You are on page 1of 41

GESTALT

CONTEXTUALIZAÇÃO
Surge na Alemanha por entre 1910-1920

KURT KOFFKA
MAX (1886 – 1941) WOLFGANG
WERTHEIMER KÖHLER (1887 –
(1880 – 1943) 1967)
“Eu faço as minhas coisas
Você faz as suas.
Não estou neste mundo para satisfazer suas expectativas
E você não está neste mundo para viver conforme as minhas.
Você é você.
Eu sou eu.
E, se por acaso, nos encontrarmos
será maravilhoso.
E, se não
Não há nada a fazer" (Pearls, F).
GESTALT
Gestalt (palavra alemã sem tradução para o português) é uma teoria
que estuda como os seres humanos percebem as coisas: objetos,
imagens, sensações – pode ser entendida como um teoria da
percepção;

A Psicologia da Gestalt, foi um campo de pesquisa que trouxe uma


série de novas perspectivas para entender a maneira com a qual o
homem se relaciona com o mundo;
Ela afirma que nossa percepção não se dá por “pontos isolados”,
mas, sim, por uma visão de “todo”. Não vemos partes isoladas, mas
relações. Isto é, uma parte na dependência de outra parte.

Nossa percepção, que é resultado de uma sensação global, as partes


são inseparáveis do todo e são outra coisa que não elas mesmas, fora
desse todo.
GESTALT
Para a Gestalt o todo é sempre mais que a soma de suas partes - o
homem é uma totalidade.
O princípio fundamental da Teoria da Gestalt sugere que a análise
das partes nunca pode proporcionar uma compreensão do todo, uma
vez que o todo é constituído pelas interações e interdependências das
partes;
Deste modo é que a teoria da gestalt se propõe a estudar a vida
psíquica sob o aspecto da combinação de elementos (sensações e
imagens) que a constituem.
PREMISSAS
A compreensão está na organização dos fatos, percepções,
comportamentos ou fenômenos e não nos aspectos individuais.
“...o homem não percebe a coisas isolada e sem relação, mas as
organiza no processo perceptivo como um todo significativo”.
PREMISSAS
Homeostase é a busca constante do equilibrio através da necessidade
de satisfação de suas necessidades.
Depende da consciência para organizar a ação.
Possibilita a auto-regulação.
PRESSUPOSTOS
O organismo deve ser olhado como um todo e não em partes (mente
e corpo).
Ênfase no como e não no porque
Cada indivíduo é o único responsável pela própria existência
Cada evento está relacionado ao equilíbrio homeostático
LEIS GESTALTISTAS DA ORGANIZAÇÃO
SEMELHANÇA (similaridade)
PROXIMIDADE
BOA CONTINUIDADE
PREGNÂNCIA / BOA FORMA
CLAUSURA / FECHAMENTO
EXPERIÊNCIA PASSADA
SEGREGAÇÃO
Podemos ver na imagem abaixo
um exemplo de segregação, em
que uma única uva torna-se
"segregada", em relação às
outras, pela sua cor, como se
estivesse "separada" do grupo,
"isolada" do todo, destacada,
etc.

A segregação é a capacidade
perceptiva de separar,
identificar, evidenciar ou
destacar unidades formais em
um todo compositivo.
LEI DA PROXIMIDADE
Os elementos são agrupados de
acordo com a distância a que se
encontram uns dos outros.
Logicamente, elementos que
estão mais perto de outros numa
região tendem a ser percebidos
como um grupo, mais do que se
estiverem distante de seus
similares.
LEI DA CONTINUIDADE
Há uma tendência de a nossa
percepção seguir uma direção
para conectar os elementos de
modo que eles pareçam
contínuos ou fluir em uma direção
específica.
SEMELHANÇA
Os objetos similares tendem a se
agrupar. A similaridade pode
acontecer na cor dos objetos, na
textura e na sensação de massa
dos elementos.
PREGNÂNCIA
Diz que todas as formas tendem
a ser percebidas em seu caráter
mais simples. É o princípio da
simplificação natural da
percepção. Quanto mais simples,
mais facilmente é assimilada:
desta forma, a parte mais
facilmente compreendida em um
desenho é a mais regular, que
requer menos simplificação.
CLAUSURA
FIGURA E FUNDO
SISTEMA PROCESSADOR DE
INFORMAÇÕES

Exposição Percepção Compreensão

Opinião Retenção Tomada de


decisão

Comportamento
KURT LEWIN
Dinâmica e gênese dos grupos
Espaço vital
Comportamento Individual
Dinâmicas de Grupo: hipóteses, objetivos, metodologia etc.

“Aquele que aprendeu como os indivíduos se comportam em relação


ao meio”
TEORIA DO CAMPO

Destaque para o ambiente


Aprender – um campo com múltiplas forças
Principalmente dois tipos de forças
Mudança na estrutura do campo cognitivo
Mudança nas necessidades ou motivações do
indivíduo
Elemento chave – motivação
TEORIA DE CAMPO DE KURT LEWIN
Influenciada pela teoria de campo da física.
Campo total: todos os eventos passados, presentes e futuros que
podem influenciar uma pessoa.
O espaço vital consiste na interação das necessidades do indivíduo
com o ambiente psicológico.
A dimensão do espaço vital depende da quantidade de experiências
acumuladas.
TEORIA DE CAMPO DE KURT LEWIN
Para representar a direção Lewin desenvolveu uma forma de
geometria qualitativa chamada espaço hodológico, em que usava
vetores para representar a direção do movimento rumo a um alvo.
Para completar a representação esquemática do seu sistema ele usou
a noção de valências para designar o valor positivo ou negativo dos
objetos no espaço vital.
TEORIA DE CAMPO DE KURT LEWIN
Uma grande quantidade de informações novas que entram pelos
nossos sentidos diariamente.
O cérebro conta com filtros contra excesso de informação pois tem
capacidade limitada de absorção.
O mecanismo principal de filtro utiliza-se da atenção dirigida e da
percepção seletiva.
A aprendizagem está condicionada a mecanismos internos de
interesse e foco, tornando todos nós únicos.
TEORIA DE CAMPO DE KURT LEWIN
Quando a pessoa entra em desequilíbrio com o ambiente surge uma
tensão que leva o sujeito a movimentos que restaurem o equilíbrio.
O comportamento envolve o contínuo desequilíbrio e reequilibração.
Desenvolveu muitas pesquisas com psicologia social.
APRENDIZAGEM EM GESTALT
Ênfase em situações do todo e não em caminhos estabelecidos em
partes sucessivas.
Organizar os temas e elementos da sala de aula em todos
significativos onde os alunos conseguem verificar o princípio da
solução de problemas.
A repetição só é útil até certo ponto, depois é necessária a formação
de gestalts ou introvisões.
Diálogo possibilita o contato (experiência eu-tu) baseado na
experienciação com o outro em uma relação de respeito e autêntica
O diálogo pode possibilitar na integração entre as partes a tomada
de consciência de uma nova totalidade.
4 características do diálogo:

Inclusão: posicionamento sem julgamento


Presença: participação ativa do terapeuta
Compromisso com o diálogo: possibilidade do contato acontecer sem
manipulação
Diálogo vívido: possibilidade de fazer a comunicação ser um canal
que expresse e mobilize a energia entre os participantes, observação
também de expressões não-verbais.
Awareness: possibilita a consciência da situação quando
experienciada;
Insight: destaque do que é relevante do todo.
O QUE REPRESENTA A AWARENESS?
Nossa forma de experienciar as coisas, vigilância diante de um
evento importante, com a participação de todo nosso ser...
Ela é acompanhada de formação de Gestalt
A awareness se constitui de corolários que possibilitam à pessoa se
orientar no mundo.
A awareness incompleta refere-se a uma Gestalt não concluída.
O CONCEITO DE INSIGHT
Insight: os elementos da situação são percebidos em um padrão certo;
a solução surge de repente; o sujeito reage à situação total; o todo
determina a organização das partes em uma situação significativa.
Para que ocorra o insight devem ser levados em conta os fatores
subjetivos e objetivos:
Os dados devem estar presentes e apresentados de forma a
proporcionar o entendimento. O sujeito deve estar predisposto a
resolver o problema ou entender a questão.
A CONSCIÊNCIA
Ao nos depararmos com algo que não agrada interrompemos o fluxo
energético - racionalização / fugas
Pode ocorrer divergência entre as necessidades reais e as criadas,
havendo inversões
A pessoa sadia tende a perceber as necessidades reais, e as criadas
correspondem às necessidades reais buscando criar condições para
satisfazê-las
REGULAÇÃO DA FRONTEIRA
DEFLEXÃO: evitar o contato ou o awareness, esquivando-se
INTROJEÇÃO: assumi para si o que está fora de si. Incorporamos a
nós o que não é nosso. Pronome EU ao invés de eles.
CONFLUÊNCIA: não há barreira entre si e o meio, ou seja, ele e o
meio são uma coisa só. Perde o sentido de si mesmo, não sabendo
separar onde ele começa e onde começam os outros. Não faz contato
consigo mesmo e recusa-se muitas vezes a separação. Usa o pronome
nós, mas não se sabe exatamente até onde vai o nós.
REGULAÇÃO DA FRONTEIRA
RETROFLEXÃO: volta-se contra, ou seja, divisão dentro do self,
resistência a aspectos do próprio self, podendo levar ao isolamento(
faz com o outro o que gostaria que fizessem consigo ou faz consigo o
que gostaria que fizessem se tornando alvo). Uso da expressão eu
mesmo. Ex: tenho vergonha de mim mesmo; devo me conter; tenho que
fazer isso ou aquilo.
PROJEÇÃO: confusão do self com o outro, atribuindo algo seu ao
meio. O meio é responsável pelo que me ocorre. É comumente uma
vítima das circunstâncias. Pronome ele; ela ao invés de eu
A gestalt é importante porque possibilita a auto-regulação
Processo de awareness sensorial
Uso da agressão (energia vital)
CONSIDERAÇÕES SOBRE O CLIENTE
A dificuldade é parte e deve ser esclarecida a diferença entre o
“não querer” do “não consigo”.
O processo de crescimento é demorado e doloroso exige empenho e
dedicação.
A ansiedade é muitas vezes a manifestação do vácuo entre o hoje e o
amanhã / agora e o depois.