Velocidade de som e Numero de Mach

A onda de choque normal


Uma irreversibilidade comum que ocorre em escoamentos supersónicos internos ou
externos é a onda de choque esboçada na fig.1. Excepto para pressões próximas ao
vácuo, tais ondas de choque são muito delgadas (alguns micrómetros de espessura)
e aproximam-se de uma descontinuidade nas propriedades do escoamento.
Seleccionamos um volume de controlo com secções imediatamente antes e após a
onda, como na fig. 1.














1 2





















Volume de
controlo
delgado:
2 1
A A ~
Jusante
isentrópico:
s = s2 > s1
*
1
*
2
A A >
p02 < p01
Montante
isentrópico:
s = s1
Ma1 > 1 Ma2 < 1
Choque
normal
fixo
Isoenergético:
T01 = T02
Fig. 1 Escoamento através de uma onda de choque normal fixa




Para as condições de estagnação dadas, a máxima vazão em massa possível
atravessa uma conduta quando a sua garganta está em condições criticas ou
sónicas. Nessa situação, diz-se que a conduta é bloqueada, não podendo transportar
vazão em massa adicional, a menos que a sua garganta seja alargada. Se a
garganta for contraída ainda mais, a vazão em massa pela conduta deverá
decrescer.
A máxima vazão em massa é dada por:
( ) ( )( ) ( )
( )
2 1
0 0
*
1 1 2 1
2 1
2 1
0
*
1 1
0
* * *
max
1
2
1
2
1
2
RT A
k
k RT
k
k
A
k
V A m
k k k
µ µ µ
÷ + ÷
|
.
|

\
|
+
= |
.
|

\
|
+
|
.
|

\
|
+
= = 

Para K=1,4 essa expressão reduz-se a:
( )
( )
2 1
0
*
0
2 1
0 0
*
max
6847 , 0
6847 , 0
RT
A p
RT A m = = µ 

Para escoamento isentrópico numa conduta, a máxima vazão em massa possível é
proporcional à área da garganta e à pressão de estagnação e inversamente
proporcional à raiz quadrada da temperatura de estagnação.

Para calcular todas as variações de propriedades, em vez da velocidade da onda
simplesmente, usamos todas as nossas relações básicas unidimensionais de


escoamento permanente, considerando a secção 1 a montante e a secção 2 a
jusante:

Continuidade:
.
2 2 1 1
const G V V = = = µ µ

Quantidade de movimento:
2
1 1
2
2 2 2 1
V V p p µ µ ÷ = ÷

Energia:
.
2
1
2
1
0
2
2 2
2
1 1
const h V h V h = = + = +

Gás perfeito:
2 2
2
1 1
1
T
p
T
p
µ µ
=

p
c
constante:
T c h
p
=


Podemos usar as relações dos gases perfeitos e escoamento isentrópico para
converter a relação de continuidade:
. ) ( ) ( ) ( const m x A x V x = =  µ
numa expressão
algébrica que envolve apenas a área e o número de Mach, como se apresenta a
seguir. Igualando a vazão em massa em qualquer secção à vazão em massa em
condições sónicas.
* * *
A V VA µ µ =

ou


V
V
A
A
µ
µ
* *
*
=

Ambos os termos à direita são funções apenas do número de Mach para escoamento
isentrópico.
( )
( ) 1 1
2
0
0
* *
1
2
1
1
1
2
÷
)
`
¹
¹
´
¦
(
¸
(

¸

÷ +
+
= =
k
Ma k
k µ µ
µ µ
µ
µ

Por outro lado, sabe-se que:
( ) ( )
( )
2 1
2
2 1
0
2 1
0
* 2 1
2 1
* *
1
2
1
1
1
2 1
)
`
¹
¹
´
¦
(
¸
(

¸

÷ +
+
= |
.
|

\
|
|
|
.
|

\
|
= = Ma k
k Ma T
T
T
T
V
kRT
V
kRT
V
V

Combinando as equações anteriores, vem:
( )
( )
( )( ) ( ) 1 1 2 1
2
*
1
2
1
1
2
1
1
1
÷ +
(
(
(
(
¸
(

¸

+
÷ +
=
k k
k
Ma k
Ma A
A

Considerando
4 , 1 = k
a equação anterior assume a forma numérica:
Ma
Ma
A
A
728 , 1
) 2 , 0 1 (
3 2
*
+
=

A equação anterior em conjunto com as equações seguintes:


2 0
2 , 0 1 Ma
T
T
+ =

( )
5 , 2
2 0
2 , 0 1 Ma + =
µ
µ

( )
5 , 3
2 0
2 , 0 1 Ma
p
p
+ =

permitem-nos resolver qualquer problema de escoamento unidimensional isentrópico
de ar dados, digamos, o formato A(x) da conduta, as condições de estagnação e
admitindo-se que não há ondas de choque na conduta.
Como primeira aproximação podemos obter o número de Mach, em escoamento
supersónico a partir de:
9 , 2 0 , 1 1 2 , 1 1
*
2 1
*
< < |
.
|

\
|
÷ + ~
A
A
A
A
Ma

· < <
(
(
¸
(

¸

|
.
|

\
|
÷ ~
*
5 1
3 2
* *
9 , 2 254 216
A
A
A
A
A
A
Ma


Relações do número de Mach
Para um gás perfeito, todas as razões de propriedades através do choque normal
são funções apenas de k e do número de Mach a montante Ma
1
. Por exemplo, se
eliminarmos
2
µ e
2
V das equações da continuidade e energia, e introduzirmos
( ) | | µ 1 ÷ = k kp h
, obtemos:
( )
(
¸
(

¸

÷ ÷
+
= 1
2
1
1
1
2
1 1
1
2
k
p
V
k p
p µ



Mas, para um gás perfeito, ( )
2
1 1
2
1 1
2
1 1
kMa kRT kV p V = = µ , de modo que a equação
anterior é equivalente a:
( ) | | 1 2
1
1
2
1
1
2
÷ ÷
+
= k kMa
k p
p

Dessa equação, vemos que, para qualquer k, p
2
> p
1
apenas se Ma
1
> 1,0. Logo,
para o escoamento através de uma onda de choque normal, o número de Mach deve
ser supersónico para satisfazer a segunda lei da termodinâmica.
E quanto ao número de Mach a jusante? Da identidade
2 2
kpMa V = µ
(válida para
gases perfeitos), podemos reescrever a equação da quantidade de movimento da
seguinte forma:
2
2
2
1
1
2
1
1
kMa
kMa
p
p
+
+
=

equação esta que relaciona a razão de pressões a ambos os números de Mach.
Igualando as equações anteriores podemos resolver para:
( )
( ) 1 2
2 1
2
1
2
1
2
2
÷ ÷
+ ÷
=
k kMa
Ma k
Ma

Uma vez que Ma
1
deve ser supersónico, essa equação prevê para todo k>1 que Ma
2
deve ser subsónico. Logo, uma onda de choque normal desacelera um escoamento
de maneira quase descontínua de condições supersónicas para subsónicas.


Manipulações adicionais das relações básicas anteriormente referidas fornecem
outras equações para as variações das propriedades através de uma onda de
choque normal num gás perfeito:
( )
( )
2
1
2
1
2
1
1
2
2 1
1
V
V
Ma k
Ma k
=
+ ÷
+
=
µ
µ

( ) | |
( )
( )
2
1
2
2
1
2
1
1
2
1
1 2
1 2
Ma k
k kMa
Ma k
T
T
+
÷ ÷
÷ + =

01 02
T T =

( )
( )
( )
( )
( ) 1 1
2
1
1
2
1
2
1
01
02
01
02
1 2
1
1 2
1
÷ ÷
(
¸
(

¸

÷ ÷
+
(
¸
(

¸

÷ +
+
=
k k k
k kMa
k
Ma k
Ma k
p
p
µ
µ


De interesse adicional é o facto de que a área da garganta crítica, ou sónica, A*,
aumenta através de um choque normal numa conduta:

( )
( )
( )( ) ( ) 1 1 2 1
2
2
2
1
1
2
*
1
*
2
1 2
1 2
÷ +
(
¸
(

¸

÷ +
÷ +
=
k k
Ma k
Ma k
Ma
Ma
A
A

Exemplo :


Ar, nas condições de estagnação de 450 K (
01
T
) e 250 kPa (
01
p
), escoa por uma
conduta. Na secção 1 onde a área é de 15 cm
2
, há uma onda de choque normal. Se
a vazão em massa é de 0.4kg/s, calcule:
a) o número de Mach;
b) a pressão de estagnação exactamente a jusante do choque (
02
p
).

Resolução :


a) Calculo de numero de Mach
Os Dados:
K T 450
01
=

kPa p 250
01
=

2 4 2
1
10 * 15 15 m cm A
÷
= =
s kg m / 4 , 0 = 




( ) ( )
2 4
3
2 1
01
2 1
01 *
1
10 * 3978 , 8
10 * 250 * 6847 , 0
450 * 287 4 , 0
6847 , 0
m
p
RT m
A
÷
= = =


7862 , 1
10 * 3978 , 8
10 * 15
4
4
*
1
1
= =
÷
÷
A
A


Cálculo aproximado do número de Mach:
o Supersónic Escoamento
A
A
A
A
Ma 9 , 2 0 , 1 1 2 , 1 1
*
1
1
2 1
*
1
1
1
< <
|
|
.
|

\
|
÷ + ~

A.N.:
( )
2 1
1
1 7862 , 1 2 , 1 1 ÷ + ~ Ma

064 , 2
1
~ Ma



Cálculo exacto do número de Mach:
Desenvolvendo a equação
( )
1
3
2
1
*
1
1
728 , 1
2 , 0 1
Ma
Ma
A
A +
=
, chegamos aos valores de
1
Ma exactos:
( )( )
2
2
1
2
1 1
*
1
1
2 , 0 1 2 , 0 1 728 , 1 Ma Ma Ma
A
A
+ + =



( )( )
4
1
2
1
2
1 1
*
1
1
04 , 0 4 , 0 1 2 , 0 1 728 , 1 Ma Ma Ma Ma
A
A
+ + + =

6
1
4
1
2
1
4
1
2
1 1
*
1
1
008 , 0 08 , 0 2 , 0 04 , 0 4 , 0 1 728 , 1 Ma Ma Ma Ma Ma Ma
A
A
+ + + + + =

0 1 728 , 1 6 , 0 12 , 0 008 , 0
1
*
1
1
2
1
4
1
6
1
= + ÷ + + Ma
A
A
Ma Ma Ma


A.N.:
Como
7862 , 1
*
1
1
=
A
A
, vem:
0 1 0866 , 3 6 , 0 12 , 0 008 , 0
1
2
1
4
1
6
1
= + ÷ + + Ma Ma Ma Ma

(
¸
(

¸

÷ 1 0866 , 3 6 , 0 0 12 , 0 0 008 , 0

Raízes:
Reais
)
`
¹
¹
´
¦
=
=
0674 , 2
3481 , 0
1
1
Ma
Ma



Imaginárias
¦
¦
)
¦
¦
`
¹
¦
¦
¹
¦
¦
´
¦
÷ ÷ =
+ ÷ =
+ =
÷ =
i Ma
i Ma
i Ma
i Ma
5996 , 2 0340 , 2
5996 , 2 0340 , 2
9064 , 3 8262 , 0
9064 , 3 8262 , 0
1
1
1
1

Como
1
1
> Ma
:
0674 , 2
1
= Ma


O cálculo do número de Mach, com base na equação aproximada
( ) 064 , 2
1
~ Ma
, não
difere muito do número de Mach exacto
( ) 0674 , 2
1
= Ma
. Apresentando um erro de
aproximadamente 0,16%, erro este que se enquadra nos limites recomendados
( ) % 2 ±
, considerando k=1,4.


b) Calculo de pressão de estagnação :
( )
( )
( )
( )
( ) 1 1
2
1
1
2
1
2
1
01 02
1 2
1
1 2
1
÷ ÷
(
¸
(

¸

÷ ÷
+
(
¸
(

¸

÷ +
+
=
k k k
k kMa
k
Ma k
Ma k
p p

A.N.:


5 , 2
2
5 , 3
2
2
3
02
4 , 0 0674 , 2 * 8 , 2
4 , 2
0674 , 2 * 4 , 0 2
0674 , 2 * 4 , 2
10 * 250
(
¸
(

¸

÷
(
¸
(

¸

+
= p

kPa p 347 , 172
02
=


Podemos facilmente verificar que Verificamos ainda, que a pressão de estagnação
( )
02
p
, é inferior à pressão de estagnação dada
( )
01
p
,
como já era esperado.



Seleccionamos um volume de controlo com secções imediatamente antes e após a onda. como na fig. tais ondas de choque são muito delgadas (alguns micrómetros de espessura) e aproximam-se de uma descontinuidade nas propriedades do escoamento. .1.A onda de choque normal Uma irreversibilidade comum que ocorre em escoamentos supersónicos internos ou externos é a onda de choque esboçada na fig. Excepto para pressões próximas ao vácuo. 1.

1 Escoamento através de uma onda de choque normal fixa Volume de controlo delgado: .Choque normal fixo 1 2 Isoenergético: T01 = T02 Montante isentrópico: s = s1 Ma1 > 1 Ma2 < 1 Jusante isentrópico: s = s2 > s1 * A2  A1* p02 < p01 A1  A2 Fig.

a máxima vazão em massa possível atravessa uma conduta quando a sua garganta está em condições criticas ou sónicas. em vez da velocidade da onda simplesmente. A máxima vazão em massa é dada por:  mmax  2    A V  0    k  1 * * * 1  k 1  2k  A RT0   k 1  * 12  2  k    k  1 12 1 2 k 1 k 1 A*  0 RT0  12 Para K=1.6847 A  0 RT0  * 12  0.4 essa expressão reduz-se a:  mmax  0.6847 p0 A* RT0 1 2 Para escoamento isentrópico numa conduta. diz-se que a conduta é bloqueada. Se a garganta for contraída ainda mais. não podendo transportar vazão em massa adicional. a menos que a sua garganta seja alargada. a vazão em massa pela conduta deverá decrescer.Para as condições de estagnação dadas. Nessa situação. usamos todas as nossas relações básicas unidimensionais de . Para calcular todas as variações de propriedades. a máxima vazão em massa possível é proporcional à área da garganta e à pressão de estagnação e inversamente proporcional à raiz quadrada da temperatura de estagnação.

Quantidade de movimento: p1  p2  1 1 h1  V12  h2  V22  h0  const.escoamento permanente. VA   *V * A* ou . Energia: 2 2 p1 p2 Gás perfeito:  T   T 1 1 2 2  2V22  1V12 c p constante: h  c pT Podemos usar as relações dos gases perfeitos e escoamento isentrópico para  converter a relação de continuidade:  ( x)V ( x) A( x)  m  const. numa expressão algébrica que envolve apenas a área e o número de Mach. considerando a secção 1 a montante e a secção 2 a jusante: Continuidade: 1V1   2V2  G  const. Igualando a vazão em massa em qualquer secção à vazão em massa em condições sónicas. como se apresenta a seguir.

A  *V *  V A* Ambos os termos à direita são funções apenas do número de Mach para escoamento isentrópico. sabe-se que: 12 12 kRT 1 2  T *   T0 1 2  1  V * kRT *      V V V T  T   0   1  k 1 2  1  1  k  1Ma 2    Ma  k  1  2   12 Combinando as equações anteriores. vem:  1  1  k  1Ma 2  A 1  2    1 A* Ma  k  1    2   1 2  k 1  k 1 Considerando k  1.4 a equação anterior assume a forma numérica: A (1  0.728Ma A A equação anterior em conjunto com as equações seguintes: .2Ma 2 ) 3  * 1.  *  * 0  2  1    1  k  1Ma 2    0  k  1  2   Por outro lado.

2Ma 2 T 0 2.9  A  A* Relações do número de Mach Para um gás perfeito.2Ma 2   p0  1  0. em escoamento supersónico a partir de:  A  Ma  1  1. e introduzirmos h  kp k  1 . Como primeira aproximação podemos obter o número de Mach.2 *  1 A  12 1. obtemos: 2  p2 1  2 1V1 2 2 p1   k 1  p1  k  1  .0  15 A  2.T0  1  0. todas as razões de propriedades através do choque normal são funções apenas de k e do número de Mach a montante Ma1. Por exemplo.5  1  0. 5 permitem-nos resolver qualquer problema de escoamento unidimensional isentrópico de ar dados. o formato A(x) da conduta. as condições de estagnação e admitindo-se que não há ondas de choque na conduta. digamos.9 A* 23  A  A  Ma  216 *  254 *   A A      2.2Ma 2 p   3. se eliminarmos  e V das equações da continuidade e energia.

p2 > p1 apenas se Ma1 > 1. 2 2 E quanto ao número de Mach a jusante? Da identidade V  kpMa (válida para gases perfeitos). para o escoamento através de uma onda de choque normal. Logo.2 2 2 Mas. Igualando as equações anteriores podemos resolver para: k  1Ma12  2 2 Ma2  2 2kMa1  k  1 Uma vez que Ma1 deve ser supersónico. podemos reescrever a equação da quantidade de movimento da seguinte forma: p 2 1  kMa1  p1 1  kMa2 2 2 equação esta que relaciona a razão de pressões a ambos os números de Mach. 1V1 p1  kV1 kRT1   kMa1 . . essa equação prevê para todo k>1 que Ma2 deve ser subsónico. vemos que. para qualquer k. o número de Mach deve ser supersónico para satisfazer a segunda lei da termodinâmica. uma onda de choque normal desacelera um escoamento de maneira quase descontínua de condições supersónicas para subsónicas. Logo. para um gás perfeito.0. de modo que a equação anterior é equivalente a: p2 1 2  2kMa1  k  1 p1 k  1   Dessa equação.

ou sónica. aumenta através de um choque normal numa conduta: 2 * A2 Ma2  2  k  1Ma1     * Ma1  2  k  1Ma2 2  A1 Exemplo : 1 2 k 1 k 1 .Manipulações adicionais das relações básicas anteriormente referidas fornecem outras equações para as variações das propriedades através de uma onda de choque normal num gás perfeito: T2 2 2kMa1  k  1  2  k  1Ma1 T1 k  12 Ma12 k  1Ma12 2 V   1 1 k  1Ma1 2  2 V2   2 T02  T01 2 p02  02  k  1Ma1     p01  01  2  k  1Ma1 2  k  k 1   k 1   2 2kMa1  k  1  1  k 1 De interesse adicional é o facto de que a área da garganta crítica. A*.

4 kg / s . Resolução : a) Calculo de numero de Mach Os Dados: T01  450 K p01  250 kPa A1  15 cm 2  15 *10 4 m 2  m  0. há uma onda de choque normal. Se a vazão em massa é de 0. calcule: a) o número de Mach. escoa por uma conduta. b) a pressão de estagnação exactamente a jusante do choque ( p 02 ). Na secção 1 onde a área é de 15 cm2. nas condições de estagnação de 450 K ( T01 ) e 250 kPa ( p 01 ).Ar.4kg/s.

: Ma1  1  1. chegamos aos valores de Ma1 exactos:    .3978 *10 4 m 2 3 0.4287 * 450 A    8.2Ma1 A1*  2 3  .9 Escoamento Supersónico A1* A.0  A1  2.7862  1 12 Ma1  2.2 1  1  A*   1  12 1.728 1 Ma1  1  0.2Ma1  Desenvolvendo a equação A* 1.064 Cálculo exacto do número de Mach: A1 1  0.728Ma1 1 A 2 2 2 1.6847 p01 0.21.6847 * 250 *10 * 1 A1 15 *10 4   1.2Ma1 1  0.7862 A1* 8.12 12  mRT01  0.3978 *10 4 Cálculo aproximado do número de Mach: A  Ma1  1  1.N.

A1 2 2 4 Ma1  1  0.12Ma1  0.0866Ma1  1  0 6 4 2  0.04Ma1  0.008  0 0.728    0.008Ma1  0.6Ma1  3.12 0 0.04Ma1 A1* A 2 4 2 4 6 1.2Ma1 1  0.2Ma1  0.: A1 Como A*  1.3481 Reais Ma  2.4Ma1  0.6Ma1  1.008Ma1 A1* 1. vem: 1 0.08Ma1  0.N.4Ma1  0.7862 .008Ma1  0.12Ma1  0.0866  1  Raízes:  Ma1  0.0674  1  .6  3.728 1 Ma1  1  0.728 6 4 2 A1 Ma1  1  0 A1* A.

não difere muito do número de Mach exacto Ma1  2. com base na equação aproximada Ma1  2. Apresentando um erro de aproximadamente 0.5996i    Como Ma1  1 : Ma1  2.0674 .: .9064i   Ma  0.8262  3.16%.9064i    1  Imaginárias Ma1  2.5996i   Ma1  2. Ma1  0. considerando k=1. erro este que se enquadra nos limites recomendados  2% .8262  3.064 . b) Calculo de pressão de estagnação :  k  1Ma1 2  p02  p01  2  2  k  1Ma1   k  k 1   k 1   2 2kMa1  k  1  1  k 1 A.0340  2.0340  2.0674 O cálculo do número de Mach.4.N.

5  p02  172.4 * 2. .0674 2  0.0674  250 *10  2   2  0. que a pressão de estagnação  p02  .8 * 2. é inferior à pressão de estagnação dada  p01  .4  2.0674  3. 5   2.4 * 2.p02 2  3  2. como já era esperado.4    2.347 kPa Podemos facilmente verificar que Verificamos ainda.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful