You are on page 1of 11

Sociologia

Cultura de massas e indústria cultural – novas
tecnologias

Professor: Wanderson Mª

a liberdade. de poder e fornece uma série de orientações de ação aos seus militantes. A palavra ideologia foi criada por Destutt de Tracy. a ideologia tem por função conservar a unidade de toda sociedade. ou para a sua transformação. expressando os seus interesses. ou seja. cada escola segue uma ideologia específica. formam o terreno sobre o qual os homens se movimentam. qual é a ideologia de um determiando pensador. o que devem fazer e como devem fazer. ou seja. um corpo explicativo. ou o Estado. também podemos definir Ideologia como um conjunto de idéias. lutam. enfim em todas as manifestações da vida.Ela é. portanto. concepções. claro há a ideologia de um partido político.” (Marilena Chauí. e significa. as ideologias: “(…) organizam as massas humanas. "Visão do mundo". estamos nos referindo à doutrina. Cabe aqui citarmos também uma outra definição de ideologia. regulador. o que é ideologia 1980). Neste sentido. no sentido de “constiuição”. há uma ideologia para as escolas. produto e reflexo de uma época e de uma sociedade. os pensadores da Antiguidade Clássica e da Idade Média já entendiam ideologia como o conjunto de idéias e opiniões de uma sociedade. a humanidade. para este pensador. os seus aspectos sociais (relações entre os homens e a sua atividade). muito importante. Posteriormente. regras e preceitos) de caráter prescritivo. a igualdade. cuja função é dar aos membros de uma sociedade dividida em classes uma explicação recional para as diferenças sociais.1 – Ideologias e visões de mundo Ideologia “é um conjunto lógico. No entanto. ou para a manutenção da ordem social existente. no direito. o que devem sentir e como devem sentir. ciência das idéias. mais especificamente de grupos sociais reais. XIX. surgiriam os ideólogos ou intelectuais que passariam a operar em favor da dominação ocorrida entre as classes sociais. justificar e contribuir. e de fornecer aos membros da sociedade o sentimento de identidade social. adquirem consciência de sua posição. pois para ele a ideologia teria uma função que é a de legitimar. e. no decorrer da história do pensamento sociólogico.Pelo contrário. para os ideais ou interesses da classe dominante. como as de classes. um sistema de pensamento neutro. Ideologia também pode indicar Teoria. o que devem valorizar e como devem valorizar. de representações e práticas (normas. Isso mesmo. Marx compreende a ideologia como uma consciência falsa. a função da ideologia é a de apagar as diferenças. Segundo Gramsci. políticas e culturais. como por exemplo. sem jamais atribuir tais diferenças à divisão da sociedade em classes.” . proveniente da divisão entre o trabalho manual e o intelectual. um estatuo que estipula as concepções acerca de diversos temas de interesse do partido e de seus afiliados. quando perguntamos por exemplo. estabelece um código de coduta aos fiéis. a de uma igreja. opiniões sobre algum tema. Karl Marx conceituou Ideologia como um sistema de pensamento. Além dessa definição da filósofa Marilena Chauí.Sociologia em massa e cultura 1. estratos e classes. etimologicamente. no séc. há uma ideologia religiosa. muitos sociólogos se preocuparam em achar uma definição adequada para este conceito que tato nos intriga. a sua atividade e o seu papel histórico. Nessa divisão. Não seria. uma forma de conceber o mundo que abrange. a do pensador Antonio Gramsci. e ainda de acordo com Gramsci. encontrando certos referenciais identificadores de todos e para todos. para ele a ideologia significava uma concepção de mundo. normativo. por meio de idéias capazes de deformar a compreensão sobre o modo como se processam as relações de produção. concluiu-se que esta palavra ganharia um sentido novo quando Napoleão chamou De Tracy e seus seguidores de "ideólogos" no sentido de "deformadores da realidade". isto é. de uma religião específica. como. a um conjunto de posicionamentos e idéias seguidos por ele diante determinados fatos. a nação. sistemático e coerente de representações (idéias e valores) e de normas ou regras (de conduta) que indicam e prescrevem aos membros da sociedade o que devem pensar e como devem pensar. etc. na atividade econômica. principalmente. manifestando-se de modo tácito na arte. a ideologia (enquanto falsa consciência) geraria a inversão ou a camuflagem da realidade. configuração dos conhecimentos para nortear a ação de indivíduos e instituições. por exemplo.

podem ser distinguidas como ideológicas. funcionários.E.” Todas estas frases demonstram pensamentos e idéias disseminadas não só na escola. generalizam o particular. alunos (as). Exemplos: “A escola dá oportunidades a todos os alunos de aprenderem as coisas da vida. que. mas são apenas salários Prescrição de normas Representação da realidade Naturalização das ações humanas Reificação da realidade As coisas aparecem com vida própria. além de inverter a realidade. pensamentos etc. mas invade as terras. coisas inertes ganham aspectos naturais.Com base no quadro apresentado acima. têm um discurso lacunar. leia o quadro abaixo: Característica O que faz Exemplo A idéia de monogamia faz com que homens e mulheres a achem justa Generalização do particular Orienta as ações humanas. concepções.” “A função do professor é ensinar. quem disse que os alunos e alunas não sabem nada e o professor (a) é o único dono(a) da verdade? E as experiências pessoais dos alunos(as). um facilitador(a) e os alunos(as) podem muito bem ensinar coisas e compartilhar seus conhecimntos com os professores. O MST não luta pela reforma agrária.Por isso devem ser tratadas de forma inferiorizada. . pais. a do aluno é parender.Para compreender melhor. não construídas pelos homens. Torna normal e natural aquilo que é histórico e contingente. representam a realidade. diretores ou mesmo podem ser trazidas de fora da escola por eles. essas idéias podem ser expressas por professores. construa o seu próprio quadro com exemplos que você conhece. naturalizar e ocultar os fatos. sem percebermos.Elas prescrevem normas.” “Professor não pode falar de política em sala de aula. Os salários não expressma relações desiguais de trabalho. Por exemplo. ou seja. A desigualdade entre os homens e mulheres é normal. e só. Modelam os interesses humanos. Trata o específico como exemplo de um fenômeno geral. Se utiliza de símbolos e criação mental. pois na verdade o professor(a) é um mediador(a).Não podemos asseverar que a função do professor é unicamente ensinar e os alunos (as) devem apenas aprender. repetir e manter a ordem dita “normal” das coisas. O conceito de pátria ou o sentimento patriótico Todos os alunos (as) de uma determinada turma são iguais ATIVIDADE I 1 . Inversão da realidade Esconde as reais causas de um fenômeno. “O mundo escolar” No mundo escolar existem várias idéias. mas em toda sociedade. prescrever normas é elaborar. Diz o que se deve fazer. pensar ou expressar Dá sentido à realidade humana.

e por outro. a seu idioma. que aparece associada ao povo.2 Cultura popular e cultura erudita Muito provavelmente você sabe o que é cultura. que se refere a capacidade que os seres humanos tem de dar significados às suas ações e ao mundo que os rodeia. logo ouvimos falar também de acesso a cultura. com educação. No primeiro caso. por vezes se fala de cultura para se referir unicamente às manifestações artísticas. ao se falar na cultura da nossa época ela é quase que identificada com os meios de comunicoção de massa. Por ser uma herança social. cada indivíduo é capaz de modificar a cultura herdada. cultura é então a própria marca da civilização. indicando superioridade. política e cultural e seu conhecimento é proveniente do pensamento científico. inclusive criadores da compreensão que muitos de nós ainda temos de “Cultura” com C maiúsculo. o que não é correto. produzida por uma minoria de intelectuais. não existe uma cultura boa. permanece.ATIVIDADE II 1 – Agora a partir de seus conhecimentos dê exemplos de idéias que generalizam o particular e invertem a realidade. Essa tensão entre referir-se a uma cultura dominante ou a qualquer cultura. à barbárie. o ser humano “recebe” a cultura dos seus antepassados. Notem que é no segundo sentido que as ciências sociais costumam falar de cultura. Cultura está muito associada a estudo. E. grupos ou sociedades humanas. Ou ainda. os seus produtores fazem parte de uma elite social. com erudição. de progresso.A Cultura Erudita é a produção acadêmica centrada no sistema educacional. devemos entender como cultura todas as maneiras de existência humana. como modelo de civilidade. a cultura erudita. sobretudo na universidade. à arte e à religião daquelas camadas dominantes. como queriam os alemães ao idealizarem a idéia da “Kultur” alemã indicando a superioridade da cultura alemã em detrimento das outras culturas. se opõe à falta de domínio da língua escrita. econômica. à sua comida. às classes dominadas. mas cada pessoa. 2 – Defina o conceito de ideologia 3 – Cite duas características da ideologia dando exemplos. no sentido amplo. críticos de arte. dos livros. todos e todas temos cultura! Cultura pode por um lado referir-se à alta cultura. às lendas e crenças de um povo. formação escolar. Ela é relativa.mas é preciso ressaltar que cultura. ou uma cultura ruim. cinema. A cultura é informação. Ao contrário da cultura erudita. A arte erudita e de vanguarda é produzida visando museus. é herança social. tais como o rádio. falando em erudição. Outras vezes. a pintura. 4 – Partindo do que aprendemos aqui e unindo com o que você já sabia acerca de ideologias e visões de mundo. a música. educação. nações. e explica-se em parte a multiplicidade de significados do que seja cultura. a chamada cultura erudita está associada às elites. a televisão. cultura surge em oposição à selvageria. à cultura dominante. e neste sentido quem compreende a cultura desta forma arcaica e equivocada tende a fazer afirmações do tipo: “ fulano é culto” “Fulano não tem cultura” ora. 1. a cultura popular . público e divulgação. No segundo caso. Contudo. das pesquisas universitárias ou do estudo em geral (erudito significa que tem instrução vasta e variada adquirida sobretudo pela leitura). Cabe aqui iniciarmos uma conversa sobre cultura popular. às classes excluídas socialmente. como acreditavam os alemães. muitas vezes é confundida com aquisição de conhecimentos. Cultura é tudo aquilo que aprendemos e compartilhamos com nossos semelhantes. flexível. a escultura. disserte expondo suas ponderações. como o teatro. pode-se falar de cultura a respeito de todos os povos. pois a cultura é modificável. é a reunião de conhecimentos aprendidos no decorrer de nossas vidas. A lista ainda pode aumentar mais. portanto a cultura não é fixa. superior ou inferior. propostas revolucionárias ou grandes exposições. ou seja. como fenômeno unicamente humano. ou a seu modo de se vestir. a qualquer cultura. ou à falta de acesso à ciência. a alta cultura surge como marca das camadas dominantes da população de uma sociedade. Ou então cultura diz respeito às festas e cerimônias tradicionais. o ser humano “recebe” a cultura e a remodela.

crenças religiosas. uso. então patrimônio veio a se relacionar com tudo aquilo que é deixado pela figura do pai e transmitido para seus filhos. a palavra patrimônio tem origem atrelada ao termo grego pater. na verdade. É produzida pelo homem do campo. antigüidade ou valor econômico. e que passamos às gerações futuras. artístico. não se refindo a um ato individual. bens materiais e bens imateriais. todos os seres humanos tem cultura. a cultura ou o passado de uma coletividade. objetos. passemos para a compreesão de Bem cultural. Todos os indivíduos. paisagístico. com a cooperação da comunidade. praças.  as obras. pinturas. crenças. contos e concepções transmitidas oralmente pela tradição. Muitas vezes a incorporação de elementos modernos pela cultura popular (como materiais como plástico por exemplo) a transformação de algumas festas tradicionais em espetáculos para turistas (como o carnaval) ou a comercialização de produtos da arte popular são. conjunto das lendas. artísticas e tecnológicas. que significa “pai” ou “paterno”. e. como sejam:  as formas de expressão  os modos de criar. Em seu significado inicial. a arqueologia. vestimenta. Geralmente a cultura popular é identificada com folclore. pois a cultura não baseia-se somente na linguagem escrita. ela diz respeito ao conhecimento vulgar ou espontâneo. rituais etc.2 Cultura e patrimônio Agora que já sabemos o que é cultura. ao senso comum. em diferentes épocas e lugares. Dispõe ainda que esse patrimônio é constituído pelos bens materiais e imateriais que se referem à identidade. A nossa Constituição estabelece que o poder público. Nos bens imateriais considera-se a literatura. objetos. a paleontologia e a ciência em geral. edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais. como é herança social é transmitida de geração em geração. que. cada cultura é diferente da outra. O património é a nossa herança do passado. com que vivemos hoje. a linguagem e os costumes. no entanto. das cidade do interior ou pela população suburbana das grandes cidades. documentos. o folclore. viver. fazer. pelo contrário. paleontológico. sem estabelecer limitações derivadas de sua propriedade. rituais) mas incorpora novos elementos culturais. modos de preservar a cultura popular a qualquer custo e de seus produtores terem um alcance maior do que o pequeno grupo de que fazem parte. igrejas. à ação e à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira. mesmo povos ditos incivilizados tem cultura. devam ser considerados de interesse relevante para a permanência e a identidade da cultura de um povo. Fonte: Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais-IEPHA Já Patrimônio cultural é o conjunto de todos os bens.não está ligada ao conhecimento científico. essa noção de repasse acabou sendo estendida a um conjunto de bens materiais que estão intimamente relacionados com a identidade. atribui significados diferentes a coisas e caminhos da vida aparentemente semelhantes. esculturas e artesanato. A cultura popular é conservadora e inovadora ao mesmo tempo no sentido em que é ligada à tradição (costumes. A cultura é compartilhada pelos indivíduos de determinado grupo. a música. cada grupo de seres humanos. apreciado em si mesmo. Do patrimônio cultural fazem parte bens imóveis tais como castelos. e ainda locais dotados de expressivo valor para a história. materiais ou imateriais.  as criações científicas. Cultura compreende uma série de elementos. casas.  os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico. . pelo seu valor próprio. arqueológico. deve promover e proteger o "patrimônio cultural brasileiro". Com o passar do tempo. como costumes. ecológico e científico. Os bens culturais podem ser divididos em três categorias: bens naturais. que compreende todo testemunho do homem e seu meio. 1. língua. conjuntos urbanos. Nos bens móveis incluem-se. por exemplo.

culturais. ou seja patrimônios culturais considerados de interesse mundial. 3 – Pesquise e respoda: Cite três patrimônios culturais da humanidade.Pesquise e reflita: Em sua região.O tombamento de bens culturais. cidade. ganharam notório destaque e se dedicaram. o rádio e a televisão. Estes pensadores presumiram a forma negativa como a recém-criada mídia seria utilizada durante a Segunda Guerra Mundial. para fugir deste contexto. através das alterações . bairro. em contraposição à erudita. equivale a registrar. estas modalidades culturais ficaram completamente submergidas sob o domínio da cultura de massa. É por meio da história que as pessoas comuns procuram compreender as “revoluções” e mudanças por que passam em suas próprias vidas: transformações sociais. A figura jurídica do tombamento de bens culturais existe não apenas nos âmbitos do país e dos estados. a cultura e a mídia foram submetidas à ideologia da indústria cultural. partiram para os EUA. conforme o bem a ser tombado tenha valor referenciado a toda a nação ( as grandes obras da arte barroca brasileira etc. Todo esse conteúdo é difundido por meio dos veículos de comunicação de massa.Consumo e identidade. mudanças comportamentais. em um período anterior ao da revolução Industrial. visando a sua preservação e restauração. e da existência de uma sociedade de consumo. a indústria cultural. as artes. econômicas. etária. posteriormente trocada por „indústria cultural‟.Quando se preserva legalmente e na prática o patrimônio cultural. um bairro ou uma cidade procura um sentido para sua própria natureza em mudança. A Constituição do Brasil determina a proteção do Patrimônio Cultural Brasileiro. Mas. E estas. com ele.3 Cultura de massa e indústria cultural – novas tecnologias . mas pode vigorar também na esfera municipal. dos novos meios de comunicação. Através da história local. guardar. a cultura no sentido geral. desde que o município disponha da legislação competente. conserva-se a memória do que fomos e do que somos: a identidade da nação. foram os responsáveis pela criação do termo „Indústria Cultural‟. toda e qualquer diferença de natureza social. que “atava”. ATIVIDADE III 1 . no século XIX e do predomínio das regras do mercado capitalista. maioria no interior de uma população. Não se pode falar em indústria cultural e sua conseqüência. definida como um agrupamento histórico de valores estéticos e morais. “A expressão „cultura de massa‟. sexual etc. Tombamento. também chamado tombo. atingir a massa popular. guerras.). materiais ou imateriais. arrolamento. ou para determinado município. a nacional. “imaginava”. em constante transformação e assim estabelecem-se os vínculos. com o objetivo de proteger. Antes do surgimento da cultura de massa. Os filósofos alemães da Escola de Frankfurt. portanto sofreram perseguição dos nazistas e. existe alguma construção histórica? Algum patrimônio cultural? 2 – Pesquise e responda: Cite três patrimônios culturais materiais e três patrimônios culturais imateriais brasileiros. os meios de comunicação de massa e a cultura de massa surgem com funções do fenômeno da industrialização. transpondo.A instituição do tombamento pode referir-se a todo o país. uma economia baseada no consumo de bens.. registro. de um povo. a partir da segunda revolução industrial. a homogeneizar os padrões da cultura. segunda parte do século XIX e início do século XX. Com o nascimento do século XX e. necessários para mobilização e conseqüente desenvolvimento social de uma comunidade. ou somente a determinado estado. mudanças tecnológicas etc. havia diversas configurações culturais – a popular. controlar. assim. Assim. Theodor Adorno e Max Horkheimer. é aquela criada com um objetivo específico. e outras tantas culturas que produziam diversificadas identidades populares. é de interesse do estado e da sociedade. significa inventário. Thompson (1992) Tombar alguma coisa de acordo com normas legais. étnica. a cultura de massa. do surgimento de uma economia de mercado. ao estado ou a um município. 1. “tecia” e traçava” a identidade de uma população. Veículos como o cinema. Ambos eram de etnia judia. em grande parte.

irrepetível.Massificar é banalizar as artes e a produção de idéias. provocá-lo. e destacam o poder da mídia enquanto manipulação. ao poderoso capitalismo industrial e financeiro. nacionalidade.que ocorrem no modo de produção e na forma de trabalho humano. infantilização e condicionamento das mentes e produção cultural do grotesco para despolitização.Fazê-lo ter informações novas que pertubem. que possuí um número para nos identificar e uma série de outras informações que nos tornam “reconhecíveis” para o “sistema”. não pode chocá-lo. Oliveira e Costa (2005) citam a filósofa Marilena Chauí para ilustrar este fato: “A indústria cultural vende cultura. jornais e revistas. Este é o motor que move as engrenagens da indústria cultural e aliena as mentalidades despreparadas. ela está vinculada. na verdade. inevitavelmente. outras considerações conceituais podem ser feitas: ou massa num sentido de opacidade. com nova aparência. por conseguinte de experimento de novidade. o que ele já sabe. os programas que exploram a vida dif´cil de moradores da periferia dando-lhes a esperança de saltar da favela à zona nobre da cidade rapidamente. A chegada da cultura de massa acaba submetendo as demais expressões “culturais” a um projeto comum e homogêneo. com os apelos desta indústria. contudo o termo “Identidade” tem um significado muito mais complexo e abrangente. Para Jurandir Freire Costa (1989). Para Oliveira e Costa (2005) a expressão máxima da indústria cultural são os meios de comunicação. principalmente aquela que se devota sem pudor ao sensacionalismo. mas deve devolver-lhe. ATIVIDADE IV 1 – Pesquise e reflita:Relacione: surgimento de novas tecnologias. tranformando jovens em “princesas”.” E desto modo. de expressivas passaram a reprodutivas e repetitivas.Os produtos de criação da cultura dos homens foram subordinados ao consumo. fazê-lo pensar. A dominação estabelece-se através da detenção do meio de comunicação e do aperfeiçoamento da sua tecnologia. já fez. produto de uma atividade econômica estruturada em larga escala.De criação do belo. é quase impossível resistir aos sabores visuais da avalanche de imagens e símbolos que inundam a mente humana o tempo todo. indústria cultural e cultura de massa. nosso registro civil. aos olhos da lei. deve seduzir e agradar o consumidor. seu caráter único. para questões burocráticas etc. Para vendê-la. Num sentido crítico ou utilitário do poder. ou massa num sentido de solidez ou coesão. valorizando tão somente os gostos culturais da massa. tornaram-se consagração da moda.Para seduzi-lo e agradá-lo. essas características da mídia se expressam de forma mais acentuada através da TV. afinal não podemos ser resumidos apenas em um número. filiação e data de nascimento. Para além da orientação conceitual daquilo que se designa por massa. temos os realyties shows. os comerciais que tentam nos vender produtos inúteis e sem qualidade mas com ótima produção do marketing para nos convencer de que comprá-lo mudará nossas vidas. já viu. rádio. Ao pensarmos “Identidade” somos remetidos quase que imediatamente ao RG. que determina um tipo particular de indústria (a cultural) e de cultura (a de massa). ou a beleza duradoura. ela oprime incessantemente as demais culturas. as revistas de fofocas etc. De acordo com Oliveira e Costa (2005). Nele constam nossa naturalidade indicando em que estado nascemos.Segundo estes autores. personificados principalmente na esfera publicitária. que ele chamou de aura. de alcance internacional. Como esta cultura é. de massa. A serviço deste sistema. hoje global. indicando nosso país. formação de opinião. o filósofo alemão Walter Benjamin afirmava que as artes e a cultura perderam sua autenticidade. que estão ao alcance de uma parcela maior da população. assim como os produtos fabricados em série nas grandes fábricas. “(…)a . tornaramse eventos de consumo. ou mídia escrita ou eletrônica. a indústria cultural massifica a cultura e as artes para o consumo rápido no mercado da moda e na mídia. e .Ainda segundo estes autores.

aquilo que é outro) (…) “a identidade não é uma experiência uniforme. aqui nesse contexto é o palco das realizações humanas. precisa ser substituído por outro. religiosa. por ocasião àquilo que se percebe ou anuncia como não-eu (aquilo que é meu. Porto Editora. iremos construir e reconstruir nossas identidades ao longo da vida. em busca do lucro e no aumento contínuo dos níveis de consumo por a necessidade em se criar novos mercados consumidores constantemente. a valorização do corpo. Existe assim. pela acumulação de capital das empresas que puderam se expandir e oferecer os mais variados produtos. Os problemas ambientais diferem em relação aos países ricos e pobres. a prova disso é que 20% da população é responsável pela geração da maior parte da poluição e esse percentual é similar ao percentual da população que possui as riquezas do mundo. (DUBAR. é preciso estimular o consumo e não deixar ninguém de fora do círculo. Para suprir as sociedades de consumo. produziram ou ajudaram a produzir discursos. Através da força de trabalho o homem transforma a primeira natureza (intacta) em segunda natureza (transformada). ao ato do consumo de produtos supérfluos. 1. A “coisificação” dos indivíduos. A Socialização Construção das Identidades Sociais. pois é formulada por sistemas de representações diversos. cerca de 2. gays etc. aliás segundo o filósofo Henri Bergson construímos o nosso “eu” todos os dias. é importante destacarmos que os sujeitos concretos não cumprem literalmente aquilo que é prescrito através dos discursos. Lisboa. enuncia) como sendo eu. É a natureza que fornece todas matérias primas (solo. da estética. conjuntamente com os anúncios publicitários que propõe. étnica. sobre as relações de poder que estão na base da dialética da exclusão. 1 bilhão não tem acesso a água potável. induzem e manipulam para o consumo a todo o momento. em detrimento de outros valores e qualidades tão importantes nos seres humanos é evidente na sociedade em que vivemos. pois tudo que o homem desenvolve vem da natureza. O indivíduo nunca a constrói sozinho: depende tanto dos julgamentos dos outros como das suas próprias orientações e autodefinições. etc. um espaço “para todos”. Cada um destes sistemas corresponde ao modo como o sujeito se atrela ao universo sócio-cultural. uma identidade social. solidário etc. O modelo de desenvolvimento capitalista. As identidades acompanham as sociedades no que concerne a compreensão de que ambas estão em processo constante de mudança e adequação. fala-se sobre o respeito às “diferenças”. denominamos consumismo. e pouco se deseja saber. Portugal.4 bilhões de pessoas. que não só é aprazível. . Chamamos de consumo o ato da sociedade de adquirir aquilo que é necessário a sua subsistência e também aquilo que não é indispensável. outra grande maioria. desde a mais tenra infância vamos nos construindo como indivíduos únicos. água. da sociedade do consumo. Claude. provocado pelo crescimento populacional e. nesse sentido cabe aqui iniciarmos ma discussão acerca da sociedade em que vivemos. a diversidade e o direito de todos à cidadania. 1997) E. portanto. clima energia minérios etc) necessárias às indústrias. mas ao mesmo tempo visivelmente muito fácil de casar com o discurso neoliberal da atual sociedade. que qualquer um pode apossar-se desse discurso. justamente porque dependemos da interação e da constante socialização para nos construirmos é importante contexto no qual estamos inseridos. mulheres em várias fases da vida. e. ou seja. Enquanto essa população vive em altos níveis de consumo. esse processo nunca acaba. justamente por haver a necessidade de se “criar” sempre novos consumidores. Entretanto pouco se sabe. Nas últimas décadas houve um aumento significativo do consumo em todo mundo.” Nós não nascemos já com uma identidade pronta.1 bilhão não tem habitação adequada e 1 bilhão de crianças estão subnutridas. humanitário. há um mercado para crianças. de classe. o que aparenta. dentre elas podemos citar a escola. profissional.. baseado em inovações tecnológicas. adolescentes. não possui saneamento. o homem interfere profundamente no meio ambiente. se as instituições sociais responsáveis pela formação dos indivíduos. A identidade é um produto de sucessivas socializações.. de fato.identidade é tudo que se vivencia (sente. na qual há um mercado para tudo. que leve em consideração os limites suportáveis na natureza e da própria vida. principalmente.

a partir de sua disseminação. neste caso o consumidor. a cada dia.como de outras se reflete na linguagem da mídia de forma autoritária. basta consumir e se divertir. prescrever novas e representar a realidade de forma que nosa seja oferecida uma interpretação parcial dos fatos. 2004) Ou seja. o consumo será menor. além de promover a apatia política e o descompromisso com os reais problemas do povo de acordo com Oliveira e Costa (2005). têm um discurso lacunar. sendo assim o papel da mídia é justamente esse. ser escravo das tendências. Apesar da importância desse tipo de trabalho. ATIVIDADE V 1 – Em sua opinião. naturalizar e ocultar os fatos. e. em passivo. um metaleiro diferente. Como vimos anteriormente. 4 – Quais seriam os tipos de manipulação operados pela televisão hoje na sociedade brasileira? 5 – Você acha que as eleições para a presidência têm influência da mídia? Justifique sua resposta. se não for assim. julgar ou avaliar de forma independente o que a mídia nos oferece.O que garante fortunas qe rolam nesta indústria é. a mídia exerce influência nos pensamentos e valores das pessoas? Justifique sua respota. quanto mais culta uma pessoa – cultura é tido aquilo que engrandece o nosso espírito e a nossa consciência – menos consumista ela tende a ser. desprezando a cultura popular e voltando-se para a cosntrução de cidadão meramente consumidores. o indivíduo. Um pesqueno exemplo: quem gosta de música clássica certamente não contribuí para enriquecer a indústria fonográfica.” (Betto. Alguns pesquisadores tiveram a intenção de mostrar como determinadas ideologias ganham alcance na sociedade e. apenas um espectador que não sente-se como sujeito da história. passam a consolidar um costume compreendido como natural (normas).E. se ele gostar de meia dúzia de compositores classícos. os conceitos de “cultura de massa” e “indústria cultural” surgiram para consolidar a idéia de que nas sociedades capitalistas. pois em uma sociedade de massa. Foi nesse momento em que passou a se trabalhar com o conceito de “contracultura”. transformando o alvo. ideologias são conjuntos de idéias que prescrevem normas. e. fica claro que quem controla os meios de comunicação faz parte das estruturas de poder nas sociedades. como se dá o poder da mídia no mundo moderno? 2 – Como se caracteriza a mídia como um negócio capítalista? 3 – Na sua opinião.Não se deve pensar. dócil. a partir do que você aprendeu até aqui. isto homogeneizar. a organização da sociedade e das instituições promoveu a prática de um processo de homogeneização da população como um todo. Nesse sentido. o consumidor experimentar uma nova banda. também podemos notar que o desenvolvimento de costumes vão contra os pressupostos compatilhados pela maioria. agir e sentir que estariam sendo levadas a todos os indivíduos com o objetivo dedisseminar uma mesma compreensão do mundo. porque.4 Contracultura Nas Ciências Humanas. pois comprará apenas as novas interpretações dos compositores da sua preferência. definidor de todas as práticas . elitista. generalizam o particular. como afirmam estes autores.Oliveira e Costa (2005) Citam Frei Betto: “A publicidade sabe muito bem que. prescrever normas é elaborar. é preciso estar sempre na moda. representam a realidade. e muiot menos tem impulsos questionadores ocorre um processo de inculcação de valores. idéias e hábitos. diversos teóricos apontaram a reprodução de ideologias ou visões de mundo que prescreviam normas para as formas de pensar. a estrutura não só da nossa sociedade . partindo para o campo das práticas culturais. repetir e manter a ordem dita “normal” das coisas. 1. além de inverter a realidade. outros importantes teóricos da cultura estabeleceram um questionamento sobre essa idéia de “cultura dominante” ao mostrarem outra possibilidade de resposta.

focada principalmente nas transformações da consciência. A partir de todos esses fatos era difícil ignorar-se a contracultura como forma de contestação radical. já na década de 1940. Os hippies se opunham radicalmente aos valores culturais considerados importantes na sociedade: o trabalho. da sociedade americana era o seu caráter de não-violência. O principal marco histórico da cultura "hippie" foi o "Woodstock. almejasse a transformação da sociedade como um todo. Neste período a . Surge então o movimento hippie. A contracultura desenvolveu-se na América Latina. Jovens inovando estilos. Contudo. voltando-se mais para o anti-social aos olhos das famílias mais conservadoras. mas também aquelas de uma sociedade industrial capitalista. da mudança de atitude e do protesto político. o trabalho e a rápida ascensão social. defesa da liberdade. Rejeitando o elogio cego à nação. dos valores e do comportamento. por todo o envolvimento social que conseguiu provocar.e manifestações que visam criticar. Um dos mais reconhecidos tipos de manifestação contracultural aconteceu nas décadas de 1950 e 1960. a ascensão social e até mesmo a "estética padrão".O que marcava a nova onda de protestos desta cultura que começava a tomar conta. tecnocrática. teve lugar um estilo de mobilização e contestação social e utilizando novos meios de comunicação em massa. um movimento filosófico mais restrito. resumido como uma cultura underground. O discurso crítico que o movimento estudantil internacional elaborou ao longo dos anos de 1960 visava não apenas as contradições da sociedade capitalista. ao contrário do que se podia esperar. muitos consideram o Existencialismo de Sartre como o marco inicial da contracultura. gostos e padrões de comportamento se libertaram das amarras tradicionais e locais – como a religiosa e a familiar. cultura alternativa ou cultura marginal. pois rompia com praticamente todos os hábitos consagrados de pensamentos e comportamentos da cultura dominante. Constituindo-se num dos principais veículos da nova cultura que explodia em pleno coração das sociedades industriais avançadas. o movimento Hippie. a difusão de normas. dessa forma. com seu engajamento político. seu pessimismo pós-guerra. portanto. Com o crescimento dos meios de comunicação. principalmente. que contou com a participação de artistas de diversos estilos musicais. a homogeneização. na busca de outros espaços e novos canais de expressão para o indivíduo e pequenas realidades do cotidiano. são pessoas que costumam se excluir socialmente e algumas que se negam a se adaptarem às visões aceitas pelo mundo. como ideário. etc. Após a Segunda Guerra Mundial. esses jovens buscaram um abrigo contra as instituições e valores que defendiam o consumismo e o cumprimento das obrigações. por tudo que conseguiu expressar. anterior ao movimento basicamente artístico e comportamental da Beat Generetion que resultaria em um movimento de massa. debater e questionar tudo aquilo que é visto como vigente em um determinado contexto sócio-histórico. Na verdade. ganhando uma dimensão mais universal e aproximando a juventude de todo o globo. nos Estados Unidos. um verdadeiro “baby-boom” foi responsável pelo surgimento de uma nova geração que viveria todo o conforto de um país que enriqueceu rapidamente. que representa esse auge. nas suas manifestações mais simples e corriqueiras. como o folk. o movimento Hippie. valores. o patriotismo e o nacionalismo. A contracultura pode ser definida como um ideário divergente. que questiona valores centrais vigentes e instituídos na cultura ocidental. surgindo inicialmente na imprensa foi ganhando espaço no sentido de lançar rótulos ou modismos. essa geração desempenhou o papel de apontar os limites e problemas gerados pela sociedade capitalista. Justamente por causa disso. o mundo conheceu o principal e mais influente movimento de contra cultura ja existente. Europa e principalmente nos EUA onde as pessoas buscavam valores novos." um grande festival ocorrido em 1969. Na década de 1960. com um espírito mais libertário. de uma maior integração cultural e humana. é um fenômeno verdadeiramente cultural. embora o movimento Hippie. o desprendimento às convenções e o desenvolvimento de todo um mundo que fosse alternativo ao que fosse oferecido pelo sempre tão criticado “sistema”. todos esses de alguma forma ligados às críticas e à contestação do movimento. através da tomada de consciência. que incitou milhares de jovens a cultuarem o amor livre. o "rock'n'roll" e o blues.

. pela natureza de idéias que colocou em circulação.liberdade nos relacionamentos sexuais e amorosos. .aproximação das práticas religiosas orientais.luta pela paz (contra as guerras. porém esta preservada em pequenos grupos sociais e artísticos que contestam alguns parâmetros estabelecidos pelo mercado cultural. . principalmente do budismo.respeito às minorias raciais. .experiência com drogas psicodélicas.valorização da natureza.contracultura teve seu lugar de importância. . . mas principalmente. culturais e sexuais. reflita: O que é contracultura? Quem foram os hippies? Como se desencadeou este movimento e que lição importante nos deixou? . governos e movimentos tradicionalistas. ATIVIDADE VI Pesquise. O movimento da contracultura valorizava : .anticonsumismo . .discordância com os princípios do capitalismo e economia de mercado Atualmente a contracultura ainda vive. .vegetarianismo: busca de uma alimentação natural. .crítica aos meios de comunicação de massa como. a televisão.vida comunitária. por exemplo. conflitos e qualquer tipo de repressão). não apenas pelo poder de mobilização. pelo modo como as veiculou e pelo espaço de intervenção crítica que abriu.