You are on page 1of 7

Nootrópico (do grego νους nous, mente, τρέπειν trepein, dobrar) é o termo usado para

descrever uma classe de compostos que supostamente aumentam o desempenho cognitivo no


ser humano.

São substâncias - sintéticas ou naturais - que melhoram os vários aspectos da cognição (tais
como memória, aprendizado, concentração), enquanto não apresentam toxicidade ou
potencial para adicção.

O grupo que mais consome esse tipo de compostos são os idosos com doenças
degenerativas, como o mal de Parkinson e o mal de Alzheimer, e pessoas com doenças
que afetam suas capacidades cognitivas negativamente.

Algumas tentativas têm sido feitas nas deficiências mentais com o uso do ácido gama-
aminobutírico. Também foram observados bons resultados com o uso de estimulantes,
como Metilfenidato e Amitriptilina, nos distúrbios de aprendizagem associados ao
déficit de atenção (TDAH).

Vitaminas e minerais essenciais

Servem de cofatores em muitas das reações no nosso organismo.

Vitaminas B:

B3 ou Niacina

A pelagra (deficiência de niacina) é conhecida pelos distúrbios neurológicos que causa, dentre
os mais severos o déficit cognitivo.[20]

B5 ou Ácido pantotênico

B6 ou Piridoxina

B9 ou Ácido fólico

B12 ou Cobalamina

A deficiência de vitamina B12 está associada a diversas manifestações neurológicas, como a


polineuropatia, mielopatia e demência.[21]

Vitamina A

Vitamina C
Vitamina D

Vitamina E

Cálcio

Cobre

Cromo

Ferro

Fósforo

Magnésio

Manganês

Potássio

Selênio

Zinco

Aminoácidos e compostos orgânicos

L-Theanina

L-Glutamina

L-Arginina

Acetil-L-Carnitina

Tirosina

Fenilalanina

Inositol

Taurina

Taurina é um dos aminoácidos frequentemente utilizados em bebidas energéticas.[22]

Sarcosina

Creatina

Coenzima Q10

Ácido lipóico

DMAE
Colina

Lecitina

Drogas, ervas e nutracêuticos

Colinérgicas:

A colina é um nutriente essencial que faz parte do complexo B, é a molécula precursora da


acetilcolina, um importante neurotransmissor que integra o sistema nervoso central e
periférico.[23][24][25]

Colina

Citicolina

Lecitina

Alpha-GPC

DMAE

Centrofenoxina

Inibidores de acetilcolinesterase:

Donepezila

Rivastigmina

Huperzine A

Galantamina

Tacrina

Nicotina

Racetams:

Piracetam

Oxiracetam

Aniracetam

Pramiracetam

Nefiracetam

Coluracetam

Fenilpiracetam
Derivados do fungo da cravagem:

Codergocrina

Nicergolina

Bromocriptina

Adrenérgicos, Dopaminérgicos e outros estimulantes:

Cafeína

A nível celular, a cafeína é um antagonista competitivo dos receptores de adenosina.[26]

Efedrina

Modafinil

Armodafinil

Adrafinil

Bupropiona

Adderall

Lisdexanfetamina

Pemolina

Metilfenidato

Antidepressivos:

Inibidores Seletivos da Recaptação da Serotonina:

Sertralina

Escitalopram

Fluoxetina

Tianeptina

Serotonérgicos:

5-HTP

Triptofano
Outros:

Ampaquinas

Phenibut

Picamilon

Memantina

Sulbutiamina

Piritinol

Pirisudanol

Idebenona

Vimpocetina

Vincamina

Selegilina

Rasagilina

Vasopressina

Pregnenolona

DHEA

L-Dopa

Fosfatidilserina

Acetilcisteína

EGCG

Um copo (200ml) de chá preto natural contém aproximadamente 20mg de L-theanina e 14-
61mg de cafeína.

[27][28]

Ervas e nutracêuticos:

A erva-mate é conhecida por suas propriedades estimulantes.[29]

Café
Guaraná

Chocolate

Azeite

Óleo de coco

Ácidos graxos essenciais

Erva-mate

Noz-de-cola

Ginseng

Ginkgo biloba

Camelia sinensis (chá verde, chá preto, chá branco)

Rhodiola rosea

Bacopa monnieri

Rosmarinus officinalis (alecrim)

Hypericum perforatum (hipérico)

Melissa officinalis

Piper methysticum (kava-kava)

Valeriana officinalis

Centella asiática

Withania somnifera (ashwagandha)

Mucuna pruriens

Recreativas:

Recebem esse título pois o consumo está associado à busca do prazer farmacológico.
Geralmente possuem efeitos secundários e outros perigos inerentes à sua utilização, como a
possível dependência.

Metanfetamina

Cocaína

Ecstasy

LSD

Kratom