You are on page 1of 7

PROGRAMA DE GRADUAÇÃO EM DIREITO

PSICOLOGIA JURÍDICA

Alves Souza

RESUMO: Conceitos Básicos de Psicologia Geral para Operadores
do Direito

2015

mas na verdade são os fatores inatos que integram e dão início a formação da personalidade que fundamentam-se agregando suas experiências nos primeiros cinco anos de vida em contato com o meio e especialmente com os pais. mesmo bem pequenas. não no sentido de questioná-lo ou até interrogá-lo na sua origem ou grau de certeza de seu conhecimento científico para estimar sua importância para o espirito humano. Trata-se a evidência de uma interferência teórica sem uma correspondência geográfica. características que são consideradas como sua personalidade. e restringindo para o mundo jurídico pode-se entender que a personalidade é a aptidão para ser sujeitos de direitos. que possibilita a adaptação do homem consigo mesmo e com o meio. Costumeiramente atribuem-se às crianças. Freud descreve a personalidade como uma estrutura do funcionamento mental. Já no ponto de vista psicológico a personalidade é um conjunto biopsicossocial. ou seja. psicológicos e sociais. numa equação de fatores hereditários e vivenciais. sem a existência de um lugar específico que possa ser delimitado. e atualmente as ciências psicológicas demonstram relação entre as emoções e o funcionamento cerebral. relativo a fatores biológicos. mas em sua concepção o aparelho psíquico não tem um lugar físico no cérebro. Personalidade A personalidade refere-se as características que marcam a forma de ser de uma pessoa. Por isso a psicologia jurídica tem estado longe da questão dos fundamentos e da essência do Direito. Freud apresentou a primeira concepção tópica do aparelho .Conceitos Básicos de Psicologia Geral para Operadores do Direito A psicologia jurídica considerada no seu sentido estrito pode ser interpretada como a psicologia que ajuda o direito a atingir seus fins entendendose que a psicologia jurídica é a ciência auxiliar do Direito. individualizando-se a demais. sendo assim não está autorizada a pensar o Direito ou não é apropriada para esse fim.

De acordo com a teoria psicanalista. pois existe uma tendência do organismo para manter estáveis as suas condições através do processos de autorregularão. que necessita da imediata descarga. cuja função é recepcionar as informações deles provenientes. com representação psicológica. típicos de cada espécie. possuindo uma pequena parte consciente e é nele que se integram as lei primaria que é interna e propicia a cada pessoa valorar o que é bom ou mau. permitindo o sujeito olhar-se a si próprio. Mecanismos de defesa do ego O ego possui mecanismos inconscientes de defesa para proteger o psiquismo. O superego e a expressão de interiorização das interdições e exigência das cultura e da moralidade representada pelos pais é quase totalmente inconsciente.psíquico em 1990 com o nome de primeira tópica. Já no id os instintos são os padrões hereditários fixos de comportamento animal. O sistema pré-consciente está ligado ao inconsciente e a realidade. o consciente e o préconsciente. superego e id. O Ego corresponde ao conjuntos de reações que tenta conciliar os esforços e as demandas do Id com as exigências da realidade interna ou externa. inicialmente distinguiu três sistemas: o inconsciente. Apresenta função adaptativa e está presidido pelo princípio da realidade. as pulsões ou impulsos são as necessidades biológicas. nos atos falhos. nos esquecimentos. Em 1990 Freud elaborou a Segunda Tópica. a lembrança da professora da escola primária. Já o sistema consciente foi concebido como um órgão sensorial localizados no limite entre os mundos externo e interno. funciona com um arquivo. garantindo a homeostase da personalidade. faz a mediação dos impulsos do id com o meio ambiente. esse aparelhamento da mente. etc. O sistema inconsciente foi concebido como representantes dos institutos e das pulsões. mecanismos . onde se encontram informações que podem ser acessadas mediante um pequeno esforço como por exemplo. certo ou errado. o acesso ao material inconsciente é restrito e só vem ao consciente sobre determinadas formas como por exemplo: nos sonhos. um outro modelo do aparelho psíquico constituído em: ego. nos tiques incontroláveis.

isolamento. formação reativa. mas podem influenciar outros aspectos do desenvolvimento. ou padrão de comportamento. uma característica de . Entretanto esses aspectos estão indissoluvelmente ligados. e cada um deles afeta também os outros.de defesa são maneiras inconscientes utilizadas frente a diversas situações com vista a repelir ou a reduzir a ansiedade. em cada período da vida. mudanças na capacidade mental. terceira infância (6 a 12 anos). mas se conectam com o desenvolvimento emocional e físico. somatização. Por outro lado. racionalização. segunda infância (3 a 6 anos). intelectualização. emocionais. deslocamento e conversão. O período de duração do ser humano tem sido dividido em estágios d e desenvolvimento tais como: pré-natal (concepção até nascimento). intelectuais e sociais. terceira idade (60 anos em diante). identificação. raciocínio. As mudanças no corpo. adolescência (12 a 20 anos). na capacidade sensorial e nas habilidades motoras fazem parte do desenvolvimento físico. A parti da leitura Freudiana de acordo com psicólogos do desenvolvimento a cada estágio dessa evolução corresponde personalidade. projeção. sublimação. no cérebro. Noções de Psicologia do Desenvolvimento Constitui uma abordagem para a compreensão do ser humano. buscando mostrar como essas mudanças podem ser descritas e compreendidas. Tratar do desenvolvimento humano implica considerar separadamente o desenvolvimento físico. anulação. dissociação. e manter o equilíbrio da personalidade. Como se vê um estágio desenvolvimental configura um período de tempo no qual o ciclo vital e definido por uma reunião particular de características físicas. introjeção. meiaidade (40 a 60 anos). pensamento e linguagem constituem o desenvolvimento cognitivo. Constituem os seguintes mecanismos de defesa do ego: repressão ou recalcamento. tais como aprendizagem. regressão. primeira infância (nascimento até 3 anos). negação. cognitivo e psicossocial. jovem adulto (20 a 40 anos). através da descrição e exploração das mudanças psicológicas que sofre no decorrer do tempo. memória.

As Fases Fálica e Genital -> é a sexualidade infantil evolui no sentido de conduzir toda a carga de excitação sexual a uma concentração genital a organização corresponde a fase do desenvolvimento psicossexual em que a estrutura das pulsões parciais se dá sobre o primado das zonas genitais correspondendo a dois períodos separados pela etapa da latência: o período fálico ou da organização genital infantil. por isso. . Os seres humanos continuam a se desenvolver por toda a vida e o desenvolvimento geralmente reflete uma combinação dessas forças hereditárias e ambientais. Toda atenção da criança fica absorvida pelo prazer que a boca pode lhe propiciar e. Nessa fase a vida imaginativa sofre um relativo empobrecimento. que se instaura a parti da puberdade. O prazer anal não se limita a mera estimulação ou a retenção das fezes. inicia-se por volta dos seis anos e vai até os doze ou quatorze anos. Hereditariedade versus ambiente Os seres humanos. Nesse período da vida a criança parece sentir-se considerável prazer de eliminar ou em reter suas próprias fezes. diferem quanto ao seu patrimônio hereditário e quanto as influências do ambiente onde se desenvolvem. não raro dando origem a sentimento de insegurança. daí resultando as diferenças individuais e a complexidade do comportamento humano. e sua zona erógena decorre da estimulação da boca e dos lábios. A Fase da Latência -> para Freud essa fase está contida na fase genital. ambivalência e culpa inconsciente. e o período genital propriamente dito. exemplificados no ato de mamar. embora da mesma espécie. e grande parte das energias psíquicas é consumida pelo enfrentamento da sexualidade. os objetos e partes do próprio corpo ou do corpo da mãe são sugados. quando tem início a puberdade. mas sim também a importância que os pais dão a essas funções.A Fase Oral -> corresponde ao primeiro ano de vida do indivíduo. A Fase Anal -> estende-se do início do segundo até o terceiro ano de idade e a libido desloca-se da boca para o processo de eliminação ou retenção.

mas a lei põem a salvo. Nesse aspecto. por essa via. tornando-o passivo dos acontecimentos. são fatores conectados na complexa equação do ser humano. Toda via. hereditariedade. o homem é dotado de personalidade que na esfera jurídica. obscurecendo. em geral. A medicação psiquiátrica. indispensável para minorar o sofrimento dos pacientes. Por tanto. Noções de Personalidade sob o enfoque jurídico Desde e enquanto vive. até mesmo de natureza criminal. Os direitos da personalidade estão vinculados ao reconhecimento de outros direitos inerentes a pessoa humana imprescindíveis ao desenvolvimento . e deixando-o inerte para enfrentar os conflitos que não se resolvem se não forem enfrentados com reflexão. salienta-se o fato de que a personalidade não é um direito. maturidade e critica.Atualmente os estudos a respeito das influencias do cerebral disfuncional ou do aparecimento de doenças mentais em filho de pais doentes voltam a remeter a questão fundamental da interação entre mente e corpo. Por sua vez o art. a necessidade de maior desenvolvimento do indivíduo. é grande aliada na melhora dos sintomas da doença mental e. muitas vezes aumentado pelo risco de suicídio ou de outros comportamentos extremos. genética e ambiente. mas sim. Nesse aspecto. pode –se afirmar que a vida saudável é constante no sentido de que se constrói muito mais por ligações do que por isolamentos. consiste na aptidão para exercer direitos e contrair obrigações. Por outro lado a pesadas críticas no sentido de infirmar que os psicofarmacos podem contribuir para disfarçar as condições pessoais. em casos graves. natureza e cultura. um conceito sobre o qual se apoiam os direitos a elas inerentes. a questão de se determinar o início da personalidade tem relevância por que é a parti do seu reconhecimento que o homem se torna sujeito de direitos. como o homicídio. que vão entrelaçando na trajetória da vida e criando especificidades rumo a uma complementariedade com a sociedade. desprezando os fatores ambientais. 2 do código Civil brasileiro estabelece que “A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida. os direitos do nascituro”. desde a concepção.

de suas potencialidades físicas.  Direito a integridade psíquica.  Direito ao nome.  Direito a imagem. psíquicas e morais. Integrar os conhecimentos da psicologia ao direito é fundamental para uma visão jurídica mais abrangente de um fenômeno que não pode ser reduzido a ideia de patologia.  Direito a honra. nem a perdas emocionais decorrentes da desestruturação familiar e da instabilidade de seu membros. Dentre alguns direitos relacionados ao direito da personalidade se destacam:  Direito a vida. .