You are on page 1of 56

Livro Eletrônico

Aula 00 (Prof. Michelline)

Fundamentos e Legislação da Fisioterapia p/ EBSERH (Fisioterapeuta)

Professores: Gislaine dos Santos Holler, Michelline Ribeiro Rodriguez

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

AULA 00: Fundamentos da Fisioterapia

SUMÁRIO PÁGINA
1. Apresentação do curso 1
2. História da Fisioterapia no Brasil 4
3. Regulamentação da Fisioterapia no Brasil 5
Questões comentadas 11
4. Definição de Fisioterapia 0e áreas de atuação 17
a. Aréas de Atuação 19
5. Atribuições Profissionais 20
6. Especialidades Reconhecidas pelo Cofitto 27

Questões comentadas 28
7. Política Nacional De Saúde Funcional e CIF 36
Questões comentadas 42
Questões sem comentários 45
8. Gabarito 53
9. Referências 54

APRESENTAÇÃO DO CURSO

Olá, pessoal! Sejam Bem vindos.


É com muita satisfação que iniciaremos o nosso curso, com o
estudo da disciplina de Fundamentos da Fisioterapia. Mas antes de
começarmos os nossos estudos, peço licença para apresentar-me.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

Sou a Profª Michelline Ribeiro Rodriguez: fisioterapeuta


concursada da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF).
Formada pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Mestre em
Engenharia de Produção pela UFPB (Ergonomia e Saúde do
Trabalhador), Especialista em Gestão das Clinicas pelo Instituto Sírio
Libanês. Trabalhei por muitos anos na área do ensino como professora
do curso de graduação de fisioterapia em diversas áreas, inclusive
Fundamentos da Fisioterapia, Fisioterapia Geral, Dermato-funcional,
Saúde Coletiva e do trabalhador e já ministrei aulas em cursinhos para
concursos em Brasília.
A disciplina de Fundamentos da Fisioterapia é simples e
curta, porém geralmente as bancas de concursos costumam cobrar
algumas leis e conceitos, o que pode confundir o concurseiro. Aprendê-
las, pode fazer a diferença na tão sonhada aprovação.
Para discutirmos os Fundamentos da Fisioterapia, iniciaremos
com a História da Fisioterapia no Brasil (uma vez que as bancas não
cobram sobre a fisioterapia no mundo), dentro desse contexto, falarei
sobre as principais leis que foram marcos na regulamentação da
profissão no Brasil e trarei algumas questões das principais bancas
para discutirmos (TODAS COMENTADAS).
Utilizarei uma linguagem mais informal, com ênfase naquilo que
realmente é cobrado, ou seja, para resolução de questões que
envolvam o tema em qualquer concurso público para área de
fisioterapia, objetivando sua aprovação.
Para isso, os alunos matriculados no curso terão acesso ao
seguinte conteúdo:
a) Material em pdf com a teoria completa de todos os recursos
utilizados na fisioterapia, contendo as principais discussões.
b) Questões comentadas de várias bancas.
c) Figuras para facilitar a memorização dos principais tópicos da
disciplina.
d) Fórum de dúvidas.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

Este material é de extrema importância para qualquer um que


pretenda passar em um concurso na área de Fisioterapia, informo que
meu módulo também contará com as seguintes aulas.
Para que você possa ter acesso a todo material, nosso curso é
composto por duas professoras: eu e a Gislaine Holler, excelente
profissional, também colega do Estratégia, a qual vocês terão o prazer
de conhecer melhor nas próximas disciplinas do curso para que
possamos nos preparar melhor e exercitar bastante.
Temos a missão de trazer o conteúdo mais atual e os melhores
exercícios para que vocês possa gabaritar a prova.

CRONOGRAMA DE AULAS

Fundamentos de Micheline
0 08/09/2016
fisioterapia. Ribeiro

Legislação aplicada ao
1 Gislaine Holler 08/09/2016
Fisioterapeuta – Parte 01

Legislação aplicada ao
2 Gislaine Holler 15/09/2016
Fisioterapeuta – Parte 02

Código de Ética e
3 Deontologia da Fisioterapia Gislaine Holler 22/09/2016
parte I

Código de Ética e
4 Deontologia da Fisioterapia Gislaine Holler 29/09/2016
parte I

Então, Vamos começar nossa jornada? inicialmente vamos


mergulhar na História e surgimento da Fisioterapia no Brasil.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

HISTÓRIA DA FISIOTERAPIA NO BRASIL

O surgimento da fisioterapia no Brasil no eixo Rio São Paulo foi


influenciado pela vinda da família Real ao Brasil.
No século XIX, os recursos fisioterápicos faziam parte da
terapêutica médica, e assim há registros da criação, no período
compreendido entre 1879 e 1883, do serviço de eletricidade médica, e
também do serviço de hidroterapia no Rio de Janeiro, existente até os
dias de hoje, sob denominação de "Casa das Duchas".

Anos 30

Na década de 30, Rio de Janeiro e São Paulo possuíam serviços


de Fisioterapia idealizados por médicos que tomavam para si a
terapêutica de forma integral, experimentando recursos físicos. Essa
visão ampla de compromisso com o paciente, engajando-se num
tratamento mais eficaz que promovesse sua reabilitação, uma vez que
as incapacidades físicas por vezes o excluíam socialmente, levou
aqueles médicos a serem denominados médicos de reabilitação.

2ª Guerra Mundial

Houveram reflexos dessa participação no desenvolvimento da


Fisioterapia enquanto prática recuperadora das sequelas físicas de
guerra, com a modernização dos serviços de Fisioterapia no Rio de
Janeiro e em São Paulo e criação de novos em outras capitais do país.

1951: O Primeiro Curso no Brasil

A fisioterapia propriamente dita iniciou-se dentro da Santa Casa


de Misericórdia de São Paulo no ano de 1929, mas foi em 1951 que

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

foi criado o primeiro curso para formação de fisioterapeutas,


denominados técnicos, e tinha a duração de 1 ano. Na década seguinte,
o curso passaria a ter a duração de 2 anos.

REGULAMENTAÇÃO DA FISIOTERAPIA NO BRASIL

Os principais documentos legais publicados oficialmente e que


tratam da Regulamentação da Fisioterapia no Brasil são:
1. o Parecer nº 388/63, elaborado por uma comissão de
peritos do Conselho Federal de Educação;
2. o Decreto-lei nº 938, de 13 de outubro de 1969;
3. a Lei nº 6.316, de 17 de dezembro de 1975,
sancionada pelo Presidente da república; e
4. o Código de Ética Profissional de Fisioterapia e
Terapia Ocupacional, estabelecido pelo Conselho Federal de
Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFITTO). (BOTOMÉ;
REBELATTO, 1999).

Vamos resumidamente ver cada um deles.

1. PARECER 388/63

Pelo Parecer 388/63 o fisioterapeuta é definido como


auxiliar médico, onde lhe compete realizar tarefas de caráter
terapêutico, restringindo a execução dessas tarefas a condição que
sejam desempenhadas sob orientação e a responsabilidade do médico.
Além disso o fisioterapeuta é caracterizado como membro da
equipe de reabilitação em saúde, não lhe competindo o diagnóstico da
doença ou da deficiência a ser corrigida, e ainda que a realização
dessas tarefas têm apenas caráter curativo ou reabilitador para
indivíduos parcialmente inválidos para a vida social. E por último este

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

parecer, explicita que o profissional é por definição um técnico em


Fisioterapia, mas deve ter formação superior.

2. DECRETO-LEI Nº 938, DE 13 DE OUTUBRO DE 1969

Um segundo documento que trata da atividade do fisioterapeuta


é o Decreto-lei nº 938, de 13 de outubro de 1969, decretado pela
junta militar que governava o país (os ministros da Marinha de Guerra,
do Exército e da Aeronáutica Militar) foi um salto excepcional no
reconhecimento profissional do fisioterapeuta, em especial pela
redação dos seus 3 primeiros artigos.
Vou deixar os principais artigos desse decreto para que vocês
possam estudá-lo um pouco mais.

DECRETO DE LEI N. 938, DE 13 DE OUTUBRO DE 1969

Art. 1º É assegurado o exercício das


profissões de fisioterapeuta e terapeuta
ocupacional, observado o disposto no
presente Decreto-lei.
Art. 2º O fisioterapeuta e o terapeuta ocupacional,
diplomados por escolas e cursos reconhecidos, são
profissionais de nível superior.
Art. 3º É atividade privativa do fisioterapeuta executar
métodos e técnicas fisioterápicos com a finalidade de restaurar,
desenvolver e conservar a capacidade física do ciente.
Art. 4º É atividade privativa do terapeuta ocupacional executar
métodos e técnicas terapêuticas e recreacional com a finalidade de
restaurar, desenvolver e conservar a capacidade mental do paciente.
Art. 5º Os profissionais de que tratam os artigos 3º e 4º poderão,
ainda, no campo de atividades específica de cada um:

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

I - Dirigir serviços em órgãos e estabelecimentos públicos ou


particulares, ou assessorá-los tecnicamente;
II - Exercer o magistério nas disciplinas de formação básica ou
profissional, de nível superior ou médio;
III - supervisionar profissionais e alunos em trabalhos técnicos e
práticos.
Art. 6º Os profissionais de que trata o presente Decreto-lei,
diplomados por escolas estrangeiras devidamente reconhecidas no país
de origem, poderão revalidar seus diplomas.
Art. 7º Os diplomas conferidos pelas escolas ou cursos a que se
refere o artigo 2º deverão ser registrados no órgão competente do
Ministério da Educação e Cultura.
Art. 8º Os portadores de diplomas expedidos até data da
publicação do presente Decreto-lei, por escolas ou cursos
reconhecidos, terão seus direitos assegurados, desde que requeiram,
no prazo de 120 (cento e vinte) dias, o respectivo registro observando
quando for o caso, o disposto no final do art. 6º.
Art. 9º É assegurado, a qualquer entidade pública ou privada que
mantenha cursos de fisioterapia ou de terapia ocupacional, o direito de
requerer seu reconhecimento, dentro do prazo de 120 (cento e vinte)
dias, a partir da data da publicação do presente Decreto-lei.
Brasília, 13 de outubro de 1969; 148º da Independência e 81º
da República.

Por este drecreto-lei é assegurado o exercício das


profissões de fisioterapeuta, o fisioterapeuta é reconhecido
como profissional de nível superior e ainda diz que o objeto de
trabalho do fisioterapeuta é executar métodos e técnicas

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

fisioterápicos com a finalidade de restaurar, desenvolver e


conservar a capacidade física do paciente.

Uma das limitações impostas nesta documentação oficial é


quanto ao objeto de trabalho do fisioterapeuta, que está
constantemente descrito apenas como um profissional que está
habilitado apenas para executar técnicas reabilitadoras, ou seja,
deveria ocupar-se apenas com indivíduos que já estão doentes ou que
já possuem alguma deformidade. Porém, com a evolução das Leis esse
quadro mudou.

3. LEI Nº 6.316, DE 17 DE DEZEMBRO DE 1975

Cria o Conselho Federal e os Conselhos


Regionais de Fisioterapia e Terapia
Ocupacional e dá outras providências.
Constitui um outro documento que, de certa forma, se refere às
atividades do fisioterapeuta.

4. CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL

O Código de Ética Profissional de Fisioterapia e Terapia


Ocupacional, estabelecido pela resolução nº 424 de 8 de julho de 2013
(antiga resulução nº) 10 do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia
Ocupacional refere-se, em alguns de seus artigos, ao objeto de
trabalho do fisioterapeuta:
“o fisioterapeuta presta assistência ao homem,
participando da promoção, tratamento e recuperação de sua
saúde, utilizar todos os conhecimentos técnicos e científicos a
seu alcance para prevenir ou minorar o sofrimento do ser
humano e evitar o seu extermínio e ainda o fisioterapeuta

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

participa de programas de assistência à comunidade em âmbito


nacional e internacional”. (BOTOMÉ; REBELATTO, 1999).

Foi um marco para a fisioterapia e veio ampliar o campo de


atuação e estabelecer as funções que são privativas do fisioterapeuta:
o planejamento, a programação, a ordenação, a coordenação, a
execução e a supervisão de métodos e técnicas fisioterapêuticas que
abranjam os níveis de prevenção primária, secundária e
terciária.
A Resolução prossegue frisando a avaliação, reavaliação e
determinação das condições de alta do cliente, além da direção dos
serviços e locais destinados a atividades fisioterapêuticas, bem como
a responsabilidade técnica pelo desempenho destas atividades, a
divulgação de métodos, a prescrição, ministração e supervisão da
terapia prestada.
A autonomia dada ao fisioterapeuta ainda objetiva preservar,
manter, desenvolver ou restaurar a integridade de órgão, sistema ou
função do corpo humano, por meio de ação, isolada ou concomitante,
de agente termo, crio, hidro, aero, foto, sonido e eletroterapêuticos,
com o emprego ou não de aparelho, de exercício respiratório,
cardiovascular, de educação ou reeducação neuromuscular, de
regeneração muscular, de relaxamento muscular, de locomoção, de
regeneração osteoarticular, de correção de vício postural, de adaptação
ao uso de órtese ou prótese e de adaptação de meios e materiais
disponíveis, pessoais ou ambientais, para o desempenho físico do
cliente, dentre outras (COFFITO-8/78)

Atenção pessoal!!!! Apesar de não estar contida como um dos


marcos da fisioterapia, vou trazer pra vocês agora o Decreto de Lei n°
90.640, de 19 de dezembro de 1984, o qual inclui categoria funcional

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

no Grupo “Outras Atividades de Nível Superior” a que se refere a Lei


nº 5.645, de 10 de dezembro de 1970. Foi criado a Categoria
Funcional de Fisioterapeuta. Então, através dessa lei houve a
identidade profissional do fisioterapeuta reconhecida no Serviço Público
Federal, e mais, essa Lei dá o direito de avaliar, orientar, prescrever e
coordenar a Fisioterapia na saúde pública em geral.
O que geralmente as bancas cobram dessa lei é referente à carga
horária semanal do Fisioterapeuta:

Art 5º - Os integrantes da Categoria Funcional de Fisioterapeuta


ficarão sujeitos à prestação mínima de 40 (quarenta) horas
semanais de trabalho.
Isto foi alterado na Lei no 8.856, de 1º de março de 1994,
que fixa a Jornada de Trabalho dos Profissionais Fisioterapeuta e
Terapeuta Ocupacional em 30 (trinta) horas semanais:
Art. 1º Os profissionais Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional
ficarão sujeitos à prestação máxima de 30 horas semanais de trabalho.
Nesse decreto o Fisioterapeuta e o Terapeuta Ocupacional
foram classificados na Categoria Funcional de Técnico em
Reabilitação. Não esquecendo que naquela época, existia Auxiliar de
Fisioterapia e auxiliar de Praxiterapia, que também foram inclusos
junto com o Fisioterapeuta e o Terapeuta Ocupacional nessa Categoria
Funcional de Técnico em Reabilitação.

Legislação Descrição
Decreto-Lei 938/69 Regulamentou as profissões de
Fisioterapia e Terapia Ocupacional.
Lei 6.316/75 Criou o COFFITO e os CREFITOs.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

Decreto 9.640/84 Inclui Categoria Funcional de


Fisioterapeuta no Grupo – Outras
Atividades de Nível Superior.

Lei 8.856/94 Jornada de trabalho de 30 horas


semanais.
Resolução 10 COFITTO – Estabelece o código de ética
revogada e agora descrita como
RESOLUÇÃO 424 (2013)

QUESTÕES COMENTADAS

1. (EBSERH/HU-UFGD/ AOCP/ 2014) A Lei número 8.856, de 1° de


março de 1994, estabeleceu que a jornada de trabalho do
Fisioterapeuta é de, no máximo,
A. 20 horas semanais.
B. 30 horas semanais.
C. 40 horas semanais.
D. 48 horas semanais.
E. 50 horas semanais.
Gabarito: B
Comentários: Uma primeira observação: Cuidado com os
enunciados. Você deve prestar bastante atenção, pois essas questões
envolvendo Leis e fatos históricos, costumam colocar as datas ou
artigos como “Pegadinhas.”
Agora, vamos aos comentários.
Fixando: A Lei número 8.856, de 1° de março de 1994, estabeleceu a
jornada de trabalho do Fisioterapeuta e do Terapeuta Ocupacional de,
no máximo 30 horas semanais.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

Temos que ter atenção, pois a fisioterapia tinha carga horária


inicialmente estabelecida em 40 horas semanais pela Lei n°
90.640/84, e a Lei no 8.856, de 1º de março de 1994, alterou essa
jornada e a fixou em 30 (trinta) horas semanais no máximo.
Portanto, Alternativa B.

2. (Prefeitura Bonito de Santa Fé/PB – CONAPASS/ 2015) - “É


uma ciência da saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos
funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano,
gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças
adquiridas, na atenção básica, média complexidade e alta
complexidade”. A profissão a qual se refere o texto foi regulamentada
através da(o):
A. Lei 6.316/75
B. Decreto Lei 938/69
C. Lei 8.856/94
D. Decreto 9.640/84
E. Resolução COFFITO 10
Gabarito: B
Comentários: O texto define a Fisioterapia, que foi regulamentada
pelo Decreto Lei nº 938, de 13 de outubro de 1969. Não esqueçam!!!
Para que não haja dúvidas, vamos lembrar que o decreto de lei
6.316/75 criou o COFFITO e CREFITOs. A Lei 8.856/94 estabelece a
jornada de trabalho de 30 horas; o decreto 9.640/84 inclui Categoria
Funcional de Fisioterapeuta no Grupo – Outras Atividades de Nível
Superior; e a resolução agora 424 (antiga resolução 10) Estabelece o
código de ética.
Portanto, alternativa correta, letra B.

3. (Prefeitura Jaguariaíva/PR - UNIUV/ 2015) Sobre o Decreto Lei


n. 938, de 13 de outubro de 1969, que provê sobre as profissões de

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional, julgue os itens como


verdadeiros (V) ou falsos (F) e depois assinale a alternativa correta:
I. ( ) O profissional Fisioterapeuta pode, no seu campo de atividade
específica, dirigir serviços em órgãos e estabelecimentos públicos ou
particulares;
II. ( ) O Fisioterapeuta pode, no seu campo de atividade específica,
supervisionar profissionais e alunos em trabalhos técnicos e práticos;
III. ( ) Ao fisioterapeuta é proibido, no seu campo de atividade
específica, exercer o magistério nas disciplinas de formação básica ou
profissional, de nível superior.
A. V, V, V;
B. F, F, F;
C. V, F, V;
D. F, V, F;
E. V, V, F.

Gabarito: E
Comentários: Como descrito no Art. 5º da Lei 938/69:
Art. 5º Os profissionais de que tratam os artigos 3º e 4º poderão,
ainda, no campo de atividades específica de cada um:
I - Dirigir serviços em órgãos e estabelecimentos públicos ou
particulares, ou assessorá-los tecnicamente; 1º ALTERNATIVA –
VERDADEIRO.
II - Exercer o magistério nas disciplinas de formação básica ou
profissional, de nível superior ou médio; 3º ALTERNATIVA – FALSO
– O fisioterapeuta não é proibido, ele pode exercer o magistério.
III - supervisionar profissionais e alunos em trabalhos técnicos e
práticos. 2º ALTERNATIVA – VERDADEIRO.
Então a sentença seria: V, V, F. Sendo assim, resposta correta
letra E.
Comentários (Gislaine Holler)

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

4. (Prefeitura Teixeira/PB – CONPASS-2015) - O Decreto Lei 938/69


relata em seu artigo 3° que:
A. Os fisioterapeutas são “auxiliares médicos que
desempenham tarefas de caráter terapêutico sob a
orientação e responsabilidade do médico”.
B. “Fica aprovado o Código de Ética Profissional de
Fisioterapia e Terapia Ocupacional”.
C. “O fisioterapeuta é profissional competente para buscar
todas as informações que julgar necessárias no
acompanhamento evolutivo do tratamento do paciente sob
sua responsabilidade...”.
D. “É atividade privativa do fisioterapeuta executar métodos
e técnicas fisioterápicas com a finalidade de restaurar,
desenvolver e conservar a capacidade física do paciente”.
E. O referido Decreto Lei cria o Conselho Federal e os
Conselhos Regionais de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.
Gabarito: D
Comentários: Nossa!!!! Está parecendo prova de Direito, não é?
Geralmente as bancas não pedem as especificações. Mas, não se
desesperem, se vocês estudaram aquelas Leis que falei anteriormente
(nesse caso apenas o resumo já eliminaria 3 alternativas), podem
acertar a questão. Uffa!!! Então, vamos discutir as alternativas.
Por eliminação, poderíamos já descartar as alternativas A, B e D. A
Alternativa A se refere ao parecer sobre a fisioterapia (388/63),
antes memo de esta ser regulamentada como profissão, nem mesmo
Lei, então não tem artigo. A alternativa B fala da criação do Código
de ética (resolução 10 do COFITTO – agora 424), e a alternativa
D cita a criação dos conselhos de fisioterapia (Lei 6.316/75).
Então nos restaria as alternativas B e C. A alternativa C, não existe
na Lei 938/69.
O Art. 3º do Decreto de Lei 938/69 descreve que “É atividade
privativa do fisioterapeuta executar métodos e técnicas fisioterápicos

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a capacidade


física do ciente.” Portanto, alternativa D.
Exigiu um pouco, né, mas vocês vão se familiarizando com as leis e
atenção “decorem a tabela lá do início”.

5. (Alternative Concursos – Prefeitura de Nova Itaberaba/SC


– 2015) A Lei 8.856, de 1º de março de 1994, decreta que:
A. Os profissionais Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional
ficarão sujeitos à prestação máxima de 30 horas semanais
de trabalho.
B. O fisioterapeuta e o terapeuta ocupacional, diplomados por
escolas e cursos reconhecidos, são profissionais de nível
superior.
C. É atividade privativa do fisioterapeuta executar métodos e
técnicas fisioterápicos com a finalidade de restaurar,
desenvolver e conservar a capacidade física do paciente.
D. Cabe aos profissionais de fisioterapia e terapia
ocupacional, no campo de atividades específica de cada
um, dirigir serviços em órgãos e estabelecimentos públicos
ou particulares, ou assessorá-los tecnicamente.
E. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e
recuperação da saúde, a organização e o funcionamento
dos serviços correspondentes e dá outras providências.
Gabarito: A
Comentários: Essa agora está tranquila, não é mesmo? Bastava saber
o Art.1º da Lei nº 8.856, de 1º de março de 1994:
Art. 1º Os profissionais Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional
ficarão sujeitos à prestação máxima de 30 horas semanais de
trabalho.
Vejamos as outras assertivas:

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

B. O fisioterapeuta e o terapeuta ocupacional, diplomados por escolas


e cursos reconhecidos, são profissionais de nível superior. Referente
ao Art. 2º do Decreto-Lei nº 938/69;
c. É atividade privativa do fisioterapeuta executar métodos e técnicas
fisioterápicos com a finalidade de restaurar, desenvolver e conservar a
capacidade física do paciente. Referente ao Art. 3º do Decreto-Lei nº
938/69;
d. Cabe aos profissionais de fisioterapia e terapia ocupacional, no
campo de atividades específica de cada um, dirigir serviços em órgãos
e estabelecimentos públicos ou particulares, ou assessorá-los
tecnicamente. Referente ao Art. 5º do Decreto-Lei nº 938/69;
e. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação
da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços
correspondentes e dá outras providências. Referente à Lei nº 8.080,
de 19 de setembro de 1990. Ela é a lei orgânica da saúde e levanta as
principais informações acerca da saúde no Brasil e do SUS.
Comentários: Gislaine Holler

6. (CESPE - SESA/ES – 2013) A Lei nº 6.316/1975, considerada


de grande importância para a consolidação da profissão de
fisioterapeuta, se refere à
A. Assistência domiciliar fisioterapêutica.
B. Fixação da jornada de trabalho do fisioterapeuta.
C. Regulamentação dos órgãos de fiscalização.
D. Distinção da profissão de fisioterapeuta e terapeuta
ocupacional.
E. criação dos conselhos federais e regionais de fisioterapia.
Gabarito: E
Comentários: Essa questão foi tranquila! Já sabemos agora que A Lei
6.316/75 criou o COFFITO e os CREFITOs.Então Letra E está correta.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

7. (FADESP - Prefeitura São Domingos do Araguaia/PA – 2015)


Na legislação que rege a atuação profissional do fisioterapeuta, tem-
se a fixação da jornada de trabalho de 30 horas máximas semanais.
A lei que regulamenta essa jornada de trabalho é a
A. Lei no 938, de 13 de outubro de 1969.
B. Lei no 6.316, de 17 de dezembro de 1975.
C. Lei no 8.856, de 01 de março de 1994.
D. Lei no 90.640, de 10 de dezembro de 1984.
Gabarito: C
Comentários:Vamos relembrar, mais uma vez.
Alternativa A se refere Lei no 938, de 13 de outubro de 1969. Errado.
(Regulamentação da Fisioterapia e Terapia Ocupacional). A
Alternativa B - Lei no 6.316, de 17 de dezembro de 1975 se refere a
Criação do COFFITO e dos CREFITOs;Item errado.
Na alternativa C - Lei no 8.856, de 01 de março de 1994. Essa Lei
fixa a jornada de trabalho de 30 horas semanais. Portanto,
alternativa Correta.
Alternativa D - Lei no 90.640, de 10 de dezembro de 1984. Inclui
categoria funcional no Grupo-Outras Atividades de Nível Superior,
logo, está Errada.
Comentários: Gislaine Holler

DEFINIÇÃO DA FISIOTERAPIA E ÁREAS DE ATUAÇÃO

Conceituando a Fisioterapia tendo


como base a Resolução COFFITO 80/87, a
Fisioterapia:

“É uma ciência da saúde que estuda, previne e trata os distúrbios


cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo
humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

adquiridas, na atenção básica, média complexidade e alta


complexidade. Fundamenta suas ações em mecanismos terapêuticos
próprios, sistematizados pelos estudos da biologia, das ciências
morfológicas, das ciências fisiológicas, das patologias, da bioquímica,
da biofísica, da biomecânica, da cinesia, da sinergia funcional, e da
cinesia patológica de órgãos e sistemas do corpo humano e as
disciplinas comportamentais e sociais”.

A professora Gislaine Holler, na disciplina de Ética Aplicada a


Fisioterapia, sistemamatiza a definição da seguinte forma, para evitar
as famosas “pegadinhas”:
 É uma ciência da SAÚDE. Em algumas provas colocam “ciência
humana”, mas é uma ciência da saúde;
 ESTUDA, PREVINE E TRATA os distúrbios cinéticosfuncionais
intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, ou seja, no
corpo como um todo, não apenas em um sistema específico;
 Atua na atenção básica, média complexidade e alta
complexidade;
 Suas ações são fundamentadas em mecanismos terapêuticos
próprios.

Já a definição de fisioterapeuta, de acordo com o COFFITO, é:

“Profissional de Saúde, com formação acadêmica Superior,


habilitado à construção do diagnóstico dos distúrbios cinéticos
funcionais (Diagnóstico Fisioterapêutico), a prescrição das condutas
fisioterapêuticas, a sua ordenação e indução no paciente bem como, o
acompanhamento da evolução do quadro clínico funcional e as
condições para alta do serviço”.

Vamos por partes também:


 Profissional de Saúde;

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

 Formação acadêmica Superior;


 Responsável pelo Diagnóstico Fisioterapêutico. Cuidado ao ler
as questões, pois podem colocar diagnóstico médico, ao invés de
fisioterapêutico.
 Responsável pela prescrição / ordenação e indução (ação)
das condutas fisioterapêuticas;
 Responsável pelo acompanhamento da evolução do quadro
clínico funcional e as condições para alta do serviço.

Tacani e Campos (2004) frisam que esta se fundamenta nos


0
estudos da biologia, das ciências morfológicas, das ciências fisiológicas,
das patologias, da bioquímica, da biofísica, da biomecânica, da cinesia
e da sinergia funcional de órgãos e de sistemas do corpo humano. Para
que esta ciência se consolide lança mão de um arsenal de recursos e
conhecimentos terapêuticos peculiares considerando o paciente em
todas suas condições bio-psico-físicosocial porque busca promover,
aperfeiçoar ou adaptar o indivíduo a uma melhor qualidade de vida.
Além disso, o fisioterapeuta pode atuar juntamente com outros
profissionais nos diversos níveis de assistência à Saúde, na
administração de serviços, na área educacional e no desenvolvimento
de pesquisas (COFFITO 80/87).

Atividade de saúde, regulamentada pelo Decreto-Lei 938/69, Lei


6.316/75, Resoluções do COFFITO, Decreto 9.640/84, Lei 8.856/94.
Bem pessoal, nesta parte não dá pra resumir, as bancas
podem pedir qualquer aspecto ou item dessa resolução:

ÁREAS DE ATUAÇÃO

Fisioterapia Clínica
 Ambulatórios
 Consultórios

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

 Centros de Reabilitação Hospitais e clínica

Saúde Coletiva
 Ações Básicas de Saúde
 Fisioterapia do Trabalho
 Programas institucionais
 Vigilância Sanitária

Educação
 Direção e coordenação de cursos
 Docência - níveis: secundário e superior
 Extensão
 Pesquisa
 Supervisão técnica e administrativa

Outras
 Esporte
 Indústria de equipamentos de uso fisioterapêutico

ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS

FISIOTERAPIA CLÍNICA

1.1 - Atribuições Gerais


1.1.1 - Prestar assistência fisioterapêutica (Hospitalar, Ambulatorial e
em Consultórios)
1.1.2 – Elaborar o Diagnóstico Cinesiológico Funcional, prescrever,
planejar, ordenar, analisar, supervisionar e avaliar os projetos
fisioterapêuticos, a sua eficácia, a sua resolutividade e as condições de
alta do cliente submetido a estas práticas de saúde.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

1.2 - Atribuições Específicas

1.2.1 - Hospitais, Clínicas e Ambulatórios


a) Avaliar o estado funcional do cliente, a partir da identidade da
patologia clínica intercorrente, de exames laboratoriais e de imagens,
da anamnese funcional e exame da cinesia, funcionalidade e
sinergismo das estruturas anatômicas envolvidas.
b) Elaborar o Diagnóstico Cinesiológico Funcional, planejar, organizar,
supervisionar, prescrever e avaliar os projetos terapêuticos
desenvolvidos nos clientes.
c) Estabelecer rotinas para a assistência fisioterapêutica, fazendo
sempre as adequações necessárias.
d) Solicitar exames complementares para acompanhamento da
evolução do quadro funcional do cliente, sempre que necessário e
justificado.
e) Recorrer a outros profissionais de saúde e/ou solicitar pareceres
técnicos especializados, quando necessário.
f) Reformular o programa terapêutico sempre que necessário.
g) Registrar no prontuário do cliente, as prescrições fisioterapêuticas,
sua evolução, as intercorrências e as condições de alta da assistência
fisioterapêutica.
h) Integrar a equipe multiprofissional de saúde, sempre que
necessário, com participação plena na atenção prestada ao cliente.
i) Desenvolver estudos e pesquisas relacionados a sua área de atuação.
j) Colaborar na formação e no aprimoramento de outros profissionais
de saúde, orientando estágios e participando de programas de
treinamento em serviço.
k) Efetuar controle periódico da qualidade e da resolutividade do seu
trabalho.
l) Elaborar pareceres técnicos especializados sempre que solicitados.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

1.2.2 - Em Consultórios
a) Elaborar o Diagnóstico Cinesiológico Funcional, a partir da
identidade da patologia clínica intercorrente, de exames laboratoriais
e de imagens, da anamnese funcional e exame da cinesia, da
funcionalidade e do sinergismo das estruturas anatômicas envolvidas.
b) Estabelecer o programa terapêutico do cliente, fazendo as
adequações necessárias.
c) Solicitar exames complementares e/ou requerer pareceres técnicos
especializados de outros profissionais de saúde, quando necessários.
d) Registrar em prontuário ou ficha de evolução do cliente, a prescrição
fisioterapêutica, a sua evolução, as intercorrências e as condições de
alta em Fisioterapia.
e) Colaborar com as autoridades de fiscalização profissional e/ou
sanitária.
f) Efetuar controle periódico da qualidade e funcionalidade dos seus
equipamentos, das condições sanitárias e da resolutividade dos
trabalhos desenvolvidos.

1.2.3 - Centros de Recuperação Bio-Psico-Social (Reabilitação)


a) Avaliar o estado funcional do cliente, através da elaboração do
Diagnóstico Cinesiológico Funcional a partir da identidade da patologia
clínica intercorrente, de exames laboratoriais e de imagens, da
anamnese funcional e do exame da cinesia, da funcionalidade e do
sinergismo das estruturas anatômicas envolvidas.
b) Desenvolver atividades, de forma harmônica na equipe
multiprofissional de saúde.
c) Zelar pela autonomia científica de cada um dos membros da equipe,
não abdicando da independência científico-profissional e da isonomia
nas suas relações profissionais.
d) Participação plena na atenção de saúde prestada a cada cliente, na
integração das ações multiprofissionalizadas, na sua resolutividade e
na deliberação da alta do cliente.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

e) Participar das reuniões de estudos e discussões de casos, de forma


ativa e contributiva aos objetivos pretendidos.
f) Registrar no prontuário do cliente, todas as prescrições e ações nele
desenvolvidas.

2. SAÚDE COLETIVA

2.1 - Atribuição Principal


Educação, prevenção e assistência fisioterapêutica coletiva, na atenção
primária em saúde.

2.2 - Atribuições Específicas

2.2.1 - Programas Institucionais


a) Participar de equipes multiprofissionais destinadas a planejar,
implementar, controlar e executar políticas, programas, cursos,
pesquisas ou eventos em Saúde Pública.
b) Contribuir no planejamento, investigação e estudos
epidemiológicos.
c) Promover e participar de estudos e pesquisas relacionados a sua
área de atuação.
d) Integrar os órgãos colegiados de controle social.
e) Participar de câmaras técnicas de padronização de procedimentos
em saúde coletiva.
f) Avaliar a qualidade, a eficácia e os riscos à saúde decorrentes de
equipamentos eletro-eletrônicos de uso em Fisioterapia.

2.2.2 - Ações Básicas de Saúde


a) Participar de equipes multiprofissionais destinadas ao planejamento,
a implementação, ao controle e a execução de projetos e programas
de ações básicas de saúde.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

b) Promover e participar de estudos e pesquisas voltados a inserção de


protocolos da sua área de atuação, nas ações básicas de saúde.
c) Participar do planejamento e execução de treinamentos e
reciclagens de recursos humanos em saúde.
d) Participar de órgãos colegiados de controle social.

2.2.3 - Fisioterapia do Trabalho


a) Promover ações terapêuticas preventivas a instalações de processos
que levam a incapacidade funcional laborativa.
b) Analisar os fatores ambientais, contributivos ao conhecimento de
distúrbios funcionais laborativos.
c) Desenvolver programas coletivos, contributivos à diminuição dos
riscos de acidente de trabalho.

2.2.4 - Vigilância Sanitária


a) Integrar a equipe de Vigilância Sanitária.
b) Cumprir e fazer cumprir a legislação de Vigilância Sanitária.
c) Encaminhar às autoridades de fiscalização profissional, relatórios
sobre condições e práticas inadequadas à saúde coletiva e/ou
impeditivas da boa prática profissional.
d) Integrar Comissões Técnicas de regulamentação e procedimentos
relativos a qualidade, a eficiência e aos riscos sanitários dos
equipamentos de uso em Fisioterapia.
e) Verificar as condições técnico-sanitárias das empresas que ofereçam
assistência fisioterapêutica à coletividade.

3. EDUCAÇÃO

3.1 - Atribuição Principal


a) Dirigir, coordenar e supervisionar cursos de graduação em
Fisioterapia/Saúde.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

b) Lecionar disciplinas básicas e profissionalizantes dos Cursos de


Graduação em Fisioterapia e outros cursos na área da saúde.
c) Elaborar planejamento de ensino, ministrar e administrar aulas,
indicar bibliografia especializada e atualizada, equipamento e material
auxiliar necessários para o melhor cumprimento do programa.
d) Coordenar e/ou participar de trabalhos inter e transdisciplinares.
e) Realizar e/ou participar de atividades complementares à formação
profissional.
f) Participar de estudos e pesquisas em Fisioterapia e Saúde.
g) Supervisionar programas de treinamento e estágios.
h) Executar atividades administrativas inerentes à docência.
i) Planejar, implementar e controlar as atividades técnicas e
administrativas do ano letivo, quando do exercício de Direção e/ou
Coordenação de cursos de graduação e pós-graduação.
j) Orientar o corpo docente e discente quanto à formação do
Fisioterapeuta, abordando visão crítica da realidade política, social e
econômica do país.
k) Promover a atualização didática pedagógica em relação à formação
profissional do Fisioterapeuta.

4. OUTRAS

4.1 - Equipamentos e produtos para Fisioterapia


(industrialização e comercialização)
a) Desenvolver/Projetar protótipos de produtos de interesse do
Fisioterapeuta e/ou da Fisioterapia.
b) Desenvolver e avaliar a utilização destes produtos no meio social.
c) Elaborar manual de especificações.
d) Promover a qualidade e o desempenho dos produtos.
e) Coordenar e supervisionar as demonstrações técnicas do produto
junto aos profissionais Fisioterapeutas.
f) Assessorar tecnicamente a produção.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

g) Supervisionar e coordenar a apresentação do produto em feiras e


eventos.
h) Desenvolver material de apoio para treinamento.
i) Participar de equipes multiprofissionais responsáveis pelo
desenvolvimento dos produtos, pelo seu controle de qualidade e
análise de seu desenvolvimento e risco sanitário.

4.2 - Esporte
a) Planejar, implantar, coordenar e supervisionar programas
destinados à recuperação funcional de atletas.
b) Realizar avaliações e acompanhamento da recuperação funcional do
cliente.
c) Elaborar programas de assistência fisioterapêutica ao atleta de
competição.
d) Integrar a equipe multiprofissional de saúde do esporte com
participação plena na atenção prestada ao atleta.

5. EXIGÊNCIAS LEGAIS

5.1 - Responsabilidade Técnica de empresas


a) Toda empresa ligada a produção de equipamentos de utilização em
Fisioterapia e as que prestam assistência fisioterapêutica, são
obrigadas ao registro nos Órgãos de controle e fiscalização do exercício
da atividade profissional da Fisioterapia (Lei n.º 6.316/75).
b) No momento da solicitação de seu registro, deverão apresentar
profissional Fisioterapeuta, para assumir a responsabilidade técnica da
Empresa perante o órgão de fiscalização, a quem serão imputadas as
responsabilidades pelas quebras da ética social que não sanear ou
denunciar.

5.2 - Registro Profissional

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

a) Para o exercício da atividade profissional de Fisioterapeuta no país,


é exigível além da formação em curso universitário superior, o registro
do seu título no Conselho Profissional da categoria.
b) A atividade profissional só é permitida após o trâmite processual e
a concessão de Carteira de Identidade Profissional de Fisioterapeuta
(Lei nº 6.316/75).

ESPECIALIDADES RECONHECIDAS PELO COFITTO

De uma forma resumida temos as seguintes Especialidades


reconhecidas pelo COFFITO.

ESPECIALIDADE

Especialidade de Fisioterapia Neurofuncional

Acupuntura

Especialista em Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional


Alteração da nomenclatura de Especialista em Fisioterapia
Pneumofuncional em Especialista em Fisioterapia Respiratória

Especialidade Fisioterapia Esportiva

Especialidade de Fisioterapia do Trabalho


Especialista em Fisioterapia Onco-Funcional
Fisioterapeuta Dermatofuncional

Especialista em Fisioterapia na Saúde da Mulher

Fisioterapeuta Quiropráxico

Fisioterapeuta Osteopático

Fisioterapeuta Intensivista

Especialidade Profissional em Fisioterapia Aquática


Fisioterapeuta Cardiovascular

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

QUESTÕES COMENTADAS

8. (EBSERH/MEAC e HUWC-UFC/ 2014) Assinale a alternativa


INCORRETA que corresponde à atuação Fisioterapêutica.
A. A Fisioterapia é uma ciência da saúde, que estuda, previne
e trata distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em
órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por
alterações genéticas, por traumas e por
doenças adquiridas.
B. O fisioterapeuta atua na saúde coletiva como na vigilância
sanitária, ações básicas da saúde e fisioterapia do trabalho.
C. A fisioterapia clínica elabora o diagnóstico cinesiológico
funcional, prescreve, planeja, ordena, analisa,
supervisiona, medica e avalia os projetos fisioterapêuticos.
D. Em hospitais, clínicas e ambulatórios o fisioterapeuta
avalia o estado funcional do paciente, a partir da identidade
da patologia clínica Intercorrente, de exames laboratoriais
e de imagens, dentre outras.
E. Registra no prontuário do cliente, todas as prescrições e
ações nele desenvolvidas.
Gabarito: C
Comentários: Nessa alternativa o erro está o em uma palavrinha,
escondida ao longo da alternativa que faz toda diferença.
As alternativas A, B, D e E estão
corretas e todas dizem respeito à atuação
do fisioterapeuta.
Na alternativa C que cita que “a fisioterapia clínica elabora o
diagnóstico cinesiológico funcional, prescreve, planeja, ordena,

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

analisa, supervisiona, medica e avalia os projetos fisioterapêuticos”. O


erro está na palavra MÉDICA, pois é vetado qualquer tipo de
prescrição medicamentosa pelo fisioterapeuta, pelo seu código de
ética. Portanto, alternativa INCORRETA é a letra C.

9. (EBSERH/HE - UFSCAR– AOCP/ 2015) A fisioterapia é uma ciência


aplicada que tem como objeto de estudo o movimento humano em
todas as suas formas de expressão e potencialidades, tanto nas
alterações patológicas quanto nas repercussões psíquicas e orgânicas.
Sobre esta ciência, assinale a alternativa correta.
A. O curso superior de fisioterapia no Brasil pode ter duração
de 3 (três) a 5 (cinco) anos.
B. A fisioterapia no Brasil foi regulamentada como profissão
por meio do decreto-lei nº 938 de 13 de outubro de 1969.
C. A Lei federal 8856, de 1º de março de 1994, fixa a jornada
de trabalho para o fisioterapeuta de 40 horas semanais.
D. A fisioterapia atua apenas na reabilitação de doenças e
incapacidades, não exercendo contribuição para a
promoção da saúde.
E. O fisioterapeuta é o profissional da área da saúde,
habilitado à construção dos diagnósticos cinéticos
funcionais, à prescrição das condutas fisioterapêuticas, ao
acompanhamento e à evolução do quadro funcional, porém
não cabe a este profissional prescrever alta
para o tratamento fisioterapêutico.
Gabarito: B
Comentários: Vamos analisar cada alternativa separadamente:
Alternativa A, a duração mínima para o curso de fisioterapia é de
4 anos. Alternativa Errada.
Alternativa B: Correta.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

Alternativa C: a Lei federal 8.856/94 fixa a jornada de trabalho


em 30 horas e não 40 horas (Estão lembrados, não é?). Alternativa
Errada.
Alternativa D: É sabido que o fisioterapeuta atua nos três níveis
de prevenção, inclusive promoção da saúde. Portanto, questão errada.
Alternativa E: a questão inicia de forma correta, porém o erro
está colocado na afirmação que “não cabe a este profissional
prescrever alta para o tratamento fisioterapêutico “. O
fisioterapeuta tem toda autonomia na prescrição de tratamento e alta
do paciente, (Resoluções do COFFITO, Decreto 9.640/84, Lei
8.856/94). Portanto, questão errada.

10. (Prefeitura Remanso/BA – IMA/2015) Os profissionais de


Fisioterapia e Terapia Ocupacional poderão atuar, de acordo com a
área específica de cada um, EXCETO:
A. Na supervisão de profissionais e alunos em trabalhos
técnicos e práticos.
B. Na Direção de serviços em órgãos e estabelecimentos
públicos ou particulares.
C. No magistério, nas disciplinas de formação básica ou
profissional, de nível superior ou médio.
D. Na prescrição de tratamento por telefone.
E. Na realização de cursos e palestras, de acordo com sua
especialidade e conhecimentos.
Gabarito: D
Comentários: Essa é fácil, né? Por telefone? Nem precisa saber de
código de ética, ou especificações das leis e atribuições.
Alternativa errada, letra D.

11. (Fundação VUNESP - Prefeitura de São Paulo – Secretaria


Municipal de Saúde – 2014) Uma parte da definição de

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

Fisioterapia apresentada pelo Conselho Federal de Fisioterapia e


Terapia Ocupacional está presente na alternativa:
A. É um ramo do conhecimento humano que estuda e realiza
o diagnóstico funcional de pacientes, tendo conhecimento
da sua doença de base, as comorbidades e
contraindicações que o mesmo possa apresentar e
encaminhar para as terapias necessárias.
B. É uma ciência humana, de pessoas e experiências com
campo de conhecimento, fundamentação e prática de
cuidar de seres humanos, que abrange do estado de saúde
aos estados de doença, mediada por transações pessoais,
profissionais, científicas, estéticas, éticas e políticas.
C. Ciência da saúde que estuda, previne e trata os distúrbios
cinético-funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do
corpo humano, gerados por alterações genéticas, por
traumas e por doenças adquiridas.
D. É uma das áreas do conhecimento humano ligada à
prevenção, manutenção e restauração da saúde. Ela
trabalha, num sentido amplo, com a prevenção e cura das
doenças humanas.
E. É uma área do conhecimento voltada aos estudos, à
prevenção e ao tratamento de indivíduos portadores de
alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e
psicomotoras, decorrentes ou não de distúrbios genéticos,
traumáticos e/ou doenças adquiridas por meio da
sistematização e da utilização da atividade humana como
base do desenvolvimento de projetos terapêuticos
específicos.
Gabarito: C
Comentários: Segundo o COFFITO, a Fisioterapia é definida como:
“Uma ciência da saúde que estuda, previne e trata os distúrbios
cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças


adquiridas, na atenção básica, média complexidade e alta
complexidade. Fundamenta suas ações em mecanismos terapêuticos
próprios, sistematizados pelos estudos da biologia, das ciências
morfológicas, das ciências fisiológicas, das patologias, da bioquímica,
da biofísica, da biomecânica, da cinesia, da sinergia funcional, e da
cinesia patológica de órgãos e sistemas do corpo humano e as
disciplinas comportamentais e sociais.”
Este trecho está como o descrito na letra C.
Comentarios: Gislaine Holler

12. (Prefeitura Itupáciranga/PR – IMA/ 2015). Assinale a


única alternativa que apresenta uma atribuição dos Fisioterapeutas.
A. Identificar e analisar hábitos alimentares e deficiências
nutritivas nos indivíduos, bem como compor cardápios
especiais visando suprir as deficiências diagnosticadas.
B. É o profissional que ajuda a restabelecer deficiências
musculares, recupera dificuldades motoras que estejam
associadas a problemas físicos ou mentais.
C. Estudar os documentos a serem arquivados, analisando o
conteúdo e o valor dos mesmos, para decidir sobre a
maneira mais conveniente de arquivá-los.
D. Verificar a regularidade do licenciamento de atividades
comerciais, industriais, de prestação de serviços das
pessoas jurídicas e autônomas e produtor rural.
Gabarito: B
Comentários: Gente, muito básica, né? Vamos as assertivas:
Alternativa A, hábitos alimentares, não é atribuição do fisio.
Errada.
Alternativa B – correta.
Alternativa C, estudar documentos a serem arquivados????
Errado, né?

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

Alternativa D, licenciamento de atividades comerciais??? Errado


também. Portanto, alternativa B é correta.

13. (Prefeitura Itupiranga/PR – IMA/ 2015). A formação do


Fisioterapeuta tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos
requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades
específicas:
I - Atuar em todos os níveis de atenção à saúde, integrando-se
em programas de promoção, manutenção, prevenção, proteção e
recuperação da saúde, sensibilizados e comprometidos com o ser
humano, respeitando-o e valorizando-o.
II - Contribuir para a manutenção da saúde, bem estar e
qualidade de vida das pessoas, famílias e comunidade, considerando
suas circunstâncias éticas, políticas, sociais, econômicas, ambientais e
biológicas.
III - Realizar consultas, avaliações e reavaliações do paciente
colhendo dados, solicitando, executando e interpretando exames
propedêuticos e complementares que permitam elaborar um
diagnóstico cinético-funcional, para eleger e quantificar as
intervenções e condutas fisioterapêuticas apropriadas, objetivando
tratar as disfunções no campo da Fisioterapia, em toda sua extensão e
complexidade, estabelecendo prognóstico, reavaliando condutas e
decidindo pela alta fisioterapêutica.
IV - Elaborar criticamente o diagnóstico cinético funcional e a
intervenção fisioterapêutica, considerando o amplo espectro de
questões clínicas, científicas, filosóficas éticas, políticas, sociais e
culturais implicadas na atuação profissional do fisioterapeuta, sendo
capaz de intervir nas diversas áreas onde sua atuação profissional seja
necessária.
Das afirmativas acima, assinale a(s) correta(s):
A. I, II e III.
B. I e II.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

C. I, II e IV.
D. I, III e IV.
E. Todas as alternativas são corretas.
Gabarito: E
Comentários: Conceituando a Fisioterapia tendo como base a
Resolução COFFITO 80/87, a Fisioterapia:
“É uma ciência da saúde que estuda, previne e trata os
distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas
do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por
doenças adquiridas, na atenção básica, média complexidade e alta
complexidade.”
Por essa definição poderíamos afirmar que as alternativas I e II
estaria corretas. As mesmas trazem complementações, porém não
alteram o sentido da afirmação.
Quanto as demais alternativas, temos que olhar nas atribuições
do fisioterapeuta. Em suas atribuições gerais estão:
1.1.2 – Elaborar o Diagnóstico Cinesiológico Funcional,
prescrever, planejar, ordenar, analisar, supervisionar e avaliar
os projetos fisioterapêuticos, a sua eficácia, a sua
resolutividade e as condições de alta do cliente submetido a
estas práticas de saúde.
1.2.1 - Hospitais, Clínicas e Ambulatórios
Dentre algumas condutas específicas selecionei as seguintes
para ajudar na interpretação da questão.
a) Avaliar o estado funcional do cliente;
b) Elaborar o Diagnóstico Cinesiológico Funcional, planejar, organizar,
supervisionar, prescrever e avaliar os projetos terapêuticos
desenvolvidos nos clientes.
d) Solicitar exames complementares para acompanhamento da
evolução do quadro funcional do cliente;
f) Reformular o programa terapêutico sempre que necessário.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

k) Efetuar controle periódico da qualidade e da resolutividade do seu


trabalho.
Cabe ressaltar que abanca fez a junção de diversas atribuições,
novamente verdadeiras e que são complementares.
Portanto, todas as afirmativas estão corretas. Alternativa E.

14. (Prefeitura Sertaneja/PR/ UNIUV/ 2015) São reconhecidas


pelo COFFITO como especialidades da Fisioterapia, EXCETO?
A. Fisioterapia em Ginecologia;
B. Fisioterapia em Oncologia;
C. Fisioterapia em Saúde da Mulher
D. Fisioterapia em Terapia Intensiva;
E. Fisioterapia em Saúde Coletiva.
Gabarito: A
Comentários: Não temos muito o que comentar nessa questão, temos
que decorar mesmo, pois essas especialidades as vezes confundem o
estudante e devemos estar atentos. Porém, a única dessas que não é
reconhecida é a Fisioterapia em Ginecologia. Alternativa A

15. (EBSERH/ HUSM-UFSM/RS – AOCP – 2014). Assinale


a alternativa que apresenta as atribuições do fisioterapeuta no
PSF e da atenção primária.
A. Atua no diagnóstico e tratamento na área de ortopedia,
geriatria e ginecologia.
B. Educação, prevenção e assistência fisioterapêutica
coletiva e individual.
C. Atua na promoção, prevenção e na saúde da mulher.
D. Realiza reabilitação neurológica e integra e socializa o
indivíduo a suas atividades de vida diária.
E. O profissional atua na equipe multidisciplinar realizando
apenas palestras e orientações.
Gabarito: B

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

Comentários: Geralmente os editais da AOCP, não são


direcionados para Estratégia da Saúde da Família. E apesar de nas
atribuições gerais não falar especificamente de PSF (Programa de
Saúde da Família), essa questão deve ser analisada apenas dentro
do escopo das atribuições do fisioterapeuta.
Vamos analisar agora as assertivas:
A. Atua no diagnóstico e tratamento na área de ortopedia,
geriatria e ginecologia. E as demais áreas? Alternativa
errada.
B. Educação, prevenção e assistência fisioterapêutica
coletiva e individual. Alternativa correta, engloba os níveis
de atenção, faz referência a questão da educação em
saúde e ao atendimento coletivo (grupos).
C. Atua na promoção, prevenção e na saúde da mulher.
Novamente, a assertiva exclui as outras áreas de atuação
da fisioterapia. Alternativa errada
D. Realiza reabilitação neurológica e integra e socializa o
indivíduo a suas atividades de vida diária. Mesma
consideração das alterativas A e C. Assertiva errada.
E. O profissional atua na equipe multidisciplinar realizando
apenas palestras e orientações. Assertiva errada. Na
atenção primária, estudamos que o fisioterapeuta
desenvolve ações de Educação, prevenção e assistência
fisioterapêutica coletiva.
Portanto, a alternativa correta é a letra B.

POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE FUNCIONAL

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

A Política Nacional de Saúde Funcional (PNSF) está


ancorada no olhar sobre a funcionalidade e incapacidade que os
sujeitos podem sofrer em condições de risco para a saúde ou na
presença de doenças, ou mesmo, na ausência de doenças. A proposta
visa potencializar o desempenho funcional, otimizando as atividades
consideradas limitadas e evitando a restrição da participação social, do
ponto de vista do sujeito e das outras pessoas que convivem com ele.
No que tange as estruturas públicas de saúde, a política propõe
ações de cuidado nos serviços de saúde, que contemplem a
visão ampliada do ser humano e a intra e inter relação entre as
==0==

esferas de atenção e da gestão pública, subsidiada e compatível


com outras políticas já existentes.

Conceito Estruturante:

A Saúde Funcional envolve a própria condição de vida


saudável, explorada ao máximo pelas competências (motoras,
intelectuais, expressivas, relacionais e outras) das pessoas, segundo
suas características físicas ou psicológicas, relacionadas aos ciclos de
vida, gênero e das identidades sociais e culturais a que pertence e,
ainda, em função daquilo que são os seus valores pessoais e as suas
necessidades de participação.
A proposta dessa política tem como base as leis 8080/90,
8142/90 e o decreto 7508/11, que democratizam a participação de
novos atores sociais e favorecem a discussão ampliada da Constituição
Federal no campo da Saúde. No Brasil, o direito pleno à saúde foi
conquistado na publicação da Constituição Federal de 1988,
especialmente, pelo artigo 196: “A saúde é direito de todos e dever do
Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0
Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal


e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e
recuperação”. Mais que a prática assistencial, prevê ações no campo
econômico e no campo social para garantia da saúde, visto que a 4
definição de saúde também vai além da ausência de doença e está
mais próxima da plena qualidade de vida, traduzida no satisfatório
desempenho e capacidade para realização das atividades e pleno gozo
da participação social (BRASIL, 2008).
A funcionalidade humana, sofre influência direta tanto da
presença de doenças, em especial, os agravos e as crônico-
degenerativas, como da presença de fatores contextuais
negativos, ou seja, barreiras ambientais dos diferentes
gêneros, tais como, físicas, geográficas, culturais, tecnológicas,
legais, entre outras. Assim, as políticas de promoção ou intervenção
na saúde devem estar organizadas para identificar os aspectos
facilitadores e as barreiras enfrentadas pelos sujeitos visando evitar a
restrição social, mais do que criar serviços de reintegração. Para tanto,
uma política com um novo olhar sobre o ser humano, que respeite
literalmente todos os princípios e diretrizes constitucionais, se faz
necessária nesse momento crucial pelo qual o país passa.
Nesse contexto, e a partir da discussão, desse modelo linear, a
Organização Mundial da Saúde iniciou um processo de revisão da
ICIDH (International Classification of Impairments, Disabilities and
Handcaps), que apontou as principais fragilidades, tais como: a falta
de relação entre as dimensões que a compõe, a não abordagem de
aspectos sociais e ambientais, entre outras (BARRETO, 1998). Essa
classificação nunca fez parte da Família de Classificações da OMS, mas
o processo levou a publicação da CIF – Classificação Internacional
de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. Esta sim, é parte da
Família de Classificações Internacionais. O diagnóstico por meio da
utilização da CID-10 (Classificação Estatística Internacional de
Doenças e Problemas Relacionados à Saúde – Décima Revisão),

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

provê informações insuficientes sobre as consequências e


impacto da doença na funcionalidade humana.
A Organização Mundial da Saúde, com o objetivo de
ampliar a investigação sobre os aspectos de saúde, lançou em
2001, após mais de 25 anos de desenvolvimento, a CIF. Os dados
gerados pelo uso desta classificação poderão descrever o estado de
funcionalidade como componente de saúde da população, permitindo
conhecer amplamente o estado de saúde, não só a partir pelos dados
de morbi-mortalidade. Além disso, no modelo de organização de
serviços de saúde atual, em que as equipes se constituem de diferentes
profissionais (como assistentes 11 sociais, biólogos, enfermeiros,
farmacêuticos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, médicos, médicos
veterinários, nutricionistas, odontólogo, psicólogos, terapeutas
ocupacionais, entre outros), o uso de uma ferramenta em comum
poderá facilitar o acompanhamento da respectiva intervenção
profissional na população, ajudando a verificar se os resultados da
recuperação funcional estão sendo alcançados. Isto possibilita ao
serviço a reordenação e a execução das suas ações, redimensionando-
as de forma a contemplar as necessidades de seu público, dando maior
racionalidade ao uso dos recursos.
O Brasil, enquanto país membro da OMS, foi urgido a utilizar a
CIF por força da Resolução OMS 54.21/2001. Esta não contém
classificação de doenças, mas outros componentes que influenciam na
saúde, tais como: funções, estruturas, atividades, participação
social e fatores ambientais. Com o uso da CIF é possível estabelecer
padrões de funcionalidade populacional por meio de avaliações ou
acompanhamento de tratamentos individuais. A identificação de
possíveis riscos a saúde, detectada pela possibilidade de uma alta
prevalência de códigos alterados da CIF, podem indicar uma futura
incapacidade, a qual auxiliará no estabelecimento de estratégias que
contenham ou impeçam o aparecimento de alteração da funcionalidade
ou até a própria incapacidade.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

Essa visão ampliada poderá permitir ao setor saúde avaliar e


acompanhar de modo transversal e integral todos os ciclos de vida,
além de delinear o perfil de funcionalidade e incapacidade na
população, como também, em especial, prever ações futuras com base
no conceito ampliado de saúde proposto pela OMS e defendido nos
princípios e diretrizes do SUS.

A PNSF possibilitará a promoção da qualidade de vida em


todos os seus ciclos vitais, a geração de indicadores próprios e
comparáveis em todo território nacional sobre funcionalidade e
incapacidade e a diminuição dos custos do Estado com as
consequências do aumento da prevalência de doenças crônicas.

DIRETRIZES

1. Inclusão de todos os brasileiros no Sistema Nacional de


Informação em Saúde, com dados advindos da Classificação
Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF);
2. Formação acadêmica e profissional tendo como pressuposto
a funcionalidade humana. A atualização sobre funcionalidade humana
é fundamental, já que o olhar unidirecional, voltado para doença como
ponto de partida para ações de saúde, está enraizado nas estratégias,
nas políticas, na formação profissional e em algumas leis do país.
3. Educação em Saúde em todos os ciclos vitais com a finalidade
de desenvolver capacidades e de melhorar o desempenho humano,
aumentando sua produtividade e diminuindo suas restrições ao longo
da vida.
As alterações da capacidade e desempenho para realização de
atividades aparecem como resultado de um processo de perda
funcional, de uma doença ou de barreiras contextuais que justificam a

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

educação em saúde voltada à funcionalidade humana por meio de


ações de promoção e prevenção visando criar um ambiente facilitador
e saudável, essencial para a qualidade de vida.

OBJETIVOS

Os objetivos que se prentende alcançar com a PNSF, são os


seguintes:
a) Ampliar e tornar visível e eficiente o cuidado com a saúde
funcional dos indivíduos no âmbito de suas capacidades cognitivas,
motoras, intelectuais, compreensivas e expressivas, inter-relacionais,
ocupacionais e sociais;
b) Valorizar a funcionalidade como processo de atenção à saúde
dos indivíduos e coletividades, independentemente da existência de
doenças;
c) Articular ações e ampliar a integração entre as esferas
governamentais, a fim de conferir eficiência, visibilidade e
resolubilidade às ações preventivas e terapêuticas;
d) Propiciar o monitoramento do impacto das ações realizadas
em contexto ampliado de saúde considerando a influência dos fatores
pessoais e ambientais;
e) Fornecer indicadores que determinem alocação de recursos
físicos, materiais e financeiros, assim como o redimensionamento de
profissionais e trabalhadores da saúde às instâncias de gestão e
gerenciamento envolvidas;
f) Tornar visível a qualidade dos processos das atividades
profissionais de saúde e integrar as respectivas ações.
Os princípios, as diretrizes e os objetivos aqui definidos implicam
o desenvolvimento de um amplo conjunto de ações, que requerem o
compartilhamento de responsabilidades com outros setores. Nesse
sentido, os gestores do SUS deverão estabelecer, em suas respectivas
áreas de abrangência, processos de articulação permanente, visando o

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

estabelecimento de parcerias e a integração institucional que


viabilizem a consolidação de compromissos multilaterais efetivos.
É necessário buscar, igualmente, a participação de diferentes
segmentos da sociedade, que estejam direta ou indiretamente
relacionadas com a presente política. No âmbito federal, o Ministério
da Saúde deverá articular com os diversos setores do Poder Executivo
em suas respectivas competências, de modo a alcançar os objetivos
também nas áreas de Educação, Previdência Social,Trabalho e
Emprego e Desenvolvimento Urbano .
A Política Nacional de Saúde Funcional preconiza, em essência, a
atividade multiprofissional e interdisciplinar. Para que a atenção a
saúde possa ser realizada em todo o ciclo de vida em bases
interprofissionais, tendo como escopo a saúde funcional, é
fundamental que se estimule a formação de profissionais treinados,
mediante educação permanente, a abertura de disciplinas nas
universidades, de residências multiprofissionais, e de linhas de
financiamento e pesquisas.
Medidas de intervenção visando a saúde funcional devem tornar-
se prioridade do sistema de saúde, dentro de uma perspectiva de
reestruturação programática realmente sintonizada com a saúde e o
bem-estar da população. O objetivo principal do sistema deve ser
a manutenção e promoção da saúde, possibilitando a
participação de cada cidadão na comunidade, gozando ao
máximo sua independência e autonomia.

QUESTÕES COMENTADAS

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

16. (Prefeitura de Camalaú/PB – ÁPICE – 2015). Segundo


a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e
Saúde- CIF, assinale a alternativa correta:
A. Nas classificações internacionais da OMS, os estados de
saúde (doenças, lesões, etc.) são classificados
principalmente na CID-10 (Classificação Internacional de
Doenças). A funcionalidade e incapacidade associados aos
estados de saúde são classificados na CIF. Portanto, a CID-
10 e a CIF não são complementares.
B. O objetivo geral da CIF é proporcionar uma linguagem
unificada e padronizada assim como uma estrutura de
trabalho para a descrição da saúde e de estados
relacionados com a saúde.
C. Entre os objetivos específicos está: “não permitir a
comparação de dados entre países, entre disciplinas
relacionadas com os cuidados de saúde...”.
D. A aplicação da CIF será somente “como ferramenta social,
no planejamento de sistemas de segurança social..., e
como ferramenta pedagógica, na elaboração de programas
educacionais...”.
E. A CIF se refere unicamente a pessoas com incapacidades.
GABARITO: B
COMENTÁRIOS: Vamos analisar as assertivas:
A. Nas classificações internacionais da OMS, os estados de
saúde (doenças, lesões, etc.) são classificados
principalmente na CID-10 (Classificação Internacional de
Doenças). A funcionalidade e incapacidade associados aos
estados de saúde são classificados na CIF. Portanto, a CID-
10 e a CIF não são complementares. No decorrer da frase
já conseguimos identificar que essas duas classificações
SÃO COMPLEMENTARES. Logo, a alternativa está errada.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

B. O objetivo geral da CIF é proporcionar uma linguagem


unificada e padronizada assim como uma estrutura de
trabalho para a descrição da saúde e de estados
relacionados com a saúde. Assertiva correta, esse é um
dos principais objetivos da CIF.
C. Entre os objetivos específicos está: “não permitir a
comparação de dados entre países, entre disciplinas
relacionadas com os cuidados de saúde...”. Justamente o
contrário, a criação da CIF possibilitará a geração de
indicadores próprios e comparáveis em todo
território nacional e internacional sobre
funcionalidade e incapacidade. Assertiva errada.
A aplicação da CIF será somente “como ferramenta social, no
planejamento de sistemas de segurança social..., e como ferramenta
pedagógica, na elaboração de programas educacionais...”. SEMPRE
PRESTEM ATENÇÃO NAS PALAVRAS SOMENTE, APENAS,
EXCLUSIVAMENTE, geralmente são “pegadinhas das bancas”.
Estudamos que os É necessário buscar, igualmente, a participação de
diferentes segmentos da sociedade, que estejam direta ou
indiretamente relacionadas com a presente política. No âmbito federal,
o Ministério da Saúde deverá articular com os diversos setores do Poder
Executivo em suas respectivas competências, de modo a alcançar os
objetivos também na Educação, Previdência Social, Seguridade e
Emprego, dentre outros. Logo, assertiva errada.
D. A CIF se refere unicamente a pessoas com incapacidades.
Errada não é pessoal? A própria definição a descreve como
classificação de FUNCIONALIDADE.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

QUESTÕES SEM COMENTÁRIOS

1. (EBSERH/HU-UFGD/ AOCP/ 2014) A Lei número 8.856, de


1° de março de 1994, estabeleceu que a jornada de trabalho do
Fisioterapeuta é de, no máximo,
A. 20 horas semanais.
B. 30 horas semanais.
C. 40 horas semanais.
D. 48 horas semanais.
E. 50 horas semanais.

2. (Prefeitura Bonito de Santa Fé/PB – CONAPASS/ 2015) - “É


uma ciência da saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinéticos
funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano,
gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças
adquiridas, na atenção básica, média complexidade e alta
complexidade”. A profissão a qual se refere o texto foi regulamentada
através da(o):
A. Lei 6.316/75
B. Decreto Lei 938/69
C. Lei 8.856/94
D. Decreto 9.640/84
E. Resolução COFFITO 10

3. (Prefeitura Jaguariaíva/PR - UNIUV/ 2015) Sobre o Decreto Lei


n. 938, de 13 de outubro de 1969, que provê sobre as profissões de
Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional, julgue os itens como
verdadeiros (V) ou falsos (F) e depois assinale a alternativa correta:
I. ( ) O profissional Fisioterapeuta pode, no seu campo de
atividade específica, dirigir serviços em órgãos e
estabelecimentos públicos ou particulares;

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

II. ( ) O Fisioterapeuta pode, no seu campo de atividade específica,


supervisionar profissionais e alunos em trabalhos técnicos e práticos;
III. ( ) Ao fisioterapeuta é proibido, no seu campo de atividade
específica, exercer o magistério nas disciplinas de formação básica ou
profissional, de nível superior.
A. V, V, V;
B. F, F, F;
C. V, F, V;
D. F, V, F;
E. V, V, F.

4. (Prefeitura Teixeira/PB – CONPASS-2015) - O Decreto Lei 938/69


relata em seu artigo 3° que:
A. Os fisioterapeutas são “auxiliares médicos que
desempenham tarefas de caráter terapêutico sob a
orientação e responsabilidade do médico”.
B. “Fica aprovado o Código de Ética Profissional de
Fisioterapia e Terapia Ocupacional”.
C. “O fisioterapeuta é profissional competente para buscar
todas as informações que julgar necessárias no
acompanhamento evolutivo do tratamento do paciente sob
sua responsabilidade...”.
D. “É atividade privativa do fisioterapeuta executar métodos
e técnicas fisioterápicas com a finalidade de restaurar,
desenvolver e conservar a capacidade física do paciente”.
E. O referido Decreto Lei cria o Conselho Federal e os
Conselhos Regionais de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

5. (Alternative Concursos – Prefeitura de Nova Itaberaba/SC


– 2015) A Lei 8.856, de 1º de março de 1994, decreta que:

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

A. Os profissionais Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional


ficarão sujeitos à prestação máxima de 30 horas semanais
de trabalho.
B. O fisioterapeuta e o terapeuta ocupacional, diplomados por
escolas e cursos reconhecidos, são profissionais de nível
superior.
C. É atividade privativa do fisioterapeuta executar métodos e
técnicas fisioterápicos com a finalidade de restaurar,
desenvolver e conservar a capacidade física do paciente.
D. Cabe aos profissionais de fisioterapia e terapia
ocupacional, no campo de atividades específica de cada
um, dirigir serviços em órgãos e estabelecimentos públicos
ou particulares, ou assessorá-los tecnicamente.
E. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e
recuperação da saúde, a organização e o funcionamento
dos serviços correspondentes e dá outras providências.

6. (CESPE - SESA/ES – 2013) A Lei nº 6.316/1975, considerada


de grande importância para a consolidação da profissão de
fisioterapeuta, se refere à
A. Assistência domiciliar fisioterapêutica.
B. Fixação da jornada de trabalho do fisioterapeuta.
C. Regulamentação dos órgãos de fiscalização.
D. Distinção da profissão de fisioterapeuta e terapeuta
ocupacional.
E. criação dos conselhos federais e regionais de fisioterapia.

7. (FADESP - Prefeitura São Domingos do Araguaia/PA – 2015)


Na legislação que rege a atuação profissional do fisioterapeuta, tem-
se a fixação da jornada de trabalho de 30 horas máximas semanais.
A lei que regulamenta essa jornada de trabalho é a
A. Lei no 938, de 13 de outubro de 1969.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

B. Lei no 6.316, de 17 de dezembro de 1975.


C. Lei no 8.856, de 01 de março de 1994.
D. Lei no 90.640, de 10 de dezembro de 1984.

8. (EBSERH/MEAC e HUWC-UFC/ 2014) Assinale a alternativa


INCORRETA que corresponde à atuação Fisioterapêutica.
A. A Fisioterapia é uma ciência da saúde, que estuda, previne
e trata distúrbios cinéticos funcionais intercorrentes em
órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por
alterações genéticas, por traumas e por
doenças adquiridas.
B. O fisioterapeuta atua na saúde coletiva como na vigilância
sanitária, ações básicas da saúde e fisioterapia do trabalho.
C. A fisioterapia clínica elabora o diagnóstico cinesiológico
funcional, prescreve, planeja, ordena, analisa,
supervisiona, medica e avalia os projetos fisioterapêuticos.
D. Em hospitais, clínicas e ambulatórios o fisioterapeuta
avalia o estado funcional do paciente, a partir da identidade
da patologia clínica Intercorrente, de exames laboratoriais
e de imagens, dentre outras.
E. Registra no prontuário do cliente, todas as prescrições e
ações nele desenvolvidas.

9. (EBSERH/HE - UFSCAR– AOCP/ 2015) A fisioterapia é uma ciência


aplicada que tem como objeto de estudo o movimento humano em
todas as suas formas de expressão e potencialidades, tanto nas
alterações patológicas quanto nas repercussões psíquicas e orgânicas.
Sobre esta ciência, assinale a alternativa correta.
A. O curso superior de fisioterapia no Brasil pode ter duração
de 3 (três) a 5 (cinco) anos.
B. A fisioterapia no Brasil foi regulamentada como profissão
por meio do decreto-lei nº 938 de 13 de outubro de 1969.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

C. A Lei federal 8856, de 1º de março de 1994, fixa a jornada


de trabalho para o fisioterapeuta de 40 horas semanais.
D. A fisioterapia atua apenas na reabilitação de doenças e
incapacidades, não exercendo contribuição para a
promoção da saúde.
E. O fisioterapeuta é o profissional da área da saúde,
habilitado à construção dos diagnósticos cinéticos
funcionais, à prescrição das condutas fisioterapêuticas, ao
acompanhamento e à evolução do quadro funcional, porém
não cabe a este profissional prescrever alta
para o tratamento fisioterapêutico.

10. (Prefeitura Remanso/BA – IMA/2015) Os profissionais de


Fisioterapia e Terapia Ocupacional poderão atuar, de acordo com a
área específica de cada um, EXCETO:
A. Na supervisão de profissionais e alunos em trabalhos
técnicos e práticos.
B. Na Direção de serviços em órgãos e estabelecimentos
públicos ou particulares.
C. No magistério, nas disciplinas de formação básica ou
profissional, de nível superior ou médio.
D. Na prescrição de tratamento por telefone.
E. Na realização de cursos e palestras, de acordo com sua
especialidade e conhecimentos.

11. (Fundação VUNESP - Prefeitura de São Paulo – Secretaria


Municipal de Saúde – 2014) Uma parte da definição de
Fisioterapia apresentada pelo Conselho Federal de Fisioterapia e
Terapia Ocupacional está presente na alternativa:
A. É um ramo do conhecimento humano que estuda e realiza
o diagnóstico funcional de pacientes, tendo conhecimento
da sua doença de base, as comorbidades e

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

contraindicações que o mesmo possa apresentar e


encaminhar para as terapias necessárias.
B. É uma ciência humana, de pessoas e experiências com
campo de conhecimento, fundamentação e prática de
cuidar de seres humanos, que abrange do estado de saúde
aos estados de doença, mediada por transações pessoais,
profissionais, científicas, estéticas, éticas e políticas.
C. Ciência da saúde que estuda, previne e trata os distúrbios
cinético-funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do
corpo humano, gerados por alterações genéticas, por
traumas e por doenças adquiridas.
D. É uma das áreas do conhecimento humano ligada à
prevenção, manutenção e restauração da saúde. Ela
trabalha, num sentido amplo, com a prevenção e cura das
doenças humanas.
E. É uma área do conhecimento voltada aos estudos, à
prevenção e ao tratamento de indivíduos portadores de
alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e
psicomotoras, decorrentes ou não de distúrbios genéticos,
traumáticos e/ou doenças adquiridas por meio da
sistematização e da utilização da atividade humana como
base do desenvolvimento de projetos terapêuticos
específicos.

12. (Prefeitura Itupáciranga/PR – IMA/ 2015). Assinale a


única alternativa que apresenta uma atribuição dos Fisioterapeutas.
A. Identificar e analisar hábitos alimentares e deficiências
nutritivas nos indivíduos, bem como compor cardápios
especiais visando suprir as deficiências diagnosticadas.
B. É o profissional que ajuda a restabelecer deficiências
musculares, recupera dificuldades motoras que estejam
associadas a problemas físicos ou mentais.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

C. Estudar os documentos a serem arquivados, analisando o


conteúdo e o valor dos mesmos, para decidir sobre a
maneira mais conveniente de arquivá-los.
D. Verificar a regularidade do licenciamento de atividades
comerciais, industriais, de prestação de serviços das
pessoas jurídicas e autônomas e produtor rural.

13. (Prefeitura Itupiranga/PR – IMA/ 2015). A formação do


Fisioterapeuta tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos
requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades
específicas:
I - Atuar em todos os níveis de atenção à saúde, integrando-se
em programas de promoção, manutenção, prevenção, proteção e
recuperação da saúde, sensibilizados e comprometidos com o ser
humano, respeitando-o e valorizando-o.
II - Contribuir para a manutenção da saúde, bem estar e
qualidade de vida das pessoas, famílias e comunidade, considerando
suas circunstâncias éticas, políticas, sociais, econômicas, ambientais e
biológicas.
III - Realizar consultas, avaliações e reavaliações do paciente
colhendo dados, solicitando, executando e interpretando exames
propedêuticos e complementares que permitam elaborar um
diagnóstico cinético-funcional, para eleger e quantificar as
intervenções e condutas fisioterapêuticas apropriadas, objetivando
tratar as disfunções no campo da Fisioterapia, em toda sua extensão e
complexidade, estabelecendo prognóstico, reavaliando condutas e
decidindo pela alta fisioterapêutica.
IV - Elaborar criticamente o diagnóstico cinético funcional e a
intervenção fisioterapêutica, considerando o amplo espectro de
questões clínicas, científicas, filosóficas éticas, políticas, sociais e
culturais implicadas na atuação profissional do fisioterapeuta, sendo

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

capaz de intervir nas diversas áreas onde sua atuação profissional seja
necessária.
Das afirmativas acima, assinale a(s) correta(s):
A. I, II e III.
B. I e II.
C. I, II e IV.
D. I, III e IV.
E. Todas as alternativas são corretas.

14. (Prefeitura Sertaneja/PR/ UNIUV/ 2015) São reconhecidas


pelo COFFITO como especialidades da Fisioterapia, EXCETO?
A. Fisioterapia em Ginecologia;
B. Fisioterapia em Oncologia;
C. Fisioterapia em Saúde da Mulher
D. Fisioterapia em Terapia Intensiva;
E. Fisioterapia em Saúde Coletiva.

15. (EBSERH/ HUSM-UFSM/RS – AOCP – 2014). Assinale


a alternativa que apresenta as atribuições do fisioterapeuta no
PSF e da atenção primária.
A. Atua no diagnóstico e tratamento na área de ortopedia,
geriatria e ginecologia.
B. Educação, prevenção e assistência fisioterapêutica
coletiva e individual.
C. Atua na promoção, prevenção e na saúde da mulher.
D. Realiza reabilitação neurológica e integra e socializa o
indivíduo a suas atividades de vida diária.
E. O profissional atua na equipe multidisciplinar realizando
apenas palestras e orientações.

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

16. (Prefeitura de Camalaú/PB – ÁPICE – 2015). Segundo


a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e
Saúde- CIF, assinale a alternativa correta:
A. Nas classificações internacionais da OMS, os estados de
saúde (doenças, lesões, etc.) são classificados
principalmente na CID-10 (Classificação Internacional de
Doenças). A funcionalidade e incapacidade associados aos
estados de saúde são classificados na CIF. Portanto, a CID-
10 e a CIF não são complementares.
B. O objetivo geral da CIF é proporcionar uma linguagem
unificada e padronizada assim como uma estrutura de
trabalho para a descrição da saúde e de estados
relacionados com a saúde.
C. Entre os objetivos específicos está: “não permitir a
comparação de dados entre países, entre disciplinas
relacionadas com os cuidados de saúde...”.
D. A aplicação da CIF será somente “como ferramenta social,
no planejamento de sistemas de segurança social..., e
como ferramenta pedagógica, na elaboração de programas
educacionais...”.
E. A CIF se refere unicamente a pessoas com incapacidades.

1 B 5 A 9 B 13 E

2 B 6 E 10 D 14 A

3 E 7 C 11 C 15 B

4 D 8 C 12 B 16 B

00000000000 - DEMO
Recursos Terapêuticos
Fundamentos da Fisioterapia
0 Prof. Michelline Rodriguez Aula 00

REFERÊNCIAS

BOTOMÉ, S. P.; REBELATTO, J. R. Fisioterapia no Brasil:


fundamentos para uma ação preventiva e perspectivas profissionais.
2. ed. São Paulo: Manole,1999.
BRASIL. Decreto Lei nº 938, de 13 outubro, 1969. Dispõe sobre as
profissões de fisioterapeuta e terapeuta ocupacional. Disponível
em: http://www.crefito2.com.br/index1.htm.

________ Constituição (1988). Emenda Constitucional nº 34, de 13


de dezembro de 2001. Dá nova redação à alínea c do inciso XVI do
art. 37 da Constituição Federal. Diário Oficial da União, 14. Dez,
2001.

________ Decreto 9.640, de 19 de dezembro de 1984. Inclui


categoria funcional Fisioterapeuta no grupo Outras Atividades de
Nível Superior da Lei 5.645/70. Diário Oficial da União, 1984.

_______ Lei n. 6.316, de 17 de dezembro de 1975. Cria o Conselho


Federal e os Conselhos Regionais de Fisioterapia e Terapia
Ocupacional e dá outras providências. Diário Oficial da União,
1975.

________ Lei nº 8.856, de 1º de março de 1994. Fixa a Jornada de


Trabalho dos Profissionais Fisioterapeuta e Terapeuta Ocupacional.
Diário Oficial da União, 2 Mar, 1994.

COFFITO. Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.


Definição e Objetivos da Fisioterapia. 2010. Disponível em
<http//:www.coffito.org.br>. Acesso em 15 Set. 2015.

COFFITO. Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.


Resoluções. Disponível em:
<http://www.coffito.org.br/site/index.php/resolucoes/2014-04-14-
21-04-54.html>. Acesso em: 13 de Set. 2015.

NOVAES, R. Pequeno histórico do surgimento da Fisioterapia no


Brasil. Texto utilizado no curso de graduação em Fisioterapia, da
UNISANTA, pela disciplina História da Fisioterapia e Ética, em 1998.

00000000000 - DEMO