Anderson M.

Gonçalves
Camila Fontanella
Diego T. Rocha
Jarvis Gaidzinski
Wagner P. Lupin











CALOR DE REAÇÃO



















Criciuma, 2013
Anderson M. Gonçalves
Camila Fontanella
Diego T. Rocha
Jarvis Gaidzinski
Wagner P. Lupin











CALOR DE REAÇÃO








Relatório apresentado à disciplina de
Química Geral Experimental II do curso de
Engenharia de Produção



Professor Valmir Machado


UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE


Criciuma, 2013
1. INTRODUÇÃO

Neste experimento determinaremos o calor de neutralização utilizando um
frasco erlenmeyer de 250 mL para servir como um calorímetro simples.
Consideraremos que o calor de reação será usado apenas para modificar a
temperatura da solução aquosa e do frasco, desprezando pequenas perdas de calor
para o ambiente.

2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

2.1 Calor de reação
Calor de reação é a denominação genérica da variação de entalpia observada
em uma reação. Em função do tipo de reação em que foi observado, o calor de reação
recebe uma denominação específica:
Reação de combustão calor de combustão
Reação de neutralização calor de neutralização
A partir das variações de temperatura e das massas dos reagentes, pode-se
calcular o número de calorias desprendidas ou absorvidas com a seguinte relação:
Q = m .c . ∆t
Equação 1 – Determinação do calor de reação.
Onde: Q = quantidade de calor desprendido ou absorvido;m = massa do corpo;
c = calor específico e ∆t = variação de temperatura.

2.2 Lei de Hess
O estudo da termoquímica se fundamenta nos trabalhos do químico suíço
Germain Henry Hess (1822 – 1850). Em 1840, Hess enunciou uma lei que nos permite
calcular a variação de entalpia (∆H
R
) teórica de uma reação qualquer, mesmo que sua
determinação experimental seja difícil.
A variação de entalpia (∆H
R
) de uma reação depende apenas do estado inicial
dos reagentes e do estado final dos produtos. Não depende dos estados
intermediários, ou seja, ∆H
R
= H
f
–H
j
.
A lei de Hess nos mostra, então, que a variação de entalpia (∆H
R
) é a mesma,
seja a reação realizada em uma ou em várias etapas. Assim:



∆H
1
∆H
2



Figura 1 – Lei de Hess

Conclui-se, então, que o ∆H de uma reação pode ser obtido pela soma
algébrica dos ∆H de reações intermediárias:

∆H = ∆H
1
+ ∆H
2

Conseqüências da Lei de Hess:
1. As equações termoquímicas podem ser somadas como se fossem equações
matemáticas ou algébricas;
2. Invertendo-se uma equação termoquímica o sinal do também será invertido;
3. Multiplicando-se ou dividindo-se uma equação termoquímica por um número diferente
de zero, o valor do também será multiplicado ou dividido pelo mesmo número.

2.3 Entalpia de Neutalização
A entalpia de neutralização é o calor produzido quando um ácido e uma base
reagem, em solução aquosa, para produzir um mol de água.
As reações de neutralização sempre ocorrem entre um ácido, que libera o
cátion H
+
, e entre uma base, que libera o ânion OH
-
. Esse tipo de reação é sempre
Estado inicial Estado final
Estado
intermediário
exotérmico, ou seja, libera energia, pois parte da energia dos íons é utilizada para
formar as ligações, que formam as moléculas de água e a energia restante é liberada.
Quando uma solução diluída de HCl, HBr, HI, HNO
3
ou HClO
4
é neutralizada
por uma solução diluída de NaOH, KOH, RbOH, Ba(OH)
2
ou La(OH)
3
, o calor de
neutralização molar, ΔH neutralização, é sempre o mesmo: -13,8 Kcal por mol de água
formada. Isto acontece, pois, em solução aquosa, os ácidos e as bases fortes
encontram-se completamente dissociados, e o calor de neutralização é
numericamente igual ao calor de dissociação da água com sinal contrário. Portanto, a
variação de entalpia observada na neutralização de um ácido forte e uma base forte, o
que resulta em um mol de água, é apenas a entalpia padrão molar da formação da
água.
Quando o ácido ou a base não estão completamente dissociados (fracos) o
calor de neutralização assume valores diferentes.















3. MATERIAIS E PROCEDIMENTOS
3.1 Materiais e Reagentes
Os materiais e reagentes utilizados estão mencionados na tabela 4:
Material / Reagente Quantidade
Erlenmeyer 250 ml 03
Termômetro 01
Água 200ml
NaOH
(s)
8 g
HCl0,5M 300 ml
NaOH 0,5M 100 ml
Tabela 4: Materiais e reagentes utilizados.

3.2 Procedimentos
3.2.1 Determinação do calor da reação 1
Pesou-se um erlenmeyer de 250ml, o qual estava limpo e seco. Em seguida,
colocou-se 200 ml de água e agitou-se com um termômetro até que se atingisse uma
temperatura constante (ambiente). Anotou-se esta temperatura.
Pesou-se 4 g de hidróxido de sódio e adicionou-se ao erlenmeyer contendo a
água, agitando até que se dissolvesse completamente. Por fim, registrou-se a mais
alta temperatura atingida por esta reação.

3.2.2 Determinação do calor da reação 2
Pesou-se um erlenmeyer de 250ml, o qual estava limpo e seco. Em seguida,
colocou-se 200 ml de HCl 0,5M e agitou-se com um termômetro até que se atingisse
uma temperatura constante (ambiente). Anotou-se esta temperatura.
Pesou-se 4 g de hidróxido de sódio e adicionou-se ao erlenmeyer contendo o
ácido, agitando até que se dissolvesse completamente. Por fim, registrou-se a mais
alta temperatura atingida por esta reação.

3.2.3 Determinação do calor da reação 3
Pesou-se um erlenmeyer de 250ml, o qual estava limpo e seco. Em seguida,
colocou-se 100 ml de HCl 0,5M.
Em um outroerlenmeyer adicionou-se 100 ml de NaOH 0,5M e registrou-se as
temperaturas dos dois frascos.
Juntou-se o hidróxido de sódio à solução de ácido clorídrico, misturando
rapidamente, e registrou-se a mais alta temperatura atingida pela reação.

4. RESULTADOS E DISCUSSÕES
4.1 Determinação do calor da reação 1

O hidróxido de sódio sólido dissolveu-se em água para formar uma solução
aquosa de íons. A reação ocorrida foi a seguinte:
NaOH
(s)
 Na
+
(aq)
+ H
-
(aq)
+ x
1
cal

Pode-se verificar os dados obtidos na tabela 1:

Reação 1
m (erlenmeyer vazio) 105,23g
m (H
2
O) 200g
Tinicial (água) 25ºC
Tfinal (solução) 30ºC
c(H
2
O) 1,0 cal/gºC
c (vidro) 0,22 cal/gºC
Tabela 1: Dados reação 1.


() () () ()

( )

( )



A quantidade de calor obtida é referente a 4g de NaOH. Fazendo a relação para 1mol
(40g), tem-se:

Como é uma reação exotérmica (ocorre liberação de calor), este valor é
negativo. Logo a entalpiaencontrada neste experimento foi:

4.2 Determinação do calor da reação 2

O hidróxido de sódio sólido reagiu com uma solução aquosa de cloreto de
hidrogênio, formando água e uma solução aquosa de cloreto de sódio. A reação
ocorrida foi a seguinte:

NaOH
(s)
+ H
+
(aq)
+ Cl
-
(aq)
H
2
O
(l)
+ Na
+
(aq)
+ Cl
-
(aq)
+ x
2


Pode-se verificar os dados obtidos na tabela 2:

Reação 2
m (erlenmeyer vazio) 105,02g
m (HCl) 200g
Tinicial (HCl) 25ºC
Tfinal (solução) 36ºC
c (HCl) 1,0 cal/gºC
c (vidro) 0,22 cal/gºC
Tabela 2: Dados reação 2.


() () () ()

( )

( )


A quantidade de calor obtida é referente a 4g de NaOH. Fazendo a relação para 1mol
(40g), tem-se:


Como esta é uma reação exotérmica (ocorre liberação de calor), este valor é
negativo. Logo a entalpia encontrada neste experimento foi:

4.3 Determinação do calor da reação 3

Uma solução aquosa de hidróxido de sódio reage com uma solução aquosa de
cloreto de hidrogênio para formar água e uma solução aquosa de cloreto de sódio. A
reação ocorrida foi a seguinte:

Na
+
(aq)
+ OH
-
(aq)
+ H
+
(aq)
+ Cl
-
(aq)
 H
2
O
(l)
+ Na
+
(aq)
+ Cl
-
(aq)
+ x
3
cal

Pode-se verificar os dados obtidos na tabela 3:

Reação 3
m (erlenmeyer vazio) 101,85g
m (HCl) 100g
m (NaOH) 100g
Tinicial (HCl) 25ºC
Tfinal (solução) 28ºC
c (solução) 1,0 cal/gºC
c (vidro) 0,22 cal/gºC
Tabela 3: Dados reação 3.


() () () ()

( )

( )


A reação ocorrida a partir dos volumes utilizados das soluções não é de 1 mol,
mas sim de 0,05 mol. Portanto, a entalpia molar de neutralização é:





Como é uma reação exotérmica (ocorre liberação de calor), este valor é
negativo. Logo a entalpia encontrada neste experimento foi:

O valor tabelado de entalpia para esta reação de neutralização entre um ácido
forte e uma base forte é -13,80 Kcal/mol. Portanto o erro percentual cometido neste
experimento foi:
|

|


4.4 Constatações da Lei de Hess
(1) NaOH
(s)
 Na
+
(aq)
+ OH
-
(aq)

(2) NaOH
(s)
+ HCl
(aq)
 H
2
O
(l)
+ NaCL
(aq)

Invertendo a ordem da equação 1 e aplicando as regras da Lei de Hess, tem-se:
(1) Na
+
(aq)
+ OH
-
(aq)
NaOH
(s)

(2) NaOH
(s)
+ HCl
(aq)
 H
2
O
(l)
+ NaCL
(aq)

Reação global: NaOH
(aq)
+ HCl
(aq)
 H
2
O
(l)
+ NaCl
(aq)



De acordo com a Lei de Hess:

()

5. CONCLUSÃO

Com este estudo pode-se observar que quando uma reação química se realiza
a pressão constante, a quantidade de calor liberado ou absorvido é expressa pela
variação da entalpia do sistema. Isso é chamado usualmente de calor de reação, ou
entalpia da reação, é representado por ΔH, e seu sinal indica se a reação é
endotérmica (absorve calor) ou exotérmica (libera calor).
Comparando-se o resultado encontrado e o valor tabelado de entalpia de
neutralização de uma base forte por um ácido forte, pode-se concluir que os valores
são muito próximos, indicando relativa exatidão no experimento realizado. Algumas
diferenças entre estes valores podem ser atribuídas a alguma pequena liberação de
energia pelo calorímetro e/ou erros de medida e operação.















REFERÊNCIAS

SARDELLA, Antônio. Físico-química. 20.ed. São Paulo: Ática, 1999-2002. 2 v.
ATKINS, P. W. Físico-química. 7.ed Rio de Janeiro: LTC, 2003-2004. 3 v.