You are on page 1of 8

Os livros que formam a Bíblia A quantidade de livros da Bíblia varia, dependendo da cópia ou versão adotada.

Há duas versões da Bíblia em uso no mundo cristão: uma é usada pela Igreja Católica Romana e tem 72 livros. A outra, usada pelas demais igrejas, tem 66. Essa diferença de versões vem do fato de que antigamente existiam duas coleções de rolos sagrados, rolos esses que, traduzidos, formam hoje o Velho Testamento. Na Alexandria (Vide nota 1), os judeus usavam em seus rituais e suas leituras uma coleção de 45 livros; já os da Palestina tinham uma coleção com apenas 39. Quando os rolos foram traduzidos surgiu a diferença. A coleção da Alexandria foi traduzida por 70 (ou 72) doutores, sendo daí chamada de "Septuaginta", ou "dos Setenta" (Vide nota 2). Mais tarde a Igreja Católica vaio a adotar esta coleção, ficando com 45 livros em seu Antigo Testamento. Diga-se de passagem que essa tradução "dos Setenta", para o grego, era a mais usada no tempo da vinda de Jesus Cristo, sendo citada por Ele mesmo e por Seus discípulos e apóstolos, especialmente por Mateus. Divergindo da Igreja Católica, a Igreja Evangélica ou Reformada (apelidada de "Protestante"), adotou, por volta do século XVI, a versão traduzida da coleção usada pelos judeus da Palestina, resultando daí o Velho Testamento com 39 livros. Esta é a origem da diferença existente hoje entre o que se chama a "Bíblia católica" e a "protestante". Todavia, no que se refere à mensagem essencial, não há entre elas nenhuma diferença. Não há mudança capaz de alterar o sentido ou prejudicar o entendimento das verdades acerca da vontade Divina para com o homem. As diversas traduções da Bíblia - Desde que os primeiros textos foram traduzidos para o grego (entre 285 e 132 a.C.) pelos "Setenta", a Bíblia tem sido traduzida para mais de 240 idiomas em todo o mundo. Dentre as versões mais antigas ou famosas, podem se destacar: a de Áquila, feita em 128 a.C., para o grego; as latinas (a Ítala e a Vulgata), de entre 120 e 300 AD; a Siríaca, do séc. II AD; a Etíope, do séc.IV AD; a Cóptica, do séc V. Mais tarde surgiram as versões Persa (1341), Germânica (do séc.XVI) e as inglesas, de Wilcliffe (1384) e "King James" (1611), esta última até hoje usada como foi feita. As traduções portuguesas mais antigas e conhecidas são as dos padres João Ferreira de Almeida (1700) e Antonio Pereira de Figueiredo (1790). Dessas traduções se fazem constantes revisões e atualizações. Para uso neste curso, recomendamos a versão de João Ferreira de Almeida, editada pela Imprensa Bíblica Brasileira, por ser, no Brasil, a que mais fielmente expressa o sentido da letra original. Existe, porém, uma versão diferente, editada pela Sociedade Bíblica do Brasil. Para saber que versão deve ser preferida, verifique o primeiro capítulo de Gênesis. Veja como começa cada um dos versículos de Gênesis 1. A melhor versão é aquela em que todos os versículos (menos o primeiro) começam com a conjunção "E". Se algum versículo começar com "Mas", "Assim" ou qualquer outra palavra, não é a versão indicada. As Fontes das Traduções Atuais Os manuscritos em hebraico - Além do texto organizado pelos massoretas, ainda podemos contar com os manuscritos de antigas cópias e versões, muitas delas anteriores à época massorética. Esses manuscritos são produções dos mais diversos períodos, mas especialmente do século V em diante. Os manuscritos mais famosos hoje são, talvez, os chamados "rolos do Mar Morto", porque são os mais antigos de que se tem notícia. Foram encontrados na região de Qumran, numa caverna dos penhascos da margem ocidental do Mar Morto, no ano de 1947. Acredita-se que naquelas cavernas viviam os essênios, seguidores de uma seita judaica muito antiga. Os rolos estavam guardados em potes de cerâmica, numa espécie de sala secreta de uma das cavernas. Eram vários rolos de peles de animais e um rolo de cobre, em que se gravaram vários livros do Velho Testamento, comentários e parágrafos desses livros e textos litúrgicos, que faziam parte da biblioteca essênica. O material foi examinado por várias instituições científicas israelenses e européias, tanto cristãs quanto judaicas, as quais fixaram a data desses escritos em, pelo menos, 200 anos antes de Cristo, constituindo-se nos manuscritos mais antigos já encontrados até hoje. Nos anos seguintes, até o ano de 1956, pesquisas arqueológicas encontraram no mesmo local centenas de

todos da mesma época. Acha-se também no Museu Britânico. Hoje estão perdidos. Foi uma tradução da Septuaginta. os Salmos. Mas o que mais nos chama a atenção nessa descoberta é que os textos ali copiados revelam uma notável semelhança com os textos hebraicos atuais. o mesmo texto que os judeus tinham por volta do ano 90. O "Códice Babilônico". O "Códice Samaritano". Existem. É geralmente aceito que. mas de data não determinada. os rolos principais encontrados foram: duas cópias do livro de Isaías.600 anos. quanto a cada palavra. O "Códice Mugar". que os textos sagrados da Palavra são hoje os mesmos que existiram no século II antes de Cristo. o de Ezequiel. que a Palavra de Deus está sob uma proteção especialíssima. têm sido conhecidos e consultados há séculos. mas que não chegam a causar nenhuma alteração no sentido. considerado incomparável quanto à pureza do texto. Escritos em latim: As versões "Samaritana" e "Septuaginta" são anteriores à Era Cristã. Encontra-se no Museu Britânico. que tem em suas mãos a verdadeira Palavra de Deus. preservada em sua plena integridade. onde o leitor pode constatar a preservação dos textos em sua forma antiga. assim. A Bíblia é verdadeira? – Um livro extraordinário A Bíblia é verdade? A Bíblia certamente é um livro extraordinário – sem dúvida o maior best-seller. graças à conservação destes e de centenas de outros manuscritos. como se falou acima Escritos em grego: o Códice Vaticano (de 1209). Através dos séculos. que contém a metade do Velho Testamento. e graças às recentes descobertas arqueológicas e às pesquisas científicas. Classificando-os conforme a língua em que foram escritos. provando-nos. . Mas quando o cristianismo se espalhou pelo Império Romano e pelo Oriente. fixaram o seu cânon das Escrituras. a Revelação escrita tem resistido incólume às mais diversas vicissitudes e às influências de diferentes culturas e civilizações. mas que foram consultados e mencionados por historiadores e comentadores.000 Bíblias em todo o mundo em apenas um ano (United Bible Societies.IV e início do séc. Foi revisada ou compilada por Jerônimo (S. o "Códice de Efraím". do fim do séc. Datado do século VI. a "Vulgata". Escritos em hebraico ou aramaico . está conservado. como se sabe.100 anos. feita no século II. nessa variedade dos manuscritos preservados. considerado antiqüíssimo. Um dos cientistas que trabalharam no exame dos manuscritos do Mar Morto foi John Allegro. 1999). com milhões de cópias produzidas.000. Uma só organização de distribuição da Bíblia relatou a entrega de mais de 627. Na verdade. leves diferenças entre as cópias. Essa crença pôde ser confirmada pelos achados do Mar Morto.Os mais conhecidos são: o "Códice Palestino" ("códice" quer dizer manuscrito de importância histórica). Contém a versão Septuaginta do Velho Testamento e uma versão do Novo. após mais de 2. Outros manuscritos. às centenas. quando. e os textos dos mesmos livros da Septuaginta. É por isso que eruditos de renome já afirmaram que o cristão de hoje pode dizer. dos livros de Samuel e Deuteronômio.outros rolos sobre diversos assuntos. o "Códice Sinaitico" ou "Álefe". Do Velho Testamento. graças ao cuidadoso trabalho de pessoas capazes e responsáveis do mundo judaico e cristão. Datado do século 9 ou 11 da Era Cristã. Daí temos mais uma prova da Providência Divina na preservação de Sua Palavra. É parte dos dois Testamentos. servindo de base e referência para as atuais traduções. não por fanatismo nem crença cega. as principais são: a "Velha Latina". sem qualquer mudança significativa. evidentemente. apareceram muitas versões também em latim. Encontra-se na Biblioteca de Paris. Datado de 916. Ele depois escreveu um livro ("The Dead Sea Scrolls") em que põe lado a lado os textos daqueles rolos. Mas as cópias hoje existentes são de depois do século IV. do século IV. uma paráfrase de Gênesis e outra de Habacuque. podemos afirmar. o "Códice Alexandrino". em Jamnea. outros menos fiéis. ou seja. foi descoberto em 1859. Assim. uns mais. Os manuscritos existentes dessa versão datam de 600 a 900. citaremos somente os que se seguem abaixo. o "Códice Hillel" e o "Códice Ben Asher". e outros. sem receio ou hesitação. a Bíblia é uma coleção de 66 livros escritos por mais de 40 autores distintos e com estilos de vida bastante diversificados (de humildes camponeses a nobres reis) ao longo de um período de pelo menos 1. Contém os cinco livros de Moisés.V. Dessas.Jerônimo). o livro de Job.

dispersaram os judeus por todo o mundo. Considere a nação de Israel. O antigo lugar se tornou (e continua até hoje) um local para os pescadores locais espalharem as suas redes para secar. oferecendo provas substanciais para apoiar as suas alegações e desafiando os seus leitores a colocá-la "à prova" (1 Tessalonicenses 5:21). sem uma pátria. divinamente inspirada" Então. A Bíblia contém mais de um milhão de profecias inspiradas."…. fez um pacto com eles. tornando-se um lugar para os pescadores espalharem as suas redes. Profecia não é apenas um fenômeno da antiguidade. (Para confirmação secular. Mais tarde. Ginn & Co. Os judeus eram "menos em número do que qualquer povo" (Deuteronômio 7:7). lamentava a sua rebelião. achatada como o “topo de uma rocha”. Considere isto: se o homem fosse capaz de claramente e consistentemente prever o futuro. mas ela é única em sua categoria. como a do mundo. por exemplo. eles permaneceriam um povo identificável e eventualmente voltariam para a sua terra novamente. as implicações para nós são importantes.. voltava-se para Deus. "com mão forte e braço estendido. Todas as outras nações que já perderam a sua pátria se assimilaram a nações ao redor e perderam a sua identidade dentro de alguns séculos. Considere. e recebia as bençãos de Deus de novo – e então começavam o processo tudo de novo . Profecia bíblica está sendo cumprida hoje diante de nossos olhos. a maior prova da veracidade das alegações da Bíblia de ter inspiração divina é o cumprimento da profecia bíblica. foi uma de rebelião constante contra Deus.. Levíticos 26:13-16. Os judeus ficaram sem uma pátria por 1. Alexandre o Grande levou uma aliança de nações contra Tiro. Surpreendentemente. leia a General History for Colleges and High Schools. A Bíblia afirma claramente ser ". servindo como escravos no Egito.. Deus deu a Israel um território próprio.900 anos! No entanto. a Bíblia é verdadeira? Se a Bíblia é o que afirma ser. as suas ruínas (e mesmo a sua poeira) raspadas e lançadas ao mar. capítulo 26). 55). A Bíblia é verdadeira? – O teste da profecia A Bíblia é verdadeira? Inquestionavelmente. Infelizmente. Como tal. Em 70 D. para corrigir.. Mesmo assim. Compare isto com a segunda melhor preservada obra literária da antiguidade. Deus resgatou os israelitas do seu cativeiro.000 antigos manuscritos do Novo Testamento descobertos até agora. mas ela também relata o passado distante com grande precisão. Por último. os judeus têm sobrevivido como uma nação e milagrosamente retornaram a Israel como sua pátria oficial em 1948. sofria a ira de Deus. até os pequenos detalhes. o povo judeu era rebelde. É um milagre em si que os judeus têm sobrevivido e permanecido um grupo identificável mesmo sem terem tido uma pátria por 1900 anos. a Bíblia não é o único livro que reivindica ter a inspiração divina. Neemias 1:8-9. As nações ao redor que testemunharam o destino de Tiro se renderam. (Leia. a indústria bilionária de apostas de jogos existiria? Estamos dispostos a apostar que não. É uma profecia um pouco estranha. Como o homem sozinho não é capaz de prever os acontecimentos futuros. devido a uma promessa que Deus tinha feito séculos antes a um homem chamado Abraão. enfim atirando suas ruínas para o mar. embora Ele iria retirá-los da sua terra. A Bíblia é verdadeira? – Arqueologia A Bíblia é verdadeira? A Bíblia não só milagrosamente prediz o futuro. com grande espanto. as condições da profecia de Ezequiel foram cumpridas. Deus prometeu aos judeus que. demolindo e destruindo tudo. legiões romanas destruíram Israel. A grande maioria destas profecias já aconteceu e pode ser verificada pela história secular. seu filho Isaque. e com sinais e maravilhas" (Deuteronômio 26:8). e entregou-lhes a Bíblia. pág. Naquela época. Nabucodonosor saqueou Tiro. Vez após vez. A Bíblia é verdadeira? . as profecias de Ezequiel sobre o julgamento de Deus contra a antiga capital fenícia de Tiro (Ezequiel. a arqueologia tem sido uma fonte de grande reivindicação para a . a Ilíada de Homero. humilhava-se. a profecia é um indicador de inspiração sobrenatural. e sem liberdade. Evidentemente. o Egito era a potência mundial principal. e os proibiram de voltar à sua pátria. para repreender. por exemplo.000 anos atrás e hoje permanece como a mais bem preservada obra literária de toda a Antiguidade. Boston. Israel era uma nação separada por e para Deus – o testemunho de Deus a um mundo que virou as costas ao seu Criador. seria totalmente destruída por uma aliança de nações. com apenas 643 manuscritos preservados até hoje. Deus enviou nações contra Israel (como Ele fez com a cidade de Tiro) para os expulsarem de sua terra natal. para instruir em justiça" (2 Timóteo 3:16). No entanto. Deuteronômio 30:1-5). A profecia afirma que Tiro seria em primeiro lugar arrasada pelo rei babilônico Nabucodonosor..Esses 66 livros estão divididos em duas partes principais: o "Antigo Testamento" (39 livros) e o "Novo Testamento" (27 livros).. Mais tarde. com mais de 24. A Bíblia foi concluída na sua totalidade cerca de 2.C. e seu neto Jacó. a história de Israel. divinamente inspirada e proveitosa para ensinar.

Dr. mas depois do último israelita ter chegado ao outro lado.) Considere.um dos maiores da Antiguidade. O que faz com que o martírio dos autores do Novo Testamento seja especial é que estes homens estavam em uma posição de saberem de certeza que a sua narrativa era verdadeira. 1998. Eles foram testemunhas oculares dos eventos históricos que registraram. (Exodus Revealed. e as descobertas arqueológicas estão sempre mostrando que Lucas estava correto no que ele tinha para dizer. A Bíblia é verdadeira? – Julgue você mesmo . Ou eles viram o que alegaram ter visto.os sequestradores de 11 de setembro podem ter sinceramente acreditado naquilo pelo que morreram. e tudo a perder. A Bíblia é verdadeira? Para aqueles que não acreditam que Deus inspirou a Bíblia. professor do Novo Testamento e de Arqueologia na Universidade Wheaton de Illinois. como explicar isso? Que motivo realmente convincente temos para rejeitar a Bíblia como revelação divina de Deus para o homem? Devemos pôr de lado a nossa disposição filosófica. 65.. martírio em si não é uma novidade . ele é eloquente. Os egípcios seguiram logo após.. Por que tantos homens morreriam conscientemente por uma mentira? Eles não tinham nada a ganhar por mentir . Evidentemente. Arqueólogos têm descoberto uma série de evidências que reivindicam a narrativa do êxodo bíblico. muitos dos escritores da Bíblia tiveram mortes brutais e horríveis em defesa do seu testemunho escrito. Zondervan.) Sir William Ramsey.. perseguiu os israelitas com um exército de charretes.. The Bearing of Recent Discovery on the Trustworthiness of the New Testament. “prendendo” Israel entre os egípcios e o Golfo de Acaba (o Mar Vermelho). Deus liberou a água que tinha sido partida e afogou o exército egípcio. 1979. o famoso arqueólogo Nelson Glueck é citado: “Pode ser afirmado categoricamente que nenhuma descoberta arqueológica jamais apresentou qualquer controvérsia a uma referência bíblica. mas eles não estavam em posição de saber se as suas crenças eram absolutamente verdadeiras.muitas pessoas ao longo da história já morreram voluntariamente por suas crenças. Deus milagrosamente partiu o Mar Vermelho permitindo que Israel passasse em solo firme. p.. quase todos (com exceção de um apenas) os autores do Novo Testamento foram executados por proclamar e defender os seus depoimentos (João foi poupado. o autor de cerca de um quarto de todo o Novo Testamento." (João McRay. e pesar os fatos. declarou: "Lucas é um historiador de primeira classe. os mártires da Bíblia estavam em uma posição de saber a verdade. De fato.. Evidência que exige um veredito. De acordo com fontes e tradições extrabíblicas. citado por Lee Strobel. por exemplo. Em contraste. Ele é erudita. e apesar de terem tido várias oportunidades de negar seus testemunhos.) A Bíblia é verdadeira? – Os Autores A Bíblia é verdadeira? Considere a integridade dos autores humanos da Bíblia – homens que clamavam ter a inspiração de Deus. documentário em vídeo de Discovery Media Productions." (Sir William Ramsey. Lucas é considerado um historiador autoritário . No entanto. incluindo rodas de carruagem embutidas no coral ao longo da ponte terrestre no fundo do Mar Vermelho.) Agora vamos considerar o martírio de muitos destes autores. ou estavam mentindo de propósito. Então devemos perguntar: será que a Bíblia é verdadeira? . rei do Egito. Pense sobre isso – ninguém morreria conscientemente por uma mentira! Por exemplo. examinar as evidências de forma objetiva. 1915.. Faraó. Tomemos por exemplo Lucas. mesmo enfrentando morte brutal às mãos dos seus perseguidores. esses homens se agarraram aos seus testemunhos. John McRay. explica: "O consenso geral dos estudiosos liberais e conservadores é que Lucas é muito exato como um historiador. pág. No livro clássico de Josh McDowell que trata das evidências históricas que apoiam a veracidade da Bíblia. The Case for Christ -Em Defesa de Cristo-. o seu grego é de qualidade clássica. pág. Ele escreve como um homem culto.Bíblia. 222. 129. Here's Life Publishers Inc. Os sequestradores colocaram a sua fé em tradições religiosas transmitidas durante muitas gerações. um dos maiores arqueólogos dos tempos modernos. mas forçado pelo imperador romano Tito a se exilar).” (McDowell. a narrativa bíblica do êxodo de Israel do Egito.

enquanto as invenções dos docetas. essa tradução (de hebraico para grego) foi realizada por 72 sábios judeus.C. Além da tradução grega. o imperador romano Constantino se aliou à Igreja. presente em vários trechos do Novo Testamento. segundo a Igreja. pedaços desses textos foram encontrados nas areias do Oriente Médio. para completar a romanização da fé. Ele é assinado por uma certa “Maria” que muitos acreditam ser a Madalena. no entanto. Lucas e João para representar a biografia oficial de Cristo. Foi só no século 3 que o sacerdócio virou monopólio masculino. que ganharam poder ao se aliar com o Império Romano. Um grupo afirmou seu poder e autoridade sobre os outros”. até então pior inimiga dos cristãos.Por volta do ano 200 a. na verdade seriam a mesma pessoa (em 1967. “A escolha também era política. consideradas capazes de fazer profecias. realmente haviam sido inspirados por Deus. Roma. o “partido do governo”. Mas. discípula de Jesus. É o caso de um polêmico texto encontrado em 1886 no Egito. A primeira tradução completa do Antigo Testamento é dessa época. também citada nas Escrituras e essa sim ex-pecadora. ia se rendendo à nova fé. E por isso definiram o que iria entrar. o Vaticano desfez o equívoco. em 325. Sob ordens do papa . surgiu o cânone do cristianismo – a lista oficial de livros que. Nos primórdios do cristianismo. ou ser eliminado. Para isso. Segundo uma lenda. A missão coube ao teólogo Eusebius Hyeronimus. limpando a reputação de Mari Após a conversão do imperador Constantino. Ali. precisava de uma fé una e sólida. A maioria dos apócrifos se perdeu – afinal de contas. que mais tarde viria a ser canonizado com o nome de são Jerônimo. o texto é conhecido como Septuaginta. dos ebionistas e de outras seitas foram excluídas. Esse grupo era o dos cristãos apostólicos. o papa Gregório fez um sermão dizendo que Madalena e outra mulher. e seus autores declarados hereges. Os textos excluídos do cânone ganharam o nome de “apócrifos” – palavra que vem do grego apocrypha. os escribas da Igreja não estavam interessados em recopiá-los para a posteridade. inclusive. o cânone (conjunto de livros sagrados) hebraico já estava finalizado e começou a se alastrar pelo Oriente Médio. tudo indica que Madalena não foi prostituta – idéia que teria surgido por um erro na interpretação do livro sagrado. Ele pretendia usar a força crescente da nova religião para fortalecer seu império. Ela foi feita a mando do rei Ptolomeu 2o em Alexandria. “o que foi ocultado”.. com o surgimento da arqueologia. as mulheres eram aceitas no clero – e eram. No ano 591. Eles escolheram os evangelhos de Marcos. grande centro cultural da época. Aliás. Mateus. A pressão de Constantino levou os mais influentes bispos cristãos a se reunirem no Concílio de Nicéia. Os apostólicos eram. o que explicaria a censura da apóstola e seu testemunho. também surgiram versões do Antigo Testamento no idioma aramaico – que era uma espécie de língua franca do Oriente Médio naquela época. Por isso. no Egito. diz o padre Luigi. das Escrituras. o eixo do cristianismo se deslocou do Oriente Médio para Roma. para colocar ordem na casa de Deus. O evangelho atribuído a ela é bem feminista: Madalena é descrita como uma figura tão importante quanto Pedro e os outros apóstolos. por assim dizer. faltava um passo: traduzir a palavra de Deus para o latim. no século 19. Só que. Em 313.

A Bíblia chegou ao nosso idioma em 1753 – quando foi publicada sua primeira tradução completa para o português. Mas a Bíblia é única. ele viajou a Jerusalém em 406 para aprender hebraico e traduzir o Antigo e o Novo Testamento. são publicadas 11 milhões de cópias do texto integral. Ela é tão influente. Ao traduzir uma passagem do Êxodo que descreve o semblante do profeta Moisés. a Vulgata reinou absoluta ao longo da Idade Média – durante séculos. e 14 milhões só do Novo Testamento. não houve outras traduções. o termo preferido pelas traduções católicas. Pelo contrário. De lá para cá. a Bíblia latina. Era a primeira vez que o texto sagrado era vertido numa língua moderna – e a nova versão trouxe várias mudanças. em vez de “igreja”. são Jerônimo escreveu em latim: cornuta esse facies sua. 65). Não foi nada fácil: o trabalho durou 17 anos. Mas até hoje seu trabalho é referência para as versões inglesas do livro sagrado. Essa é a Bíblia que todo mundo conhece. Tudo isso mudou após a invenção da imprensa. mas tão influente. Daí saiu a Vulgata. A tradução correta está na Septuaginta: o profeta tinha o rosto iluminado. No Novo Testamento. está ornada com dois belos corninhos. a tradução considerada oficial é a feita pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e lançada em 2001. Hoje. A mudança nessa palavrinha era um desafio ao poder dos papas: como era protestante. Esse detalhe esquisito foi levado a sério por artistas como Michelangelo – sua famosa escultura representando Moisés. . William Tyndale. Logo depois um britânico. o Velho e o Novo Testamento foram escritos por 40 autores diferentes. em 1455. feita pelo protestante João Ferreira de Almeida. que até hoje é o texto oficial da Igreja Católica. Apesar de erros como esse. que provocavam a Igreja (veja quadro na pág. provenientes da Ásia. que pode significar tanto “chifre” quanto “raio de luz”. O livro dos Mórmons veio de Joseph Smith. dentre os muitos livros sagrados do mundo. que tinha feito direto do hebraico e do grego para o alemão. num espaço de tempo de 1600 anos. “A Vulgata foi o alicerce da Igreja no Ocidente”. “sua face tinha chifres”. Resultado? Ele foi queimado como herege em 1536. Ela é considerada mais simples e coloquial que as traduções anteriores. África e Europa.Em 1522. ele traduziu a palavra ecclesia por “congregação”. hoje exposta no Vaticano. Agora ninguém mais dependia dos copistas para multiplicar os exemplares da Bíblia. explica o padre Luigi. a Bíblia ganhou o mundo e as línguas. que até seus erros de tradução se tornaram clássicos. Tudo porque Jerônimo tropeçou na palavra hebraica karan. Quem escreveu a Bíblia? Como ela se compara aos outros livros "sagrados"? O Alcorão veio de Maomé. e não chifrudo. ou seja. Por isso.Damaso. o grande foco de mudanças no texto sagrado passou a ser outro: as traduções. Não foi escrita por uma só pessoa. Tyndale tinha suas diferenças com a Igreja. Já foi vertida para mais de 300 idiomas e continua um dos livros mais influentes do mundo: todos os anos. o pastor Martinho Lutero usou a imprensa para divulgar em massa sua tradução da Bíblia. ousou traduzir a Bíblia para o inglês.

. Mas. os outros dois livros foram escritos por pessoas muito próximas dos apóstolos de Jesus.. se numerosas fontes relatassem esses fatos sobre JFK. exatamente como registrado no Velho e no Novo Testamentos. . (Mateus e João). Também. há concordância nos fatos. onde ele nasceria. Embora a arqueologia não possa provar a veracidade espiritual da Bíblia. Considerando Jesus de Nazaré. descobre-se que eles são 99. A Bíblia é historicamente verdadeira? Os Evangelhos estão corretos sobre Jesus? Como podemos saber se os Evangelhos biográficos sobre a vida de Jesus são verdadeiros? Quando os historiadores tentam determinar a confiabilidade de uma biografia. comparada com outros escritos antigos. a Bíblia foi extraordinariamente preservada através do tempo. as descobertas mostram a confiabilidade da Bíblia como um relato histórico. etc." . a repetição dessas informações fariam com que elas parecessem verdadeiras. Além da autoria singular.5% consistentes. E cada biografia é apresentada sem sensacionalismo ou floreamentos criativos.transmitiram todos a mesma mensagem básica: o Deus que criou os céus e a terra providenciou uma maneira para que as pessoas pudessem conhecê-lo pessoalmente. Os evangelhos dão nomes geográficos específicos e detalhes culturais que foram confirmados por historiadores e arqueólogos. Uma biografia diz que JFK devotou dez anos de sua vida vivendo como um pregador na África do Sul. Elas foram todas perfeitamente cumpridas por Jesus Cristo centenas de anos depois. Quem escreveu os evangelhos? Dois destes livros foram escritos por homens que conheciam Jesus pessoalmente e viajaram com Ele por mais de três anos. Kennedy.Os escritores da Bíblia . Comparado com somente sete manuscritos da obra de Platão.mesmo em um período de tempo tão longo . Todavia. Essas e muitas outras profecias cumpridas mostram porque os escritores podiam escrever: "Assim diz o Senhor. Por exemplo. quando você pergunta para aqueles que eram próximos do ex-presidente. imagine que você coleciona biografias do ex-presidente americano John F. vários profetas do Velho Testamento fizeram mais de 300 profecias específicas sobre a vinda do Messias. A credibilidade dessas biografias está hoje fora de questão.eles estavam falando por Aquele que sabe "o fim desde o começo. mas também há singularidade e variações nas apresentações. onde cresceria. eventos históricos e detalhes geográficos. As mensagens nos evangelhos também indicam autenticidade. Como você poderia esperar de vários escritores que escrevem sobre a vida de uma pessoa real. a Bíblia também tem o melhor histórico de profecias que mais tarde foram cumpridas detalhadamente. Uma outra diz que ele freqüentemente fazia discursos em chinês mandarim. existem mais de 5 000 manuscritos do Novo Testamento."1 A arqueologia também repetida vezes confirma nomes de pessoas. eles perguntam: "As numerosas fontes relatam os mesmos detalhes sobre esta pessoa?" Por exemplo. nunca morou na África do Sul e nunca falou Mandarim. encontramos múltiplas biografias relatando fatos similares sobre a sua vida? Sim. mas em um estilo jornalístico do tipo "assim é como foi". E quando o texto de todos esses volumes são comparados uns com os outros. Cada um dos quatro autores registrou narrativas muito detalhadas da vida de Jesus. eles respondem enfaticamente que JFK nunca foi pregador. Há quatro livros do Novo Testamento (chamados evangelhos) que dão detalhes precisos sobre a vida de Jesus.

.Assim. Suas declarações eram diferentes do que era correntemente ensinado no Judaísmo. E seus ensinamentos omitiam tópicos que a Igreja primitiva provavelmente teria gostado que Jesus ensinasse. Isso confirma que os biógrafos foram corretos. o conteúdo das mensagens de Jesus e suas interações com os outros são obviamente singulares e determinadas de forma precisa no tempo. não atribuindo a Jesus palavras a partir de uma perspectiva posterior.