You are on page 1of 31

É chamada de Cónica toda a linha que se obtém como intersecção de um plano com uma superfície cónica.

Uma superfície cónica de revolução é a superfície gerada pela rotação completa de uma recta (geratriz) em torno de outra recta (eixo), formando com esta sempre o mesmo ângulo, até completar uma revolução (volta completa). Ao ponto comum à geratriz e ao eixo chama-se vértice. Quando o plano que intersecta a superfície cónica passa pelo vértice, a secção obtida é uma cónica degenerada. Caso contrário, obtemos cónicas não degeneradas.

Se o plano secante intersecta todas as posições da geratriz e o eixo, a linha obtida é: um ponto, se o plano passa pelo vértice (elipse degenerada);

uma elipse, se o plano não passa pelo vértice e é oblíquo em relação ao eixo;

Se, em particular, o plano é perpendicular ao eixo, a elipse obtida é uma circunferência

Se o plano secante é paralelo ao eixo, a linha obtida é: uma hipérbole, se o plano não passa pelo vértice;

uma recta. a linha obtida é: uma parábola. se o plano passa pelo vértice (hipérbole degenerada) Se o plano secante é paralelo apenas a uma posição da geratriz. se o plano passa pelo vértice (parábola degenerada) .duas rectas concorrentes. se o plano não passa pelo vértice.

As curvas definidas por equações do 2ºgrau em x e y do tipo: ax2+bxy+cy2+dx+ey+f=0 
cham am-se cónicas.Como Identificar uma Cónica? René Descartes (1596-1650) generalizou a utilização das cónicas e identificou-as como equações do 2º grau. Mas nem todas as equações do 2º grau representam cónicas.
 
 As cónicas classificam-se em três grandes grupos: .

. definem cónicas com os eixos de simetria paralelos aos eixos coordenados. as equações do tipo ax2+cy2+dx+ey-f=0 (b=0). À distância entre os focos chama-se distância focal (2c). Elipse Definição: Uma elipse é um conjunto de pontos do plano cuja soma das distâncias a dois pontos fixos é constante (2a) e maior do que a distância entre eles. x2+y2+5=0). 
 Os pontos fixos são os focos da elipse.Com Uma equação do 2ºgrau pode também definir um conjunto vazio (por exemplo.
 Em particular.

De acordo com a definição de elipse. o eixo menor. Os eixos de simetria da elipse são: x=0 e y=0. os focos e os vértices.y) aos focos.0) Seja 2a a soma das distâncias do ponto P=(x. o eixo maior. vem: .0) F2=(-c.Os elementos da elipse são: o centro. Elipse com focos sobre o eixo ox: F1=(c.

F2) = 2a Elevando ambos os membros ao quadrado. obtemos: Elevando novamente ao quadrado: Como a > c então a2 .d(P.c2 > 0. pelo teorema de Pitágoras.c2 = b2. Então .F1) + d(P. Temos a2 .

O quadro seguinte resume as principais características da elipse com focos sobre o eixo ox: A excentricidade (e) da elipse é o quociente entre a semi-distância focal e o semieixo maior (0<e<1). Elipse com focos sobre o eixo oy: F1=(0.c)
 
 .

F2=(0. vem que De acordo com a figura.-c) Temos a < b e pelo teorema de Pitágoras. a equação será: O quadro seguinte resume as principais características da elipse com focos sobre o eixo oy:
 .

os focos estão próximos do centro e a excentricidade é muito pequena. Para cada uma das elipses consideradas. podemos ainda admitir uma translação segundo um vector Tomemos como exemplo a elipse de equação A equação da nova elipse obtém-se da anterior .Nota: A circunferência é um caso particular da elipse. Para elipses muito próximas da circunferência. cuja excentricidade (desvio do centro) é nula.

substituindo x por x-x1 e y por y-y1: O centro da nova elipse é (x1. 
 Os eixos de simetria desta elipse são: x = x1 e y = y1. y1) . Da equação da circunferência para a equação da elipse Seja .

a equação reduzida de uma elipse. deste modo. cuja equação é: . uma circunferência de centro na origem e raio r. Obtemos.

A distância entre os focos é a distância focal (2c).
 Os pontos fixos são os focos da hipérbole.Hipérbole Definição: Hipérbole é o conjunto dos pontos do plano tais que o módulo da diferença das distâncias a dois pontos fixos é constante e menor que a distância entre eles. Hipérbole com focos sobre ox: F1= (c. 0) F1= (c. 0) .
 Ao eixo que contém os focos chama-se eixo transverso.

logo c >a e c2a2>0. vem: Elevando ambos os membros ao quadrado. Seja P=(x. obtemos: Pela definição sabemos que 2c >2a . y) um ponto qualquer da hipérbole. .Seja 2a a constante a que se refere a definição. Fazendo vem.

Hipérbole com focos sobre oy: .A excentricidade é o quociente entre a semidistância focal e o semi-eixo transverso. Este quociente é sempre superior a 1 dado que 0< a< c.

e por isso dizem-se hipérboles conjugadas. .Temos Seguindo o método anterior para esta hipérbole encontramos a seguinte equação As duas hipérboles que acabámos de referir nos quadros anteriores (uma com focos sobre ox e a outra com focos sobre oy) possuem as mesmas assimptotas.

cujas assimptotas são perpendiculares. ou seja: Observe o seguinte quadro: .Um caso particular da hipérbole: Chamam-se hipérboles equiláteras às hipérboles tais que a=b. As assimptotas são as bissectrizes dos quadrantes. ou seja. e a excentricidade é: A equação reduzida é: ou consoante os focos estejam no eixo das abcissas ou no eixo das ordenadas. Deste modo.

Considerando um triângulo com os seus vértices sobre uma hipérbole equilátera. o ortocentro do triângulo (ponto de encontro das alturas) também estará sobre a hipérbole. se quatro pontos forem ortocêntricos. Dito de outra maneira. então existirá uma família de hipérboles equiláteras passando pelos quatro pontos. O conjunto de pontos formado pelos centros dessas hipérboles equiláteras constitui a circunferência dos nove pontos do triângulo. .

Se quatro pontos não forem ortocêntricos então existirá uma única hipérbole equilátera passando por eles e o seu centro será o ponto de intersecção das quatro circunferências de nove pontos dos triângulos obtidos ao tomar três dos pontos de partida de cada vez. Para cada uma das hipérboles consideradas podemos ainda imaginar uma translação segundo um vector O centro da nova hipérbole é: Por exemplo. partindo da equação .


 Ao ponto fixo chama-se foco.Obtemos a seguinte equação reduzida: Parábola Definição: Uma parábola é o conjunto dos pontos do plano equidistantes de um ponto fixo e de uma recta. . que não contém o ponto.
 A recta que é perpendicular à directriz e contém o vértice e o foco é o eixo de simetria da parábola. À recta chama-se directriz.

.Consideremos a parábola de vértice na origem. que tem para directriz a recta: e como foco o ponto: Seja um ponto qualquer da parábola considerada.

Nestas condições temos: Ou seja. O quadro seguinte apresenta-lhe as principais . sendo p o parâmetro da parábola (distância do foco à directriz).

e=1. Tem-se. quando o eixo de simetria é o eixo das abcissas: A excentricidade (e) da parábola indica a razão das distâncias de qualquer um dos seus pontos ao foco e à directriz.características da parábola quando o eixo de simetria é o eixo das ordenadas: Veja agora o caso em que a directriz é horizontal. portanto. ou seja. Para cada uma das parábolas consideradas podese ainda admitir uma translação segundo um .

por exemplo .vector: Se considerarmos. a parábola de equação: Obtemos a seguinte equação reduzida: (substituindo x por x-x0 e y por y-y0) .

Exercícios Elipse .

Exercícios Parábola .

.

Exercícos Hipérbole .