You are on page 1of 2

OAB AULAS

COMPLEMENTARES
DIREITO DO TRABALHO
Prof. Leonardo Matos
Data da aula: 03/02/2009

SÚMULA 331 DO TST
Nº 331 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. LEGALIDADE (mantida) Res. 121/2003, DJ 19, 20 e 21.11.2003
I - A contratação de trabalhadores por empresa interposta é ilegal, formando-se o
vínculo diretamente com o tomador dos serviços, salvo no caso de trabalho temporário
(Lei nº 6.019, de 03.01.1974).
II - A contratação irregular de trabalhador, mediante empresa interposta, não gera
vínculo de emprego com os órgãos da administração pública direta, indireta ou
fundacional (art. 37, II, da CF/1988).
III - Não forma vínculo de emprego com o tomador a contratação de serviços de
vigilância (Lei nº 7.102, de 20.06.1983) e de conservação e limpeza, bem como a de
serviços especializados ligados à atividade-meio do tomador, desde que inexistente a
pessoalidade e a subordinação direta.
IV - O inadimplemento das obrigações trabalhistas, por parte do empregador, implica a
responsabilidade subsidiária do tomador dos serviços, quanto àquelas obrigações,
inclusive quanto aos órgãos da administração direta, das autarquias, das fundações
públicas, das empresas públicas e das sociedades de economia mista, desde que
hajam participado da relação processual e constem também do título executivo judicial
EXERCÍCIOS PARA O EXAME DA OAB/MG – TERCEIRIZAÇÃO
Questão 01 (OAB/MG ABR/08)
Joana foi admitida há mais de 5 anos, como cozinheira, pela empresa Só Lanches
LTDA. Trabalhava dentro da Siderúrgica Só Aço S.A., três dias por semana (segunda,
quarta e sexta feira), preparando e servindo refeição para seus empregados. O
vínculo entre Joana e a Siderúrgica é de:
a) – prestação de serviços, tendo em vista a licitude da terceirização.
b) – trabalho autônomo, tendo em vista a eventualidade dos serviços (três dias
por semana).
c) – relação de emprego, tendo em vista a ilicitude da terceirização.
d) – trabalho doméstico, regulado pela Lei n. 5.859/72

Questão 02 (OAB/MG ABR/07)
De acordo com a Lei 6.019, de 03 de janeiro de 1974, o contrato temporário pode ser
celebrado por:
a) até 03 (três) meses, renováveis por mais 03 (três) meses.
b) até 01 (um) ano, renovável por período igual.
c) até 02 (dois) anos, renovável por mais 01 (um) ano.
d) até 05 (cinco) anos, renovável por mais 02 (dois) anos.

1

II. não gera vínculo de emprego com os órgãos da Administração Pública Direta. das empresas públicas e das sociedades de economia mista. Questão 04 (OAB/MG AGO/05) Para o reconhecimento da legalidade da terceirização do trabalho temporário sob a égide da Lei 6. EXCETO: a) Não forma vínculo de emprego com o tomador a contratação de serviços de vigilância (Lei nº 7. 71 da Lei nº 8. de 21.br 2 .666.102. Leonardo Matos Data da aula: 03/02/2009 Questão 03 (OAB/MG DEZ/05) Acerca da terceirização no Direito do Trabalho é verdadeiro afirmar.019/74 é necessário que: a) a contratação se faça para prestação de serviços na atividade-meio do tomador. c) É legal a contratação de trabalhadores por empresa interposta para a prestação de serviços na atividade fim da empresa. b) a contratação se faça ou com fundamento em acréscimo extraordinário de serviços ou para atender à necessidade transitória de substituição do pessoal permanente e regular da empresa tomadora dos serviços. da Constituição da República). 90 dias. d) nenhuma das alternativas anteriores está correta. das fundações públicas. através de empresa interposta. de 20-06-1983) e de conservação e limpeza. desde que hajam participado da relação processual e constem também do título executivo judicial (art. GABARITO: 01-(a) 02-(a) 03-(c) 04-(b) DÚVIDAS: e-mail: trabalho@praetorium. Indireta ou Fundacional (Art.06. implica a responsabilidade subsidiária do tomador dos serviços. d) O inadimplemento das obrigações trabalhistas. podendo ser renovado para.com.OAB AULAS COMPLEMENTARES DIREITO DO TRABALHO Prof. no máximo. das autarquias. 37. b) A contratação irregular de trabalhador. por parte do empregador. quanto àquelas obrigações.1993). inclusive quanto aos órgãos da administração direta. não sendo admitida qualquer outra hipótese. c) a contratação não ultrapasse 30 dias.