You are on page 1of 24

A força da mulher que ora

"O que confia no seu próprio coração é insensato, mas o que anda em sabedoria,
será salvo." Provérbios 28.26

Para a mulher que ora, além do sacrifício de conciliar o tempo, ela também precisa
manter o seu coração puro. Adquirindo conhecimento através da Palavra de Deus, se
fortalecendo espiritualmente, para que assim suas orações tenham bons resultados.

É importante, que antes de você começar a orar pelo próximo, examine seu estado de
espírito, se sente algum ressentimento, mágoa, raiva ou tristeza. Pois o pecado nos
afasta de Deus, e somente quando entregamos esses sentimentos ao Senhor Jesus com
plena sinceridade, então podemos receber o poder que vêm dos céus: O milagre da
transformação, da cura e da libertação. Deus trabalha primeiro em nosso interior, pois a
mudança começa em nós, o coração precisa ser estruturado, moldado e reconstruído,
antes que Deus comece a transformação naquilo que realmente desejamos.

É necessário que se veja as coisas com os olhos de Deus e não com os olhos da carne, é
impossível entregar-se à oração sem olhar dentro de si, Deus vê coisas que não
percebemos e Ele sabe exatamente onde precisamos melhorar, não necessita vasculhar
muito para descobrir em nós atitudes e hábitos que o desagrade.

Doloroso? Com certeza! Admitir os erros nem sempre é algo fácil, especialmente para
você que está convencido de que todo mundo precisa de mais mudanças do que você
mesmo.

Saiba que este é o caminho de uma vida feliz, não desperdice sua chance,suas
conquistas e vitórias estão em suas mãos. Então está disposta a morrer para si mesma e
dizer: Transforma-me Senhor Jesus?

scolha seus pensamentos com cuidado


Você tem uma escolha quanto ao que vai ou não vai aceitar em sua mente. Você pode
escolher levar cada pensamento cativo e ter em você "o mesmo sentimento que houve
também em Cristo Jesus" (Fl 2:5), ou pode permitir que o diabo alimente você com
mentiras e manipule sua vida.
Todo pecado começa com um pensamento na mente. "Porque de dentro, do coração dos
homens, é que procedem os maus desígnios, a prostituição, os furtos, os homicídios, os
adultérios, a avareza, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a
loucura" (Mc 7:21,22). Se você não assumir o controle de sua mente, o diabo
assumirá.É por isso que você deve ser diligente em monitorar o que permite que entre
em sua mente. A que programas de TV você assiste? Que revistas e livros lê? Que
músicas, programas de rádio ou CDs ouve? Eles enchem sua mente de pensamentos
retos e alimentam seu espírito para que você se sinta enriquecida, esclarecida, em paz e
abençoada ou eles a desgastam, fazendo-a sentir-se vazia, confusa, ansiosa ou temerosa?
"Porque Deus não é de confusão, e sim de paz" (1 Co 14:33). Quando enchemos nossa
mente da Palavra de Deus e de bons livros e revistas escritos por pessoas nas quais o
Espírito de Deus habita e ouvimos músicas que o louvam e glorificam, não deixamos
espaço para a propaganda do inimigo.
Se você quer determinar se seus pensamentos são do inimigo ou do Senhor, pergunte a
si mesma: "Eu escolheria ter esses pensamentos?" Se a resposta for negativa, então
provavelmente são do inimigo.
Em vez de se martirizar por ter pensamentos impuros, diga ao inimigo que saia de sua
cabeça, pois você não vai permitir que sua alma seja depósito para o lixo dele. Diga-lhe
que você tem "a mente de Cristo" e que não dará ouvidos a qualquer coisa que não
esteja de acordo com ela (1 Co 2:16). A recusa a alimentar a iniqüidade em seus
pensamentos é parte do processo de resistir ao diabo. Quantas pessoas não conhecemos
que deveriam ter feito isso e não fizeram? Você não precisa conviver com a confusão ou
opressão mental. Você não precisa mais andar "como também andam os gentios, na
vaidade dos seus próprios pensamentos, obscurecidos de entendimento, alheios à vida
de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração" (Ef
4:17,18). Em vez disso, você pode ter clareza e conhecimento. Mesmo que seu inimigo
tente convencê-la de que seu futuro é tão desalentador quanto o dele ou de que você é
um fracasso sem nenhum propósito, valor, dons ou capacidades, Deus diz exatamente o
contrário. Creia em Deus e não dê ouvidos a mais nada.

Fonte: Livro “O Poder da Mulher que Ora”

Em busca da beleza eterna

Uma modelo de sucesso fala sobre as armadilhas de se construir a vida baseada na


aparência física ao invés de na beleza interior.
Estar nas capas das maiores revistas de moda da Europa não
era mais um sonho para mim, mas realidade. Eu mal podia acreditar! Tudo o que eu
sempre quis foi estar nas revistas, ganhar muito dinheiro e viajar por todo o mundo. As
lutas para conseguir pagar as contas tinham finalmente terminado. Agora eu podia
fazer a minha vida em Paris, minha nova casa, e usufruir a minha fama e fortuna.
Afinal de contas, não é isso o que importa na vida?
Por Laura Krauss Calenberg
Foco na Aparência Física
Quando comecei minha carreira com a Christian Dior em Paris aos 19 anos, minha
ideia de beleza era o que os outros achavam de mim. Se as pessoas me aprovavam e
chamavam para trabalhar como modelo, então eu concluía que devia ser mesmo
bonita. Minha lógica era que se eu fosse bem sucedida e estivesse trabalhando, então
eu devia ser bonita. Eu estava colocando minha auto-estima nas mãos dos outros e no
que eles achavam de mim.
Uma outra forma como eu determinava beleza era por associação. Eu trabalho com
algumas das mulheres mais bonitas do mundo. Uma vez que elas eram minhas amigas e
parceiras, então eu pensava, com certeza eu sou tão bonita quanto elas.
Eu também me assegurava através dos homens que atraía. Já que vários homens
bonitos, inteligentes e de sucesso me procuravam, eu pensava que era bonita. Eu era
popular e tinha muitos amigos também. À medida que meu sucesso crescia e as pessoas
me reconheciam, era muito fácil ser convidada para todos os tipos de festas e ir para
onde eu queria. Então, eu devo ser bonita, pois tenho todos esses amigos e posso ir a
todos esses lugares.
Como resultado, eu me tornei uma pessoa egoísta, uma egocêntrica vivendo uma vida
ainda mais egocêntrica. A maioria do meu tempo era usada ao meu favor e preocupada
comigo mesma. "Mim", "eu" e "eu mesma" eram as minhas palavras favoritas. Minha
vida girava em torno do meu peso, meu cabelo, minhas roupas,
em toda a minha aparência e atratividade.
Uma vez estava trabalhando como modelo por dois meses no
Japão. Todos os dias, pessoas eram designadas para fazerem
coisas para mim, até mesmo amarrar meus sapatos. Enquanto
eu me vestia, tinha alguém para segurar meu vestido e meu
casaco. Tínhamos três pessoas para fazer o trabalho de uma.
Tudo isso alimentava meu ego e meu sentimento de auto
importância.
As Armadilhas da Aparência Física
Eu também me tornei viciada em trabalho. Eu trabalhava sete
dias por semana porque sabia que nada era garantido - eu
podia ficar sem trabalho no dia seguinte. Minha aparência poderia se ir a qualquer
momento, então eu tinha que aceitar todo trabalho que aparecia. Eu trabalhava na
Alemanha durante o dia, no final da tarde voava para Paris,trabalhava e voltava para
a Alemanha na manhã seguinte.
O resultado foi que eu fiquei exausta e doente. Um dia desmaiei no meio de uma sessão
de fotos e machuquei meu joelho. Fiquei de cama pela primeira vez em minha carreira.
Não poder trabalhar foi a experiência mais amedrontadora que eu tive, porque mesmo
que tenha sido só por duas semanas, isso significava que eu perderia 14 desfiles. Eu
estava arrasada.
Mas um dia, enquanto eu estava acamada e incapacitada de trabalhar, comecei a
refletir na minha vida e a questionar meus valores e ideias sobre beleza e que tipo de
pessoa eu tinha me tornado por dentro.
Eu percebi que minha visão sobre beleza era inadequada. Eu sabia, por exemplo que
minha aparência iria mudar. Minhas capas e "folhas rasgadas" (minhas fotos que eu
rasgava das revistas) ficavam fora de moda muito rápido. Eu tinha trabalhado tão duro
para ter aquelas fotos nas revistas e a minha agência queria tira-las do meu portifólio
em seis meses porque tudo já estava fora de moda.
Eu também descobri que ganhar muito dinheiro ainda jovem era muito bom, mas que a
responsabilidade de administra-lo era esmagadora. Isso também me fez questionar
porque as pessoas realmente eram atraídas para mim. Se eu tivesse uma aparência
diferente, ou tivesse menos dinheiro, meu namorado ainda me amaria por quem eu
sou?
Todas essas perguntas e dúvidas me assolaram quando eu ainda estava no auge da
minha carreira. Percebi a superficialidade de tudo e comecei a me sentir muito vazia.
Mesmo depois de conquistar tudo o que eu queria, algo estava faltando. Todo o sucesso
e atenção que recebi não preencheram o vazio que eu sentia lá no fundo.
O que tinha acontecido? Onde estavam as minhas prioridades? Para quem ou pelo quê
eu estava vivendo?
A Insegurança da Aparência Física
Foi então que me ocorreu que eu estava construindo minha vida em coisas que não
eram seguras. Ela estava sendo construída no que a cultura pensava, ou no que meu
namorado pensava, ou quanto dinheiro eu ganhava, ou em quão popular eu era. Eu
entendi que estava construindo minha vida na areia.
Então refleti no passado, quando uma vez em Indiana, estado onde cresci, um evento
significativo aconteceu. Uma colega de sala me convidou para um evento de música na
igreja dela. Eu aceitei porque tinha muitos rapazes no grupo e a igreja era grande, por
isso achei que seria divertido.
Mas eu achava que não havia necessidade de Deus em minha vida. Qual era a
vantagem? Meus pais estavam no meio de um divórcio. A fé deles não os estava
ajudando.
Entretanto, enquanto estava no evento, além da música, eu ouvi uma mensagem que me
tocou. No final, os músicos nos disseram que tinham uma notícia boa para nos contar.
Eu pensei que eles iam falar sobre o primeiro disco deles ou algo assim. Me enganei. A
notícia era que Deus nos ama.
Eles falaram sobre um relacionamento com Deus através de Jesus Cristo, descreveram
como Deus me amava incondicionalmente e que por causa disso ele mandou seu Filho
único para morrer na cruz por meus pecados. Eu não tinha problema nenhum em
admitir que tinha feito coisas erradas na vida e que não tinha conseguido ser o que
Deus queria que eu fosse. Os músicos explicaram que eu não tinha que merecer o favor
de Deus. Eu podia simplesmente receber o presente de amor e perdão de Deus através
de Jesus.
Aquela noite eu fiz uma pequena oração pedindo a Cristo para me perdoar e me
mudar. Eu disse a Ele que viveria para Ele e O serviria com minha vida. Eu O convidei
para entrar em minha vida e começar um relacionamento comigo.
Então lá estava eu em Paris anos depois, refletindo naquele evento especial, pensando
em como eu tinha chegado a tal ponto em minha vida onde ela tinha perdido seu
verdadeiro significado. Eu vi que tinha negligenciado meu relacionamento com Deus e
escolhido minha própria direção. Não era surpresa nenhuma que estivesse me sentindo
tão vazia! Então pedi a Deus que me perdoasse por viver para mim mesma e para a
aprovação dos outros. E eu disse a ele: "Por favor mude-me e mostre-me o que é a
verdadeira beleza."
A primeira coisa que Deus me mostrou foi o perigo da vaidade. Eu tinha lutado com
isso por muito tempo. Na América, 20 bilhões de dólares são gastos anualmente em
cosméticos; 300 milhões em cirurgia plástica;33 bilhões em produtos dietéticos. Isso
ilustra quanto tempo e dinheiro nós gastamos com nossa aparência. Vaidade não é
beleza. Relacionado com isso estava o meu hábito de comparar a minha aparência com
de outras mulheres. Inveja foi uma outra coisa em que tive que trabalhar. Eu tive que
aprender a estar segura em quem e o que sou e como Deus me fez, sabendo que ele me
ama não importa como eu pareça ou o como eu aja.
Insegurança não é beleza. Ela dificulta termos e sermos amigos e coloca muita
expectativa nos elogios dos outros para lhe fazer sentir-se bem.
Definição de Beleza - Beleza Verdadeira
O que é beleza? Não é aparência física. É o que é encontrado
seu interior,o que está no seu coração. Humildade é beleza,
apesar de não ser algo popular na minha profissão. Segurança e
auto-estima são belezas. E conhecer a Deus pessoalmente traz
beleza, porque saber que ele o ama e o aceita traz segurança e
auto-estima. E deixará você livre para se aceitar e se amar com
as suas fraquezas e falhas.
Sem o perdão de Cristo, nosso pecado nos torna feios por
dentro. Não temos paz. E todas as soluções de "disfarce" que o
mundo oferece não podem mudar nada. Deus pode ver esses
pecados e outros também verão. Só Cristo pode nos fazer
bonitos aos olhos de Deus. A verdadeira beleza interior começa
com Deus no centro de nossas vidas e cresce para fora.
Eu posso dizer que Cristo transformou minha vida, e nunca vou
me arrepender da decisão de segui-lo. Porque não pedir que
Cristo entre em sua vida? Jesus disse, "Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a
minha voz e abrir a porta entrarei..." (Apocalipse 3:20).
Você pode receber a Cristo agora mesmo em oração. Deus conhece o seu coração e
está mais interessado na atitude do seu coração do que nas suas palavras. A seguir,
você irá ler uma oração semelhante a oração que eu fiz, que talvez expresse o desejo
do teu coração...
"Jesus, eu preciso do Senhor. Obrigado por ter morrido na cruz por mim. Abro a porta
da minha vida e O recebo como meu Salvador e Senhor. Obrigado por perdoar os meus
pecados e me dar a vida eterna. Tome conta da minha vida e faça de mim a pessoa que
deseja que eu seja."
Se esta oração, expressa o desejo do seu coração, você pode dizer estas palavras para
Deus agora mesmo e Ele entrará na sua vida, como prometeu.
Laura Calenberg é uma modelo de moda de New York. Já viajou a 22 países em
seu trabalho como modelo e apareceu nas capas de várias revistas, incluindo Marie
Claire, Cosmopolitan e Brio. Ela é casada com Jeff Calenberg, que também é um
modelo profissional, e tem dois filhos.
Fonte: Sua escolha

A mulher sábia
A mulher cristã tem vários papéis a
desempenhar na sociedade, na igreja e principalmente no lar, onde ela tem um
ministério específico. Ela pode edificar, e construir, aliás, foi para isto que o Senhor a
criou. Contudo, se não for sábia, pode vir a destruí-lo, com suas próprias mãos.

Porque tamanha responsabilidade para nós mulheres? Quando Deus criou o homem,
disse: “Não é bom que o homem viva sozinho. Vou fazer alguém que o ajude como se
fosse a sua outra metade.” (Gn 2:18). Formou então Deus a primeira família, onde
colocou a mulher como peça fundamental para esta formação e deixou em suas mãos a
responsabilidade de ser o rochedo, o ponto de equilíbrio, a orientadora, a ajudadora
junto ao marido, mais o privilégio único de ser mãe.

Todas as mulheres sabem da importância que a nossa mãe teve em nossa vida. Foi ela
que passou a maior parte do tempo conosco.

Obviamente todas nós queremos ser bem sucedidas na vida como esposa, mãe, dona de
casa, etc.
Talvez você esteja refletindo e avaliando sua vida e chega a conclusão que não tem tido
muito sucesso na vida e se pergunta: o que está acontecendo? Será que é falta de
sabedoria? O que fazer? Deus quer restaurar a sua vida, família e casamento. Em Tiago
1:5 está escrito: “E, se alguém de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos
dá liberalmente.”

Vejo que o primeiro passo seria ter uma vida de total compromisso com Deus, querer
ser segundo o coração de Deus.

Em Lc 10:38 podemos perceber claramente em Maria o compromisso profundo, um


desejo enorme de ouvir e de estar na presença do Senhor.

Compromisso com Deus gera santificação. E é isto que Deus espera de nós: “Sede
santos, porque eu sou santo” (1 Pe 1:16).

E o segundo passo seria pedir sabedoria a Deus.

Por quê pedir sabedoria não é o primeiro passo? A questão é que se nós não tivermos
compromisso com Deus, nós podemos até pedir, Deus pode até nos dar, mas nós não
vamos saber usá-la e de nada vai adiantar, pois nos falta compromisso com Deus,
controle do Espírito Santo e falta do senhorio de Cristo na vida.

Portanto, para termos os nossos lares edificados, precisamos ser sábias. E para obtermos
esta sabedoria, faz-se necessário uma vida de compromisso total com Deus.
Lembre-se sempre, mulher, que o seu lar precisa de você e que Deus lhe fez para
construir, edificar, ajudar e orientar. Deus lhe fez para ser coluna no lar, inabalável!

Fonte: (Canal Mulher)


http://www.clickfamilia.org.br/

Ser bela

“A força e a dignidade são os seus vestidos, e, quanto ao dia de amanhã não tem
preocupações.” Pv 31.25

Toda mulher de alguma forma se preocupa com sua aparência, nem podemos contar as
vezes que olhamos no espelho antes de sairmos de casa, o cuidado com os cabelos,
roupas e sapatos novos, jóias, bijuterias, dietas, enfim, tudo para ficar mais bonita e
agradável aos olhos dos outros. Tudo isso é bom e demonstra o quanto você tem
procurado se valorizar como mulher. Será que é o bastante? Você também está cuidando
da sua beleza interior?

O segredo de ser bela está relacionado a sua vida espiritual, ao permitir que a morada de
Deus seja o seu coração. Existem muitas mulheres consideradas lindas e perfeitas, que
por dentro estão completamente vazias, sem graça e sem a presença de Deus. Formosura
que torna a mulher forte, mesmo nas dificuldades e problemas, ela sabe continuar sua
vida sem abalos profundos, estresse ou depressão.
Deus fez tudo belo, aprimore também a beleza que Deus criou em você Mulher.

LIMPEZA INTERIOR - "Do coração procedem as fontes da vida". Pv 4.20-27.

BATOM PARA OS LÁBIOS- Enfeitar os lábios com palavras de louvor, de conforto,


que levante os abatidos e glorifiquem ao nosso Rei(Sal 19.14).

MAQUIAGEM- "O coração alegre aformoseia o rosto..." (Pv 15.13)

BRILHO - "Para ser bela, pare um minuto diante do espelho, cinco minutos diante da
sua alma e quinze minutos diante de Deus".
CREME PARA AS MÃOS - Mãos adornadas com o serviço ao próximo. Mãos que
trabalham, mãos que constroem.

PÉS SUAVES -(Pv 4.26-27) Pés que andam por caminhos direitos (Is 52.7). Pés
formosos que levam boas notícias, as boas novas da salvação. Que você amiga tenha a
oportunidade de viver a beleza do Senhor Jesus em todo o seu esplendor.

Esperança para a família

Marcela não pôde conter as lágrimas. Parecia não existir explicação para o fato de que
seu casamento se transformara em cinzas. Mãe de três filhos, profissional bem-
sucedida, respeitada entre seus colegas e vizinhos,...
...ela sempre acreditou que as diferenças com seu esposo não passavam de algumas
palavras ásperas e descontentamentos passageiros. De repente, seu mundo veio abaixo.

Carlos, o esposo, achava que precisava de tempo para “pensar”. Um de seus filhos
passou a andar com maus companheiros e os outros não iam bem no colégio. Por causa
desses problemas, ele decidiu abandonar o lar. “Como cheguei a esta situação?” ele
perguntava.

As relações familiares, atualmente, estão sob fortes pressões e conflitos. Essa crise que
afeta os pais repercute e se amplia nos filhos, que estão sob fogo cruzado. A violência
infantil, o uso de drogas e a rebeldia dos adolescentes são algumas das conseqüências.
Quando as relações familiares entram em crise, todo o indivíduo é afetado. Torna-se
difícil agir racionalmente. Os sentimentos se descontrolam, causando angústia, medo,
ira e depressão. Talvez as cenas descritas acima não lhe sejam estranhas e retratem parte
da dor que você está sofrendo.

A família é o único espaço que pode nos dar segurança. Quando, porém, essas relações
fracassam, o resultado é dor, sofrimento e tristeza. As feridas abertas na família podem
sangrar por toda a vida.

Em meio a um panorama tão escuro e desalentador, como é possível encontrar a chave


da felicidade na família? Existe esperança para as crises familiares?
Angustiada, Marcela atendeu ao conselho de uma amiga e buscou força e auxílio em
Deus. Começou a freqüentar uma igreja próxima de sua casa e pediu ao esposo que lhe
perdoasse. Ele voltou para casa e logo toda a família passou a ir à igreja. “Deus salvou
minha família e me transformou. Agora, até o relacionamento com meus filhos mudou”,
disse Marcela.
A Bíblia menciona que Deus não somente Se preocupa com cada pessoa
individualmente, mas também com nossa vida familiar. Por isso, na criação, Ele
estabeleceu uma instituição importante: a família (Gênesis 2:23, 24). A família é o
núcleo básico da sociedade, o o lugar em que devemos nos sentir amados e felizes.

AVALIE SUA FAMÍLIA


1. Como está a comunicação entre os membros de minha família?
2. Eu e meu cônjuge nos entendemos quanto à educação de nossos filhos?
3. Quais são nossos pontos fortes?
4. Em que aspectos precisamos melhorar?
5. Sabemos perdoar um ao outro?

Deus conhece muito bem aquilo de que necessitamos para sermos felizes. “Eu sou o
Senhor, o seu Deus, que lhe ensina o que é melhor para você, que o dirige no caminho
em que você deve ir” (Isaías 48:17). Apesar de nossos erros, Ele nos ama
continuamente, desejando sempre o melhor para nossa família. “Eu [o] amei com amor
eterno; com amor leal [o] atraí” (Jeremias 31:3).

Deus jamais Se afasta de nós. Devemos buscá-Lo com todas as nossas forças. “Vocês
Me procurarão e Me acharão quando Me procurarem de todo o coração”, afirma o
Senhor (Jeremias 29:13).

Depois de um estudo realizado com milhares de casais, os pesquisadores descobriram


que os casamentos em que os cônjuges oram a Deus e dedicam tempo para ler a Bíblia
juntos, têm 90 a 95% de possibilidade de sobreviver.

Entretanto, a maior esperança para você e sua família se encontra no breve retorno de
Jesus a este mundo e na Nova Terra que Ele prometeu, onde “estaremos com o Senhor
para sempre” (1 Tessalonicenses 4:17). Ali será realizada a grande reunião da família de
Deus, e todos os seus membros viverão para sempre em completa harmonia.

36 coisas que você deveria dizer ao seu cônjuge

Casamento feliz é um porto seguro onde podemos


relaxar e nos recuperar das tensões do dia-a-dia. Para isso precisamos ouvir coisas
positivas de nosso companheiro ou companheira.
Eis as sugestões:

1. Tenha um lindo dia meu amor!


2. Você é maravilhoso(a)!
3. O que você fez foi muito bom.
4. Você está deslumbrante hoje.
5. Eu não me completo sem você.
6. Você é muito importante na minha vida.
7. Estou feliz por ter-me casado com você.
8. Você é o (a) meu (minha) melhor amigo(a).
9. Se tivesse de começar tudo de novo, eu me casaria com você.
10. Como quis ter você ao meu lado hoje!
11. Senti sua falta hoje.
12. Não consegui parar de pensar em você hoje.
13. É bom acordar a seu lado.
14. Você sempre será o meu amor.
15. Adoro ver o brilho em seus olhos quando você sorri.
16. Você está lindo (a) hoje.
17. Eu confio em você.
18. Eu sempre posso contar com você.
19. Você faz com que eu me sinta bem.
20. Estou muito orgulhoso(a) por ter-me casado com você.
21. Sinto muito.
22. O erro foi meu.
23. Do que você gosta?
24. Em que você está pensando?
25. Quero ouvir com atenção.
26. Você é muito especial.
27. Não posso imaginar viver sem você.
28. Eu gostaria de ser um(a) companheiro(a) melhor.
29. O que posso fazer para ajudar você?
30. Ore por mim.
31. Estou orando por você.
32. Eu aprecio cada momento que passamos juntos.
33. Obrigado(a) por me amar.
34. Obrigado(a) por me aceitar.
35. Obrigado(a) por ser meu (minha) companheiro(a).
36. Você torna meus dias mais brilhantes.

Agora só precisamos colocar em prática!

Simplesmente mulher!

Ela é a mãe perfeita


A esposa modelo
A mulher dona de casa
A maior cozinheira
A filha mais prestativa

A trabalhadora mais eficiente


A amiga mais útil.
Ela é maravilhosa em equilibrar o lar e a carreira
Com um sorriso constante
E um temperamento tranqüilo.
Ela é tudo para todo mundo.
Mas quem é ela?

A mulher.

Este poema de Natasha Josefowitz está no livro "A Síndrome da Supermulher'", de


Marjorie H. Shaevitz. Se você ler Provérbios 31, também vai pensar na supermulher,
assim como pensou a autora do poema acima. Mas, será que essa existe de fato?
Acredito que não. Somos simplesmente mulher. Com nossa humanidade, limitações,
defeitos, temperamentos, mas com virtudes, alvos, vontade de crescer, capacidade de
assumir responsabilidades etc. Umas, de mais fácil convivência, outras, mais
complicadas; mas todas, simplesmente mulher. Deus nos fez assim.
Gosto de pensar que a mulher conheceu a Deus antes de ser apresentada ao homem. Foi
Deus quem fez o papel de apresentador para os novos conhecidos. Isso significa que a
nossa relação com o Criador é direta. Não há intermediários. É possível que, enquanto
Adão ainda estivesse dormindo e Deus tivesse completado sua obra, criando a mulher,
eles tenham conversado um bom tempo, antes das devidas apresentações. Já pensou na
oportunidade única de Eva conversar com o Criador sozinha, sem interrupções, sem
depender de ninguém e ser ouvida? Ela recebeu todas as instruções, mas, infelizmente,
não levou tudo a sério.
Hoje, da mesma forma, nós, mulheres do terceiro milênio (e todas do século passado...)
temos a mesma chance do bate-papo com o Criador. Temos também as instruções de
procedimento de vida, que estão em sua Palavra. É só segui-las.
Mas, conhecer as instruções não basta. É preciso assumir o compromisso de sermos
mulheres segundo o coração de Deus e de fazermos diferença na sociedade em que
vivemos.
Para isso, é bom voltar os olhos para o texto de Romanos 12.2: “E não vos conformeis
com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que
experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.
O que é renovar a mente? Vejamos o versículo ao inverso: a vontade de Deus é sempre
boa, perfeita e agradável, e você há de convir comigo que isso não se discute. No
entanto, ela só acontece sob essa ótica quando a nossa mente é renovada - o que nos dá
condições de transformar o meio em que vivemos, em vez de tomar a sua forma e agir
exatamente como ele.
Primeiro, a mulher cristã renova a sua mente quando derruba mitos. Mito da mulher,
mãe, profissional, cristã ou esposa perfeita. Não existe essa figura, embora
reconheçamos mentalmente essa verdade e nos portemos como se assim fôssemos. Há
mulheres que não admitem errar. Seus filhos são os melhores, seu marido também. Em
sua profissão ninguém se destaca mais do que ela, e assim por diante. Quando percebem
que não podem ser perfeitas em todos os setores da vida, entram em pânico, se frustram
e desanimam. Há expectativa e cobrança sobre a mulher cristã e, quando esta não é
suprida, vem o julgamento. Porém, quando a mente é renovada, isto é, a mulher dá
espaço interno para a ação de Deus por seu Espírito, ela passa a ter condições de
reconhecer seu potencial e sua limitação, harmonizando essa tensão interna.
Segundo, renova-se a mente entendendo a realidade de hoje. A expressão “no meu
tempo...”, muito usada por pais e odiada por adolescentes, não tem lugar em nossos
dias. O mundo de hoje é outro. Você abriria mão de um forno microondas para voltar ao
forno à lenha? Se sim, como? Morando em apartamentos cada vez menores? Ou em
casas sem quintal?
O grande perigo desta leitura da realidade é de se conformar (tomar a forma), em vez de
transformar (ir além da forma). A mulher cristã tem adotado um comportamento cada
vez mais semelhante ao da não cristã, ao ponto de não haver diferença. Onde está o seu
compromisso com Deus de ser sal e luz nesta sociedade cada vez mais secularizada?
Terceiro, a mulher cristã renova a sua mente buscando a fonte da vida — Deus. Nada
melhor do que beber água direto de uma fonte limpa. Água pura, sem química,
simplesmente água. Se é Deus quem nos fez, Ele sabe como funcionamos e nos respeita
como mulheres. Quando buscamos a Deus para que a nossa mente não fique petrificada
com conceitos e comportamentos que não condizem com o padrão divino, a vitória é
certa. Não se feche à ação de Deus. Ele sabe o que é melhor para nós e como nos tratar.
Deus deseja ser acessível a cada uma de nós, mulheres, de modo que também sejamos
acessíveis aos outros. Carregada em seus braços, caminhe certa de que Ele
continuamente renovará a sua mente, de forma que o seu compromisso se torne cada
vez mais evidente pela bênção que você será para o próximo, sendo...

Fonte: Click família

Eles precisam ser paparicados sim!


Independente de como seja cada marido, uma coisa
todos têm em comum: amam ser paparicados por suas esposas. Não há nada mais
maravilhoso para um homem, quando chega cansado do trabalho, do que encontrar a
casa organizada e limpa, um clima de tranqüilidade no ar, a comidinha preferida dele e
uma esposa cheirosíssima e tremendamente charmosa.

Parece cena de cinema? Pois saiba que não é. Existem mulheres que sentem um prazer
imenso em conquistar os seus maridos todos os dias. É claro que a rotina nem sempre
permite um ritual de tarefas exemplarmente coordenadas. Mas uma coisa é certa: uma
mulher sábia tem a faca, o queijo e o marido na mão!

Existem alguns passos primordiais na vida de toda esposa que deseja ter um casamento
feliz. Uma coisa importante que precisa ser esclarecida, logo de cara, é que ninguém
muda ninguém. Somente Deus agindo através do Espírito Santo tem esse poder.

Um homem só é convencido de que uma mulher o ama de verdade, quando ela resolve
aceitá-lo do jeito que ele realmente é. Um marido que se sente tolhido, sem liberdade de
fazer o que quer em sua própria casa, certamente vai procurar um outro ambiente, onde
tenha mais liberdade.

Cobranças exaustivas como, por exemplo, em relação a roupas espalhadas, sapatos fora
do lugar, pia suja, entre outras coisas, acabam gerando um clima de estresse bastante
desagradável. A idéia é olhar para as qualidades ao invés dos defeitos. Isso faz o amor
dele crescer e, aos poucos, mais cedo ou mais tarde, ele vai se adaptando às rotinas da
casa.

Para as esposas que casaram amando os seus maridos e hoje acham que o amor acabou,
aí vai um recado de Deus: o amor nunca acaba, só está adormecido. Prova disso são os
inúmeros casos de cônjuges que já não acreditavam mais em seus relacionamentos e
tiveram sua vida conjugal totalmente restaurada. Amar também é um ato decisivo. Se
alguém decide amar, certamente terá colheita de seu plantio.

Aceitar o cônjuge como ele é às vezes pode não parecer o mais certo a fazer, mas é
justamente através dessa atitude da esposa que Deus começa a moldar esse marido para
ela. É importante esclarecer que tolerância não é aceitação. Um marido necessita da
aceitação de sua esposa. Ele jamais confiará nela se for alvo constante de crítica. Um
homem dentro de um casamento precisa se sentir importante, amado e aceito.

Homens têm necessidades diferentes de mulheres dentro de um matrimônio. Enquanto a


esposa possui uma necessidade enorme de ser amada, o homem, além disso, precisa ser
admirado. Experimente, em vez de dizer que o ama, dizer que o admira profundamente
como homem!

A Bíblia ensina a amar (Tit 2:4) e reverenciar (Efé 5:33) o marido, ainda que os amigos
e parentes o elogiem. Pois é ouvindo a admiração da boca da esposa que ele se sente
especial.
Fonte: Arca Universal-Canal mulher

Seja uma linda mulher

A beleza é um dos triunfos da mulher. Querer ser bela é inerente à feminilidade. Nestes
dias em que a mulher anda reinando não apenas no lar, mas se projeta no cenário
público,é bom que esteja apta para reinar com toda a sua pujança.

A Rainha Ester foi a mulher que impressionou pela sua beleza, não apenas ao rei, mas
ao guarda das mulheres e a todos que a cercavam (Ester 2). A beleza de Ester não era
superficial e nos fala de muito preparo. Foram doze meses de embelezamento.
Deus tudo fez tudo belo e admirou-se de Sua criação. Aprimoremos também a beleza
que Deus criou.

Eis aqui um infalível tratamento de beleza:

LIMPEZA INTERIOR
Do coração procedem as fontes da vida (Pv 4.20-27).

Dele é necessário retirar todas as manchas, cicatrizes de amargura, frustrações, toda a


sujeira que esteja poluindo a alma. Jesus adverte que o mal vem de dentro (Mc 7.14-23)
e Jeremias fala dos enganos do coração (Jr 17.9), por isso faz-se necessário permitir um
trabalho profundo do Espírito Santo para a remoção de tudo que possa comprometer a
beleza do caráter do Cristão. O Salmo 139.23-24 nos conduz à confissão e
quebrantamento pela ação do espírito.

ELIXIR DE REJUVENESCIMENTO
A mente exerce um grande poder sobre nós. Somos, realmente, aquilo que pensamos -
belas ou feias, novas ou velhas. Paulo fala em transformação pela renovação da mente
(Rm 12.2). Faz mais efeito que as operações plásticas que concertam ou pioram apenas
o que é exterior. Encher a mente de pensamentos positivos (Fp 4.8) e preenchê-la com a
Palavra de Deus (Cl 3.15). Aí se encontra o verdadeiro segredo da força da juventude.

ÓLEO PARA A CABEÇA


O óleo da união derramado sobre a cabeça de Arão (Sl 133) que nos leva a amar as
pessoas, aceitá-las como são. Óleo que lubrifica os relacionamentos, fluindo como
ingredientes para uma convivência saudável. Também o óleo da unção do Espírito que
ungindo a cabeça, faz transbordar o coração (Sl 23.5).

BATOM PARA OS LÁBIOS


É o louvor. Salmo 34.1 nos recomenda a usá-lo constantemente. Evitemos palavras
ferinas, negativas ou hábitos da murmuração. Enfeitar os lábios com palavras de louvor,
de conforto, que levante os abatidos e glorifiquem ao nosso Rei (Sal 19.14).

MAQUIAGEM
Não há processo mais eficaz para embelezar a face do que a alegria. "O coração alegre
aformoseia o rosto..." ( Pv 15.13 ).

BRILHO
O tempo que passamos com Deus dá brilho a vida. Que o diga Moisés (Ex 34.29). "Para
ser bela pára um minuto diante do espelho, cinco minutos diante da sua alma e quinze
minutos diante de deus" - Michel Quoist.

CREME PARA AS MÃOS


(Ec 9.10 e Pv 31.20) Mãos adornadas com o serviço ao próximo. Mãos que trabalham,
mãos que constroem, mãos que ajudam, mãos que sustentam os debilitados.

CALÇADOS PARA OS PÉS


(Pv 4.26-27) - Pés que andam por caminhos direitos ( Is 52.7 ) - Pés formosos que
levam boas notícias, as boas novas da salvação.

TRAJE
Alta costura do Atelier do senhor - (1Pe 3.3-4) apresenta o traje do espírito manso e
suave. E é a única fórmula bíblica para conquistar o esposo para Cristo.

PERFUME
Mais precioso que o "Chanel 5 ", pois é da "grife" do Senhor - ( ( 2 Co 2.14-15 ) - O
perfume de Cristo. É um pouco diferente das famosas essências francesas cujos frascos
precisam ser bem lacrados para não exalar o aroma; neste, o "vaso de alabastro" ( a
nossa casca grossa) tem que ser quebrado para perfumar o ambiente.

ETIQUETA SOCIAL
Aulas de etiqueta social não podem faltar ao tratamento de beleza, pois completam o
trabalho realizado. Define-se apenas numa palavra AMOR. Sem ele nada tem valor. E
com ele é possível nos apresentarmos com nobreza em qualquer ambiente. ( 1 Co 13.5 )
" O amor comporta-se bem e não busca vantagens próprias".

Que Deus lhe proporcione oportunidades para viver a beleza de Cristo em todo o seu
esplendor. Desenvolva toda sua potencialidade de MULHER CRISTÃ atuando em sua
Igreja em um dos ministérios existentes, em seu lar, enfim em todo tempo que a Luz de
Jesus brilhe através de você.

Não somos apenas Mulheres...


Somos um vaso de formosa construção, portadoras de uma mistura de ingredientes
altamente selecionados, acrescentados na medida certa, em doses exatas e
contraditórias ao mesmo tempo, mas que, juntas, fazem uma mescla perfeita e
homogênea.
Apenas um Grande Artista poderia ter criado uma composição tão ousada e peculiar
onde se encontram autoridade e meiguice, coragem e fragilidade, sorrisos e lágrimas,
racionalidade e aconchego.
Deus foi o realizador de toda essa complexidade de elementos delicados e fortes,
cuidadosamente dosados, que nos formaram e nos faz ser amiga, auxiliadora, mãe e
esposa.
Na Bíblia lemos o relato de várias mulheres que foram usadas e direcionadas a um
caminho de bençãos, porque permitiram que Deus cumprisse seus propósitos nelas e
por meio delas. Isso tornou possível que elas mudassem o curso da história e fossem
canais de benção e amor do Criador.
Hoje em dia, temos muitas Marias, Anas, Déboras, Evas; mulheres que aprenderam a
caminhar e viver na dependência diária de Deus. Nascemos para ser uma dessas
mulheres; alguém que pode trazer mudanças significativas e valiosas ao buscar uma
vida de santidade, obediencia e temor àquele que nos formou assim, com tantas
qualidades e virtudes especias.
Nós nascemos para fazer parte do plano da salvação elaborado por Deus para
resgatar, com amor, todos que estiverem ao nosso alcance. Nascemos para criar
impacto sobre a sociedade. Que sejamos um canal de bênção onde Deus nos colocar!
Li essa mensagem numa agenda que comprei para escrever minhas anotações. A todo
momento Deus fala conosco e nos mostra o quanto somos importantes para ele.

A sabedoria de Deus na nossa vida


Para toda e qualquer situação da nossa vida, precisamos ter sabedoria ou agir com
sabedoria. Seja uma palavra, uma resposta, um julgamento, uma ação, uma escolha;
precisamos tomar pelo menos uma decisão por segundo; decidir o que pensar ou não,
dizer ou não, perguntar ou esquecer, praticar ou esperar, comprar ou não, sentar,
levantar...para tudo isso precisamos de sabedoria.
E o que é sabedoria?
É a habilidade para viver,
é o uso correto do conhecimento,
é saber o que fazer,
é a capacidade de ver com discernimento,
é a capacidade de ver a vida como Deus a concebe,
é a capacidade dada por Deus para ver a vida com objetividade e manejar a vida com
estabilidade.
Salomão poderia pedir o que quisesse a Deus (1 Reis 3:5) mas ele fez o que precisamos
aprender a fazer, ele se dirigiu humildemente a Deus em oração e pediu sabedoria.
Qual é a mulher que não quer ser conhecida por ser uma mulher sábia? E qual é a
mulher(ou homem) que não precisa de sabedoria? (...e como eu preciso!)
Para tal precisamos desejar a sabedoria, orar pedindo sabedoria, pois quando
aprendermos a orar para adquirir sabedoria e conhecimento teremos tudo o que é
necessário para um bom casamento, uma família feliz, dinheiro para pagar as contas...
está tudo ligado à sabedoria, basta que nós peçamos a Deus (Tg 1:5).
Devemos procurar a sabedoria. Para achar pedras preciosas, ouro e prata, um mineiro ou
garimpeiro precisa empregar um grande esforço, suor, sangue e lágrimas, porque tal
tesouro não está exposto para que qualquer um
passe e veja. Eles estão enterrados, escondidos,
esperando para serem descobertos. Assim é com a
sabedoria, temos que procura-la, como quem busca
a prata e ouro. E onde encontra-la? Na Bíblia, a
Palavra de Deus (Prov.2:6) a fonte de toda
sabedoria.

7 segredos para um casamento feliz

1º-Honestidade
Todos os bons casamentos exigem honestidade e
discrição de ambos. Tanto esposo como esposa deverão empenhar-se em sempre falar a
verdade um ao outro (Efésios 4:25; Colossenses 3:9). Bons casamentos dependem da
confiança e uma mentira descoberta destrói essa confiança. A esposa que descobre que
seu esposo mentiu para ela em um assunto imaginará que ele no futuro estará mentindo
também sobre outros assuntos . . . mesmo que ele esteja falando a verdade.
Infelizmente, aqueles que praticam o engano com freqüência acreditam arrogantemente
que são muito inteligentes para "serem apanhados". O mentiroso pode freqüentemente
cobrir seu engano por algum tempo, mas as mentiras costumam ser descobertas. A
esposa que esconde informação de seu esposo está também praticando o engano, uma
forma de desonestidade. A suspeita que resulta quando o engano é descoberto ameaça a
bela intimidade possível num casamento.

2º-Discrição
Quando duas pessoas vivem juntas ainda que por curto período de tempo, elas podem
aprender algumas coisas nada lisonjeiras sobre um e outro. Num bom casamento, o
esposo não falará destas faltas de sua esposa com outros. Ele protegerá a reputação dela
à vista dos outros, enquanto trabalhará para ajudá-la a melhorar nessas áreas. De modo
semelhante, a esposa não discutirá as fraquezas de seu esposo com outras pessoas. A
prática de tal discrição encorajará maior intimidade na comunicação dentro do
casamento. Cada parceiro sentir-se-á bem partilhando com o outro os pensamentos mais
particulares porque ele ou ela sabe que estes pensamentos não serão revelados a outros.

3º-Fidelidade Sexual
Poucas coisas destroem um casamento mais depressa do que a infidelidade sexual. Num
bom casamento, cada parceiro tem não somente de se abster de atos abertos de impureza
sexual, mas não deve dar ao outro causa para suspeita. O esposo precisa evitar que seus
olhos se fixem na direção de outras mulheres e a esposa tem que ser cuidadosa para que
seu comportamento a respeito de outros homens seja puro (Mateus 5:27-28).

4º-Respeito
O resumo feito por Paulo das responsabilidades do esposo e da esposa em Efésios 5:33
revela que a submissão da esposa envolve respeito ao seu esposo. Do mesmo modo, o
esposo não deverá tratar sua esposa como inferior a ele porque ela voluntariamente
aceitou uma posição de submissão (1 Pedro 3:7). Em vez disso, ele deverá tratá-la com
dignidade e consideração. Ele não deve diminuí-la nem tratá-la com aspereza ou
amargura simplesmente porque Deus lhe deu autoridade na família (Colossenses 3:19).

5º-Altruísmo
O egoísmo está na base de um número incrível de dificuldades matrimoniais. É
extremamente difícil viver com alguém que sempre pensa só em si mesmo. Cuidar de
uma criança é trabalho duro porque ela não tem consideração com as necessidades e
desejos dos outros. Suas necessidades precisam ser satisfeitas imediatamente ou ela fará
com que seus pais saibam de sua infelicidade por meio de gritos estridentes! Como
adultos, já deveremos ter ultrapassado tal egoísmo, mas infelizmente alguns esposos
agem bem dessa mesma maneira. Se as coisas não são feitas como lhes serve, eles ficam
trombudos ou têm ataques de cólera, muito parecidos com os das crianças que não
sabem de nada melhor. A mulher virtuosa de Provérbios 31 sacrificava-se, trabalhando
para prover a sua casa (Provérbios 31:10-31). Cada cônjuge [amadurecido] deverá estar
querendo pôr as necessidades e desejos do outro antes do seu próprio, se necessário
(Filipenses 2:4; 1 Coríntios 13:5), e os que são infantis não deveriam casar-se!
6º-Paciência
A paciência é o lubrificante que evita que o casamento se aqueça demais quando os
problemas provocam atrito entre os parceiros. Uma falta de paciência, na maioria das
vezes, resulta em decisões insensatas ou irritação. Tiago deu bom conselho quando
escreveu "Todo homem, pois, seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se
irar. Porque a ira do homem não produz a justiça de Deus" (Tiago 1:19-20). A paciência
é aquela qualidade que permite a uma pessoa suportar com calma serenidade uma
situação que não é ideal ou desejável (longanimidade; Gálatas 5:22; Efésios 4:2;
Colossenses 3:12). A impaciência é quase sempre uma forma de egoísmo na qual nos
tornamos furiosos porque as coisas não estão acontecendo do modo que queremos que
aconteçam. Haverá muitas ocasiões durante um casamento nas quais as coisas não serão
ideais!

7º-Humildade
Algumas pessoas não querem admitir nenhuma falha. É inevitável que um cônjuge
peque (erre) contra o outro. A humildade é a qualidade que permite-nos reconhecer
nossa própria falibilidade, admitir nossas faltas e pedir perdão àqueles que tivermos
maltratado. A pressuposição de que sempre sabemos o que é melhor ou que nunca
cometemos nenhum erro é uma forma de arrogância. Tal arrogância é oposta ao amor (1
Coríntios 13:4). Num bom casamento, ambos os parceiros servirão um ao outro fazendo
muitos pequenos favores. A arrogância não permite a "atitude servil" (João 13:1-15). A
humildade também ajuda a perdoar os outros que pecam contra nós, porque nos lembra
que nós mesmos somos falíveis e freqüentemente necessitamos ser perdoados (Efésios
4:31-32; Colossenses 3:13). No decorrer de um casamento, haverá muitas oportunidades
para perdoar seu cônjuge! Ofensas não perdoadas tendem a ser como feridas não
curadas, inflamadas; elas afetam severamente a saúde da relação.
Quando alguém está procurando um bom companheiro ou simplesmente tentando
melhorar uma relação conjugal existente, estes princípios ajudarão a assegurar um
casamento bem sucedido. De fato, muitos desses traços característicos que promovem
um casamento bem sucedido podem ser aplicados praticamente em qualquer relação
humana para torná-la melhor!

Deus pode restaurar um casamento perdido?

O casamento não é um objeto a ser aceito ou uma idéia a ser admirada, é uma instituição
designada por Deus para satisfazer certas necessidades humanas criadas. É uma
provisão de Deus, dada para abençoar e satisfazer as necessidades de suas criaturas.

Mas, como podemos explicar a tragédia vivente, respirando, que a maioria dos
casamentos tem se tornado em nosso mundo atual?

Há milhões de casais unidos no mundo de hoje que estão cheios de mágoa, raiva e
desespero, e que não vêem solução além dos tribunais de divórcio.

E você, acredita que Deus pode restaurar um casamento perdido?

ntimidade do casal

Publicação do Bp. Macêdo sob vida intima e sexualidade em seu blog


Temos recebido vários e-mails de maridos
desapontados com suas respectivas esposas. Segundo eles, quando elas eram incrédulas,
eram muito mais mulheres do que depois de convertidas. Parece que o novo nascimento
as fez “apagar” sexualmente.

Há até quem reclame que o ato conjugal não tem ocorrido com mais frequência como
antigamente. Tenho certeza de que o diabo está adorando esta situação, pois nada é mais
nocivo ao casamento do que os desencontros num leito imaculado.

Por experiência própria posso afirmar que o futuro de um casamento feliz está na cama.
O casal pode ser cheio do Espírito Santo, mas se não tiver uma vida sexualmente ativa,
dificilmente serão fiéis um ao outro.

O ato conjugal dentro do casamento é como o alimento cotidiano do corpo físico. E não
adianta ninguém querer contrariar essa natureza humana porque o apetite sexual é como
o apetite alimentar; ambos fazem parte do corpo humano que Deus mesmo criou. Claro,
existem certas exceções, como o caso dos eunucos. Mas, em regra geral, não há como
omitir ou fingir que não se tem.

Eu sei que no meio evangélico há uma tremenda hipocrisia quanto a esse assunto.
Muitos colegas de outras denominações têm considerado o ato conjugal como algo
carnal e até demoníaco, como se o sexo tivesse sido criado mesmo no inferno. E essa
ignorância tem sido divulgada entre os convertidos, a tal ponto que muitos estão
deixando de lado suas obrigações para com seus respectivos maridos e respectivas
esposas.

Se o ato conjugal é uma carnalidade ou coisa demoníaca, então minha mulher e eu


somos carnais e carecemos de libertação. Além do mais, posso confessar que quanto
mais nos relacionamos sexualmente mais ficamos agarrados e dependentes um do outro.

A verdade é que a falta do uso da fé aliada à inteligência tem feito a maioria dos cristãos
verdadeiros fracassados a partir da sua própria vida familiar.

Ainda outro dia alguém me escreveu, dizendo: “Sou casado há 23 anos, gosto da minha
esposa e me sinto muito bem com ela em todos os momentos. Ela me é sexualmente
muito atraente e não sinto repulsa ou falta de desejo por ela. Porém, confesso que minha
vida sexual deixa muito a desejar. Enquanto sinto necessidade de 2 a 3 relacionamentos
semanais, minha esposa se dá por satisfeita uma vez por mês. Se a solicito acima disso,
ela, após uma tonelada de desculpas que já conhecemos, até me atende, mas com total
desinteresse. Minha esposa é uma obreira abençoada, cheia de virtudes, que só mesmo
uma pessoa muito de Deus possui… Ela acha que sexo é coisa ruim e suja perante Deus.
Isso tem tornado nosso relacionamento um verdadeiro desastre, pois eu estou sempre
insatisfeito e não consigo esconder… Isso me causa um transtorno muito grande, pois,
conforme aprendemos, não devemos sentir saudades das coisas passadas, quando
éramos do mundo, mas eu sinto muita saudade (muita mesmo) da nossa vida sexual
antes da nossa conversão, além de estar sempre insatisfeito, o que me leva, muitas
vezes, a desejar outras mulheres, mesmo sabendo que isto não é correto.”

Fico pensando no que essa obreira deve orientar quando uma esposa chega para ela e
conta a mesma situação em relação ao seu marido. Ela quer, mas ele não.

O apóstolo Paulo orienta claramente a esse respeito, quando diz:

“O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa,


ao seu marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e
também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a
mulher. Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum
tempo, para vos aplicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que satanás
não vos tente por causa da incontinência.” (1 Coríntios 7:3-5)

O Senhor, através de Salomão, ensina o seguinte com respeito ao ato conjugal entre
marido e mulher:

Depois de exortar o filho a obedecer Sua Palavra e adverti-lo contra a mulher adúltera,
Ele diz:

“Bebe a água da tua própria cisterna e das correntes do teu poço. Derramar-se-iam
por fora as tuas fontes, e, pelas praças, os ribeiros de águas? Sejam para ti somente e
não para os estranhos contigo. Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher
da tua mocidade, corça de amores e gazela graciosa.

Saciem-te os seus seios em todo o tempo; e embriaga-te sempre com as suas carícias.
Por que, filho meu, andarias cego pela estranha e abraçarias o peito de outra?”
(Provérbios 5:15-20)

Note que a água aqui simboliza o ato conjugal; a cisterna e correntes do poço, a esposa.
“Sejam para ti somente e não para os estranhos contigo” significa dizer que se ele não
der atenção para ela, outro dará!

“Seja bendito o teu manancial…Saciem-te os seus seios…embriaga-te sempre com as

suas carícias.” São termos profundamente fortes na expressão do ato sexual entre os
casados.

Chama muita atenção o ato de “embriagar” de amor. E o que você, meu caro
evangélico, tem a dizer disso? E você, obreira desalmada, o que tem a dizer dessas
palavras da Bíblia?

Será que o seu leito vai continuar dividido para dar chance ao diabo de tentar seu
marido?

Saiba que se ele cair em tentação, você será conivente.

Deus abra os olhos de todos. Em o Nome do Senhor Jesus, amém!


Deus abençoe abundantemente.

Bispo Edir Macedo

Rotina no casamento

Uma das definições para rotina, de acordo


com o Dicionário Houaiss, é "hábito de fazer algo sempre do mesmo modo,
mecanicamente; rotineira". Por essa definição podemos perceber como é nociva para o
casamento a rotina. Anos, décadas "fazendo algo sempre do mesmo modo", e pior,
"mecanicamente".

Albert Friesen em seu livro "Cuidando do Casamento", descreve algumas etapas


previsíveis de evolução num casamento. Uma dessas etapas é descrita como "volta à
realidade ou à rotina".

"Como jaz solitária a cidade outrora populosa! Tornou-se como viúva a que foi grande
entre as nações; princesa entre as províncias, ficou sujeita a trabalhos forçados!"
Lamentações de Jeremias 1:1.
Embora este texto fale da cidade de Jerusalém, ele sintetiza o estado em que os
casamentos entram depois que todo romantismo tiver sido substituído pelas exigências
do dia-a-dia. Quem se sentia pertencido, "jaz solitário".
A sensação de ter sido abandonado nas expectativas torna os cônjuges como "viúvos".
A economia doméstica, a vinda dos filhos, o trabalho e a rotina instala os "trabalhos
forçados" pois se possível fosse, o jovem casal continuaria apenas a namorar. A etapa
da volta à realidade ou a rotina apresenta-se quando um ou os dois cônjuges saem para
trabalhar a fim de pagar as obrigações financeiras, quando existem tarefas diárias e
repetitivas a serem executadas. Com freqüência, o primeiro filho está a caminho, sem
aviso prévio. Não há tempo nem tranquilidade para sonhar. A dureza do dia-a-dia que o
sistema econômico impõe às pessoas envolve também quem vive o esplendor do
romantismo. O encanto passional se vai, dissipando-se como a névoa; a realidade
começa a apresentar os seus verdadeiros contornos. A performance real do jeito de ser
de cada um é percebida sempre mais nitidamente. Fica difícil idealizar tudo o que
acontece. A outra pessoa é de uma maneira que, se ela continuar assim, não cumprirá
todas as promessas explícitas ou implícitas feitas.

Todos temos expectativas em relação ao casamento. Imaginamos muitas vezes que a


vida será uma eterna lua-de-mel. Quando a realidade descrita acima passa a valer, temos
sempre a expectativa de que tudo volte a ser como antes. Como quando namorávamos
ou como quando nos casamos. Mas o dia-a-dia atrapalha ou as máscaras efetivamente
caem com o tempo.

Mesmo assim, por um tempo vivemos a expectativa de que essas fantasias terão
reciprocidade. E realmente, de vez em quando, acontecem momentos maravilhosos
entre o casal. Mas novamente são substituídos pela realidade do trabalho, filhos, temor
de verdadeira intimidade, falta de habilidades românticas, pouca criatividade, etc.

Passamos a fazer tentativas desesperadas de manipular o cônjuge para obter um retorno


mesmo que temporário ao passado (distante ou não). Criamos surpresas que
antigamente provocavam certas reações românticas. Falamos mal do cônjuge diante de
outras pessoas, tentando fazer com que o outro melhore…

O que fazer para resolver ou melhorar?

Duas coisas podem ser feitas imediatamente, e irão gerar bons frutos.

1ª Expectativas
A primeira é com relação às expectativas. Elas precisam ser explicitadas. Inicialmente
para si mesmo. Será que não está herdando expectativas de seus pais em vez ter as suas?
Quais foram as expectativas com que você iniciou o seu casamento? Quais foram as
expectativas realizadas e cumpridas (temos a tendência de achar que nada de bom
aconteceu)? Juntos poderão ver o que fizeram com expectativas não realizadas e não
cumpridas. Como vocês resolveram as mágoas resultantes de frustrações no casamento?
Quais são as expectativas que você tem ainda hoje a respeito do casamento?

2ª Comunicação
Mas, nada disso vai acontecer se não tiverem uma comunicação franca e sincera.
Evidentemente certos assuntos criam medo, ansiedade, dúvida ou raiva. Mas com
algumas estratégias todos os sentimentos, desejos, expectativas poderão ser expressos
adequadamente, sem gerar traumas ou danos irreparáveis.

Para expressar os sentimentos de modo adequado:

1. Fale sem raiva ou hostilidade. Baixe a voz em vez de levantá-la.


2. Seja clara e específica. Pense ao falar, e diga claramente o que quer dizer.
3. Seja positiva e apreciativa. Nada de buscar faltas, culpar ou julgar.
4. Seja cortês e respeitosa mesmo quando não concordar.
5. Perceba a necessidades e sentimentos do outro.

Agora algumas diretrizes para se tornar boa ouvinte:

1. Demonstre interesse um pelo outro. Mantenha bom contato visual e responda com um
sorriso ou meneio da cabeça.
2. Use frases apropriadas para mostrar acordo, interesse ou compreensão.
3. Formule bem perguntas que demonstre interesse e encorajamento para falar.
4. Quando pensar que você acabou de ouvir, ouça 30 segundos mais.

Fonte: Casal cristão

Só para mulheres