecida da palavra, além de sua
classe gramatical, a sua divisão silábica e os seus usos em frases.



Texto 18 – TÍTULO: Cordel da família

Gênero: Poesia (subgênero cordel) Tipo: Narrativo
Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto

Questionar: Por que esse texto chama-se cordel da família? O que é mesmo
um cordel? Em que esse tipo de texto se distingue de outros textos poéticos?

2º momento – leitura
1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Ler o texto coletivamente, observando o ritmo e a expressividade.


3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Fazer os exercícios individualmente e, em seguida, socializar as respostas.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
verbos

1. Pedir que os alunos identifiquem no texto as palavras que indicam ação.
Em seguida, solicitar que digam se percebem ideia de tempo nessas
palavras.
2. Determinar, então, que informem em que tempo se encontram essas
palavras.

4º momento – correção
Coletivamente, com a socialização das respostas sob a supervisão do
professor(a).

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Cordel da família

1- Resposta pessoal com coerência.
2- Resposta pessoal com coerência.
3- O autor Gustavo Dourado.
4- Em versos.
5- Semeia;acorrenta, salve (atenção: a palavra salve nesse poema é
uma interjeição, não um verbo).
6- Estão no presente




PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:
















GÊNERO:




Verbos:Verbo é a palavra que indica ação, praticada ou sofrida pelo
sujeito, fato de que o sujeito participa ativamente, estado ou qualidade do
sujeito, fenômeno da natureza.
Conjugação verbal:

Há três conjugações para os verbos da língua portuguesa:
1ª conjugação: verbos terminados em -ar .
2ª conjugação: verbos terminados em -er .
3ª conjugação: verbos terminados em -ir .

Obs.: O verbo pôr e seus derivados pertencem à 2ª conjugação, por se originarem
do antigo verbo poer.
Paschoal Cegalla

O que é o cordel?
“A literatura de cordel nordestina tem suas origens em diversas formas de
poesia popular impressa que havia na Europa a partir do século XVII. Em
Portugal, esses livrinhos de histórias em versos eram chamados „literatura de
cegos‟; na Espanha, „pliegos sueltos‟; na França, „littérature de colportage‟.
Durante a colonização do Brasil pelos portugueses, esse costume foi trazido
para cá, e no século XIX surgiu no nordeste brasileiro um grande número de
poetas que hoje são considerados os primeiros „Grandes Mestres‟ do cordel.”
(..).

Tavares, Bráulio. A pedra do meio-dia ou Artur e Isadora. São Paulo: Ed. 34, p. 73.


Texto 19 – TÍTULO: Menina rendeira

Gênero: Canção Tipo: Poesia Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
Questionar:
 Você já viu alguém fazendo renda?
 Conhece alguém que faça?
 Será que uma criança pode fazer um trabalho tão detalhado?

2º momento – leitura

1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Leitura coletiva, observando a expressividade do poema.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Fazer a tarefa individualmente.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA

Observar que a letra g representará o som de /j/ apenas com as vogais “e”
ou “i”. Colocar várias palavras com as letras g e j na lousa e levar os alunos
a comparem as grafias para perceberem as regularidades.

4º momento – correção
Realizar a correção coletiva e tirar as dúvidas quando necessário.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: Menina rendeira
1- Menina rendeira.
2- Do site HTTP://letras.terra.com.br/grupoengenho/837223/
3- A mãe.
4- Resposta pessoal.
5- O barulho dos bilros.
6- Leitura das palavras.
7- A grafia da palavra ser com j ou g depende de sua origem.
8- Gelatina, caju, origem,viajar, canjica,geleia,judô,coragem.
9- Resposta pessoal com coerência.






PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:



























GÊNERO:




Para representar o fonema /j/ existem duas letras: g e j. Grafa-se este ou
aquele signo não de modo arbitrário, mas de acordo com a origem da palavra.
Exemplos:
gesso (do grego gypsos), jeito (do latim jactu), jipe (do inglês jeep).
*Escrevem-se com g:
1) os substantivos terminados em –agem, -igem, -ugem.
garagem, origem, ferrugem. Exceção: pajem.
2) as palavras terminadas em –ágio, -égio, -ígio, -ógio, -úgio.
3) palavras derivadas de outras que se grafam com g.
4) os seguintes vocábulos: algema, angico, apogeu, auge, estrangeiro,
gengiva, gesto, gibi, gilete, ginete, gíria, giz, hegemonia, herege, megera,
monge, rabugento, rabugice, sugestão, tangerina, tigela.
*Escrevem-se com j:
1) palavras derivadas de outras terminadas em –ja
2) todas as formas da conjugação dos verbos terminados em –jar ou –jear
3) vocábulos cognatos ou derivados de outros que têm j
4) palavras de origem ameríndia ou africana
5) as seguintes palavras:
alforje, berinjela, cafajeste, cerejeira, jeca, jegue, Jeremias, jerico, jérsei, jiu-
jítsu, majestade, manjedoura, manjericão, ojeriza, pegajento, rijeza, sujeira,
traje, varejista.

Paschoal Cegalla


Texto 20 – TÍTULO: O senhor dos anéis

Gênero: Sinopse Tipo: Descritivo/ informativo
Data:_____/______/2012

1º momento – predição do texto
Questionar:
 Você assistiu ao filme O Senhor dos Anéis?
 Sabe que ele se baseou em um livro?
 Você já ouviu falar desse livro? Sabe quem foi seu autor?

2º momento – leitura

1. Realizar a leitura exemplar do texto seguindo o modelo de leitura fluente
(leitura com entonação, clareza e expressividade) e pedir que os alunos
acompanhem a sua leitura realizando a leitura silenciosa do texto.
2. Solicitar a leitura a um aluno.

3º momento – Execução – Caderno de Atividades
Resolver as questões em dupla.

ESTRATÉGIA PARA TRABALHAR A GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA
Quantidade de sílaba s com som de z
1. Trabalhar a classificação quanto ao número de sílabas, a partir da
divisão silábica. Lembrar-se da divisão dos dígrafos, encontros
consonantais e vocálicos.
2. A partir daí, iniciar a classificação. Começar pelas palavras
monossílabas até as polissílabas.
3. Fazer a classificação, também, quanto à tonicidade. Observar ao aluno
que as palavras monossílabas ou são átonas ou tônicas, nunca
oxítonas, pois para ser oxítona a palavra tem de ter pelo menos duas
sílabas.

4º momento – correção
Correção coletiva, com a indicação individual de alguns alunos para
socializarem suas respostas.

GABARITO DA ATIVIDADE – TEXTO: O senhor dos anéis
1- Um hobbit tenta levar um anel maligno a um local perigoso para destruí-
lo, para isso conta com alguns amigos.
2- Alguns hobbits, um anão, um elfo, dois humanos e um mago.
3- Dar informações resumidas sobre o enredo de um filme.
4- (X) No presente e no futuro.


5- (X) Curta.
6- Sugestões de resposta:
Monossílabas:dois, seu;
Dissílabas: lado, terra;
Trissílabas: bizarros, maligno;
Oxítonas: anel, anão;
Paroxítonas: humanos, perigo;
Proparoxítona: fantástica.
7- Presente
8- Por que a letra “S” está entre vogais.

PARA APROFUNDAMENTO DO(A) PROFESSOR(A)
GRAMÁTICA/ ORTOGRAFIA:

























GÊNERO:


CLASSIFICAÇÃO DAS PALAVRAS QUANTO AO NÚMERO DE SÍLABAS

1) Monossílabos (mono=um) - Tem apenas uma sílaba
Ex: PÉ, PÓ, SAL, RÉU e PNEU
2) Dissílabos (di=duas) - Possui duas sílabas
Ex: RU-A e CA-SA
3) Trissílabos (tri=três) - Possui três sílabas
Ex: CA-VEI-RA e RE-LÓ-GIO
4) Polissílabos (poli=várias) - Possui quatro ou mais sílabas
Ex: IN-TE-LI-GÊN-CIA e IN-TE-GRI-DA-DE

CLASSIFICAÇÃO DAS PALAVRAS QUANTO A SUA TONICIDADE

1) Sílaba Tônica - É aquela que possui maior intensidade no momento da pronúncia.
Ex: CA-FÉ e VÍ-RUS
2) Sílaba Átona - É aquela que possui menor intensidade no momento da pronúncia.
Ex: LÁ-PIS e BO-NÉ
3) Subtônica - É aquela que possui intensidade intermediária, não tão forte e nem tão fraca.
Ex: SOZINHO: SO (Subtônica) ZI (tônica) NHO (átona)

OBS: É importante saber que o acento prosódico, ou tônico, é o timbre mais forte na pronúncia, enquanto que o acento gráfico é utilizado na
escrita.

CLASSIFICAÇÃO DAS PALAVRAS QUANTO À POSIÇÃO DA SÍLABA TÔNICA
1) Proparoxítonas - A sílaba tônica é a antepenúltima da palavra
Ex: MATEMÁ-TI-CA
2) Paroxítonas - A sílaba tônica é a penúltima da palavra
Ex: CARÁ-TER
3) Oxítonas - A sílaba tônica é a ultima da palavra
Ex: CA-FÉ
Emprego de s com valor de z
1) adjetivos com os sufixos –oso, -osa:
teimoso, teimosa
2) adjetivos pátrios com os sufixos –ês, -esa:
português, portuguesa
3) substantivos e adjetivos terminados em –ês, feminino –esa:
burguês, burguesa
4) substantivos com os sufixos gregos –esse, -isa, -ose:
diocese, poetisa, metamorfose
5) verbos derivados de palavras cujo radical termina em –s:
analisar (de análise)
6) formas dos verbos pôr e querer e de seus derivados:
pus, pôs, pusemos, puseram, puser, compôs, compusesse, impuser etc
quis, quisemos, quiseram, quiser, quisera, quiséssemos etc
7) os seguintes nomes próprios personativos:
Inês, Isabel, Isaura, Luís, Queirós, Resende, Sousa, Teresa, Teresinha.
Paschoal Cegalla
Sinopse: É a síntese, o resumo do roteiro de um filme ou peça teatral, contendo os seus
aspectos principais, como as linhas gerais do enredo e os personagens protagonistas.