You are on page 1of 15

ANHANGUERA EDUCACIONAL

ENGENHARIA MECÃNICA

ALEX DA SILVA VENANCIO – RA: 9897544531
DIONIO MEDRADO DE ARAUJO – RA: 8870417539
LEANDRO FELIPE DA SILVA - RA: 2485804989
LEONARDO CÁSSIO LIMA DA MATA - RA: 2950594921
MAICON ALVES NERES – RA: 9024450208
RENATA CAMARGO FERRAZ – RA: 5630109275
RODOLFO BATISTA CAMPOS – RA: 9023439344

FÍSICA III
RELATÓRIO DE AULA - GERADOR ELETROSTÁTICO

GOIÂNIA
2015

GOIÂNIA 2015 .ALEX DA SILVA VENANCIO DIONIO MEDRADO DE ARAUJO LEANDRO FELIPE DA SILVA LEONARDO CÁSSIO LIMA DA MATA MAICON ALVES NERES RENATA CAMARGO FERRAZ RODOLFO BATISTA CAMPOS FÍSICA III RELATÓRIO DE AULA – GERADOR ELETROSTÁTICO Trabalho entregue a Faculdade ANHANGUERA EDUCACIONAL DE GOIÁS para a aprovação na disciplina de Física III do curso superior em Engenharia Mecânica.

.ALEX DA SILVA VENANCIO DIONIO MEDRADO DE ARAUJO LEANDRO FELIPE DA SILVA LEONARDO CÁSSIO LIMA DA MATA MAICON ALVES NERES RENATA CAMARGO FERRAZ RODOLFO BATISTA CAMPOS FÍSICA III RELATÓRIO .GERADOR ELETROSTÁTICO Trabalho entregue a Faculdade ANHANGUERA EDUCACIONAL DE GOIÁS para a aprovação na disciplina de Física III do curso superior em Engenharia Mecânica. Goiânia 06 de Setembro de 2015 ___________________________________ JOEL PADILHA DE SOUSA JUNIOR ANHANGUERA EDUCACIONAL PROFESSOR Me.

.RESUMO Neste trabalho iremos reconhecer através de diversos experimentos os conceitos e a influência do campo elétrico através do gerador de van der graff. gerador de van der graff. Palavras-Chave: Campo Elétrico.

... 8 3........................................ 8 4...........................SUMÁRIO 1.....................................................................................................................2 – Passo 2............................................................................. 14 ..................... 7 3....................INTRODUÇÃO........ QUESTÕES..............................................................................................................................................................................................................BIBLIOGRAFIA.............................................1 – Passo 1............................ 11 5. 13 6............. 8 3...............PARTE EXPERIMENTAL..........OBJETIVO....................................................................................... 6 2......................................CONCLUSÃO...........................................................................

constitui o princípio básico do gerador de Van Der Graff.INTRODUÇÃO O fato da carga elétrica se transferir integralmente de um corpo para outro quando há contato interno. Realizamos a indução de um contato com um bastão metálico. onde cargas desenvolvidas na correia durante o contato destas com as polias aderem a ela e são por elas transportadas. elas vão se acumulando na esfera até que a rigidez dielétrica do ar seja atingida.6 1. onde no equilíbrio de um pequeno condutor com carga positiva o campo elétrico é nulo. .

. demostrando os fatores envolvidos para a sua existência tais como: eletrização por atrito. transportes de cargas elétricas.OBJETIVO Compreender o funcionamento e a funcionalidade do Gerador de Van Der Graaf. visualizando os efeitos do campo elétrico que é produzido pelo acúmulo de cargas em uma esfera oca metálica e a compreensão de como a carga se distribui em um objeto metálico. potencial elétrico.7 2.

e decai com o inverso da distância.1 – Passo 1 Foram utilizados os seguintes materiais: .V/m Aponte a lâmpada. Dados: Rigidez Dielétrica do ar: 1. nestas condições. as duas extremidades da conseqüentemente lâmpada uma estarão sujeitas d.fluorescente para a esfera do gerador em funcionamento (carregado). segure a lâmpada com a mão cerca de 20 cm do extremo.01 Fio de barbante.Farinha de rosca.Óleo de rícino. .01 Lâmpada fluorescente.(diferença de a potenciais potencial) diferentes. Isso acontece porque como o potencial elétrico gerado pela esfera carregada tem simetria radial.d.01 Conjunto de Van de Graaff.Ligue o gerador. Observe que. . aparece entre e as extremidades que eletriza o gás no interior da lâmpada liberando energia na forma .lâmpada irá emitir luz com predominância entre a extremidade próxima ao gerador até onde está a mão. 3.2 – Passo 2 Neste passo será descrito a prática.10 1) Acendendo uma lâmpada fluorescente. . .8 3.PARTE EXPERIMENTAL 3.5.Fios e conexões. a lâmpada irá emitir luz com predominância entre a extremidade próxima ao gerador até onde está a mão.p. .

8 de luz. É importante ressaltar que a lâmpada emite luz até o limite onde a mão entra em contato com a lâmpada. .

sendo negativa. Figura 01 . Essa transferência é denominada descarga elétrica. Este é constituído por um conjunto de fios metálicos terminados em pontas que são dobradas todas num mesmo sentido.. 3) Efeito do vento elétrico. Cada ponta. Ao ligar o gerador. foi observado que o torniquete começou a rotacionar. Ligue o gerador e observe o torniquete entrar em rotação. coloque o pino banana com agulha no orifício existente no topo da esfera do gerador. Ligue o gerador. Encaixe o torniquete na agulha de forma a manter o torniquete na horizontal.Efeito do vento elétrico . Liga-se a haste h ao terminal negativo de uma máquina eletrostática. e são articulados com uma haste vertical h. o Gerador de Van der Graaff.Efeito do vento elétrico). Gire a esfera e aproxime a parte com o percevejo da esfera grande e irá cessar a produção de faíscas. produzindo-se o vento elétrico em torno de cada ponta (Figura 01 . Perfure a fita adesiva com u percevejo e cole-a perpendicularmente para fora. de maneira que possam girar livremente num plano horizontal. no caso. aproxime a esfera pequena da esfera do gerador inicialmente aproximando pela parte oposta ao percevejo onde ocorrerão faíscas. Com o gerador ainda desligado. No momento em que aproximamos o bastão de teste ao Gerador ocorreu uma transferência visível de elétrons de um corpo para o outro.9 2) Simulando um pára-raios. que é o rompimento de elétrons no ar. Esses fios são solidários entre si.. exerce sobre as moléculas de ar próximas a ação já explicada acima.

Fixe dois eletrodos de prova nos bornes da placa de acrílico. Utilizando uma camada de aproximadamente 3 mm de óleo de rícino na cuba de vidro. Utilizar um fio de barbante de algodão bem fino e. Mas. coloque o eletroscópio de folha no orifício existente no topo da esfera do gerador e observe o que acontece enquanto a esfera maior se carrega e. que estava neutro inicialmente.Com o gerador ainda desligado. Logo. caracterizando a configuração o campo elétrico entre os dois eletrodos. esfera "B". colocando a cuba de vidro sobre os eletrodos. na conexão de fio terra próximo às escovas inferiores. espalham-se pelo conjunto. conecte o borne de um dos eletrodos na parte superior da esfera e o outro. se considerarmos as esferas "A" e "B" como condutores de mesmas dimensões. percorrendo também diferentes distâncias e posições em relação à esfera. como as duas esferas estão eletrizadas com cargas de mesmo sinal elas se repelem saindo do contato. um dos . "A" continua negativa. após o contato eles terão cargas iguais. aproximá-lo da esfera metálica do gerador ligado sem tocá-la. Espalhe sobre o óleo um pouco de farinha de rosca e observe a formação adotada para diferentes eletrodos. digamos que a esfera "A" está eletrizada negativamente e a esfera "B" está neutro. Sob a influência do campo elétrico gerado por essas cargas.10 4) Eletroscópio de folha. quando a esfera maior é descarregada encostando-se a esfera menor conectada às escovas inferiores. a farinha sobre o óleo foi se orientado de acordo com as linhas de forças. as cargas estão armazenadas todas na casca da esfera. segurando-o por uma das extremidades. os elétrons em excesso na esfera "A". Eletrização por contato: Ao se pegar um corpo eletrizado e encostá-lo em um neutro. mas com um menor número de elétrons em excesso e "B". Assim. deixando-o com carga de mesmo sinal que o primeiro. Os eletrodos possuem cargas elétricas pontuais de mesmo módulo e sinais opostos. 5) Eletrização do fio. Suponhamos que uma das esferas seja a esfera "A" e a outra. este cede uma parte de sua carga ao corpo neutro. Os condutores são círculos maciços. ao entrarem em contato. eletriza-se negativamente. 6) Configuração das linhas de campo.

para a qual ainda ocorra descarga e calcular a diferença de potencial entre as esferas. 4. Porem levando em consideração que a distancia seja de d= 2cm e a Rigidez Dielétrica do ar: E=1. Sob a influência do campo elétrico gerado por essas cargas. Resposta: Neste experimento não pegamos os dados necessários para efetuar os cálculos. Qual a direção das linhas de força em relação à superfície de cada eletrodo? Resposta: Os eletrodos possuem cargas elétricas puntuais de mesmo módulo e sinais opostos. cuja configuração se materializará pela distribuição das partículas. e os cabelos são a porta mais fácil de saída dos elétrons. Quando você põe sua mão no gerador (gera muita energia). sendo assim começa a atração.002 = 30. ou.5*106 * 0. o sistema pessoa-esfera fica carregado negativamente. 2) Avaliar a distância máxima da esfera menor até a esfera maior. e a tendência dela é sair. que tipo de carga está se deslocando? O deslocamento da carga elétrica é da mão para a esfera ou da esfera para a mão? Resposta: Quando uma pessoa coloca as mãos na esfera. ser liberada para o meio externo para igualar as cargas. a eletricidade circula no seu corpo.11 condutores esta carregado positivamente e o outro negativamente. QUESTÕES 1) Em uma descarga entre a esfera maior e a mão. VEMaior/EMenor = 1. a farinha foi se .000 3) Através dos experimentos utilizando o fio e a farinha é possível observar o espectro que apresenta o campo elétrico que irá aparecer entre os dois eletrodos. entre a esfera maior e a esfera menor.5*106 V/m.

O gás em questão é o ar atmosférico. 4) Com base no que foi observado no segundo experimento.12 orientado de acordo com as linhas de forças. caracterizando a configuração o campo elétrico entre os dois eletrodos. Isto explica o funcionamento de um para-raios. que é o rompimento de elétrons no ar. uma esfera metálica com um percevejo. utilizamos além do gerador. No momento em que aproximamos o bastão de teste ao Gerador ocorreu uma transferência visível de elétrons de um corpo para o outro. Ao aproximar o lado da esfera que continha o percevejo e foi verificado que as faíscas somente apareciam caso o mesmo estivesse muito próximo do gerador. e ao aproximarmos a esfera do gerador. . produziu faíscas. Resposta: Para realizar esse experimento. explique o funcionamento do pára-raios. Essa transferência é denominada descarga elétrica.

CONCLUSÃO Através dos experimentos realizados em laboratório conclui-se que é possível identificar as linhas de força.13 5. . aplicando a teoria vista em sala e entendendo o comportamento do campo elétrico. a direção e sentido do campo elétrico utilizando o gerador de Van de Graaff.

Rafael Jun Tomita. Nillis Nery e Sra Cristian. Fernando C. visualizado em 19/09/2012: http://pt.Realizado em 25/08/2011. fundamentação teórica Jamerson Araújo . S.com/doc/69979605/Rel-1 .br/2011/06/atividades-em-laboratorio. visualização 06/09/2015: http://fisicaeletro.html UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo.BIBLIOGRAFIA Eletro Física.scribd. Jéssica Soares da Silva. Michele Paixão . postagem 4/06/2011.Rodrigo. Machado. Janine Cavalcante.14 6. Mariana Gomes.blogspot.com.