Teoria dos Corpos

Um dos ícones da Antroposofia é a Teoria dos Corpos de Steiner. Citada no livro
A PEDAGOGIA WALDORF - Caminho para um ensino mais humano de Rudolf Lanz
(assim como em diversas outras obras), a teoria trata da existência de outros corpos não
palpáveis que seriam uma extensão de nosso corpo físico.
Segundo esta teoria, minerais, plantas, animais e seres humanos não diferem
apenas em seus aspectos físicos. O reino mineral é composto apenas de seu corpo físico,
pois os minerais não dependem de outros elementos para existir, ao contrário dos seres
vivos que apesar de serem compostos pelas mesmas substâncias (ferro, carbono, zinco,
etc) precisam de água, alimento, oxigênio e luz solar para sobreviver.
O cristal é “auto-suficiente”. Ele existe e dura por si, não podendo ser
produzido “de fora”. O organismo vivo necessita de influências exteriores
para a sua existência: a luz solar e a corrente ininterrupta da respiração e do
metabolismo são fatores imprescindíveis para o crescimento e todas as
demais manifestações da vida. (LANZ, 1979, p.15).

Os seres vivos possuem uma série de fatores que os diferenciam dos minerais.
Seres vivos nascem, crescem se reproduzem e morrem enquanto os minerais sempre
continuam a ser o que são a não ser que algum fator externo lhe modifique a forma,
como a erosão transforma rocha em areia por exemplo. O processo de estar vivo e os
fatores necessários para isso ironicamente são mesmos que matam. O metabolismo, a
respiração, a ingestão de água e alimento, a absorção de luz solar entre outros fatores
que são necessários à sustentação da vida, são os mesmos fatores que causam o desgaste
das células e levam à morte.
Observamos, finalmente, que os seres orgânicos têm uma existência limitada
no tempo; eles nascem e morrem, enquanto uma pedra nunca cessa de ser a
mesma pedra, a não ser que forças externas, e não inerentes à sua própria
essência, venham a modificar ou destruir-lhe a forma. (LANZ, 1979, p.14).

Sendo assim podemos perceber que existe algo nos seres vivos que não existe
nos minerais e é essencialmente disto que se trata esta teoria. Este algo a mais é o que
deixa de existir quando morremos e nossos corpos voltam ao pó. Segundo a
Antroposofia, existe outro corpo não físico que permeia o corpo físico dos seres vivos
impedindo que a química e a física naturalmente cristalizem seus corpos levando-os de
volta ao reino mineral. Este corpo foi chamado por Steiner de corpo plasmador ou
etérico. Este corpo só estaria presente nas plantas, animais e seres humanos, não se
estendendo ao reino mineral. Segundo Lanz, este corpo chamado etérico seria formado a

Como analisar e observar algo que não podemos ver ou tocar? Em verdade a Antroposofia nos diz que tais corpos são completamente passíveis de serem observados e estudados. A respeito disso Lanz dá um exemplo muito claro da ação das forças plasmadoras ao comparar um bebê a um idoso. e mais ainda no ancião. etc. em um passado distante todos os homens possuíam sentidos superiores que possibilitavam a observação de planos elevados e não somente do físico. A Antroposofia indica o caminho que permite ao homem moderno. mineralização. No futuro. Correntes esotéricas do mundo inteiro como as hindus. o intelecto e todas as atividades psíquicas ainda não são desenvolvidas a criança vive. mas sem nenhuma faculdade mental desenvolvida. portanto a derrota deste corpo pelos processos mineralizantes naturais. os homens voltarão a possuir esses sentidos em pleno funcionamento. Este tipo de visão do mundo pode soar familiar para alguns. a vitalidade está no seu máximo: o corpo é mole. egípcias. a circunspecção e o domínio de si são plenamente desenvolvidos. portanto aquele que mantêm a vida fluindo em nossos corpos. porém não de forma científica como é trago por Steiner. 1979. esclerotização. a consciência. Através dessa brilhante citação podemos ver ainda outro dos pensamentos de Steiner. É notável também que mesmo após essas habilidades terem de certa forma “atrofiado”. No recém-nascido. (LANZ. 1979. em contrapartida. pois ele acreditava que nós nascemos cheios de vida. e com o passar dos anos íamos adquirindo . as funções biológicas são reduzidas e sujeitas a estados patológicos (disfunções. plasmável.). atrofias. Steiner acreditava que no futuro todos os seres humanos voltariam a utilizar tais habilidades e seria a Antroposofia um meio para alcançar tal feito. despertá-los pouco a pouco. por assim dizer. (LANZ. e a morte seria. o corpo é ressecado e desvitalizado. com a conservação de sua plena consciência. Mas é claro que com a apresentação deste primeiro corpo assim como os próximos que virão. pois a Antroposofia não foi a primeira a falar sobre o corpo etérico e as habilidades de clarividência que permitem sua observação.partir de um plano etérico maior do qual todos os corpos etéricos de todos os seres vivos tirariam sua substância. entregue às suas funções vitais e vegetativas. No adulto. p. elástico. as faculdades mentais. Ainda segundo a filosofia de Steiner. O corpo plasmador é. atingindo um ponto culminante na serenidade e na sabedoria contemplativa da velhice (desde que a fraqueza física não seja um empecilho). p.16). podem surgir dúvidas a respeito da cientificidade destas afirmações. gregas e tibetanas entre várias outras citadas por Rudolf Lanz já tinham conhecimento desse corpo.17). ainda existiram personalidades capazes de utilizar tais competências ao longo do tempo.

Segundo a teoria. (LANZ. segundo Steiner. os animais não têm almas individuais. A alma segundo a Antroposofia apresentaria certa coloração a qual pode ser observada por aqueles que têm seus sentidos superiores despertos como dito anteriormente. Falando mais especificamente do corpo astral humano. Os seres humanos são os únicos que sabem de sua própria existência. de abstrair. ou seja. p. Segundo a Antroposofia. felicidade.. a clarividência revela que seu “aspecto” depende dos sentimentos que prevalecem no individuo observado. É ele que ficou conhecido por todos como “alma”. apenas nosso corpo físico. Por último temos aquele que é o ultimo constituinte do ser humano. Algo que nem os animais. etc.20). tristeza. Quanto mais puros e menos egoístas os sentimentos. e sim um tipo de consciência intrínseca em todos os indivíduos da espécie que os faz agir da mesma forma e ter os mesmos comportamentos. porém não é claro para todos que esses instintos. Além disso. isso é mais uma prova de que existe algo a mais na formação dos animais e dos seres humanos. As auréolas. Os únicos capazes de imaginar. Mas isso é a parte humana do corpo astral. e todos os corpos são apenas bases para o Eu. da vitalidade de nosso corpo.conhecimento e sabedoria até que chegássemos à velhice com nossos corpos debilitados. um puro amontoado de minerais. etc. e viria daí a tradição de representar pessoas consideradas santas com um círculo de luz brilhante e clara sobre suas cabeças. mais clara seria coloração dessa aura que seria formada pelo corpo astral. Cada humano tem sua alma individual. Seguindo para o próximo dos corpos não-palpáveis temos o corpo astral. do qual são dotados somente os animais e os seres humanos. o corpo astral teria uma outra função. . de reproduzir memórias mentalmente. este é um fato de notório conhecimento. pois o desenvolvimento de nossas capacidades mentais se daria em detrimento direto de nossas forças plasmadoras. [. raiva. ao qual se dá também o nome de aura. humanos são capazes de concordar e discordar tem senso crítico e isso é o seu principal diferencial. 1979. nem as plantas. mais claro e brilhante o corpo astral. Animais se guiam pelos instintos. quanto mais puros fossem os sentimentos da pessoa.]. Cada pessoa é única e cada uma tem sua personalidade. Como poderia afinal. nem os minerais tem: o Eu. sentir alguma coisa? É claro que não poderia. Nos animais o corpo astral molda os comportamentos de cada espécie.. viriam dos corpos astrais. Este corpo trata simplesmente dos sentimentos é através dele que sentimos amor.