You are on page 1of 15

1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ALVES FARIA


ENGENHARIA ELÉTRICA

JÚLIO WANDERSON DOURADO COSTA

PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DE UFV

GOIÂNIA
2017
I

JÚLIO WANDERSON DOURADO COSTA

PROJETO DE IMPLANTAÇÃO DE UFV

Trabalho apresentado como


requisito parcial para obtenção de
aprovação na disciplina de Fontes
Alternativas de Energia, turma
GO1301, no Curso de Engenharia
Elétrica, no Centro Universitário Alves
Faria.
Prof. Fabrício Bonfim Rodrigues
de Oliveira.

GOIÂNIA
2017
II

SUMÁRIO

RESUMO ................................................................................................. 3
1. INTRODUÇÃO................................................................................ 4
2. Resultados ...................................................................................... 5
3. CONCLUSÃO ................................................................................. 6
ANEXOS .................................................................................................. 7
I. Simulação no PVsyst ...................................................................... 7
II. Datasheet do Inversor ............................................................... 10
III. Datasheet dos Módulos utilizados ............................................. 12
IV. Diagrama Unifilar ....................................................................... 14
3

RESUMO

Na atualidade, a evolução tecnológica em todos os diversos patamares da


Sociedade vem ocorrendo de maneira exponencial, e com isso, a necessidade cada
vez maior da produção de energia elétrica, uma vez que a grande maioria dos
equipamentos dependem dessa energia para funcionar.

Segundo dados do ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), no


Brasil hoje, aproximadamente 70% da energia produzida é hidráulica devido a
abundante quantidade de rios e afluentes que possibilitam essa realidade.

Essa energia é considerara limpa por não poluir o meio ambiente e não
oferecer riscos à sociedade, mas a devastação que ela provoca no momento da
implementação dessas usinas hidrelétricas é imenso, e por mais que essa energia
seja considerada limpa, essa devastação existe e é real.

Palavras-chave: Energia elétrica, Sistema Solar Fotovoltaico, Geração,


Tecnologia, Energia Limpa e Renovável, PVsyst.
4

1. INTRODUÇÃO

O Brasil é um País que apresenta uma capacidade enorme de geração de


outras energias renováveis, e que de fato não causam danos à natureza, dentre
estes tipos está a energia solar, que se trata da utilização da radiação solar para a
produção de energia elétrica através da captação dessa radiação por meio de
placas fotovoltaicas, depois modificando essa energia para transmissão em
corrente alternada por meio de um inversor.

Recentemente, os sistemas solares fotovoltaicos têm sido utilizados de


forma integrada à rede elétrica pública. Estas instalações podem apresentar duas
configurações distintas: instaladas de forma integrada à edificação (no telhado ou
fachada), e, portanto, próximo ao ponto de consumo, ou de forma centralizada
como em uma usina geradora convencional, neste caso, distante do ponto de
consumo.

Os painéis fotovoltaicos interligados à rede elétrica podem ser integrados a


qualquer edificação, sendo o único requisito uma orientação solar favorável
(superfícies voltadas para norte, leste ou oeste), sendo que a orientação ideal são
as superfícies voltadas para o norte geográfico, no hemisfério sul, pois permitem
uma maior captação da energia gerada pelo sol. O sistema fotovoltaico tem um
grande potencial para o design dos edifícios, tornando-se, possivelmente, um
elemento indispensável não somente para os sistemas construtivos, mas para o
meio ambiente. Cada vez mais os países desenvolvidos vêm utilizando este
sistema, não somente para uso residencial, mas também em edificações
comerciais e industriais, pois estas normalmente apresentam grandes áreas
planas, que são bastante adequadas à integração de geradores fotovoltaicos.

Neste trabalho se dará a implementação e dimensionamento de uma Mini


Usina Fotovoltaica (ufv) que se utilizará dessa tecnologia para uma capacidade de
geração de 5Kwp (Quilo-watt-pico).
5

2. Resultados

Para a simulação foi necessário abrir o software e colocar todas as informações


relativas à placa (modelo, tensão de entrada e saída, etc.), ao inversor, às
condições climáticas do local onde o projeto seria implantado, ângulo de incidência
solar (em relação ao ângulo de azimuth) dentre outras informações previamente
obtidas.

Os resultados que serão aqui apresentados foram extraídos dessa simulação


gerada no PVsyst (Simulação em anexo – Anexo I), e os cálculos apresentados
foram baseados no conteúdo ministrado em sala.

 Produção de energia: 7.625 KWh/ano;


 Azimute: 0º;
 Inclinação: 15º;
 24 módulos;
 Potência nominal: 205 Wp;
 Pnt: 4.920 Wp;
 Investimento (R$ 5 / Wp): 5 x 4920 = R$ 24.600,00;
 Produção específica por ano: 1.550 KWh / KWp / ano;
 Potência em Kwp: 7.625 / 1.550 = 4,92 KWp;
 Quantidade de módulos: 4.920 / 205 = 24 módulos;
 Media mensal: R$ 3.000,00;
 Economia anual presvita: 3.000 x 12 = R$ 36.000,00
 PayBack: 24.600 / 3.000 = 8,2.

Os Datasheets da do inversor e do módulo escolhidos encontram-se


apresentados nos anexos II e III respectivamente.

O diagrama multifilar foi extraído do dimensionamento feito e também com


o conteúdo ministrado em sala, e este também encontra-se no anexo IV
6

3. CONCLUSÃO

Devido ao impacto e à poluição já deixados pela globalização até os dias


atuais, a preocupação com o meio ambiente vem se tornando um fator cada vez
mais relevante, para a sobrevivência do ser humano sem a necessidade de frear o
desenvolvimento, e por isso a produção e utilização dessa energias limpas e
renovávei está sendo bastante implementada nesse novo momento em que a
sociedade se encontra.

A Energia Solar se encontra em ascensão no Brasil devido à maior eficiência


energética e a busca de novas soluções para geração de energia. os sistemas
solares fotovoltaicos integrados ao edifício e interligados à rede elétrica estão se
tornando uma alternativa promissora para o futuro das edificações.

Existem atualmente diversas marcas e modelos de painéis solares


disponíveis no mercado, o que proporciona flexibilidade para sua aplicação em
edificações novas ou já existentes. Apesar disso, o aspecto construtivo da
edificação tem grande influência sobre o projeto do sistema fotovoltaico.

Existem também hoje, diversas marcas para os inversores, que são parte
fundamental na implementação desses sistemas interligados à rede elétrica, uma
vez que estes dispositivos podem ser de dimensão bastante reduzida e cada vez
mais inteligentes.

A eficiência do painel fotovoltaico é um importante fator de escolha, no


entanto, outros aspectos também devem ser analisados, tais como, a integração
com a edificação, a resistência a altas temperaturas, custo dos painéis, desgaste e
outras implicações técnicas.
7

ANEXOS

I. Simulação no PVsyst
8
9
10

II. Datasheet do Inversor


11
12

III. Datasheet dos Módulos fotovoltáicos


13
14

IV. Diagrama Unifilar