You are on page 1of 8

- O que é equoterapia

- area de abrangencia

- princípios da utilização do método aplicados a neurologia

- tabela de estudos onde a équo tenha sido utilizada como recurso terapêutico para o tto de pctes com distúrbios neurológicos, que contenha:

- autores, ano de estudo

- objetivos

- Metodologia de ação terapêutica

-Resultados obtidos

- resenha critica

divididos indivíduos que em 2 grupos: realizam equoterapia e equoterapia. Silva. Título Autores Ano Objetivos Metodologia Resultados A EQUOTERAPIA COMO RECURSO NA IDA MARIA SOZZI DE TERAPIA PSICOMOTORA PARA A JESUS AQUISICAO/DESENVOLVIMENTO DO EQUILIBRIO CORPORAL A AQUISICAO DA MOTRICIDADE EM Torquato. fisioterapia convencional. Utilizou-se um questionário para . equoterapia ou com idade entre 4 e equilíbrio estático e Roberta Dutra da. o equilíbrio estático e dinâmico e a escala de forca de Daniels. de ambos dinâmico do que os sexos. Felipe que realizam a portadores de SD apresentam melhor Gonzalez. Lança. Décio. No primeiro grupo constou 19 criancas e no segundo 14. Aline marcos motores em realizado com 33 realizam DOWN QUE REALIZAM FISIOTERAPIA OU Féria. Pereira. 13 anos. crianças portadoras de SD indivíduos fisioterapia PRATICAM EQUOTERAPIA Carvalho. fisioterapia em solo. Como método de avaliação foi utilizado a Escala de Desenvolvimento Motor (EDM) para motricidade global. Jamili 2013 Verificar a aquisição de O estudo foi As crianças que CRIANCAS PORTADORAS DE SINDROME DE Anbar.

Cláudia alterações no controle com idade entre 32 e reduziu Morais Trevisan. O GI foi manteve um submetido a 4 meses comportamento de hipoteria. EFEITO DA EQUOTERAPIA NA ESTABILIDADE Karla Mendonça 2013 Verificar se a estimulação Participaram deste A amplitude de POSTURAL DE PORTADORES DE ESCLEROSE Menezes. anteroposterior Joner Wiest. estabilometria. força muscular e o tempo de tratamento. visual e/ou posturais. em Grupo no FI após a Silveira controle(GC) e estimulação. relatar a aquisição de marcos motores. A postural foi estabilidade postural reduzida com a foi avaliada supressão da utilizando informação visual. uma plataforma de força para calcular o deslocamento do . Matheus capaz de desencadear portadores de EM. Grupo Intervencao enquanto o GC (GI). a totalizando 30 estabilidade sessões. Fernando por meio da equoterapia é estudo 11 oscilação MULTIPLA: ESTUDO PRELIMINAR Copetti. postural de portadores de 58 anos. ambos os grupos. divididos significativamente Aron Ferreira esclerose múltipla. prováveis alterações na acuidade auditiva. com 2 inalterado entre as sessoes semanais de avaliações. Em 50 minutos cada.

em postura ereta quase estática. Inicialmente os pacientes passaram por uma fase de aproximação com duração de 10 minutos. com olhos abertos e fechados. A fase final da sessão. antes e depois da intervenção com a equoterapia. técnicas de equitação e exercícios pré- esportivo. fase de desligamento. durante 30 segundos.centro de pressão. com o cavalo andando ao passo. Utilizaram-se exercícios de adaptação de postura de montaria. o tempo de montaria foi estabelecido em 30 minutos. alongamentos. Na fase principal. .

simulador (GS) e 20 Estatisticamente realizaram houve melhora nos fisioterapia deslocamentos convencional (TC). 2 grupos: 20 postural da ciranca Pratesi utilizaram o sentada. Antes e após a intervenção as crianças foram classificadas pelo GMFCS e após intervenção. Maria José terapêuticos de um com 40 crianças. pelo AUQEI . máximos tanto na Foi utilizado o direção AP como na sistema FScan/Fmat ML no grupo GS para registrar os quando comparado deslocamentos ao grupo TC m[aximos na direção Antero-posteriore médio-lateral com a crianca sentada. simulador de equitação no com idades entre 3 e melhora Maria de Lourdes da controle postural sentado 10 anos. divididas em maior no controle gandolfi. equitação produziu DE PARALISIA CEREBRAL da silva Werneck. Lenora de crianças portadoras de sexos. Riccardo diplegia espastica. ambos os significativamente Silva. teve duração de 10 minutos.Maria Beatriz Silva 2008 Avaliar os efeitos O estudo contou O simulador de DE EQUITACAO EM CRIANCAS PORTADORAS Borges. EFEITOS TERAPEUTICOS DE UM SIMULADOR .

EQUOTERAPIA NA REABILITACAO DA Sissa Mara 2010 Verificar o efeito da Uma criança de 3 A equoterapia MENINGOENCEFALOCELE: ESTUDO DE CASO Nicodemo Sanches. O TC foi submetido a 12 sessoes de fisioterapia pelo método neuroevolutivo. (Autoquestionnaire Qualite de vie Enfant Image). Foram 2 sessoes semanais com duração de 40 minutos. anos e 6 meses foi melhorou o Luciana Auxiliadora coordenação motora e submetida a 18 equilíbrio e a de Paula funcionalidade de uma sessoes de coordenação Vasconcelos criança com equoterapia. uma motora da criança. utilizada a escala de equilíbrio de Berg e Tinneti e PEDI para habilidades motoras . funcionais básicos escovação e para a realização montaria. A o que se refletiu no equoterapia foi controle de dividida em três movimentos fases: alimentação. equoterapia no equilíbrio. vez na semana. com ênfase nas técnicas de trunk control. Para a das atividades de avaliação foi vida diária. meningoencefalocele.

As análises foram realizadas intra-sujeitos. A análise do andar foi realizado pelo Sistema Peak MotusTM. Resultados: Observaram-se alterações significativas para a articulação do tornozelo para . As intervenções com equoterapia tiveram duração de cinqüenta minutos. e uma reavaliação foi feita 8 semanas depois. com intervalos de sete dias. COMPORTAMENTO ANGULAR DO ANDAR DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN APÓS INTERVENÇÃO COM EQUOTERAPIA Objetivo: Verificar o efeito de um programa de equoterapia no comportamento angular do tornozelo e joelho de crianças com síndrome de Down (SD). sendo o pós-teste realizado após treze sessões de tratamento.08).3 anos (±2. Método: Fizeram parte do estudo três crianças do sexo masculino com média de idade de 7. gerais e funcionais.. aplicados antes e após as intervenções. sem intervenção neste período.

tendo sido realizado uma primeira avaliação (avaliação de contexto).B. Conclusão: A equoterapia promoveu alterações positivas no comportamento angular da articulação do tornozelo. CARVALHO. 1. não apresentando uma tendência observável. S. BERESFORD. 2010. CARDOSO. já que a analise de variância através do teste de Friedman.D.completa totalmente os comandos dos itens. que consiste na escala de Gross motor Function Classification System (GMFCS) a fim de uniformizar a amostra. L. SILVA. O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia da equoterapia em 12 crianças com paralisia cerebral que apresentam a dificuldade em estabelecer um controle de cabeça durante a realização da tarefa motora de sentar. ARAÚJO. nos revelou um p=0.01 . Brazilian Journal of Biomotricity.não inicia. 2-completa parcialmente.. Esse método de avaliação consiste em 88 itens divididos em 5 dimensões : A. Este estudo foi desenvolvido por meio de um formato ou desenho experimental. Para a articulação do joelho. O VALOR DA EQUOTERAPIA VOLTADA PARA O TRATAMENTO DE CRIANCAS COM PARALISIA CEREBRAL QUADRIPLEGICA RESUMO NASCIMENTO. S.. I. E cada item contem quatro opções de 0 a 3 na qual 0 .E. v. Após as 30 sessões de intervenção que tiveram a duração de 30 minutos obtendo uma melhora significativa das crianças em relação a capacidade de sentar. 4. O valor da equoterapia voltada para o tratamento de criancas com paralisia cerebral quadriplegica. p 48-56. H. F. n. 3. diferenças foram verificadas em momentos distintos do ciclo. devido a gravidade do quadro motor dessas crianças.. 1.todos os sujeitos.inicia. logo após foi realizado o pré-teste utilizando utilizando a escala de Gross Motor Funnction Mensure (GMFM 88). com pouco efeito sobre o joelho..C. C. MVM.. I. Na qual será utilizada somente as dimensão B. R.