O Império Bizantino

Introdução

O colapso do Império Romano sentiu um de seus maiores golpes quando, em 395, o imperador
Teodósio dividiu os territórios em Império Romano do Ocidente e do Oriente. Em 330, o imperador
Constantino criou a cidade de Constantinopla no local onde anteriormente localizava-se a colônia
grega de Bizâncio. Não sentido os reflexos da desintegração do Império Romano, a cidade de
Constantinopla aproveitou de sua posição estratégica para transformar-se em um importante
centro comercial.

Cercada por águas e uma imponente fortificação, a cidade de Constantinopla tornou-se uma
salvaguarda aos conflitos que marcaram o início da Idade Média. Com o passar do tempo, o Império
Bizantino alcançou seu esplendor graças à sua prosperidade econômica e seu governo centralizado.
No governo de Justiniano (527 – 565), o império implementou um projeto de expansão territorial
que visava recuperar o antigo esplendor vivido pelo Antigo Império Romano.

Ao longo de seu reinado, Justiniano conseguiu conter o avanço militar dos persas e búlgaros sob a
região balcânica. Logo depois, empreendeu a expulsão dos vândalos do Norte da África. Mais tarde,
deu fim à dominação gótica na Península Itálica e tomou a Península Ibérica dos visigodos. Apesar
de chegar a reagrupar os antigos domínios da Roma Antiga, Justiniano não conseguiu resistir às
novas invasões dos povos germânicos na Europa e a dominação árabe no Norte da África.

No plano político, Justiniano buscou a formulação de leis que se inspiravam nos antigos códigos
jurídicos romanos. Formando um conjunto de juristas influenciados pelo Direito Romano, Justiniano
compilou um grupo de leis que formaram o chamado Corpo do Direito Civil. Apesar de empreender
a ampliação dos domínios do império, Justiniano foi vítima de uma grande conturbação. Na Revolta
de Nika (532), vários populares organizaram um movimento em protesto contra as pesadas cargas
tributárias e o grande gasto empreendido nas campanhas militares.

Mesmo contando com essa aproximação do mundo romano, o Império Bizantino sofreu influência
dos valores da cultura grega e asiática. Um dos traços mais nítidos dessa multiplicidade da cultura
bizantina nota-se nas particularidades de sua prática religiosa cristã. Divergindo de princípios do
catolicismo romano, os cristãos bizantinos não reconheciam a natureza física de Cristo, admitindo
somente sua existência espiritual. Além disso, repudiavam a adoração de imagens chegando até
mesmo a liderarem um movimento iconoclasta.

Essas divergências doutrinárias chegaram ao seu auge quando, em 1054, o Cisma do Oriente
estabeleceu a divisão da Igreja em Católica Apostólica Romana e Ortodoxa. Dessa forma, a doutrina
cristã oriental começou a sofrer uma orientação afastada de diversos princípios do catolicismo
tradicional contando com lideranças diferentes das de Roma.

Na Baixa Idade Média, o Império Bizantino deu seus primeiros sinais de enfraquecimento. O
movimento cruzadista e a ascensão comercial das cidades italianas foram responsáveis pela
desestruturação do Império. No século XIV, a expansão turco-otomana na região dos Bálcãs e da
Ásia Menor reduziu o império à cidade de Constantinopla. Finalmente, em 1453, os turcos
dominaram a cidade e deram o nome de Istambul, uma das principais cidades da Turquia.

tendo Pedro como o 1º. Os ricos viviam com grandes e cômodas casas e o comércio suntuário era um dos mais importantes. aclamado como imperador pelos soldados. com a vitória de Constantino junto à Ponte Mílvia. também conhecido como Constantino Magno (O Grande) ou Constantino I. . filha de Maximiliano Hércules.e de dar total liberdade aos que quiserem praticar a religião cristã". Em 313 deu liberdade de culto aos cristãos com o chamado Edito de Milão : "Havemos por bem anular por completo todas as restrições contidas em decretos anteriores. que se tornou São Melcíades. mas não conseguiam. que não se deu de uma hora para outra. Assim não há que se falar que Constantino é o fundador da Igreja de Cristo. pois o renovado contato comercial com o Oriente foi uma das causas principais do aparecimento de muitas cidades do Ocidente europeu e a concorrência comercial estimulou os descobrimentos e a expansão da civilização europeia no século XVI. ele apenas deu liberdade aos cristãos. Mais tarde suas rotas comerciais estenderam-se desde a Britânia até a China. dos países eslavos semibárbaros do Norte até a Índia e a Arábia. mas até para a Idade Moderna. a sociedade bizantina apresentava-se com caráter essencialmente urbano e perdulário. no fim de sua vida. Era Papa Melcíades. com o poder das armas destruir o poder da fé. o cristianismo já estava espalhado por quase todo o mundo. Era filho de Constâncio Cloro e Helena. o 32º Papa. o que possibilitava ao servo submetido aos grandes latifundiários uma vida melhor do que a dos camponeses da Europa Ocidental. e Constantino. No início século quarto. A moeda bizantina circulava em toda a costa do Mediterrâneo. foi batizado somente em 337. acabando com dois séculos e meio de perseguição e martírio. Ocorre que Constantino viu no céu uma cruz com a inscrição "In hoc signo vinces" . A economia bizantina Durante os começos da Idade Média.este foi um marco para sua conversão. penetrando até na classe nobre e era muito perseguido pelos imperadores que tentavam a todo custo. uma cristã que se tornou Santa Helena. As influências das atividades comerciais de Bizâncio foram vitais não somente para a Idade Média. Constantino O imperador Constantino. nasceu em 274 e faleceu em 337. acerca dos cristãos . Constantinopla e outras cidades bizantinas controlavam o comércio entre o Mediterrâneo e o Oriente. Após a morte do imperador Galério o poder ficou dividido entre Maxênico que se intitulou imperador. Os dois ambicionavam pelo poder absoluto. foi imperador durante 31 anos: de 306 a 337. As classes sociais Enquanto na Europa Ocidental a organização social era de base agrária. O regime da servidão existente para as classes inferiores era contudo amenizado pelo grande desenvolvimento industrial e comercial do Império.restrições odiosas e indignas de nossa clemência . Casou-se com Faustina. pois o comércio era feito sobretudo por mar. tal luta se encerrou no dia 28 de outubro de 312."Com este sinal vencerás" .

como as minas. talvez. os bizantinos exploravam o ferro. A religião oficial era a cristã. Outras pertenciam á Igreja. O Estado controlava diretamente um certo número de empresas industriais. incomodado com este poder. Esta guerra contra as imagens ficou conhecida como A Questão Iconoclasta. e constituiu o aspecto mais importante da cultura bizantina. as fábricas de armamentos e as industrias têxteis. As sutilezas teológicas eram temas preferidos. que distribuíam no Mediterrâneo com grande lucro. da Tessália e da Lacônia. Mestres em mineração e metalúrgica. A religião A religião foi fundamental para a manutenção do Império Bizantino. A influência da grande . perfumes. inclusive. a não ser a de Jesus Cristo. Em Bizâncio discutiam-se questões religiosas com o interesse com que hoje se discutisse o controle governamental ou a luta entre as democracias e as formas totalizadas de governo. nas mais diferentes manifestações artísticas. o cobre e o chumbo da Europa Oriental. a facilidade com que surgiram as heresias. comparáveis aos latifúndios da Itália. As principais heresias foram a dos monofisistas e a dos iconoclastas. pois as doutrinas dirigidas a esta sociedade eram as mesmas da sociedade romana. também tinham forte poder de manipulação sobre sociedade. cujos mosteiros aumentavam continuamente a extensão de seus domínios. assim como exploraram as salinas do sul da Itália. porem.Exportavam tecidos e artigos de luxo e produtos do Extremo Oriente. A terra dividia-se em propriedades extensas. Entretanto. sendo esta divina. Dai. e decretou pena de morte a todos aqueles que as adorassem. jóias e sedas. ficando os súditos bizantinos no ócio e na passividade. Muitas delas pertenciam ao governo e eram cultivadas por colonos e servos. Os monges. além de ganhar muito dinheiro com a venda de ícones. o governo proibiu a veneração de imagens. como especiarias. O cristianismo ocupava um lugar de destaque na vida dos bizantinos e podia ser observado. O grande comercio bizantino. O salário de cada trabalhador e o preço de cada produto eram fixados por decreto governamental. foi pouco a pouco passando às mãos de estrangeiros. pelo fato especial de muitos lavradores procurarem refugio no claustro e doarem seus bens às instituições que os admitiam. Exportavam para os países do Mediterrâneo os mármores da Ática. As catedrais e os mosaicos bizantinos estão entre as obras de arte e arquitetura mais belos do mundo. Os monofisistas afirmavam que em Cristo havia uma única natureza.

Teodora. de certo modo. Teodora. Embora aparentemente fosse apenas uma reação contra o uso dos ícones ou imagens no culto. Muitos iconoclastas eram místicos e ascetas que se opunham à veneração de objetos materiais e desejavam um retorno à espiritualidade do cristianismo primitivo.esposa de Justiniano. b) O Código. Mas estas conquistas guerreiras ocasionaram enormes gastos. Era filho de um simples camponês macedônio e falava grego. na Síria e na Armênia. e sim legislativa. ou destruidores de imagens. língua oficial de Constantinopla. O governo de Justiniano Justiniano (527-565) foi o mais famoso dos imperadores bizantinos. com sotaque. Governante de grande tino administrativo. Com o apoio de dois generais. Justiniano nomeou uma comissão de juristas sob a direção de seu ministro Triboniano. que reuniam as leis promulgadas por Justiniano. concepção que alias vigorou durante toda a filosofia medieval posterior. O direito romano no Corpus Juris Civilis adaptou-se às novas condições criadas pelo despotismo oriental vigente em Constantinopla e ao cristianismo. A maior obra de Justiniano não foi militar nem econômica. que havia tomado o poder com um golpe de Estado apoiado pelo Senado. Filha de um guarda de ursos Hipódromo. cobertos por impostos que provocaram profundo descontentamento no meio do povo. que pertencia à seita. tendo sobrevivido até hoje no Egito. que compreende: a) O Digesto ou Pandectas. Visando. Justiniano levo ao apogeu as conquistas bizantinas. Uma grande controvérsia religiosa foi ocasionada pelos iconoclastas. com algumas virtudes e grandes defeitos. ficou órfã muito cedo. a qual redigiu o famoso Corpus Juris Civilis (Corpo do Direito Civil). Elevou-se à condição de basilissa (imperatriz) pelo seu casamento com Justiniano. onde se encontravam as leis que tinham sido estabelecidas desde o reinado de Adriano até os de Justiniano. sofreu Justiniano influência de sua esposa. ou resumo para o ensino do direito. o movimento iconoclasta representou. em 1054. fez que esta heresia fosse respeitada. O antigo jus civile (direito civil) aplicava-se ao cidadão das mais diversas nacionalidades. Belizário e Narsés. d) As Novelas. tendo trabalhado durante algum tempo com atriz de circo. deixou-lhe como herança o Império. que anteriormente ao casamento havia levado vida dissipada e escandalosa. à revisão e à codificação do antigo direito romano. adotado como religião oficial. e o jus naturale (direito natural) era tido como um direito de origem divina. Seu tio Justino. A controvérsia iconoclasta foi causa importante na separação entre os ramos grego e romano da Igreja. onde estavam complicadas as doutrinas dos jurisconsultos romanos. . c) As Institutas. uma rede oposição ao paganismo litúrgico de alguns membros da Igreja.

manuscritos e saltérios. Estes grupos não eram apenas rivais esportivos. os navios estão prontos e o mar é livre. A Igreja de Santa Sofia pretende exprimir o caráter intimo e espiritual da vida cristã. deram-lhe uma magnificência jamais alcançada por outro templo.000 pessoas. iniciou então a repressão. Quanto a mim. Sua cúpula de 32 metros de diâmetro e 50 metros de altura é um empreendimento arrojado para a arquitetura da época e possui uma grandeza majestosa que não pode ser descrita. e influenciaram profundamente as civilizações ocidentais. Dois grandes partidos. leal ao governo. Os mosaicos eram preferidos pelos artistas bizantinos para expressão de seus sentimentos artísticos. a Igreja de Santa Sofia. Cesar. Externamente é coberta apenas por uma argamassa. o temperamento transformador dos gregos e os princípios dos povos da Ásia Menor. . que não pode esconder. os azuis e os verdes. os artistas bizantinos deram sempre o toque inconfundível de sua arte verdadeiramente bela. Eram desenhos conseguidos pela combinação de pequenos pedaços de vidro ou pedra coloridos. teria dito: “Ainda que a única salvação fosse a fuga. o estilo grandioso. sufocando o movimento com uma matança de 35. cristã e sarracena. Sobretudo na construção e na decoração de igrejas expressou-se magistralmente a arte bizantina. Seis mil candelabros e quarenta e dois mil vasos de prata destinados ao culto. verde e vermelho. as dimensões e os elementos construtivos das basílicas romanas. indignada com a covardia de seu esposo e de seus amigos. geralmente sobre fundo azul ou ouro. papiros. disputavam uma corrida. A revolta de Nika Durante o reinado de Justiniano. não gostaria de fugir. ficarei. aproveitando o plano. folhas de ouro e vitrais nos principais ângulos. A púrpura é uma linda mortalha”. Se queres fugir. com mosaicos lindíssimos. As representações dos santos e de Cristo eram geralmente deformadas para causae a impressão de piedade. a multidão aos gritos de “Nika!” “Nika!” (Vitória! Vitória!) promoveu um grande tumulto que obrigou Justiniano a refugiar-se imediatamente no palácio. sem duvida. Nas joias. O general Belesário. Como houvesse duvida a respeito do resultado da competição e o imperador quisesse intervir. demonstrou a grande insatisfação do povo. contudo. criaram um estilo arquitetônico próprio cujo apogeu é. que aproveitara o momento para externar sua hostilidade ao absolutismo do imperador e à orientação do governo. representavam também as profundas diferenças sociais da população. O tumulto transformou-se numa revolução de caráter social e a corte pensou mesmo em fugir. atemorizados com a rebelião. objetos de luxo. A arte bizantina A arte bizantina reunia as tradições artísticas dos romanos. ao mesmo tempo. Quem cingiu a coroa não deve sobreviver à sua perda. Os arquitetos bizantinos. no entanto. é decorado com colunas de mármore branco. esta bem: tens dinheiro. O interior. um episódio ocorrido no Hipódromo tornou-se famoso e . Conta-se que Teodora.

assim como os pregueados das vestes e os cortinados eram reproduzidos por meios de linhas e outros sinais gráficos que simplificam ao máximo os fundos. que copiaram e conservaram manuscritos. a pintura passaria a ser praticamente dominio exclusivo da Igreja. Não devemos esquecer que aos eruditos de Constantinopla devemos a cópia e a conservação de inúmeros manuscritos gregos. Mas surgiram os árabes. Durante o reinado de Heráclio (610-641). os detalhes na anatômicos. Esse estilo é refletivo nos magníficos mosaicos das Igrejas de San Vitale e Sant’ Apollinare Nuovo. Depois de sua morte seguiram-se 50 anos de anarquia e discórdia. ao mesmo tempo em que os bárbaros começaram a fazer recuar continuamente as fronteiras do Império . Após a conversão da Rússia ao Cristanismo. Sérvia etc) e Países Eslavos do Leste Europeu (Rússia. e que foi o Corpus Juris Civilis de Justiniano . através dos Países Eslavos do Sul (Bulgária. a cidade de Kiev foi principal centro de difusão da arte bizantina Evolução e influencia de Bizâncio A obra de Justiniano não teve continuadores. os mosaicos passaram a ser a técnica preferida para decorar paredes de Igrejas com histórias Cristãs. Uma nova linguagem figurativa se desenvolveu e aperfeiçoou-se em Bizâncio. 18 morreram na prisão e 18 foram vitimas de mutilações. a arte Bizantinha desenvolveu-se e disseminou-se a partir da Itália e da Alemanha. 20 pereceram violentamente. prepararam antologias gregas e escreveram enciclopédias que abrangiam os conhecimentos do mundo antigo. 21 abdicaram. O uso do claro-escuro foi aos poucos desaparecendo e as imagens perderam seu volume. da Síria e do Egito. foram aniquilados os persas. fundador de uma nova dinastia. e os búlgaros. Do século V em diante. As figuras são rigidamente frontais e os traços faciais resultam de uma codificação abstrata. antigos inimigos de Constantinopla. Bielo-Rússia e Ucrânia). Bastaria dizer que dos cento e poucos imperadores. Croácia. que se apoderaram da Palestina. que ocuparam os Balcãs. O céu substituído por uma superfície dourada que se tornou o símbolo da luz divina. em Ravena. Mosaicos Bizantinos A partir da proclamação do Cristianismo como religião oficial do Império Romano em fins do Século IV. É imenso o debito do Ocidente para os eruditos de Constantinopla. entre Constantinopla e da Grécia. Originária do Império Romano do Oriente. A vida do Império Bizantino foi sempre agitada.

recebeu uma grande herança de Bizâncio: o alfabeto. Constantinopla é conhecida como Istambul e pertence à Turquia. A Rússia. seu centro histórico encanta e impressiona muitos turistas devido à riquíssima variedade cultural que dá mostras dos diferentes povos e culturas que por lá passaram. Atualidade Atualmente. . o calendário e a religião. sobretudo. Apesar de um passado turbulento.que possibilitou realmente a transmissão do direito romano à ultima fase da Idade Média do mundo moderno.