INTRODUÇÃO Este trabalho será desenvolvido com o tema: a violência contra a mulher, mulheres estas que vivem em situação

de violência: Mulher, gênero e relações de poder: Violência contra a mulher ± diferentes concepções. A Publicização da questão da violência contra a mulher no Brasil. Lei Maria da Penha. Demandas de Políticas Públicas para mulheres em situação de violência. O Serviço Social perante a Questão da Violência Contra a Mulher. Desde a antiguidade a ideologia de que a mulher era a espécie inferior nutriu a superioridade masculina. Essa ideia fez com que as mulheres se conformassem com situações de violência constante. Os séculos se passaram mais ainda é cada vez comum à violência contra elas, apesar de existirem leis específicas para tratar desse tema, mesmo assim se mata, estupra e violenta. A maioria das vítimas não denuncia, talvez por isso tenha se instalado na sociedade a ideia de impunidade dos agressores. Em Roraima essa realidade não é diferente, pois muitos casos não são apurados por ocasião de não denunciados. São muitas as forma de violência contra mulher, engana-se quem pensa que a violência esta somente associada ao aspecto físico, naturalmente que nesse aspecto ficam as marcas mais visíveis, porém existem marcas mais profundas dentro do universo emocional e moral. Uma mulher é espancada a cada 15 segundos e dez são assassinadas diariamente no Brasil. Dessa forma a violência contra a mulher, principalmente aquela cometida por parceiros íntimos, esteve presente ao longo da história da humanidade, perpassando todas as camadas sociais, idades, etnias, religiões e nacionalidades.

1

TIPOS DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER A Violência contra a mulher é ³qualquer ato ou conduta baseada no gênero. o primo ou tio do marido) ou afetividade (amigo ou amiga. fraturas. tais como: lesões. lesando ao indivíduo e à coletividade. ou seja. Violência Intrafamiliar . A relação sexual obrigatória ou o ³estupro conjugal´. física e sexual.A VIOLÊNCIA É um fenômeno polissêmico e complexo que pode manifestar-se de formas variadas e conexas entre si. a negligência e o abandono. na pulsão de morte. tanto na esfera pública como na esfera privada´. porém as maiores vítimas são as pessoas do sexo feminino. começando por agressões verbais. que more na mesma casa). Pode ser praticada contra pessoa adulta. realizadas por indivíduos. sexual ou psicológico à mulher. Que comprometa seus direitos sexuais ou reprodutivos. provocada por pessoa com uma relação de familiaridade. contusões. numa dinâmica de relações que ocasiona danos físicos. passando para as físicas e/ou sexuais e podendo atingir a ameaça de morte e até mesmo o homicídio. representado por ações humanas. e gente da família que vem como visita). ou até mesmo a morte da vítima. desenvolvem-se em ³escalada de violência´ na qual se mesclam atos de violência emocional.) ou civil (marido.violência que acontece dentro da família. que cause morte. Violência Doméstica . classes.É caracterizada pelo uso da força física ou uso de armas. afetividade ou coabitação (vizinhos e amigos próximos. queimaduras. dano ou sofrimento físico. (minayo) funda-se. grupos. Violência Sexual . Uma das mais fáceis de ser percebida. hematomas. emocionais. adolescente ou criança. As relações de violência são extremamente tensas e quase invariavelmente caminham para o pólo negativo: a violência tende a descrever uma escalada. Geralmente é rotineira. deficiências físicas. 2 . filha etc. nas relações entre os membros da comunidade familiar. mãe. segundo a psicanálise freudiana. sexual e psicológico. pois as marcas geralmente ficam visíveis. por afinidade (por exemplo. cortes. Violência Física . morais e psicológicos a outrem.Pode ser compreendida como toda forma de coerção sexual com ou sem violência física. causando danos à integridade física de uma pessoa. seja na própria casa ou em residência vizinha (próxima). nações. geralmente é praticada por um membro da família que viva com a vítima e incluem: abuso físico. formada por vínculos de parentesco natural (pai. sogra. padrasto ou outros).ocorre no ambiente doméstico.

que amedronta. obrigando assim a mulher. abandono material. Referendou uma política integral para o enfrentamento da violência contra as mulheres. para poder receber pensão alimentícia. Como em toda a Polícia Civil. que é um documento essencialmente informativo. por meio de força física. principalmente na violência doméstica ou intrafamiliar. Violência Moral . palavras ou por escrito. também por violência sexual.ação destinada a caluniar. subtração. difíceis de superar e praticamente impossíveis de prevenir. o estupro ou violência carnal.É aquela que não deixa marcas físicas. não reconhece a paternidade. que é a agressão física.340 de 07 de agosto de 2006 Coíbe a violência doméstica e familiar contra a mulher. bofetões. simbolizou o cumprimento dos compromissos internacionais assumidos pelo 3 . entre outros. a queixa é feita através de um Boletim de Ocorrência. ou grave ameaça. documentos pessoais. investigando e punindo os agressores. quando o agressor é um membro da família. quando o homem. que aterroriza. etc. o registro das ocorrências. que subjuga outro ser humano. abandono. como as ofensas verbais e morais. que causam dores. é aquela que humilha. feitas por gestos.Violência Psicológica . Existem vários tipos de armas utilizadas na violência contra a mulher. como socos. ou seja. sendo todo atentado contra o pudor de pessoa de outro sexo. fazendo com que as mulheres percam a referencia de cidadania. pontapés. ou atos de luxúria. e de um terço à metade dos casos. que superam a dor física. Humilhações. A Delegacia de Defesa da Mulher recebe todas as queixas de violência contra as mulheres. torturas. na agressão psicológica as armas são as palavras. De maneira geral a violência psicológica está sempre presente na violência física e sexual contra a mulher. são considerados pequenos assassinatos diários. perda. como: a lesão corporal. ameaça de morte ou qualquer outro mal. difamar ou injuriar a honra ou a reputação da mulher. entrar com uma ação de investigação de paternidade. bens e valores. as pesquisas indicam que a violência física é normalmente acompanhada pela psicológica. AVANÇO NACIONAL PARA AS POLÍTICAS PÚBLICAS Lei nº 11.ato de violência que implique dano. todas as informações sobre o ocorrido visam instruir a autoridade policial. Entretanto. qual a tipicidade penal e como proceder nas investigações. Mas nem todos deixam marcas físicas. Violência Patrimonial . com a intenção de satisfazer nela desejos lascivos. destruição ou retenção de objetos.

Informar à ofendida os direitos a ela conferidos. 7. 7. as políticas públicas de combate à violência contra a mulher têm sido ³tímidas´. onde haja o convívio de pessoas. Aplica-se também às relações homossexuais (lésbicas). 1. quando necessário. unidos por laços naturais.1. A ofendida não poderá entregar intimação ou notificação ao agressor. 1. para a concessão de medidas protetivas. Em qualquer relação íntima de afeto. lesão. inclusive as esporadicamente agregadas. No Brasil. No âmbito da família. independentemente de coabitação. psicológico (violência psicológica). 7. 2.2. 7. sexual (violência sexual). Colher todas as provas que servirem para o esclarecimento do fato.3. LEI MARIA DA PENHA ± PRINCIPAIS ASPECTOS 1 . Quando a agressão praticada for de pessoa estranha.2. na qual o agressor conviva ou tenha convivido com a ofendida.Aplica-se à violência doméstica que cause morte. e. continuam os velhos TERMOS CIRCUNSTANCIADOS. é inegável a persistência da violência doméstica e sexual contra a mulher. 1.5. 4 . Ordenar a identificação do agressor e juntar aos autos sua folha de antecedentes. vizinho. se apresentada. Remeter no prazo de 48 horas expediente apartado ao juiz com o pedido da ofendida. prestador de serviço ou médico. e dano moral (violência moral) ou patrimonial (violência patrimonial).1. Mas. lavrar o boletim de ocorrência e tomar a representação a termo.3. 4. 5. comunicando de imediato ao Ministério Público e ao Poder Judiciário. na maioria das vezes. No âmbito da unidade doméstica. Expedir guia de exame de corpo de delito e exames periciais. ineficazes. Garantir proteção policial. Ouvir o agressor e testemunhas. apesar das conquistas obtidas. 6. por afinidade ou por vontade expressa.4. 7.Estado brasileiro quando da ratificação da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher (Convenção CEDAW) e da Convenção Interamericana para Prevenir. como por exemplo. formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados.6. Ouvir a ofendida. . 3. sofrimento físico (violência física). com ou sem vínculo familiar. Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher (Convenção Belém do Pará). 7.

o profissional de Serviço Social desenvolve seu trabalho com vistas a contribuir para a construção de uma nova sociedade. sejam eles públicos ou privados: Delegacias de Proteção à Mulher. Maternidades. porque envolve relações entre profissional e os envolvidos com as situações de violência. pode ser desempenhada em vários espaços institucionais. Centros de Atendimentos. como um dos mecanismos indispensáveis à participação dos usuários´. não se tratando de pura equação problema/solução. as diversas denominações dos atos de agressão (violência. no combate e na erradicação da violência contra a mulher. onde a violência seja ela qual for não exista. As violências sexuais e psicológicas cometidas por parceiro íntimo têm sido pouco investigadas e as informações são ainda mais imprecisas. também por violência sexual. Fundações e Movimentos Sociais. as pesquisas indicam que a violência física é normalmente acompanhada pela psicológica. IML (Instituto médico Legal). associado ao fato de prática sexual não consensual ser considerada em muitas culturas como dever da esposa. Entretanto. conforme disposto no artigo 5º. Casas Abrigo. alínea ³c´ do mesmo Código. por vezes. entre outros. abuso e. A intervenção do assistente social perante a questão da violência contra a mulher obedece aos princípios contidos no Código de Ética da Profissão.8. O pedido da ofendida deverá conter: qualificação da ofendida e do agressor. a definição de violência psicológica varia amplamente entre mulheres e homens de diversas culturas. e de um terço à metade dos casos. ³democratizar as informações e o acesso aos programas disponíveis no espaço institucional. bem como. nome e idade dos dependentes. o assistente social tem novos espaços de atuação profissional e pode fornecer caminhos para a mulher romper com a violência sofrida. além de atuarem também em ONG¶s (Organizações não Governamentais). Serviços Primários de Atenção à Saúde. e cópia de todos os documentos disponíveis em posse da ofendida. A atuação do profissional de Serviço Social. descrição sucinta do fato e das medidas protetivas solicitadas pela ofendida. 5 . Por exemplo. assédio). Deste modo. ³defesa intransigente dos direitos humanos e recusa do arbítrio e do autoritarismo´. Neste sentido. Hospitais. acarretando dificuldades em sua definição e consequente mensuração. Vários fatores contribuem para que a violência sexual dentro de relações de parcerias estáveis seja de difícil reconhecimento e delimitação. estupro. Da mesma forma.

uma vez que ganha menos que homens em profissões semelhantes à deles. a população deve exigir do Governo leis severas e firmes que não fiquem somente no papel. adultos. pois enquanto houver a ocultação do crime sofrido. Porém isso não é o pior. tendo em vista que este pode atuar na proposição. acolher. não se omitir. ela estará se protegendo contra futuras agressões. deixando até mesmo de se considerar um membro da sociedade. promovendo a cidadania. em suas demandas mais específicas e elementares. assistir. O campo de atuação do Serviço Social é amplo. adolescentes. tecnologia e outras. principalmente no campo jurídico. tornando-se sem amor próprio. idosos e minorias. notificar. Embora a mulher nos dias de hoje tenha assumido áreas que antes nunca poderia imaginar como. elaboração e execução de políticas públicas que venham ao encontro das reivindicações destas mulheres. Para construir uma real cultura de paz se faz necessário: Não permitir que a violência se instale. provavelmente nunca mais volte a ser a mesma. por estar afeto ao ser humano e às questões sociais que o envolvem. 6 . orientar as mulheres em situação de violência sobre seus direitos. Ela continua sendo considerada inferior. acreditar. principalmente pelo profissional de Serviço Social. se isolando no seu próprio mundo. profissionais. políticas e econômicas. apoiar. liderança. e serve como exemplo para outras mulheres. não vamos encontrar soluções para o problema. A mulher quando coagida física ou moralmente. muitas vezes sofre violências irreparáveis e assédios sexuais. sua vida estará marcado de medo e vergonha. pois agindo assim.CONSIDERAÇÕES FINAIS Consideramos que é de suma importância o debate e o aprofundamento da questão. pois com a criação das leis o Estado tenta minimizar a violência contra as mulheres. seja de que forma for contra as mulheres ou qualquer outro ser humano. e orientar. deve ter a coragem para denunciar o agressor. Nos dias de hoje não se pode admitir a violência. em como participar de movimentos sociais para propor novas políticas públicas e acompanhar a efetivação das mesmas. Muito se tem conquistado. como também trabalhar na elaboração e na execução de políticas públicas para propiciar o desenvolvimento humano e a redução das desigualdades sociais. articular a rede social na comunidade em que as usuárias estão inseridas e colocar-se como parceiro na busca efetiva de soluções. proteger. Uma vez que a mulher sofre uma violência. podendo atender segmentos específicos da sociedade como crianças.

Fonte: http://www.shtml Acessado em 16/11/11. DE 7 DE AGOSTO DE 2006 ± LEI MARIA DA PENHA .org/artigos/artigo323.portaldafamilia.REFERÊNCIAS LEI Nº 11.³Direitos e Deveres´ ± Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher.340. 7 .