You are on page 1of 4

INTRODUÇÃO:

Em meio às transformações que vem ocorrem na sociedade, globalizada e dinâmica,


onde as mais diversas informações estão disponíveis em diferentes fontes, os docentes
têm a necessidade de renovar suas práticas para propiciar aos alunos, condições efetivas
na construção do próprio conhecimento.

A pesquisa em sala de aula, como instrumento pedagógico, apresenta-se como um meio


de contribuição para a aprendizagem do aluno onde este passará de sujeito passivo para
ativo na busca pelo conhecimento, oferecendo ao educando chances para a
aprendizagem que não se resumem a cópia e memorização de livros didáticos.

Entende-se que a pesquisa, por seu caráter investigativo, é um instrumento que pode
melhorar a qualidade do ensino e da aprendizagem dos conteúdos de vários temas
relevantes para a sociedade, visto que, o ambiente da sala de aula se torna dinâmico com
uma maior probabilidade de alunos nas atividades propostas, além de possibilitar aos
docentes uma prática reflexiva transformando qualitativamente o processo educativo.

A FORMAÇÃO DO ALUNO PESQUISADOR

Segundo Freire: “não existe pesquisa sem ensino e nem ensino sem pesquisa”.

O educador deve estimular a pesquisa transformando seus alunos em sujeitos ativos de


suas ações e não mais objetos que fazem parte da história. É extremamente importante
que antes de propor a pesquisa como instrumento fundamental para a construção do
conhecimento, o próprio educador seja um pesquisador em sua prática diária, assim
possibilitando ao educando chances de ir além da cópia e da memorização.

Atualmente o que se percebe é que muitas vezes, quando um aluno se ver frente a um
trabalho de pesquisa escolar, vivencia uma situação conflituosa por falta de orientação.
Não é encaminhado a fazer diferentes leituras, conhecer diferentes olhares sobre o
mesmo tema, a fim de ter a possibilidade de refletir e tirar suas próprias conclusões. É
fundamental ressaltar que na formação do aluno pesquisador, o professor exerce um
papel fundamental.

O papel do professor é muito importante, pois deverá conduzir o projeto de pesquisa em


sala de aula e procurar resultados que possam ir além da metodologia superficial, do
senso comum, mas deve aprofundar o lado científico da investigação, fazendo um
diagnóstico para conhecer seus alunos, seus conhecimentos e respeitando seu contexto e
situação que estão inseridos adequando assim o método de trabalho a ser desenvolvido e
permitindo ao educando a descoberta, não devendo nunca dar respostas prontas e
solução de problemas, é fundamental alimentar a curiosidade de seus alunos e motiva-
los a descobrir as saídas. O papel do professor é também orientá-los até conseguirem o
que desejam.

Muitas vezes o professor na tentativa de facilitar a aprendizagem do aluno dá as


respostas e acaba muitas vezes limitando o educando, tirando deste a possibilidade de
fazer as próprias descobertas. A impossibilidade de questionar e discutir determinadas
temáticas acabam transformando momentos que poderiam ser significativos para ambos,
em aulas desinteressantes e insignificantes.

TIPOS DE PESQUISA

A pesquisa em sala de aula pode se tornar uma grande aliada ao processo de ensino e
aprendizagem junto às discussões diárias constitui-se num forte instrumento para
desenvolver a reflexão, o espirito investigativo e a capacidade de argumentação.

Os tipos de pesquisa mais utilizados são:

 A pesquisa bibliográfica vem a ser a leitura e fichamento do material


bibliográfico selecionado, que servirá de subsídio para a redação e
fundamentação teórica do estudo. Todo e qualquer tipo de pesquisa, em qualquer
conhecimento, supõe e exige a pesquisa bibliográfica.
 A pesquisa de campo consiste no estudo que é feito na própria realidade,
ambiente ou situação onde os fatos ocorrem naturalmente. Esse tipo de pesquisa
pode ser: pesquisa-ação, pesquisa participante e pesquisa etnográfica.
 A pesquisa de laboratório, esta ocorre em situações controladas necessitando
de instrumental especifico e preciso, ambiente adequado e escolhido de acordo
com o estudo a ser realizado.

A escola por sua vez, tem o papel de orientar o educando e motivá-lo para que possa
através da pesquisa enriquecer cada vez mais suas habilidades e construir seu
conhecimento.

A PESQUISA NA SALA DE AULA

A pesquisa em sala de aula é um processo que se dá em três momentos:


questionamento, construção de argumentos e comunicação. A pesquisa inicia-se com
um problema. É importante problematizar a realidade. O questionar se aplica a tudo que
constitui o ser, quer sejam conhecimentos, atitudes, valores, comportamentos e modos
de agir.

O questionamento em si não é o suficiente, a pesquisa em sala de aula precisa de


envolvimento ativo e reflexivo constante de seus envolvidos. Dessa forma é necessário
passar para o segundo momento que é produzir argumento, ou seja, envolver-se numa
produção. Deve-se recorrer aos livros, contactar pessoas, realizar experimentos, analisar
diferentes ideias e ponto de vista.

Após a construção de novas verdades, vem o terceiro momento que é a comunicação.


As verdades construídas devem ser debatidas, criticadas para se fortalecerem nos
argumentos que a constituem.

A base da educação escolar é a pesquisa, pois quem conhece é capaz de intervir de


forma competente, crítica e inovadora. Não é possível sair da condição de objeto sem
formar consciência crítica. O espaço onde o professor é transmissor precisa ser
repensado e transformado. O educador deve agir como mediador do processo e deve
habituar o aluno a ter iniciativas e a ser investigador no espaço escolar e fora do mesmo.
O ambiente da sala de aula deve ser motivador e a pesquisa é parte fundamental desse
processo, onde se forma cidadãos políticos, conscientes de seu papel na sociedade,
através de questionamento reconstrutivo, que reúne teoria e prática, qualidade formal e
política e inovação ética.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Esse estudo destacou a importância da pesquisa pedagógica para a construção do


conhecimento. E é importante destacar que a aprendizagem acontece em todos os
lugares e em qualquer fase da vida humana, por isso, o hábito da pesquisa deve ser
estabelecido enquanto prioridade desde a educação infantil. E ao formar um
pesquisador, é preciso que o hábito da pesquisa seja estimulado e acompanhado através
de atividades que alimente a curiosidade, a sensibilidade e a capacidade de percepção e
reforcem sua autoconfiança.

Pesquisar é a tradução mais exata do saber pensar e do aprender a aprender. Ao aluno,


gera autonomia; ao professor, permite estar em constante atualização, levando-o a
reavaliar a sua prática e, perante as mudanças que ocorrem reinventar o seu caminho.
REFERÊNCIAS:

wwwrevistas.ufg.br/index.php/fef/article/ViewFile/23740/16737

Acesso em: 09/11/2015

Semana7.com/noticia/14122/A-pesquisa-como-instrumento-pedagógico-na-construção-
do-conhecimento

Acesso em 12/11/2015