You are on page 1of 2

Tema especial: autarquização do HC, e eu com isso?

Tema especial: autarquização do HC, e eu com isso? O Patinho Boletim do Centro Acadêmico Adolfo

O Patinho

Boletim do Centro Acadêmico Adolfo Lutz

Ano I - nº 1/ Novembro 2011

Você sabia que o Conselho Universitário aprovou a autarquização em dezembro de 2010 e que agora só falta a aprovação da Secretaria do Estado para a sua implantação em 2013?

1) “O que é a autarquização do HC?”

Com a autarquização, o HC passa a ter personalidade jurídica própria e tem sua receita vinculada à Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, sendo desvinculado financeiramente do orçamento da UNICAMP.

2) “Por que querem autarquizar o HC?”

Os recursos financeiros repassados para o complexo hospitalar da Unicamp provém da Secretaria de Ensino Superior do Estado de

São Paulo, do Ministério da Saúde, da FAPESP e de convênios estabelecidos com o Poder

transformação em uma autarquia não garante um valor fixo vindo da Secretaria de Saúde maior que o atual da universidade.

4) “Mas há outra saída para que o HC receba esses recursos?”

Sim, o hospital pode receber mais recursos através de um aumento de verba por parte do governo e pode-se investir em modelos de gestão pública que tornem a contratação mais eficiente, sem que haja a necessidade de autarquização.

5) “E por que se fala tanto em privatização?”

Público. No entanto, os defensores da a u t a rq u i z a ç
Público.
No entanto, os defensores da
a u t a rq u i z a ç ã o
argumentam
que
N a
autarquização
t
e
o
r
i
a
não
tais recursos não
significa
privatização,
s
necessidades em
infraestrutura e
desenvolvimento.
u
p
r
e
m
a
s
mas, na prática, essas
palavras
se
tornam
a
sinônimos. Atualmente,
gestão do HC segue
A l é m
a l e g a m
d i s s o ,
a
licitações que impedem
q u e
a
a b e r t u r a p a r a
contratação
func ionár ios
de
contratos
privados.
é
Com a autarquia, pode
urgente
e
que
o
haver flexibilização nos
modelo de gestão
modos de captação de
vigente
at rasa
v e r b a
entrega
a t r a v é s
d a
es se
proces so,
da
gestão
a
sendo
ineficiente.
Os problemas de
financiamento e de contratação da área de
entidades de direito privado (Organizações
Sociais e Fundações de Apoio). Desse modo, a
saúde da UNICAMP são evidentes. Entretanto,
autarquia seria apenas o primeiro passo para
a
única
alternativa
proposta
para esse
a
administração
privada.
É
importante
problema
que
tem
sido
colocada
pela
ressaltar que já está aprovada a criação de
UNICAMP é a Autarquização do complexo
uma
fundação para
gerir a
área da saúde
hospitalar.
desde 2004 na Congregação da FCM.

3) “Quer dizer então que, com a Autarquização, a Unicamp deixará de ter gastos com o HC, que passará a receber uma verba maior, proveniente da Secretaria da Saúde do Estado?

Na

verdade,

não

relação

direta

entre

autarquização

do

HC

e

aumento

de

f i n a n c i a m e n t o .

O b j e ti v a m e n t e ,

a

Você sabia que ...

nesse ano, foi aprovada, em reunião da Congregação da FCM da Unicamp, a composição do Conselho

Deliberativo da Autarquia (gestão da autarquia), em que os estudantes não terão direito a voto? apesar de haver votação pela comunidade da FCM,

O Patinho - Boletim do Centro Acadêmico Adolfo Lutz

Ano I - nº 1/ Novembro

Você sabia que...

os trabalhadores do HC iniciaram, nesse ano, uma campanha

.. contra a autarquização do HC e que haverá a paralisação de

trabalhadores da área da saúde nessa terça-feira (22/11)?

6)

“Mas

por

que

tem

tanta

gente

contra

a

administração privada, se o hospital poderá receber

mais recursos?”

O fato é que nenhuma organização privada funciona

como gestão pública já que a gestão não parte da

necessidade de saúde da população e sim da

necessidade de maior produtividade em detrimento da

qualidade.

Além disso, uma fundação ligada à universidade não

precisa necessariamente prestar serviços exclusivos a

ela. Na USP, por exemplo,

fundações criadas para

auxiliar a captação de

recursos para a universidade

transferem apenas 5% de sua

arrecadação para ela. As

fundações que deveriam ser

de apoio à instituição pública

se utilizam dos bens públicos

em benefício privado, ou seja,

é a universidade que acaba

servindo de apoio para o

crescimento da fundação. Um

exemplo disso é a criação da

dupla-porta.

.

O Patinho - Boletim do Centro Acadêmico Adolfo Lutz Ano I - nº 1/ Novembro Você

7) “Dupla-porta? O que é isso ?”

A dupla porta consiste na coexistência do público e do

privado em único hospital. Ou seja, a autarquia pode

vender seus serviços a planos privados e a particulares.

Isso permite a obtenção de lucro pelos planos privados

a partir da utilização da estrutura pública do hospital e

provoca a diminuição do número de leitos e de

atendimentos públicos. Entende-se que essa prática

fere a promoção de saúde pública universal e a

dignidade dos usuários, que passam a ser atendidos

segundo sua condição financeira.

8) “Com a privatização como fica a situação dos

funcionários do HC?”

Há precarização das condições de trabalho dos

profissionais da saúde e instabilidade no emprego,

levando a uma piora no atendimento em saúde. Tal

precarização se caracteriza pela redução de salários,

aumento do tempo de trabalho e redução de direitos

trabalhistas. Isso torna mais difícil fixar profissionais

de saúde nos locais de trabalho; o que compromete a

continuidade dos programas de saúde.

9)“Tudo bem ...

A autarquização pode prejudicar

a população e os funcionários do HC

...

Mas e eu com

isso???”

A autarquização faz com que o HC da Unicamp

perca sua característica de Hospital Escola, o que

pode prejudicar o SEU ensino e a SUA formação

médica!!!

  • Ÿ Com a verba voltada apenas para a assistência,

não há como garantir que o HC da Unicamp

privilegie o tripé educação, pesquisa e

extensão.

  • Ÿ É natural que o estudante tenha que realizar o mesmo procedimento ou que descarte materiais por mais vezes que um profissional da saúde. Entretanto, em uma administração privada, há corte de gastos, podendo haver maior restrição de procedimentos, materiais e exames, o que pode prejudicar o ensino.

  • Ÿ Se realmente houver implantação da dupla porta, o número de leitos aos quais os alunos poderão ter acesso será menor. Na USP, por exemplo, apenas os docentes atendem aos convênios.

  • Ÿ Os alunos terão atenção do docente dividida com o setor privado, o que pode prejudicar a preceptoria dos estágios.

  • Ÿ Com a superlotação dos leitos públicos e a falta de preceptores, podem ser estabelecidas metas de atendimento para o estudante e para o docente. Sendo assim, haveria menos tempo para o atendimento e discussão do caso, o que é essencial para o aprendizado e uma assistência de boa qualidade.

  • Ÿ Ao se tornar um hospital vinculado à Secretaria Estadual de Saúde e não mais à UNICAMP, o HC pode tornar-se campo de estágio disponível a qualquer estudante da área de saúde de instituições públicas e particulares. No HU autarquizado da UFF (Niterói-RJ), estudantes de faculdades particulares têm prioridade para conseguir estágios perante os estudantes da própria universidade.

E vai me dizer que quando você escolheu em qual

faculdade queria fazer medicina você não se

baseou na qualidade do Hospital Escola que ela te

oferecia???

Elaboração:

Gestão ‘’Outras Frequências’’ (

  • 2011-2012)- Centro Acadêmico Adolfo Lutz

Órgão representativo dos estudantes de medicina da UNICAMP