You are on page 1of 12

KANBAN

Daniel, 17 Diogo, 19 Felipe, 21 Israel, 24 Jefferson, 27 Robson, 36

2° U

SÚMARIO
INTRODUÇÃO .......................................................................................................................................... 3 O SISTEMA KANBAN ................................................................................................................................ 4 OBJETIVOS ............................................................................................................................................... 5 VANTAGENS DO KANBAN........................................................................................................................ 5 DESVANTAGENS DO KANBAN ................................................................................................................. 5 KANBANS DE PRODUÇÃO E DE MOVIMENTAÇÃO .................................................................................. 6   KANBAN DE PRODUÇÃO............................................................................................................. 6 KANBAN DE MOVIMENTAÇÃO ................................................................................................... 6

OPERACIONALIDADE DO SISTEMA .......................................................................................................... 7 SINCRONIZAÇÃO E NIVELAMENTO.......................................................................................................... 8   PRODUÇÃO SINCRONIZADA ....................................................................................................... 8 NIVELAMENTO DE PRODUÇÃO .................................................................................................. 8

MELHORIAS DA MÃO DE OBRA ............................................................................................................... 9    OPERAÇÃO EM MULTIPROCESSO .............................................................................................. 9 MELHORIA DAS ATIVIDADES ...................................................................................................... 9 CONFIANÇA E RECIPROCIDADE .................................................................................................. 9

CONCLUSÃO .......................................................................................................................................... 10 INFORMAÇÕES EXTRAS ......................................................................................................................... 11 FONTES DE PESQUISA............................................................................................................................ 12

2|Página

INTRODUÇÃO
Kanban é uma palavra japonesa que significa literalmente registro ou placa visível. Na administração da produção e de materiais significa um cartão de sinalização que controla os fluxos de produção ou transportes em uma indústria. O cartão pode ser substituído por outro sistema de sinalização, como luzes, caixas vazias e até locais vazios demarcados. O sistema Kanban é uma das variantes mais conhecidas do JIT (Lopes dos Reis, 2008, p.191). A metodologia do Kanban foi desenvolvida e aperfeiçoada por Taiichi Ohno* e Sakichi Toyoda* conhecida como Sistema Toyota de Produção.

Taiichi Ohno

Sakichi Toyoda

O Kanban permite agilizar a entrega e a produção. Pode ser empregado em indústrias em que o nível de produção não oscile em demasia. Os Kanbans físicos (cartões ou caixas) podem ser Kanbans de Produção ou Kanbans de Movimentação e transitam entre os locais de armazenagem e produção substituindo formulários e outras formas de solicitar materiais, permitindo enfim que a produção se realize Just in time. O Sistema KANBAN, embora não seja algo novo (as primeiras implementações no Brasil datam das décadas de 80 e 90), vem sendo muito difundido e utilizado na indústria brasileiras nos últimos anos, e mais recentemente tem sido implementado com sucesso também na indústria de softwares.
* Veja mais sobre o assunto em: Informações extras.

3|Página

O SISTEMA KANBAN
O Sistema Kanban é usualmente composto por quadros e cartões visuais que auxiliam o planejamento da produção e o controle de estoques. De acordo com a quantidade de cartões disponíveis nos quadros, são tomadas as decisões priorização de produção, setup de máquinas e até mesmo de paradas de linha para manutenção.

Quadro Kanban

Cartão kanban

4|Página

OBJETIVOS
Há quatro objetivos principais para o kanban. - Evitar superprodução e o excesso de movimentação entre os processos de produção; - Fornecer as ordens específicas entre os processos nos princípios de reposição. O kanban consegue isso administrando o tempo da movimentação dos materiais e a quantidade a ser transportada; - Funcionar como uma ferramenta visual para que os supervisores determinem se a produção está adiantada ou atrasada em relação à programação. Uma rápida observação dos dispositivos que armazenam o kanban no sistema mostrará se os materiais e as informações estão fluindo de acordo com o planejado ou se anormalidades estão ocorrendo; - Estabelecer uma ferramenta de melhoria contínua. A redução planejada de kanbans em um sistema se relaciona diretamente à redução no estoque e à diminuição proporcional no lead time de atendimento ao cliente.

VANTAGENS DO KANBAN
- Simples - Auto – Controlado - Desburocratizante - Motivacional - Limita estoque - Baseia-se na demanda real

DESVANTAGENS DO KANBAN
- Emergências afetam o funcionamento do sistema - Set-up não programados - Demanda instável

5|Página

KANBANS DE PRODUÇÃO E DE MOVIMENTAÇÃO
O Sistema Kanban pode ser composto apenas por Kanbans de Produção ou por Kanbans de Produção + Kanbans de Movimentação.

KANBAN DE PRODUÇÃO
O Sistema Kanban composto apenas pelos Kanbans de Produção é muito mais simples e, por este mesmo motivo, muito mais utilizado pelas empresas. O Loop de movimentação dos cartões é simples e a lógica do sistema é direta: ou os cartões estão no quadro, ou estão no estoque junto com o produto acabado.

KANBAN DE MOVIMENTAÇÃO
Existe um Sistema Kanban mais complexo composto por dois loops de cartões, sendo um deles o loop de produção e o outro o loop de movimentação (também chamado do 'retirada' ou 'transporte'). O primeiro loop sinaliza a produção de novas peças, e o segundo sinaliza o transporte para outras áreas, unidades ou distribuidores. A produção só recebe o aviso de necessidade se o produto efetivamente saiu da empresa. A lógica é um pouco mais complexa e a implementação mais trabalhosa. Por isso poucas empresas utilizam o Sistema Kanban Completo, com Kanban de Produção e Kanban de Movimentação.

6|Página

OPERACIONALIDADE DO SISTEMA
Usualmente o Kanban é um cartão colocado num envelope retangular de vinil. São usados dois tipos principais de cartão: - Kanban de requisição; - Kanban de ordem de produção. O Kanban de requisição detalha a quantidade que o processo subsequente deve retirar. O Kanban de ordem de produção determina a quantidade que o processo precedente deve produzir. Estes cartões circulam dentro da fábrica, entre as fábricas do grupo e dentro das fábricas cooperativas. Os Kanban fornecem informações de retirada de peças e produção, a interação destas operações promove o equilíbrio da situação Just in time. Por exemplo: o supridor da linha de montagem que produz um produto ou agregado qualquer, vai à linha de usinagem retirar as peças, portanto, um kanban de requisição deixa no local outro Kanban de ordem de produção.

7|Página

SINCRONIZAÇÃO E NIVELAMENTO PRODUÇÃO SINCRONIZADA
Vamos considerar a sincronização da produção pelo uso de um Kanban, supondo que um processo de fabricação de motores deve produzir 100 unidades por dia. O processo subsequente requer 5 motores em cada lote, por um Kanban de requisição. Estes lotes são retirados 20 vezes por dia, e que corresponde a 100 motores. Caso ocorra necessidade de diminuir em 10% esta produção, como um procedimento de sincronização de planejamento de produção, o processo final neste exemplo, retiraria motores 18 vezes por dia. Se ao contrário fosse um aumento de 10% na produção, os Kanban seriam retirados 22 vezes por dia.

NIVELAMENTO DE PRODUÇÃO
A produção nivelada minimiza a variação na quantidade retirada de cada peça ou componente produzida em cada posto de produção, a velocidade de produção é constante ou a quantidade é fixa em função do tempo.

EXEMPLO DE NIVELAMENTO: Numa linha de produção para produzir 10.000 veículos, em 20 dias de 8 horas, prevendo: - 5.000 sedãs - 2.500 cupês - 2.500 peruas Dividindo estes números por 20 dias de operação, teremos 250 sedãs, 125 cupês e 125 peruas por dia, isto é a regulagem de produção nivelada por Kanban / Just in Time em termos de média diária de cada tipo de carro.

8|Página

MELHORIAS DA MÃO DE OBRA OPERAÇÃO EM MULTIPROCESSO
Cada operário deve estar preparado para operar três (ou mais) máquinas ou tarefas distintas, exemplo: torno, fresa e furadeira, com isso o operário conhece melhor o produto, as ausências de mão-de-obra não penalizam setores, o operário é mais bem remunerado, aprimora conhecimentos, adquire espírito coletivo, e aproveita o tempo ocioso.

MELHORIA DAS ATIVIDADES
O sistema como um todo é integrado, os operários questionam as tarefas e processos, a qualidade está acima de tudo, e através dos CCQs* (Círculos de Controle de Qualidade), aperfeiçoam o sistema, corrigem falhas, superam desafios, integram a empresa e são recompensados.

CONFIANÇA E RECIPROCIDADE
O Kanban integrado no conceito Just in Time, está embaçado na confiança e na reciprocidade de ação das partes, a qualidade é inerente ao processo, o início de fazer bem é o resultado final do bem feito. A inspeção da qualidade no recebimento de itens é praticamente dispensada, visto que o próprio pedido ou solicitação insere a confiança e a reciprocidade intrinsecamente.

* Veja mais sobre o assunto em: Informações extras.

9|Página

CONCLUSÃO
O grupo concluiu que o Kanban é uma ferramenta simples e pratica, pois a sua gestão visual de metas, de estoques, e também, de problemas faz com que todos os envolvidos na atividade tenham conhecimento do que a empresa quer naquele determinado tempo criando sinergia por todos se sentirem responsáveis de frente ao sistema visual e não ficando apenas na mão de um gerente ou supervisor. É mais uma ferramenta do JIT que visa reduzir e eliminar desperdícios a fim de contribuir para um processo de nível mais elevado de competitividade seguindo o conceito de produção e entrega na exata medida das necessidades do cliente

10 | P á g i n a

INFORMAÇÕES EXTRAS
*Taiichi Ohno é considerado o criador do Sistema Toyota de Produção e o pai do Sistema Kanban. Nascido em Dairen, cidade da região da Manchúria na China, em 1912, formou-se em Engenharia Mecânica no Instituto de Tecnologia de Nagoya. Entrou para a Toyota Spinning and Wearing em 1932. Logo cedo na sua carreira ele expandiu as idéias desenvolvidas por Kiichito Toyoda para reduzir perdas na produção, iniciando a experimentação e o desenvolvimento de metodologias de produção que diminuíssem o tempo de fabricação dos componentes principais dos produtos e a criação de sublinhas de montagens que dessem suporte a linha de produção final.

*Sakichi Toyoda é muitas vezes referido como o pai da revolução industrial japonesa. Ele também é o fundador da Toyota Industries Company. Ltda. Inventou numerosos dispositivos de tecelagens. Sua invenção mais famosa foi o tear automático mecânico no qual ele aplicou o princípio da Jidoka (automação autônoma). O princípio da Jidoka, que significa que a máquina para quando ocorre um problema, tornou-se mais tarde uma parte do Sistema Toyota de Produção. Toyoda desenvolveu o conceito de cinco Porquês: Quando ocorre um problema, pergunte "por que" cinco vezes para tentar encontrar a fonte do problema, em seguida, colocar algo para prevenir a repetição do problema. Este conceito é usado hoje como parte da aplicação de metodologias para resolver problemas, melhorar a qualidade e reduzir custos.

*Circulo de Controle de Qualidade: Pode ser definido como sendo um pequeno grupo voluntário de funcionários pertencentes ou não à mesma área de trabalho, treinados da mesma maneira, com compreensão da mesma filosofia e os mesmos objetivos, e que tentam melhorar o desempenho, reduzir os custos, aumentar a eficiência, etc., especialmente no que se refere à qualidade dos seus produtos ou de seu trabalho.

11 | P á g i n a

FONTES DE PESQUISA
www.sato.adm.br/rh/circulos_de_controle_de_qualidad.htm www.istoedinheiro.com.br/noticias/19116_UM+PLANO+UMA+SO+FORD+E+UM+S UCESSO www.nei.com.br/produto/2008/08/kanban+para+cartao+t+contriso+gestoes+visuais+l tda.html www.lisal.com.br/idecar_embalagens.html www.towbar.com.br/loja/MaisProduto.asp?im=n&Produto=3096&placas_de_sinalizac ao=CART%C3O%20KANBAN%20T%20EM%20PVC%20PERSONALIZADO www.aliadaconsultoria.com.br/trabalho_kanban.html www.aliadaconsultoria.com.br/artigo_just_in_time_kanban_as_diferencas.html pt.wikipedia.org/wiki/Kanban translate.google.com.br/# www.comoaprenderjapones.com/o-alfabeto-japones-hiragana-katakana-kanji/ www.slideshare.net/ogerente/treinamento-kanban-avanado www.slideshare.net/ccalmendra/introduo-de-kanban-para-equipes-scrum-3118929 www.slideshare.net/marcelnicolay/kanban-8331325 www.slideshare.net/andrefaria/kanban-5193235 en.wikipedia.org/wiki/Sakichi_Toyoda pt.wikipedia.org/wiki/Taiichi_Ohno

12 | P á g i n a