You are on page 1of 13

Análise Econômica da Aplicação de Motores de

Alto Rendimento
1. Introdução
Nesta apostila são abordados os principais aspectos relacionados com a análise
econômica da aplicação de motores de alto rendimento. Inicialmente são descritas
brevemente as principais características técnicas que diferenciam os motores de alto
rendimento dos motores standard. Na seqüência são apresentados os fatores e critérios
econômicos que permitem analisar a viabilidade da sua utilização.

2. Características dos Motores de Alto Rendimento
Os motores de alto rendimento são oferecidos pela grande maioria dos fabricantes
como uma alternativa vantajosa para determinadas aplicações. Eles custam em geral
mais caro que os motores standard (motores normais de linha), mas por outro lado,
devido ao suas características especiais, especialmente aquelas relacionadas ao
rendimento, a sua utilização pode conduzir a vantagens econômicas importantes que
serão auferidas ao longo da sua vida útil. A decisão de qual motor deverá ser
adquirido, além de uma decisão técnica, é também uma decisão econômica, a qual
poderá ocorrer em instalações novas ou quando da substituição de um motor avariado.
Deve-se salientar, que os motores de alto rendimento nem sempre são justificáveis e
trazem vantagens econômicas. A análise econômica visa, desta forma, fornecer
subsídios para que uma decisão possa ser tomada. A fim de que análise possa ser
corretamente realizada, torna-se importante conhecer as principais características dos
motores de indução de alto rendimento que os diferenciam dos motores do tipo
standard.
Pode-se dizer que os motores de alto rendimento são motores projetados e construídos
tendo em vista o seu rendimento, além do custo de fabricação. Para tanto as principais
dimensões e materiais empregados são otimizadas a fim de obter-se um alto
rendimento, resultando num custo maior, cerca de 30% maior que motores standard.
As principais alterações que são feitas são descritas a seguir. Deve-se salientar que
nem todos os fabricantes utilizam todas as características que são descritas, uma vez
que o número de variáveis que influenciam o rendimento é vasto.
a) Chapas Magnéticas: as chapas que compõem o rotor e o estator são de
melhor qualidade, resultando em perdas por histerese e por correntes induzidas
menores que as chapas utilizadas nos motores normais. Alteraçãoes nas chapas
também podem incluir redução da espessura e tratamento térmico para redução
de perdas.
b) Enrolamentos do Rotor e do Estator: os enrolamentos de cobre do estator e
de alumínio do rotor possuem um volume maior de material, fazendo com que a
resistência elétrica dos mesmo seja menor, desta forma reduzindo as perdas por
efeito Joule. Alguns fabricantes também utilizam materiais com menor
resistividade.
c) Ventilador: são otimizados de forma a ter uma maior eficiência, reduzindo as
perdas por ventilação. Uma vez que o motor possui menos perdas, a necessidade
de ventilação também diminuem, contribuindo para a redução da potência
necessária para o ventilador.

não sendo. Além disso devese atentar para os descontos oferecidos pelos fabricantes e planos especiais promovidos por terceiros como forma de eficientizar o uso de energia. resultando numa melhora do rendimento. e) Tolerâncias Mecânicas Melhores: utilizando-se ferramentas de maior precisão as tolerâncias de fabricação podem ser sensivelmente reduzidas. Desta forma. as quais contribuem para as perdas adicionais. Deve-se também salientar que as características citadas variam de fabricante para fabricante.Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof. Este valores de referência das normas pode muitas vezes serem empregados para fins de análise técnica e econômica. a vida útil dos rolamentos é em geral maior que os rolamentos comuns. menor necessidade de manutenção e menor nível de ruído devido ao melhor balanceamento e menores tolerâncias de fabricação. As características acima descritas conduzem a um motor com perdas menores que os motores normais. Desta forma máquinas com entreferro menores podem ser fabricadas. Luís Alberto Pereira – PUCRS . Fatores a Considerar na Análise Econômica Os principais fatores que influenciam na análise econômica são descritos e comentados a seguir. ou seja a diferença de rendimento diminui com o aumento da potência nominal. abranger motores de vários fabricantes. torna-se necessário a inclusão de outros equipamentos que se destinam ao acionamento ou controle do motor tais como chaves de partida. d) Rolamentos: são empregados rolamentos especiais com menor coeficiente de atrito que os normalmente empregados. os motores de alto rendimento em geral apresentam as seguintes características: menor temperatura de trabalho resultando numa vida útil maior. a fim que uma escolha mais abrangente possa ser feita. sendo que nem todos os fabricantes adotam as mesmas medidas para elevar o rendimento. A norma brasileira NBR 7094 estabelece níveis mínimos de rendimento que devem ser apresentados por motores designados como de alto rendimento pelo fabricante. atentar sempre para o valor absoluto em termos de kW entre as perdas de um motor normal e de um de alto rendimento. desta forma. as ranhuras. Como resultado das alterações acima. mesmo uma pequena diferença no rendimento pode levar a uma redução significativa no consumo do motor em termos de kWh. inversores. diminuindo desbalanços e imperfeições. Este aumento do rendimento em relação aos motores normais varia com a potência do motor e com o fabricante. A análise econômica sempre é realizada por meio de comparação de várias alternativas incluindo motores standard e de alto rendimento de um ou mais fabricantes. equipamentos de manobra e acoplamentos. as quais necessitam menores correntes de magnetização e melhor fator de potência e rendimento. Deve-se. Na prática. e) Dimensões Principais: o diâmetro do rotor. A diferença no rendimento diminui com o aumento da potência. muitas vezes. A análise econômica deve. Para grandes motores. Quando se trata de grande número de unidades pode-se também negociar preços e condições especiais com os fabricantes. portanto um valor constante. no entanto. Menores tolerâncias também resultam em menor nível de ruído e menor vibração. Nesta apostila a análise restringe-se apenas ao motor. 3. o entreferro e o comprimento axial do motor são especialmente dimensionados para proporcionar um rendimento elevado para o motor. 2 .

Temperaturas acima da permitida pela classe de isolação do motor contribuem para um envelhecimento precoce dos materiais isolantes. Esta informação também está contida no ciclo de carga. Estudos estatísticos mostram que a vida útil varia também com a potência do motor. etc). ou de outras fontes confiáveis. b) tempo de operação: é expresso em número de horas que o motor permanece em operação colocado sobre uma base mensal ou diária.Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof. A análise econômica expressa desta forma o caso especial de um usuário e dificilmente pode ser estendida para outros casos. bem como da sua disponibilidade financeira. Atualmente. Luís Alberto Pereira – PUCRS . Nesta apostila será dotada uma base mensal. Também pode variar em função do tipo de contrato entre o consumidor e a concessionária. os catálogos de fabricantes fornecem valores de rendimento para várias condições de carga. Esta informação é essencial tendo em vista que o rendimento do motor depende da carga sendo solicitada do mesmo. o qual em geral varia conforme o tipo de consumidor e da concessionária. a) rendimento dos motores: sempre que possível deve-se ter disponível a curva de rendimento em função do carregamento (potência fornecida no eixo) dos motores que estão sendo analisados. Também pode-se tomar valores típicos tirados da literatura. a 3 . Está informação pode também estar contida no ciclo de trabalho do motor. Para tanto não existe uma forma precisa para a sua determinação. c) nível de carregamento: além do número de horas em operação deve-se conhecer quanto da potência nominal do motor está sendo utilizado quando o mesmo se encontra em operação. variação da tensão da rede (sub. podendo levar a avarias prematuras. assim o tempo de operação será o número de horas mensais em operação. Conforme pode-se constatar. Em alguns casos pode-se tomar valores estatísticos normalizados ou valores de ensaio. temperatura ambiente. d) taxas de juros: a comparação de várias alternativas necessita de taxas referenciais para a aplicação de capital.e sobretensões. harmônicos. muitos dos quais são estabelecidos de forma objetiva e outros que são específicos do caso que está sendo analisado. sendo que os métodos disponíveis baseiam-se em estudos estatísticos. as quais também variam de caso a caso e da perspectiva do usuário do motor. torna-se necessário estimar qual a vida útil do motor. Valores aproximados para a vida útil podem ser obtidos pela tabela 1. Os principais fatores que influenciam a vida útil são: temperatura do enrolamento. De acordo com o estudo estatístico que serviu de base a tabela 1. Outros fatores são muitas vezes determinados de forma subjetiva levando-se em conta também a experiência do usuário. d) Custo da Energia: a análise econômica necessita do custo do kWh. A confiabilidade da análise está diretamente relacionada com a confiabilidade dos dados de rendimento. sobrecargas eventuais. a análise econômica inclui uma série de fatores. a qual serve para fins de análise econômica e foi retirada da referência [1] citada ao final desta apostila. Estima-se que para cada aumento de 10 a 12 graus além da temperatura permitida pela classe de isolação a vida útil do motor é reduzida pela metade. Aplicações em que o motor opera poucas horas por mês raramente justificam a utilização de um motor de alto rendimento. 4. desbalanços. O principal fator que afeta a vida útil é a temperatura de trabalho do motor. Vida Útil do Motor Uma vez que a possível economia que o motor de alto rendimento irá proporcionar ocorrerá ao longo da sua vida útil.

A especificação do motor foi abordada na apostila anterior e é o ponto de partida da análise. economia mensal gerada pela aquisição de um motor de alto rendimento.1 5 a 20 16 a 20 19.perdas totais do motor standard (kW) 4 . as quais envolvem diferentes pontos de vista e com diferentes objetivos. Este valor pode também ser utilizado para fins de análise econômica.3 anos. etc). As análises visam determinar os seguintes fatores: tempo de retorno (simples e capitalizado).1 Economia Mensal de Energia Considera-se que foi determinada a potência necessária para o motor e que está sendo feita uma comparação entre duas alternativas: um motor standard e um de alto rendimento. Em toda a análise a potência de saída de ambos os motores não poderá ser alterada e também deverá ser igual. etc.Vida útil média de um motor de indução Potência (HP) tempo de vida (anos) vida média (anos) menor 1 10 a 15 12. Para a determinação do tempo de retorno é necessário inicialmente a determinação das perdas de cada um.8 50 a 125 24 a 33 28.9 1a5 13 a 19 17. A análise sempre pressupõe a comparação entre um motor do tipo standard e um motor de alto rendimento. 5. Cada tipo de análise objetiva determinar um certo parâmetro que será usado para a tomada de decisão.4 21 a 50 18 a 26 21.3 vida média dos motores elétricos é de 13. terceiro. O tipo de análise a ser utilizado para a decisão também dependo do ponto de vista adotado (consumidor. isto considerando todas as faixas de potência.5 maior 125 25 a 38 29. custo da energia consumida ao longo da vida útil. concessionária. 5.potência nominal do motor standard e de alto rendimento (kW) Pp1 . custo da energia economizada. Considerando um determinado nível de carregamento (potência fornecida no eixo) as perdas de cada um serão dadas como: η1 = Ps ⋅ 100 Ps + Pp1 (1) η2 = Ps ⋅ 100 Ps + Pp2 (2) Ps . A seguir é descrita a forma de determinação dos principais variáveis da análise econômica. Análise Econômica Existem vários tipos de análise econômica que podem ser feitas.Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof. As conclusões e decisões que serão tomadas serão também baseada em um determinado tipo de análise. Luís Alberto Pereira – PUCRS . Tabela 1 .

Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof. Pode-se.perdas totais do motor de alto rendimento (kW) η1 . A economia em reais por mês. Para tanto. pode-se usar o ciclo de carga do motor. Pp2 .rendimento em % do motor de alto rendimento Com base nas equações (1) e (2).rendimento em % do motor standard η2 . conforme ilustrado na figura 2. pode agora ser estimada pela seguinte equação: ∆E = ∆C ⋅ C k (7) 5 . A diferença de perdas para cada um dos n subintervalos do ciclo de carga será então dada pela seguinte equação:  1 1  ∆Ppi = Ps ⋅ 100 ⋅  i − i  η   1 η2  (5) A diferença para todo o ciclo será então:  1  1  1 1  1  1  ∆Pp = Ps ⋅ 100 ⋅  1 − 1  + Ps ⋅ 100 ⋅  2 − 2  + K + Ps ⋅ 100 ⋅  n − n  η  η  η   1 η2   1 η2   1 η2  n  1 1 ∆Pp = ∑ Ps ⋅ 100 ⋅  i − i  i=1  η1 η2  (6) A determinação da redução do consumo mensal segue sendo calculado pela equação (4). Quando o motor trabalha sob carga e rendimento variáveis deve-se calcular a diferença de perdas para cada valor de carga. denominada de ∆E .número de horas em operação durante um mês ∆C . a qual será obtida do ciclo de carga e das curvas de rendimento dos motores. a redução no consumo ∆C dada em kWh/mês com a aquisição de um motor de alto rendimento será então determinada pela seguinte relação: ∆C = ∆Pp ⋅ H (4) H . a diferença nas perdas ∆Pp em kW será dada pela seguinte equação:  1 1   ∆Pp = Ps ⋅ 100 ⋅  − η η 2   1 (3) Adotando-se uma base de análise mensal.redução no consumo mensal em kWh/mês As equações anteriores consideram que o motor trabalha sempre sob a mesma condição de carga e conseqüentemente com um rendimento constante. conforme mostra a figura 1. desta forma determinar uma curva com as diferenças de perdas. Para cada trecho do ciclo de carga está associado um determinado rendimento para o motor standard e para o motor de alto rendimento. Luís Alberto Pereira – PUCRS .

ciclo de carga e diferença de perdas de cada trecho 6 .Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof. Luís Alberto Pereira – PUCRS .custo do kWh em R$ Considerando a fórmula estabelecida para a redução do consumo.ciclo de carga e rendimento dos motores para cada trecho figura 2 . pode-se também usar a seguinte equação para a economia mensal: ∆E = ∆Pp ⋅ H ⋅ C k (8) Conforme mostra a última equação a economia mensal em reais depende diretamente figura 1 . ∆E .economia mensal em R$/mês C k .

2 Tempo de Retorno Simples É o tempo necessário para que o diferença de capital investido na aquisição do motor de alto rendimento seja retornada na forma de parcelas mensais que deixarão de ser pagos na conta de energia (economia mensal). médio ou longo prazo. por exemplo. uma vez que isto faz parte do julgamento subjetivo do investidor e da comparação com outras formas de investimento do capital. 5. ou até mesmo se não haverá retorno ao longo da vida útil do motor. A determinação do tempo de retorno permite estabelecer uma forma de avaliar se o investimento dará retorno a curto. Para a concessionária. da diferença de perdas entre os motores. Esta diferença tem diferentes significados e conseqüências dependendo do ponto de vista. por outro lado. expressando um critério particular de cada empresa. ou que foi disponibilizada para comercialização. Qualquer alteração num destes fatores reflete-se diretamente na economia mensal. Finalmente a economia mensal significa um montante de capital que deixará de ser pago na conta de energia. Tempos de retorno muito próximo ou maiores que a vida útil esperada do motor em geral não são aceitos. sendo que a literatura recomenda um valor médio de 2 anos. Deve-se ter também em mente que após decorrido o tempo de retorno o motor passará a proporcionar uma economia mensal de energia. Luís Alberto Pereira – PUCRS .custo de aquisição do motor standard 7 . procura-se obter um tempo de retorno menor que 4 anos. A consideração do aumento da tarifa será considerado mais adiante. Não existe uma valor ótimo ou aceitável para o tempo de retorno ´que atenda a todos os casos e organizações. Conforme explicado anteriormente. pode-se determinar qual o tempo de retorno do investimento adicional feito na aquisição do motor de alto rendimento.custo adicional na aquisição do motor de alto rendimento C a1 . O tempo de retorno aceitável é estabelecido pelo usuário.tempo de retorno simples em meses ∆C a . Em geral. do número de horas que o motor trabalha durante o mês e do custo do kWh. Em geral o tempo de retorno é expresso em meses. a qual do ponto de vista econômico pode ser considerada como um ganho de capital. o qual se estenderá por toda a vida útil do motor. caso o preço da energia aumente ao longo da vida útil do motor o valor economizado também aumentará na mesma proporção. O tempo de retorno simples não considera a capitalização do valor da economia mensal (taxa de juros zero) e é dado pela seguinte fórmula: ∆C a ∆E (9) ∆C a = C a 2 − C a1 (10) Trs = Trs .Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof. custam mais caros que os convencionais. Deve-se também salientar que o valor do kWh foi considerado constante na análise feita. Com base na economia mensal proporcionada pelo motor de alto rendimento.3 anos). motores de alto rendimento consomem menos energia. mas.considerando tempo de vida útil média de um motor (13. uma vez que seria exigido uma diferença muito grande nas perdas e/ou uma tarifa elevada para a sua justificativa. A determinação do tempo de retorno é delineada no que segue. trata-se de uma energia que poderá ser utilizada para atender outro cliente. Motores de alto rendimento que operam poucas horas por mês em geral não são justificáveis.

C a 2 .fluxo de caixa do valor de economia mensal 8 .Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof. 5. conforme segue. cujo valor presente será menor. o valor obtido com a equação acima deverá ser arredondado para o próximo inteiro. Luís Alberto Pereira – PUCRS .valor presente das parcelas mensais de k meses considerando capitalização De acordo com a fórmula anterior as parcelas mensais de economia de energia aparecem multiplicadas pelo fator de valor atual.3 Tempo de Retorno Capitalizado O tempo de retorno também pode considerar uma determinada taxa de juros e considerar o fato de que a economia será auferida em parcelas mensais. figura 3 . A fim de determinar o tempo de retorno capitalizado deve-se igualar o valor presente com o custo adicional e considerar o número de períodos como incógnita.custo de aquisição do motor de alto rendimento Como está sendo considerado um retorno em parcelas mensais. Trc   i  − 1 1 +   100   ∆C a =  ⋅ ∆E Trc i  i  ⋅ 1 +  100  100  (12) Através da aplicação de logaritmos em ambos os lados da equação anterior. conforme mostra a figura 3. pode-se determinar o tempo de retorno capitalizado. Considerando uma taxa de juros i em valores percentuais e considerando k períodos (meses) obtém-se o seguinte valor presente das parcelas mensais: k   i  1 +  − 1  100   ∆E T =  ⋅ ∆E k i  i  ⋅ 1 +  100  100  (11) ∆E T .

Por exemplo caso a equação forneça um valor de 14. onde apenas a taxa de juros foi substituída pela taxa líquida. Como estamos considerando que o retorno do capital investido será feito por meio de parcelas mensais. 5. 5. o valor obtido deve ser arredondado para o próximo valor inteiro.5 Energia Economizada ao longo da Vida Útil Como motores de alto rendimento possuem menores perdas que motores normais. a equação acima fornecerá um valor não inteiro. uma vez que cada uma das parcelas mensais de economia é multiplicado por um fator de desconto.Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof. Luís Alberto Pereira – PUCRS Trc     ∆ E  log  ∆E − ∆C ⋅ i    a 100   = i   log1 +   100  . Deve-se atentar para o fato de que o tempo de retorno capitalizado será maior que o tempo de retorno simples.taxa de juros líquida considerando o aumento do custo da energia ie . Desta forma medidas de redução de consumo de 9 .4 Tempo de Retorno Capitalizado Considerando Aumento do Custo da Energia A determinação do tempo de retorno também pode incluir o efeito do aumento mensal (previsto ou provável) do custo do kWh. este deverá ser arredondado para 15 meses. Esta economia torna-se extremamente importante tendo em vista que em média o consumo de motores representa 60% a 70% da energia total consumida em instalações industriais. (13) Como no caso do tempo de retorno simples.56 meses. eles proporcionam uma economia de energia a partir do momento que foram instalados até o final da sua vida útil.taxa de aumento mensal da energia em % A fórmula para o cálculo do tempo de retorno capitalizado será então dada pela seguinte expressão: Trc     ∆E  log  ∆E − ∆C ⋅ iL    a 100   = i   log1 + L   100  (15) Trata-se da mesma fórmula que anteriormente. obtida pela fórmula que segue: i   1 +  100   iL = −1 ie   1 +   100  (14) iL . Para tanto deve-se inicialmente determinar uma taxa de juros líquida.

reduzindo gastos direta e indiretamente.7 Valor Líquido Retornado Capitalizado Considerando uma taxa de juros i para cada uma das parcelas mensais que retornarão obtém-se um valor presente de retorno capitalizado dado pela seguinte expressão: Crc Vu   i  1 +   − 1  100   = ⋅ ∆Pp ⋅ H ⋅ C k − ∆C a Vu i  i  ⋅ 1 +  100  100  Crc . o menor consumo do motor poderá proporcionar uma economia indireta. Este valor poderá ser determinado considerando ou não a capitalização das parcelas mensais. caso o mesmo ajude a reduzir a demanda em horários de ponta ou reduzir a demanda total contratada.energia total economizada em kWh durante a vida útil do motor Vu . Além de uma taxa de juros igual a zero.Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof. também foi considerado que a o custo do kWh não se altera ao longo da vida útil do motor.6 Valor Retornado ao Longo da Vida Útil Outro critério interessante de análise é o valor total em R$ retornado ao longo da vida útil. Mesmo após transcorrido o tempo de retorno. No caso de auto-geração de energia. esta parcela representa uma energia que não precisará ser produzida. o motor continuará proporcionando um retorno financeiro mensal até o final da sua vida útil.valor retornado líquido simples O valor de retorno líquido foi obtido descontando-se o valor adicional investido na aquisição do motor de alto rendimento. 5. 10 (19) . A energia total economizada ao longo da vida útil será determinada por uma das seguintes expressões: C vu = ∆C ⋅ Vu (16) C vu = ∆Pp ⋅ H ⋅ Vu (17) C vu . Além disso. Luís Alberto Pereira – PUCRS .vida útil do motor em meses (ver tabela 1) A vida útil do motor poderá ser determinada pela tabela 1 em função da potência de saída do motor. O valor sem considerar a capitalização será dado pela seguinte expressão: Crs = ∆Pp ⋅ H ⋅ C k ⋅ Vu − ∆C a (18) Crs . 5. motores possuem em geral grande impacto sobre o consumo total de energia.valor retornado líquido capitalizado O valor retornado capitalizado é menor que o valor sem capitalização.

07 / kWh. Valor Líquido Retornado Capitalizado com Aumento do Custo do kWh Pode-se também considera um aumento do custo de energia ao ser feito a determinação do retorno líquido capitalizado.420.00 a) economia mensal com o motor de alto rendimento: Utilizando-se a equação (3) deve-se inicialmente determinar a redução das perdas  1 1   ∆Pp = Ps ⋅ 100 ⋅  − η η 2   1 1  1 ∆Pp = 30 ⋅ 100 ⋅  −  = 0.71  91 93  kW A redução no consumo mensal será calculada a partir da equação (4) ∆C = ∆Pp ⋅ H ∆C = 0.07 para o kWh. Exemplo: Considere que para uma determinada aplicação foi determinado que a potência do motor deverá ser de Ps = 30 kW .Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof.71 ⋅ 430 = 305.00 preço R$ 2. O motor deverá funcionar com a potência nominal durante 14 horas por dia. O preço do kWh pago pelo usuário é de R$ 0. A taxa de juros a ser considerada é de 1. O motor deverá ser de 220/380 volts e girar próximo de 1800 rpm. Luís Alberto Pereira – PUCRS 5. tendo 4 pólos na freqüência de 60 Hz. Solução: Consultando-se catálogo de fabricantes obtém-se os seguintes valores para os rendimentos a plena carga e preço dos motores: motor standard: rendimento η1 = 91% motor alto rendimento: rendimento η2 = 93% preço R$ 1900. obtém-se a economia mensal por meio da equação (7) ∆E = ∆C ⋅ Ck 11 . Desejase fazer uma análise econômica para verificar a viabilidade da aquisição de um motor de alto rendimento.valor retornado líquido capitalizado 6. num total de H=430 horas mensais.3 kWh Considerando o valor de R$ 0.8 .5% ao mês. O procedimento é semelhante ao que foi utilizado para o tempo de retorno: primeiro determina-se uma taxa de juros liquida e então utiliza-se a equação de retorno capitalizado dado pela seguinte expressão: Crc Vu   iL  1 +  − 1  100   =  ⋅ ∆Pp ⋅ H ⋅ C k − ∆C a Vu iL  iL  ⋅ 1 +  100  100  (20) Crc . A análise deverá incluir os fatores estudados anteriormente.

o adicional de R$ 520. Pela tabela 1. deve-se converter a vida útil para meses. d) energia economizada ao longo da vida útil: A determinação da economia de energia auferida ao longo da vida útil do motor é determinada pela equação (16) C vu = ∆C ⋅ Vu A vida útil é obtida da tabela 1.37   log  21. pode-se determinar o tempo de retorno capitalizado por meio da equação (13) Trc Trc     ∆ E  log  ∆E − ∆C ⋅ i    a 100   = i   log1 +   100      21.420.Desta forma.33 21. deve-se antes determinar o custo adicional dos motores: ∆C a = C a 2 − C a1 ∆C a = 2. c) tempo de retorno capitalizado Considerando uma taxa de juros de 1.37 ⇒ Trs = 25 meses conforme explicado. a vida útil é de 21.07 = R$ 21.5  1.37 − 520 ⋅ 1. Luís Alberto Pereira – PUCRS ∆E = 305. trata-se de parcelas mensais. .3 ⋅ 0. Como o cálculo todo é feito numa base mensal. pode-se calcular o tempo de retorno simples por meio da equação (9).5    100   = = 30. sem considerar a capitalização.Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof.00 − 1900.8 anos. Para tanto.37 / mês b) tempo de retorno simples Utilizando o valor da economia mensal determinado. portanto o tempo de retorno simples foi arredondado para 25 meses.00 Trs = ∆C a ∆E Trs = 520.00 investido no motor de alto rendimento retornará em 25 meses por meio de parcelas mensais de R$ 21. o tempo de retorno será de 31 meses.00 = 24. considerando que 30 kW equivalem a aproximadamente 40 HP. 5  log1 +   100  Trc = 31 meses ⇒ Desta forma considerando-se a capitalização das parcelas mensais.37.5% ao mês.00 = R$ 520. 12 .

71 ⋅ 430 ⋅ 0.Análise Econômica da Aplicação de Motores de Indução de Alto Rendimento – Prof. o qual será retornado ao longo de 262 meses. Bibliografia [1] Andreas. 5  ⋅ 1 +  100  100  262 ⋅ ∆Pp ⋅ H ⋅ C k − ∆C a ⋅ 0. S. Marcel Dekker Inc. 1982.. Assim o total de energia economizada ao longo da vida útil será C vu = 305.988.92. A. M.079.2.. ACE3. o valor líquido retornado será de R$ 875. Isto representa 1.00 proporciona um retorno líquido de R$ 5. Van Nostrand Reinhold Company.5  262  − 1 1 +    100  1. Howard E. 1992. : Energy Efficient Motors . 1992.6 kWh e) valor retornado simples Considerando o retorno mensal de ∆E = R$ 21.2 Assim. O valor retornado é de cerca de 10 vezes o valor investido.2 − 520 = R$ 5079. and Policy Opportunities.. 5  1. Greenberg. [3 ] Nadel. um investimento adicional de R$ 520. e) valor retornado capitalizado O valor retornado líquido considerando uma taxa de juros de 1. S. Katz. Este valor também retornará ao longo de 262 meses.7 vezes o valor adicional investido..3 ⋅ 262 = 79. 13 .37 / mês determinado anteriormente e considerando a vida útil de 262 meses. 7. [2] Jordan.92 Portanto considerando uma capitalização com juros de 1. : Energy-Efficient Motor Systems: a Handbook on Technology. Program.5% ao mês será determinado com base na equação (19) Crc = C rc = Vu   i  1 +  − 1   100  i  i  ⋅ 1 +  100  100  Vu  1. [4] Catálogo de Motores da WEG. Shepard. Almeida. G.5% ao mês.92 − 520 = R$ 875.71 ⋅ 430 ⋅ 0. resultando em 262 meses. T. Este cálculo é feito utilizando-se a equação (18) Crs = ∆Pp ⋅ H ⋅ C k ⋅ Vu − ∆C a C rs = 0. pode-se determinar o valor líquido retornado sem considerar a capitalização.Selection ans Applications. Luís Alberto Pereira – PUCRS . : Energy Efficient Electric Motors and their Application.07 ⋅ 262 − 520 = 5599. John C.07 − 520 = 1395 .