You are on page 1of 7

Blocos Econômicos

São associações de países que estabelecem relações econômicas privilegiadas entre si. O
primeiro bloco surge na Europa em 1957, com a criação da Comunidade Econômica
Européia (CEE), atual União Européia (UE). Mas a tendência de regionalização da
economia só se fortalece nos anos 90, com o fim da Guerra Fria. Na América se
destacam o Nafta, o Mercosul e, em menor grau, o Pacto Andino e o Caricom; na
Europa, a e a Comunidade dos Estados Independentes (CEI); na África há o SADC; e na
Ásia, o Asean. Também está em fase de implantação o bloco transcontinental Apec, que
reúne países da América e da Ásia, e continuam as negociações para a formação de um
bloco abrangendo toda a América, o Alca. Tipos de blocos – Os blocos econômicos
classificam-se em zona de livre comércio, união aduaneira, mercado comum e união
econômica e monetária. Na zona de livre comércio, há a redução ou a eliminação das
taxas alfandegárias que incidem sobre a troca de mercadorias dentro do bloco. A união
aduaneira, além de abrir mercados internos, regulamenta o comércio dos paísesmembros com nações externas ao bloco. Já o mercado comum garante a livre circulação
de pessoas, serviços e capitais. União Européia Originada da Comunidade Econômica
Européia (CEE), a UE é o segundo maior bloco econômico do mundo em termos de
PIB: 8,3 trilhões de dólares. Formado por 15 países da Europa Ocidental, conta com
população de 375,2 milhões. Em 1992 é consolidado o Mercado Comum Europeu, com
a eliminação das barreiras alfandegárias entre os países-membros. Aprovado em 1991,
em Maastricht (Holanda), o Tratado da União Européia entra em vigor em 1993. É
composto de dois outros - o da União Política e o da União Monetária e Econômica, que
estabelece a criação de uma moeda única. Há cinco pré-requisitos para que os países
sejam admitidos na União Monetária e Econômica: déficit público máximo de 3% do
PIB; inflação baixa e controlada; dívida pública de no máximo 60% do PIB; moeda
estável, dentro da banda de flutuação do Mecanismo Europeu de Câmbio; e taxa de juro
de longo prazo controlada. No âmbito social são definidos quatro direitos básicos dos
cidadãos da UE: livre circulação, assistência previdenciária, igualdade entre homens e
mulheres e melhores condições de trabalho. Em 15 de março de 1999, todos os 20
integrantes da Comissão Européia - órgão executivo da UE - renunciam, depois que
vários deles são acusados, pelo Parlamento Europeu, de irregularidades e
apadrinhamento. Em maio, o Parlamento aprova a nomeação do ex-primeiro-ministro
italiano Romano Prodi para a presidência da Comissão. Em junho, os partidos de
centro-direita obtêm a maioria nas eleições para o Parlamento Europeu. No mesmo mês,

Eslovênia. Portugal. o elevado desemprego na Europa. A Turquia recebeu status de candidato à UE. Bélgica. França.o de julho de 2001. por temer as conseqüências da perda de soberania que representa o fim da emissão de sua moeda própria. fato considerado inadmissível pela UE. Itália. Em 2000 iniciam-se as negociações com Letônia. Finlândia. Luxemburgo. Suécia e Dinamarca não aderem a essa primeira fase do euro. uma cidade tcheca construiu um muro para mantê-los a distância. a ratificação do Nafta vem para consolidar o intenso comércio regional já existente na América do Norte e para enfrentar a concorrência representada pela União Européia. na coalizão de governo. Há o temor de que a Áustria . Porém. Membros . Finlândia. estabelecendo o prazo de 15 anos para a total eliminação das barreiras alfandegárias entre os três países. que caiu mais 6% no primeiro semestre diante do dólar. O FPO tem-se oposto à ampliação da UE. Espanha. Itália. Nafta O Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta) é um instrumento de integração entre a economia dos EUA. apesar de terem cumprido as exigências. o Banco Central Europeu (BCE) prevê crescimento de 3% na economia na zona do euro em 2001 e eleva as taxas de juros para deter a queda da moeda única. deve antes melhorar a convivência com os ciganos: em 1999.Em fevereiro de 2000. o bloco firma um acordo de livre comércio com o México. decidiu ampliar de 15 para 27 o número de membros. Com o euro. Em 2002. França. de janeiro a junho. Holanda (Países Baixos). as medidas visam ao isolamento político do país enquanto o FPO estiver no poder. em 1. Na prática. a Comissão Européia impõe sanções diplomáticas à Áustria em resposta ao ingresso do Partido da Liberdade (FPO). em março. após avaliar se as condições econômicas são adequadas. Implantação do euro . Fora do euro . Reino Unido e Suécia. quase 12% em relação ao dólar. de extrema direita. pois a situação de suas economias é considerada satisfatória. como. Holanda (Países Baixos) e Portugal. por temer o aumento da Imigração. Inicialmente. que em 1997 teve seu pedido de entrada recusado por desrespeito aos direitos humanos e à Democracia. a expansão para o Leste Europeu. uma moeda européia forte lastreada em economias poderosas passa a competir com o dólar norte-americano no mercado internacional. Bulgária. a moeda se recupera. Estônia e Chipre podem ser admitidos a partir de janeiro de 2003. A cúpula da UE em dezembro de 1999. e as moedas nacionais serão extintas.o de janeiro de 1999: Alemanha. do Canadá e do México. é aceita como país candidato Sanções à Áustria .a UE chega a um acordo para lançar. na Finlândia. Lituânia. Durante reunião de cúpula. A República Tcheca. Grécia. por exemplo. Polônia. A Turquia. Em junho. A Grécia não preenche as condições exigidas até março de 1998. Irlanda. que anteriormente fazia parte dessa lista. Eslováquia. Irlanda. ao qual os mexicanos aderem em 1993. Espanha.que.Reino Unido.Onze países participam do lançamento da nova moeda em 1. Luxemburgo. como os demais membros da UE tem poder de veto possa obstruir decisões importantes. as negociações sobre livre comércio com o Mercosul. a guerra em Kosovo e o aquecimento da economia norteamericana fazem o euro despencar. Nesse mesmo ano. Romênia e Malta. A UE negocia com outros 11 países protocolos de adesão ao bloco.Alemanha. O primeiro passo para a criação do bloco é o tratado de livre comércio assinado por norte-americanos e canadenses em 1988. Seu mais . Áustria. a desaceleração econômica da Alemanha. Dinamarca. Hungria. Áustria. mas em 2000 é acertada sua adesão em 2001. Entra em vigor em janeiro de 1994. o mais amplo assinado com um país fora da UE. A Dinamarca fará um referendo em setembro de 2000 para decidir o ingresso e o governo britânico promete realizar consulta popular após as eleições parlamentares de 2001. A UE também decide criar até 2003 uma força de paz de 60 mil homens para intervir em conflitos no continente. as notas começarão a circular na Europa com poder legal para efetuar quaisquer pagamentos. Bélgica. o euro será usado apenas em transações bancárias. Em meados de junho.

Em junho. a Argentina estabelece salvaguardas aos tecidos de lã e de algodão brasileiros e cria uma resolução que permite medidas de proteção contra seus parceiros comerciais. No início da década de 90. EUA e México. que teve grave repercussão na economia global. Um dos principais pontos de atrito é o regime automotivo comum (as vendas de carros e autopeças representam mais de 30% do comércio do Mercosul). O comércio entre os países do Nafta totaliza US$ 477 bilhões em 1997. O desemprego cai de 5. Em 1995 instala-se uma zona de livre comércio. Argentina e Brasil anunciam planos de integração de políticas macroeconômicas dos membros do bloco. Chile e Bolívia são membros associados e assinam tratados para a formação da zona de livre comércio. a negociação para sua adesão avança com a aprovação pelo Senado chileno do acordo de livre comércio entre Chile e Canadá.5% para 2. Apesar de a iniciativa não fazer parte do acordo.9 milhões de habitantes e um PIB de 1. Em 1997. Para o governo argentino. Os conflitos dos países vizinhos agravam-se em janeiro de 1999. Brasil. A origem do Mercosul está nos acordos comerciais entre Brasil e Argentina elaborados em meados dos anos 80. mantêm barreiras tarifárias temporárias.O Nafta. segundo dados do governo. do déficit público e dos níveis de inflação e a adoção de uma moeda única. Cerca de 90% das mercadorias fabricadas nos países-membros podem ser comercializadas internamente sem tarifas de importação. e os investimentos americanos após a crise cambial de 1994. Entre as metas estão a uniformização das taxas de juros. que deverão ser reduzidas gradualmente. o Brasil concede subsídios que tornam o produto nacional artificialmente mais competitivo. Outra fonte permanente de divergência é o açúcar: a Argentina mantém seus produtores protegidos da concorrência com os brasileiros depois de 2000.O bloco enfrenta dificuldades com o conflito de interesses de Brasil e Argentina. o ingresso do Paraguai e do Uruguai torna a proposta de integração mais abrangente. ferrovias e portos nas fronteiras entre os países) provoca prejuízos e gastos adicionais de até US$ 2. Além da extinção de tarifas internas. Em julho de 2000.1%. o que provoca temores de uma invasão de produtos brasileiros na Argentina. com planos de redução para 6% em 2003. A Bolívia continua negociando sua adesão. quando deveriam ser abolidas todas as tarifas de importação. Paraguai e Uruguai. No mês seguinte. o bloco estipula a união aduaneira. a falta de infra-estrutura adequada para o transporte de produtos (como o número insuficiente de pontes. o primeiro da UE com um país latinoamericano. Membros . com a padronização das tarifas externas para diversos itens. Mercosul Criado em 1991.Canadá. Argentina x Brasil . renegociada em 2000. o Mercado Comum do Sul (Mercosul) é composto de Argentina. quando o real é desvalorizado.5 bilhões por ano. O Chile é convidado a participar do Nafta em dezembro de 1994. O maior entrave é o fato de a média das tarifas de importação chilenas ser de 9%. O Brasil contesta e a Argentina leva a questão à Organização Mundial do Comércio (OMC). Alguns setores. Em dezembro de 1998 é assinada uma ata para criar um sistema de transição até 2004. que julga pertinente a . que aumenta suas exportações de US$ 80 bilhões em 1995 para US$ 150 bilhões em 2000. As tarifas sobre produtos industriais serão liberadas num Período de até 7 anos e as agrícolas. Entretanto. contribuem para a expansão econômica do México. Em março de 2000. nações sul-americanas que adotam políticas de integração econômica e aduaneira. O Mercosul tem 215. o México firma um acordo de livre comércio com a União Européia. a integração das economias tornou necessário o socorro.importante resultado até hoje é a ajuda financeira prestada pelos EUA ao México durante a crise cambial de 1994. Crescimento do México . com vigência imediata. porém. mas a resistência do Congresso norte-americano ao tratado dificulta os entendimentos com os EUA. 13% a mais que em 1996. o Chile anuncia que pedirá o ingresso no bloco em dezembro. de 10 anos. enquanto a do Mercosul é de 15%.1 trilhão de dólares.

Numa tentativa de superar todos os conflitos. o valor das transações comerciais entre os países-membros atinge US$ 5. As tentativas de determinar uma tarifa externa comum. a organização participa da coordenação da política externa e desenvolve projetos comuns nas áreas de saúde. Mercosul e União Européia criam grupos de trabalho que negociarão uma aproximação entre os dois blocos. educação e comunicação. a Declaração de Caracas estabelece uma zona andina de livre comércio. A eleição de Fernando de la Rúa. o Caricom veio substituir o Carifta (Associação de Livre Comércio do Caribe). que estabelece tratamento especial para uma ampla variedade de produtos e em julho de 2000 assina um trato similar com a Argentina. porém.seu nome oficial . Caricom O Mercado Comum e Comunidade do Caribe (Caricom) é um bloco de cooperação econômica e política formado por 14 países e três territórios da região. Uruguai e Paraguai não aderem ao regime automotivo. Representa 0. principalmente no setor agrícola. pois seu partido é. a Argentina passa a exigir selo de qualidade para a entrada de calçados brasileiros no país. alíquotas progressivas para a importação de autopeças e porcentual mínimo de 60% das peças fabricado em países do bloco. Equador e Peru (1969). Em abril de 2000. segundo a secretaria geral do Pacto Andino.2% em relação a 1996. O Panamá participa como observador. uma cúpula para o "relançamento" do Mercosul. A cúpula define as metas de criar um mecanismo mais eficaz de solução de controvérsias e de estabelecer acordos de livre comércio com o México e a África do Sul. Pacto Andino Bloco econômico instituído em 1969 pelo Acordo de Cartagena . o bloco firma um acordo de tarifas preferenciais com o Brasil. no entanto. porém. O Chile sai em 1976.com o objetivo de aumentar a integração comercial. historicamente. descumprindo decisão do Tribunal Arbitral do Mercosul. Como reação ao movimento para a criação da Alca. O governo brasileiro ameaça recorrer à OMC.25 % do PIB total dos blocos econômicos que negociam a formação da Alca. o governo argentino. em Buenos Aires. Relançamento do bloco . Além disso. o Mercosul inicia uma aproximação estratégica com o bloco andino. Estabelecido em 1973 pelo Tratado de Chaguaramas (Trinidad e Tobago) e com sede em Georgetown (Guiana).3 bilhões.reclamação brasileira. da União Cívica Radical. No mês seguinte. não evoluem. Argentina e Brasil assinam um novo acordo automotivo que terá duração até 2005. O Pacto Andino mantém conversações com o Mercosul com a finalidade de estabelecer uma zona de livre comércio entre seus membros em 2002. que existia desde 1965. As negociações. Em setembro. em virtude das barreiras tarifárias do grupo andino.5 bilhões. Ficam estabelecidos uma tarifa externa comum de 35%. à Presidência da Argentina em outubro traz boas perspectivas para o Mercosul. política e econômica entre os países-membros. após acusar os produtores brasileiros de frango de praticar dumping. os EUA continuam a ser o principal parceiro da maioria dos signatários. Colômbia. Em 1999. impõe preços mínimos para a entrada do produto no país. é realizada em junho de 2000. Como alternativa. Também é conhecido como Grupo ou Comunidade Andina. comprometido com a continuidade do bloco. A organização estima que em 1998 esse valor chegue a US$ 6. vêm fracassando. que começa a vigorar em janeiro de 1992. com prazo inicial de dois anos. Em 1991. registrando um crescimento de 19.Bolívia. Além de incentivar a cooperação econômica entre os membros. os países-membros continuam assinando acordos em separado com os parceiros sul-americanos. Os países do Caricom têm no turismo uma de suas principais fontes de renda. Apesar de o comércio na região ter aumentado desde o acordo. visando à criação de uma zona de livre comércio. No mês seguinte. os produtores de sapatos das duas nações concordam em estabelecer limites para a venda brasileira em 1999 e 2000. o setor calçadista brasileiro queixa-se de que a Argentina está exigindo licenças prévias de importação para produtos brasileiros. Membros . Em 1997. recebendo cerca de 15 . Venezuela (1973).

Belarus. CEI A Comunidade dos Estados Independentes (CEI) é um bloco criado em 1991 que integra 12 das 15 Repúblicas que formavam a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). fica estabelecida a criação de uma Corte Caribenha de Justiça e é marcada para dezembro a finalização da estruturação do livre comércio entre os membros. Antígua e Barbuda. a comunidade prevê a centralização das Forças Armadas e o uso de uma moeda comum: o rublo. Há planos de adotar uma moeda comum no ano 2000. partindo para a cooperação com o ex-inimigo. Os russos são acusados de falhar na resolução dos problemas da comunidade e de não implementar os acordos firmados. Tadjiquistão. Desde 1997 defendem o tratamento diferenciado para economias pouco desenvolvidas. que se encontram de três em três meses. A perda de poder econômico da Federação Russa enfraquece seu domínio. Belize. Turcomenistão. econômica e militar unificada e de um sistema legal comum. e outro pelos chefes de governo. criada em 1979 para lutar contra a dependência econômica da região em relação à África do Sul. incluindo prazos maiores para o cumprimento de futuros acordos de comércio. Somente em 1997 todos os membros. O bloco origina-se da Conferência de Coordenação do Desenvolvimento do Sul da África (SADCC). A África do Sul adere ao bloco em 1994. porém. Em dezembro de 1999.No ato de criação. Sediada em Minsk. São Vicente e Granadinas. Santa Lúcia. Granada. Territórios: Montserrat. Anguilla (1999). São Cristóvão e Névis (1974). SADC A Comunidade da África Meridional para o Desenvolvimento (SADC) é estabelecida em 1992 com o objetivo de incentivar as relações comerciais entre seus 14 países-membros. organiza-se em uma confederação de Estados. ilhas Virgens Britânicas. Federação Russa. As principais decisões são tomadas em um encontro anual dos chefes de . Na prática. mas a decisão não se efetiva. Integração .Países: Barbados. Com o fim do regime de segregação racial nesse país. capital de Belarus. Lesoto. (1974). mas seu poderio bélico ainda é uma importante forma de controle sobre a CEI. a organização muda a linha de atuação. preservando a soberania de cada um. Ficam de fora apenas os três Estados bálticos: Estônia. Guiana. que se reúnem duas vezes ao ano. mas não definem a data para sua consolidação. Azerbaidjão (1993). ilhas Turks e Caicos (1991). Cazaquistão. estabelecem a adoção de uma política externa. Cada país é responsável por determinada área de cooperação. e Suriname (1995).milhões de turistas por ano. Membros Armênia. visando criar um mercado comum e também promover esforços para estabelecer a paz e a segurança na conturbada região. Bahamas torna-se membro da comunidade em 1983. Por exemplo.A SADC tem uma estrutura burocrática propositadamente pequena para evitar morosidade. Angola cuida da energia. Jamaica. Ucrânia. Os desentendimentos são constantes na CEI em decorrência dos protestos da maioria dos países contra o domínio da Federação Russa. O processo de adesão do Haiti. Sua estrutura abriga dois conselhos: um formado pelos chefes de Estado. firmam acordos de livre comércio com o bloco. Uzbequistão (1991). Dominica. Quirguistão. Trinidad e Tobago (1973). impedindo o desenvolvimento da região. exceto a Geórgia. a Federação Russa tem aprofundado o processo de integração com Belarus: em 1996. da conservação do solo e da água etc. firmam um tratado de união. Geórgia. Em maio e em julho de 2000 a República Dominicana e Cuba. é concluído em julho de 1999. iniciado em 1997. as ex-Repúblicas não chegam a um consenso de integração políticoeconômica. em julho. mas não participa do Mercado Comum. os dois países assinam um tratado de cooperação e. O bloco marca para 1999 o início do livre comércio entre seus integrantes. Mas a desigualdade entre sua economia e a de seus parceiros continua enorme: o PIB sul-africano é quase o triplo do total do PIB dos outros países. respectivamente. Membros . Letônia e Lituânia. no ano seguinte. Moldávia. Na cúpula do Caricom. Ajuda externa . No entanto. assinam um acordo para estabelecer uma união alfandegária e dobrar o comércio interno até o ano 2000.

O bloco adota duas medidas para restaurar a saúde financeira das maiores economias da Ásia. além de haver reuniões especiais sobre políticas de setores específicos e um encontro anual com os "parceiros internacionais de cooperação". os governos que fazem doações e as agências internacionais que auxiliam a região. o Camboja é admitido como membro. pede ao Conselho de Segurança da ONU que envie com urgência uma força de paz à região. entre eles o Japão e os EUA. Ministros reúnem-se duas vezes por ano. Malásia. realizado em julho de 2000. Vietnã (1995). finanças. uma cúpula da organização em Moçambique. Em 1997. transporte. A partir do segundo semestre de 1997. Em janeiro de 2000. é dominada pela preocupação com a crise financeira da Ásia. A Asean também passa a aceitar a ajuda dos EUA. na Nova Zelândia. ingressam na organização o Peru. para promover a Democracia. No foro anual da Asean sobre segurança na Ásia-Pacífico. Hoje o bloco representa um mercado de 517. a SADC cria um Fórum Parlamentar. comunicação. As dificuldades econômicas aumentam a cooperação entre eles. agricultura. convocada para analisar o conflito na RDC. turismo e cultura. que entrará em vigor no ano 2002. Tanzânia. Cingapura. Indonésia. África do Sul. Japão. Brunei (1984). em setembro de 1999. energia.Estado ou de governo. Camboja (1999). os membros da Asean são seriamente afetados pela crise asiática. realizada em Vancouver (Canadá) em novembro de 1997. Malauí. após um Período de recusa a qualquer interferência estrangeira. O plano de ação para a abertura econômica é iniciado em 1997. a defesa dos direitos humanos e melhorias na administração pública dos países. Oficializada em 1993. Lesoto. Zâmbia e Zimbábue. Em 1998. Tailândia (1967). A Apec pretende estabelecer o livre comércio entre todos os países do grupo até 2020. Membros . a Apec decide apoiar o lançamento de uma nova rodada de negociações multilaterais sob os auspícios da OMC. Seicheles. Canadá. que estabelecem um fundo que prevê a assistência financeira emergencial aos parceiros do bloco e o desenvolvimento de programas de reforma estrutural. da Coréia do Sul e do Japão: pede ajuda ao FMI para as nações em dificuldade e estimula os próprios países da região a conceder financiamento adicional para mostrar confiança nas economias fragilizadas. segurança. que reúne 33 países do Sudeste da Ásia e outras nações interessadas na estabilidade da região. com sede na Namíbia. a Coréia do Norte e Timor Leste participam pela primeira vez como convidados. tecnologia. Em 1999. Suazilândia. Mianmar e Laos (1997). a Apec já existia desde 1989 como fórum de conversações informais entre seis países-membros da Asean e seis parceiros econômicos da região do Pacífico.Austrália. Namíbia. educação. Botsuana. Com sede em Jacarta (Indonésia). na Tailândia. Membros .6 bilhões. ex-Zaire). a Asean desenvolve programas de cooperação nas áreas de transporte. relações externas.6 milhões de pessoas e um PIB de US$ 463. Maurício. Malásia. mas a eliminação de barreiras comerciais deve ocorrer gradualmente. Moçambique. do Japão e da União Européia. . A Coréia do Norte passa a integrar o foro. Brunei. República Democrática do Congo (RDC. com o objetivo de assegurar a estabilidade política e de acelerar o processo de desenvolvimento da região. Membros Indonésia. Asean A Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean) surge em 1967. A próxima cúpula da organização será em 2001 no Brunei. e com sede em Cingapura. que respondem por cerca de metade do PIB e 40% do comércio mundial. a Federação Russa e o Vietnã e o bloco decide que não serão aceitas novas adesões antes de 2008. indústria. Filipinas. mais Hong Kong (China). na Conferência de Seattle (EUA).Angola. que começa em julho desse ano e ameaça desacelerar o crescimento econômico mundial. Apec A Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (Apec) é um bloco econômico formado para promover a abertura de mercados entre 20 países. Na sétima cúpula. Sua quinta reunião anual. Em 1992 é assinado um acordo para eliminar as barreiras econômicas e alfandegárias entre os países. ou seja.

prevalece a posição do Mercosul em defesa do single undertaking. Em setembro de 1998. Implementação . e Chile (1994). Não há grande avanço sobre a implantação da Alca porque o presidente norteamericano.Nova Zelândia. A Cúpula homologa a estrutura de preparação da Alca: é estabelecida uma Conferência Ministerial. o que poderá transformar a Alca num dos maiores blocos comerciais do mundo. México. Papua Nova Guiné (1993). O chanceler do Brasil. cuja assinatura pelos líderes dos 34 membros está prevista para 2005. Na próxima Conferência Ministerial. Fast track . são fechados acordos que envolvem educação e direitos humanos. mantém-se cético quanto a essa conferência porque o Itamaraty prefere fortalecer primeiro o Mercosul e considera ser impossível negociar reduções tarifárias enquanto os EUA não aprovarem o fast track. investimentos da ordem de US$ 65 bilhões por ano na modernização de setores vitais. como transportes. e o fast track é rejeitado por 243 votos a 180. EUA (1989). Taiwan (Formosa) (1991). Alca A Carta de intenções para criação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca) é assinada em 1994 pelos 34 países americanos (exceto Cuba). O objetivo é eliminar as barreiras alfandegárias na região. em Santiago (Chile). Para participar da Alca. Já o Brasil e seus parceiros do Mercosul prevêem grande dificuldade na adaptação de suas economias e preferem dar início ao processo da Alca em 2005. O prazo mínimo definido em 1994 para a formação do bloco era de sete anos. em 1997. Luiz Felipe Lampreia.Durante a Segunda Cúpula das Américas. em abril. Estima-se. Tailândia. o que leva os EUA a propor a implementação imediata de acordos parciais. Peru. Clinton reapresenta o projeto na Câmara. um Comitê de Negociações Comerciais (CNC) que encaminhará as transações técnicas e coordenará nove grupos temáticos de negociação. Coréia do Sul. Bill Clinton. telecomunicações. Hong Kong (China). Filipinas. com abertura total do mercado em 2005. Oferecendo produtos e serviços mais competitivos. e. mas a meta foi adiada para 2005. os demais países do bloco resistem à sua implantação. Cingapura. os países da Alca somam uma população de 823.2 milhões de habitantes. sem que nada entre em vigor até o fechamento de todas as negociações. Vietnã (1998). que deve reunir-se a cada 18 meses. Enquanto os EUA pressionam por acordos parciais. China. no conjunto. os negociadores de cada nação entregarão um esboço de um acordo comercial que servirá de base para a elaboração do texto final. assinatura simultânea de um acordo geral. .O grande patrocinador da abertura dos mercados da região é o governo dos EUA. Com um PIB total de US$ 10. em abril de 1998. Esse mecanismo permitiria ao Executivo negociar acordos comerciais sem emendas do Congresso e é criticado nos EUA por sindicatos e congressistas. abaixo dela. Sem a garantia de que os acordos comerciais não serão modificados pelos parlamentares norteamericanos. Federação Russa. Em abril será realizada na Argentina uma Conferência Ministerial que dará início à elaboração do texto final do acordo. água e energia. as empresas norteamericanas consideram-se preparadas para a queda das barreiras alfandegárias na região.8 trilhões (US$ 2. não havia conseguido aprovar em seu país o fast track (via rápida). A presidência do CNC será ocupada periodicamente por diferentes países. o dobro da registrada na UE.5 trilhôes a mais que a União Européia). as nações da América Latina e do Caribe necessitarão de vultosas obras de infra-estrutura.