Instituto Superior Técnico

Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores (LEIC) – Alameda 2005-2006 – 1º Semestre

Empreendedorismo de Base Tecnológica
Rui Baptista
http://in3.dem.ist.utl.pt/pp/rbaptista/0506ebt/

Análise da Oportunidade de Negócio

Rui Baptista . ou satisfaz uma necessidade importante.Características de uma Oportunidade Atractiva O produto (bem ou serviço): cria ou acrescenta valor (utilidade) significativo às actividades do cliente.Instituto Superior Técnico . pelo que o cliente está disposto a pagar um prémio pela sua aquisição A equipa que se propõe explorar a oportunidade dispõe das valências tecnológicas adequadas. e o mercado potencial para o produto encontra-se em crescimento e está receptivo a um novo produto A dimensão do mercado e a margem do preço sobre os custos permite uma recuperação do investimento satisfatória para os padrões da indústria e para as exigências dos financiadores Existe um equilíbrio entre risco (probabilidade de insucesso x custo do insucesso) e recompensa (probabilidade de sucesso x ganho resultante do sucesso) 3 Empreendedorismo de Base Tecnológica . ou resolve um problema significativo.

Critérios de Avaliação de uma Oportunidade de Negócio (Timmons) Indústria e Mercado/Clientes Vantagem Competitiva Economia e Finanças Ajustamento/Adequação da Equipa de Gestão Estratégia de Inovação e Diferenciação Avaliação Geral–Falhas Potencialmente Fatais 4 Empreendedorismo de Base Tecnológica .Rui Baptista .Instituto Superior Técnico .

Critérios de Avaliação: Questões a que é Necessário Responder Valor do produto para os clientes Accessibilidade e receptividade dos clientes Durabilidade do produto (potencial para o aparecimento de substitutos) Capacidade financeira dos clientes Vantagens competitivas: “First mover” (primeiro produto deste tipo no mercado) Grau de controlo sobre custos (tecnologia) e preços (mercado) Protecção de propriedade intelectual Know-how específico à esquipa empreendedora Relações especiais ou vantagens contratuais com clientes e/ou fornecedores Criação de valor: Período de recuperação do investimento e rentabilidade para os investidores Dimensão das necessidades de investimento Estratégias de saída 5 Empreendedorismo de Base Tecnológica .Rui Baptista .Instituto Superior Técnico .

Instituto Superior Técnico .Critérios de Avaliação da Oportunidade: Mercado e Clientes Necessidade a satisfazer/problema a resolver Benefício/valor para os clientes Descrição/segmentação dos clientes Sustentabilidade da procura (fidelização de clientes) Estrutura do mercado–concorrência e rivalidade Dimensão do mercado Taxa de crescimento do mercado Tendências dominantes no mercado – tecnologia e preferências Quota de mercado potencial para o produto 6 Empreendedorismo de Base Tecnológica .Rui Baptista .

canais de distribuição próprios. até ao aparecimento de substitutos próximos Fontes de vantagem competitiva: tecnologia de produto (protecção). contratos de exclusividade com fornecedores. tecnologia. custos. contactos priviligiados com elementos da indústria 7 Empreendedorismo de Base Tecnológica . potencial reacção à entrada de novos concorrentes Barreiras à entrada: custos de mudança (switching costs) tecnologia e necessidades iniciais de capital – desenvolvimento do produto. tecnologia de processo (vantagem de custos). infra-estruturas de produção e dstribuição. promoção Lead Time: durabilidade da vantagem do novo produto.Instituto Superior Técnico .Critérios de Avaliação da Oportunidade: Concorrência e Vantagem Competitiva Avaliação da concorrência: produtos. quota de mercado.Rui Baptista .

Instituto Superior Técnico .Critérios de Avaliação da Oportunidade: avaliação económica e financeira Necessidades de capital/investimento inicial Capacidade de uso gradual de recursos e de aumento gradual da escala de produção – financiamento por bootstraping (i.e. utilização de lucros para financiar crescimento) Período de tempo até à obtenção de cash-flows positivos Cash-flows e resultados antes de impostos e encargos financeiros Margens sobre os custos operacionais e margens de lucro Período de recuperação do investimento ROI – rentabilidade do investimento 8 Empreendedorismo de Base Tecnológica .Rui Baptista .

falência 9 Empreendedorismo de Base Tecnológica .Instituto Superior Técnico .Rui Baptista .Critérios de Avaliação da Oportunidade: Soluções de Saída/Crescimento (Harvest) Valor do Negócio: o que o mercado estiver disposto a pagar: Avaliação estratégica: potencial de crescimento e lucros futuros Avaliação de activos e custos de capital Financiamento do crescimento e entrada no mercado de capitais Possibilidades de saída: fusão/aquisição. venda de direitos de propriedade intelectual.

sacrifício pessoal e empenho no negócio 10 Empreendedorismo de Base Tecnológica .Critérios de Avaliação da Oportunidade: Equipa de Gestão “Capital Empreendedor”: Conhecimento tecnológico e da indústria/mercado Integridade e honestidade intelectual Capacidade de trabalho em equipa Equilíbrio e complementaridade ao nível psicológico e de valências/conhecimentos Visões e objectivos comuns quanto ao futuro Pontos fortes e fracos da equipa: conhecimentos tecnológico.Rui Baptista .Instituto Superior Técnico . de mercado e de gestão.

custos de oportunidade Ajustamento da recompensa financeira ao esforço realizado e ao timing de saída Compatibilidade de estilo de vida com o grau de envolvimento 11 Empreendedorismo de Base Tecnológica .Critérios de Avaliação da Oportunidade: Adequação Pessoal Equilíbrio entre risco (probabilidade de insucesso x custo do insucesso) e recompensa (probabilidade de sucesso x ganho resultante do sucesso) Ligação de objectivos de realização pessoal ao sucesso da empresa Timing.Instituto Superior Técnico . carreira.Rui Baptista .

equipa empreendedora e recursos Risco/recompensa: upside (ganhos na eventualidade de sucesso) vs.Rui Baptista .Critérios de Avaliação da Oportunidade: Avaliação Geral Adequação entre oportunidade.Instituto Superior Técnico . downside (perdas na eventualidade de insucesso Falhas potencialmente fatais para o Negócio Decisão de avançar ou não com o negócio 12 Empreendedorismo de Base Tecnológica .

Rui Baptista . uma nova empresa pode beneficiar da criação de barreiras à entrada que a favorecem se conseguirem criar uma massa crítica de clientes – efeitos de rede.Tecnologia. maiores custos de promoção. Oportunidade e Estratégia Lead Times: ao introduzir um produto/tecnologia inovador.Instituto Superior Técnico . identificação com o produto. maiores dificuldades de financiamento 13 Empreendedorismo de Base Tecnológica . imagem inovadora Timing de entrada: empresas líderes em inovação enfrentam maiores custos de entrada no mercado: maiores custos de desenvolvimento do produto maior incerteza quanto à reacção dos potenciais clientes.

estabelecimento de parcerias para desenvolvimento do produto.Instituto Superior Técnico .Rui Baptista . associação do produto à empresa Criação de relações priviligiadas com fornecedores e clientes. contratos exclusivos de distribuição Aprendizagem da tecnologia e do funcionamento do mercado permite desenvolvimento e introdução mais rápida de novas versões Influência decisiva sobre o funcionamento do mercado Conquista da atenção de grandes empresas com capacidade de investimento 14 Empreendedorismo de Base Tecnológica .First Mover Advantage Vantagens associadas à introdução de um produto inovador no mercado: Conquista de uma massa crítica de clientes Imagem de marca inovadora.

Sustentabilidade da First Mover Advantage – Riscos A empresa “pioneira” não consegue fidelizar uma massa crítica de clientes. ou devido a custos de aprendizagem elevados Problemas de desenvolvimento e “juventude” prejudicam a imagem do produto junto dos consumidores O novo produto não tem vantagens de custo ou diferenciação significativas Novos produtos e tecnologias superiores são lançados rapidamente por concorrentes Insuficiente protecção da propriedade intelectual: concorrentes podem imitar o produto sem enfrentar os mesmos custos de I&D da empresa “pioneira” Entrada de um concorrente de grande dimensão e com maior capacidade de financiamento reduz preços e margens para empresas “pioneiras” A empresa “pioneira” não dispõe de valências organizacionais e conhecimento do mercado que lhe permitam explorar a oportunidade com sucesso 15 Empreendedorismo de Base Tecnológica .Instituto Superior Técnico .Rui Baptista . criar switching costs Os clientes potenciais resistem à adopção do novo devido a inadaptação ao funcionamento ou interface. i.e.

Rui Baptista .O Conhecimento Tecnológico como “Bem Público”: Implicações para o Financiamento de I&D e NEBTs Não-rivalidade: o uso de conhecimento tecnológico por um indivíduo não impede o seu uso por outros indivíduos. por outro lado. o custo de replicar nova tecnologia é trivial quando comparado com o custo da sua criação e desenvolvimento Dificuldade de exclusão: embora seja possível atribuír direitos de propriedade do uso e exploração de novo conhecimento tecnológico aos seus criadores. isto significa que é possível a uma segunda empresa (fast second) chegar rapidamente ao mercado com um produto semelhante ao “pioneiro”. obtendo receitas sem ter enfrentado os custos do seu desenvolvimento. tornando o investimento em I&D menos atractivo 16 Empreendedorismo de Base Tecnológica . a própria natureza desse conhecimento determina a maior ou menor facilidade de uso ou imitação por outrem No caso do desenvolvimento e exploração de uma ideia de base tecnológica.Instituto Superior Técnico .

Timing Óptimo para a Introdução de uma Inovação no Mercado Receitas Custos Receitas Líquidas Totais de Comercialização Caso 2 Receitas Líquidas Totais de Comercialização Caso 1 Custos Totais de I&D Tempo T2 T1 17 Empreendedorismo de Base Tecnológica .Instituto Superior Técnico .Rui Baptista .

maior a probabilidade de introduzir a inovação mais rapidamente Quanto maior a diferença entre o lucro actual e o lucro esperado após a introdução do novo produto. maior a probabilidade de introduzir a inovação mais rapidamente Quanto menor o lucro associado à tecnologia presentemente utilizada pela empresa. maior a probabilidade de introduzir a inovação mais rapidamente – i.e.O Timing da introdução de Inovações e a Vantagem de “Fast Seconds” Quanto maior e mais rápido o lucro esperado com a introdução da inovação.Instituto Superior Técnico .Rui Baptista . novas empresas têm maior incentivo para a introdução de novas tecnologias/produtos 18 Empreendedorismo de Base Tecnológica .

geograficamente dispersos) Oportunidade: operadores frustrados por insificientes recursos e informação. serviços de apoio legal. Dimensão do mercado: elevada.Caso – Securities OnLine: Oportunidade/Produto/Cliente Produto: informação rápida e facilmente acessível sobre mercados de capitais emergentes no Leste Europeu (maior risco/rentabilidade– maior necessidade de informação) Clientes: Serviços financeiros. empresas (sofisticados. com necessidades diversificadas.Rui Baptista . com grande potencial de cresciumento Clientes utilizam múltiplos serviços – baixos swtching costs Procura sujeita a flutuações políticas e macroeconómicas 19 Empreendedorismo de Base Tecnológica . outros serviços de informação financeira. bancos de investimentos.Instituto Superior Técnico . anunciantes.

à medida que o leque de serviços oferecidos se alarga Diferenciação do produto: qualidade e fiabilidade do conteúdo. mas com potencial de crescimento rápido Barreiras à entrada reduzidas Possíveis fontes de vantagem competitiva: First mover advantage Tecnologia: baixos custos de implementação.Instituto Superior Técnico . distribuição rápida.Rui Baptista .Caso – Securities OnLine: Estrutura do Mercado: Vantagens Concorrência: presentemente reduzida/inexistente. apresentação e tratamento de informação. segmentação por tipo de consumidor/informação pretendida Equipa empreendedora domina tecnologia de produção e recolha e tratamento de conteúdos 20 Empreendedorismo de Base Tecnológica . baixos custos de operação. mas com perspectiva de aumentar rapidamente.

pelo que o aumento da concorrência reduzirá rapidamente a first mover advantage Limites à diferenciação de produto – conteúdos e análise – pelo que os switching costs são reduzidos Grandes operadores de informação financeira (Reuters.Instituto Superior Técnico . e acesso rápido a esse conteúdo. Bloomberg) poderão entrar no mercado brevemente. beneficiando de uma base de clientes estabelecida Risco tecnológico: trade-off entre qualidade e quantidade do conteúdo.Rui Baptista . segurança e integridade dos dados Instabilidade política e macroeconómica 21 Empreendedorismo de Base Tecnológica .Caso – Securities OnLine: Estrutura do Mercado: Riscos Produto facilmente imitável – barreiras à entrada reduzidas mantémse depois da entrada.

5% (A) Margem de vendas esperada: 24% (C). elevadas economias de escala Sustentabilidade fortemente condicionada pelo risco de entrada rápida de concorrentes fortes devido às reduzidas barreiras à entrada e pela instabilidade politico-económica Cash-flow positivo atingido rapidamente: 13-14 meses Resultados Operacionais: $0.3M (A) no ano 3 ROI no ano 3: 36% (C). $1.5M (C).Caso – Securities OnLine: Factores Economicos e Financeiros Necessidades de investimento reduzidas: $0. -31. 26% (A) VAL: $2.514M no cenário “conservador” (C).Rui Baptista .022M no cenário agressivo (A) Uso de recursos gradual.Instituto Superior Técnico . $5.5M (A) 22 Empreendedorismo de Base Tecnológica .7M (C). $1.

Journal) Investidores locais 23 Empreendedorismo de Base Tecnológica . IPO (mercado de capitais). capital de risco Investidores potenciais: Grandes operadores de informação financeira Grandes empresas multimedia (canais televisivos de informação financeira) Clientes associados: serviços financeiros.Instituto Superior Técnico . Wall St. outros operadores de informação financeira (FT. banca de investimentos.Rui Baptista .Caso – Securities OnLine: Soluções de Crescimento/Saída Hipóteses de crescimento: fusão/aquisição.

Rui Baptista . mantendo o mesmo nível de valências 24 Empreendedorismo de Base Tecnológica . parcialmente compensada por um “advisory board” Demonstração de comprometimento com o negócio.Instituto Superior Técnico . abandonando oportunidades de emprego vantajosas Questão: capacidade de aumentar os recursos humanos ao nível tecnológico e de gestão à medida que o negócio cresce.Caso – Securities OnLine: Equipa de Empreendedores Forte preparação tecnológica Reduzida experiência empresarial.

e entre a empresa e a base de clientes Risco de flutuações económicas e financeiras.Caso – Securities OnLine: Avaliação Geral Bom ajustamento entre oportunidade. equipa e recursos ao nível tecnológico e do mercado Risco/recompensa: upside inicialmente elevado (first mover advantage. base de clientes e tecnologia) permitem avaliar o negócio favoravelmente em caso de aquisição Falhas potenciais: Problemas de coordenação entre uma equipa dispersa geograficamente. ligações a operadores locais.Instituto Superior Técnico . afectando mercados de capitais e a avaliação de empresas high tech 25 Empreendedorismo de Base Tecnológica .Rui Baptista . base de clientes potenciais considerável) mas tendendo a reduzir-se com o alargamento da concorrência downside razoável: activos estratégicos (recursos humanos.

Caso – Securities OnLine: Factores Críticos de Sucesso Rapidez na chegada ao mercado Valências tecnológicas. criatividade no design do produto Criação de reputação e relação especial os clientes Qualidade do conteúdo.Instituto Superior Técnico . complexidade do interface Manutenção das condições da envolvente externa First mover advantage Barreiras à entrada/switching costs Evitar problemas operacionais e tecnológicos na implementação 26 Empreendedorismo de Base Tecnológica . contactos locais.Rui Baptista .