TESTES DE PORTUGUÊS FCC

Atenção: As questões de números 1 a 10 referem-se ao texto seguinte. Pós-11/9 Li que em Nova York estão usando “dez de setembro” como adjetivo, significando antigo, ultrapassado. Como em: “Que penteado mais dez de setembro!”. O 11/9 teria mudado o mundo tão radicalmente que tudo o que veio antes – culminando com o day before [dia anterior], o último dia das torres em pé, a última segunda-feira normal e a véspera mais véspera da História – virou preâmbulo. Obviamente, nenhuma normalidade foi tão afetada quanto o cotidiano de Nova York, que vive a psicose do que ainda pode acontecer. Os Estados Unidos descobriram um sentimento inédito de vulnerabilidade e reorganizam suas prioridades para acomodá-las, inclusive sacrificando alguns direitos de seus cidadãos, sem falar no direito de cidadãos estrangeiros não serem bombardeados por eles. Protestos contra a radicalíssima reação americana são vistos como irrealistas e anacrônicos, decididamente “dez de setembro”. Mas fatos inaugurais como o 11/9 também permitem às nações se repensarem no bom sentido, não como submissão à chantagem terrorista, mas para não perder a oportunidade do novo começo, um pouco como Deus – o primeiro autocrítico – fez depois do Dilúvio. Sinais de revisão da política dos Estados Unidos com relação a Israel e os palestinos são exemplos disto. E é certo que nenhuma reunião dos países ricos será como era até 10/9, pelo menos por algum tempo. No caso dos donos do mundo, não se devem esperar exames de consciência mais profundos ou atos de contrição mais espetaculares, mas o 1

TESTES DE PORTUGUÊS FCC

instinto de sobrevivência também é um caminho para a virtude. O horror de 11/9 teve o efeito paradoxalmente contrário de me fazer acreditar mais na humanidade. A questão é: o que acabou em 11/9 foi prólogo, exatamente, de quê? Seja o que for, será diferente. Inclusive por uma questão de moda, já que ninguém vai querer ser chamado de “dez de setembro” na rua. (Luis Fernando Verissimo, O mundo é bárbaro) 1. (Advogado- Nossa Caixa- 2011) Já se afirmou a respeito de Luis Fernando Verissimo, autor do texto aqui apresentado: "trata-se de um escritor que consegue dar seriedade ao humor e graça à gravidade, sendo ao mesmo tempo humorista inspirado e ensaísta profundo". Essa rara combinação de planos e tons distintos pode ser adequadamente ilustrada por meio destes segmentos do texto: I. Que penteado mais dez de setembro! e Os Estados Unidos descobriram um sentimento inédito de vulnerabilidade. II. um pouco como Deus – o primeiro autocrítico – fez depois do Dilúvio e o instinto de sobrevivência também é um caminho para a virtude. III. fatos inaugurais como o 11/9 também permitem às nações se repensarem e não se devem esperar exames de consciência mais profundos. Em relação ao texto, atende ao enunciado desta questão o que se transcreve em (A) I, II e III. (B) I e II, apenas. (C) II e III, apenas. (D) I e III, apenas. (E) II, apenas. 2. (Advogado- Nossa Caixa- 2011) Considerando-se o contexto, traduz-se adequadamente o sentido de um segmento em: (A) significando antigo, ultrapassado (1º parágrafo) = conotando nostálgico, recorrente. (B) reorganizam suas prioridades para acomodá-las (1o parágrafo) = ratificam suas metas para as estabilizarem. (C) atos de contrição mais espetaculares (2º parágrafo) = demonstrações mais grandiosas de arrependimento.

(D) teve o efeito paradoxalmente contrário (2º parágrafo) = decorreu de uma irônica contradição. 2

TESTES DE PORTUGUÊS FCC

(E) foi prólogo, exatamente, de quê? (3º parágrafo) = a que mesmo serviu de pretexto? 3. (Advogado- Nossa Caixa- 2011) Ao comentar a tragédia de 11 de setembro, o autor observa que ela (A) foi uma espécie de prólogo de uma série de muitas outras manifestações terroristas. (B) exigiria das autoridades americanas a adoção de medidas de segurança muito mais drásticas que as então vigentes. (C) estimularia a população novaiorquina a tornar mais estreitos os até então frouxos laços de solidariedade. (D) abriu uma oportunidade para que os americanos venham a se avaliar como nação e a trilhar um novo caminho. (E) faria com que os americanos passassem a ostentar com ainda maior orgulho seu decantado nacionalismo. 4. (Advogado- Nossa Caixa- 2011) Estão plenamente observadas as normas de concordância verbal na frase: (A) Sobrevieram à tragédia de 11/9 consequências profundas, como a psicose coletiva a que se renderam muitos cidadãos novaiorquinos. (B) Agregou-se ao cotidiano de Nova York, a despeito das medidas de segurança, sentimentos de medo e desconfiança generalizados. (C) Uma certa soberba, característica dos americanos, mesmo depois do atentado de 11/9 não se aplacaram. (D) Muitas vezes decorre de uma grande tragédia coletiva, como a de 11/9, sentimentos confusos, como os da humilhação, da revolta e da impotência. (E) Sobrevivem até mesmo depois de grandes tragédias a tendência dos homens ao prosaísmo e ao mau gosto, como no uso da expressão dez de setembro. 5. (Advogado- Nossa Caixa- 2011) Está adequado o emprego de ambos os elementos sublinhados na frase: (A) A obsolescência e o anacronismo, atributos nos quais os americanos manifestam todo seu desprezo, passaram a se enfeixar com a expressão dez de setembro. (B) O estado de psicose, ao qual imergiram tantos americanos, levou à adoção de medidas de segurança em cuja radicalidade muitos recriminam. (C) A sensação de que o 11/9 foi um prólogo de algo ao qual ninguém se arrisca a pronunciar é um indício do pasmo no qual foram tomados tantos americanos. (D) Não é à descrença, sentimento com que nos sentimos invadidos depois de uma tragédia, é na esperança que queremos nos apegar. (E) Fatos como os de 11/9, com que ninguém espera se deparar, são também lições terríveis, de cujo significado não se deve esquecer. 6. (Advogado- Nossa Caixa- 2011) Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto:

(A) De fato, humor ferino e crítica lúcida podem convergir em um mesmo texto, como é o caso dessa crônica exemplar de Luis Fernando Verissimo. 3

passam a constituir um marco histórico − seja pela gravidade que tiveram. seja pela gravidade que tiveram em si mesmos. além de eventuais entrevistas em que ele concede. (Advogado. mesmo se considerando tímido. seja pela gravidade que tiveram em si mesmos. seja pelas consequências que dele derivaram projetadas em escala mundial. projetadas em escala mundial. (B) Há eventos que como o 11 de setembro. na ordem dada. 8. não se devem esperar exames de consciência mais profundos. (Advogado. que dele derivaram.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (B) Há casos exemplares de crônicas como esta. a mordacidade e a análise sabem conviver de modo a que pareçam naturais. passam a constituir um marco histórico. aonde a ironia. (C) Há eventos que como o 11 de setembro. e o mundo acompanhou essa tragédia pela TV. por (A) acompanhou-a . (C) Este autor tem conseguido viver apenas do que escreve. (Advogado. ou por que é comum que as grandes tragédias impliquem em silêncio.a atribuiu . como o 11 de setembro. projetadas em escala mundial.lhe tomar (B) acompanhou-a .Nossa Caixa. (D) Há eventos que. (E) a expressão donos do mundo leva o verbo ao plural.2011) Está inteiramente adequada a pontuação do seguinte período: (A) Há eventos que como o 11 de setembro.tomá-la (E) lhe acompanhou . A princípio. passam a constituir um marco histórico.Nossa Caixa. (E) Poucos autores se pronunciaram sobre o 11/9. com base na proporção desses fatos e do sentido de autocrítica que contribui para ambos. é correto afirmar que (A) a construção verbal é um exemplo de voz ativa.lhe atribuiu .Nossa Caixa. seja por que em respeito aos sacrificados. 7. Evitam-se as viciosas repetições da frase acima substituindo-se os elementos sublinhados.a tomar 9. (D) O autor equipara o 11/9 ao Dilúvio bíblico. projetadas em escala mundial. seja pelas consequências que dele derivaram.tomar-lhe (D) acompanhou-a .lhe atribuiu . muitos chegaram a tomar essa tragédia como um grave acidente aéreo. (B) a partícula se tem a mesma função que em E se ela não vier? (C) a forma plural devem concorda com exames.2011) Na frase No caso dos donos do mundo. seja pelas consequências. em si mesmos.a atribuiu .tomá-la (C) lhe acompanhou . ninguém atribuiu a essa tragédia a dimensão que ela acabou ganhando. (D) ocorre um exemplo de indeterminação do sujeito. que tiveram em si mesmos.atribuiu-lhe . 4 . passam a constituir um marco histórico seja pela gravidade.2011) Em 11 de setembro ocorreu a tragédia que marcou o início deste século. seja pelas consequências que dele derivaram.

provocar reações muito estridentes. com humildade. o polêmico artigo "Estará o Google nos tornando estúpidos?" O texto ganhou a capa da revista e. As reações mais estridentes nem sempre têm fundamentos científicos. sim. (E) Ainda que se considere um episódio obviamente trágico. os verdadeiros fundamentos científicos deveriam. que ficou evidenciada com o bemsucedido ataque terrorista às torres gêmeas. (B) Uma das consequências do trágico episódio de 11/9 foi o bombardeio a que os Estados Unidos submeteram o Iraque. Carr mergulha em dezenas de estudos científicos sobre o funcionamento do cérebro humano. seja pela gravidade que tiveram em si mesmos. um livro instrutivo e provocativo. uma análise crítica de si mesmos.Nossa Caixa. desde sua publicação. encontra-se entre os mais lidos de seu website. seja pelas consequências que. (Advogado. Conclui que a internet está provocando danos em partes do cérebro que constituem a base do que entendemos como inteligência. (D) Jamais os Estados Unidos haviam tomado consciência de sua vulnerabilidade. 10.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (E) Há eventos. na revista The Atlantic. passam a constituir um marco histórico. país tomado como bode expiatório. no caso da internet. derivaram projetadas em escala mundial. Nicholas Carr assinou. além de nos tornar menos sensíveis a sentimentos como compaixão 5 . Curiosamente. (C) O significado que a expressão dez de setembro passou a ter depois do trágico atentado denota a preocupação dos americanos com o que está ou não na moda. O autor nos brinda agora com The Shallows: What the internet is doing with our brains. Atenção: As questões de números 11 a 16 baseiam-se no texto abaixo. que dosa linguagem fluida com a melhor tradição dos livros de disseminação científica. Novas tecnologias costumam provocar incerteza e medo. as torres gêmeas constituíam um símbolo da opulência capitalista e da alta tecnologia americana. dele. que como o 11 de setembro. os países mais poderosos não estão habituados a fazer.2011) A má construção exige que se dê nova redação à seguinte frase: (A) Por se sentirem donos do mundo. Em 2008.

Segundo o autor. quanto mais a utilizamos. 6 . mas de mudanças substanciais físicas e funcionais. Saltamos textos e imagens. (Thomaz Wood Jr. p. com adaptações) 11. (Agente Administrativo-MPE/RS 2010) O assunto do texto está corretamente resumido em: (A) O uso da internet deveria motivar reações contrárias de inúmeros especialistas. ainda pouco estudadas e explicitadas em termos científicos. agora experimentam diante de textos mais longos e elaborados: as sensações de impaciência e de sonolência. traçando um caminho errático pelas páginas eletrônicas. depois de anos de exposição à internet. E não se trata apenas de pequenas alterações. (B) O mundo virtual oferecido pela internet propicia o desenvolvimento de diversas capacidades cerebrais em todos aqueles que se dedicam a essa navegação. que procura descobrir as conexões entre raciocínio lógico e estudos científicos sobre o funcionamento do cérebro. Essa dispersão da atenção vem à custa da capacidade de concentração e de reflexão. adestra nossa habilidade de tomar pequenas decisões. 72. a exemplo de Nicholas Carr. "entramos em um ambiente que promove uma leitura apressada. imersos no mundo virtual. Carta capital. com base em estudos científicos sobre o impacto da internet no cérebro humano. mais nossas mentes são afetadas. rasa e distraída." A internet converteu-se em uma ferramenta poderosa para a transformação do nosso cérebro e. esse ganho se dá à custa da perda da capacidade de alimentar nossa memória de longa duração e estabelecer raciocínios mais sofisticados. Carr menciona a dificuldade que muitos de nós. O frenesi hipertextual da internet. No entanto.TESTES DE PORTUGUÊS FCC e piedade. quando navegamos na rede. estimulados pela carga gigantesca de informações. 27 de outubro de 2010. com seus múltiplos e incessantes estímulos. e um aprendizado superficial.

baseadas em dezenas de estudos científicos sobre o funcionamento do cérebro humano. por conter uma informação. ironicamente oferecida pela própria internet. desde o início. (E) O novo livro de Nicholas Carr. as novas tecnologias. comprometendo a afirmativa de que as novas tecnologias provocam incerteza e medo. (E) questiona a ausência de fundamentos científicos que. sim. (E) A sequência de parágrafos é feita com coerência. O autor. o uso frequente da internet produz alterações no funcionamento do cérebro. pelas facilidades de percepção e de domínio de assuntos diversificados e de formatos diferenciados de textos. 12. (. no caso da internet. provocar reações muito estridentes. (C) Identifica-se uma incoerência no desenvolvimento do texto. 13.. por haver progressão articulada do assunto que vem sendo desenvolvido. [. está isolado dos demais. a respeito das publicações de um especialista. embora os sites sejam os mais lidos. (Agente Administrativo-MPE/RS 2010) O segmento inteiramente denotativo é: (A) O autor nos brinda agora com The Shallows: What the internet is doing with our brains. provocar reações muito estridentes. cujo uso indiscriminado vem provocando danos em partes do cérebro. os verdadeiros fundamentos científicos deveriam. sim. (B) Carr mergulha em dezenas de estudos científicos sobre o funcionamento do cérebro humano. especialmente. (D) considera. em seu website. pois estimula leituras superficiais e distraídas. (Agente Administrativo-MPE/RS 2010) Curiosamente. (B) O 1o parágrafo.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (C) Segundo Nicholas Carr. 7 . (C) condena.) que dosa linguagem fluida com a melhor tradição dos livros de disseminação cientifica.] deveriam. tendo em vista que cada um deles trata. no caso da internet. trazidas pelo uso disseminado da internet. isoladamente. está correta a afirmativa: (A) Os quatro parágrafos do texto são independentes. (D) No 3o parágrafo há comprometimento da clareza quanto aos reais prejuízos causados ao funcionamento do cérebro pelo uso intensivo da internet. (Agente Administrativo-MPE/RS 2010) Em relação à estrutura textual... (D) Usar a internet estimula funções cerebrais. como base inicial de constatação a respeito do uso da internet. 14. dispensável no contexto. a ser publicado. (A) se vale da enorme projeção conferida ao pesquisador antes citado. de uma situação diferente sobre a internet. (B) apoia-se nas conclusões de Nicholas Carr.. para embasar a opinião exposta no 2º parágrafo. comprometendo a formulação de raciocínios mais sofisticados. que ela nos torna menos sensíveis a sentimentos como compaixão e piedade. que permitem uma leitura dinâmica e de acordo com o interesse do usuário. desperta a curiosidade do leitor pelo tratamento ficcional que seu autor aplica a situações concretas do funcionamento do cérebro.

. (C) I e III. (3o parágrafo) Considere as afirmativas seguintes: I... 16.. (C) explicação redundante − pois há a perda da capacidade de concentração e de atenção. sem alteração do sentido original. II e III. (D) ressalva indispensável − embora se perca a capacidade de concentração e de atenção. agora experimentam diante de textos mais longos e elaborados: as sensações de impaciência e de sonolência . esse ganho se dá à custa de alimentar nossa memória de longa duração e estabelecer raciocínios mais sofisticados.. somente.. A presença do sinal de crase é facultativa. (B) consequência inesperada − perdendo-se a capacidade de concentração e de atenção.. experimentamos. traçando um caminho errático pelas páginas eletrônicas. 15. (Agente Administrativo-MPE/RS 2010) Essa dispersão da atenção vem à custa da capacidade de concentração e de reflexão. (E) finalidade tardia − para que haja a perda da capacidade de concentração e de atenção. A concordância verbal estaria inteiramente respeitada.. depois de anos de exposição à internet.. somente. Também nas cidades de porte médio. somente...... pois internet é palavra originária do inglês. (E) I. Atenção: As questões de números 17 a 20 baseiam-se no texto abaixo. por . O segmento introduzido pelos dois pontos explica a dificuldade decorrente da acentuada exposição à internet. (final do texto) O segmento grifado estabelece na frase relação de . adaptada ao nosso idioma..TESTES DE PORTUGUÊS FCC (C) ... (B) II. somente. As lacunas acima estarão corretamente preenchidas por: (A) causa imediata − devido à perda da capacidade de concentração e de reflexão. III. (Agente Administrativo-MPE/RS 2010) Carr menciona a dificuldade que muitos de nós. II. Está correto o que se afirma em: (A) I. (D) II e III.. localizadas nas vizinhanças das regiões metropolitanas do Sudeste e do Sul do 8 . (D) Conclui que a internet está provocando danos em partes do cérebro . com o verbo experimentar flexionado na 1ª pessoa do plural. (E) Saltamos textos e imagens. e pode ser substituído.

mas perdem muito tempo em congestionamentos. 11 de setembro de 2010. mesmo perdendo tempo em congestionamentos e apesar dos alertas das autoridades sobre os danos provocados ao meio ambiente pelo aumento da frota. A3. tiveram suas frotas aumentadas em progressão geométrica nos últimos anos. congestionamentos. Em consequência. Não por acaso oito Estados já registram mais mortes por acidentes no trânsito do que por homicídios. A sua necessidade vem muitas vezes em segundo lugar. 9 . as pessoas tendem cada vez mais a optar pelo carro para seus deslocamentos diários. como mostram dados do Departamento Nacional de Trânsito. Há 35. carro continua a ser sinônimo de status para milhões de brasileiros de todas as regiões. um crescimento de 66% nos últimos nove anos. E os brasileiros desses municípios passaram a utilizar seus carros até para percorrer curtas distâncias. com custo de vida menos elevado que o das capitais. A facilidade de crédito e a isenção de impostos são alguns dos elementos que têm colaborado para a realização do sonho de ter um carro.3 milhões de veículos em todo o país. Paulo.TESTES DE PORTUGUÊS FCC país. baixo índice de desemprego e poder aquisitivo mais alto. A afirmativa final do texto surge como (A) constatação baseada no fato de que os brasileiros desejam possuir um carro. Notas e Informações. (O Estado de S. acidentes. poluição e altos custos de manutenção da malha viária passaram a fazer parte da lista dos principais problemas desses municípios. (Agente Administrativo-MPE/RS 2010) Não por acaso oito Estados já registram mais mortes por acidentes no trânsito do que por homicídios. Além disso. Cidades menores. com adaptações) 17.

constitui o maior sonho de consumo do brasileiro. com lógica e correção. com danos provocados ao meio ambiente. (D) Nas grandes cidades. tem aumentado consideravelmente a frota de carros particulares. (E) O carro próprio. evidente em inúmeras cidades. aumentaram suas frotas em progressão geométrica nos últimos anos.. baixo índice de desemprego e poder aquisitivo mais alto. (C) comprovação de que a compra de um carro é sinônimo de status e. se respira nessas regiões. 19..... problema que se agrava.. (D) hipótese de que a vida nas cidades menores tem perdido qualidade... a população das grandes cidades deixe seu carro na garagem. (B) O controle da poluição do ar nas grandes cidades é um assunto ....... elementos que têm colaborado para a aquisição de carros que passaram a ser utilizados até mesmo para percorrer curtas distâncias. que são alguns dos elementos que têm colaborado para a realização do sonho dos brasileiros de ter um carro. apesar dos congestionamentos e dos alertas das autoridades sobre os danos provocados ao meio ambiente.. (Agente Administrativo-MPE/RS 2010) As ideias mais importantes contidas no 2º parágrafo constam. com custo de vida menos elevado que o das capitais. com a facilidade de crédito e a isenção de impostos... os moradores dependem de transporte coletivo eficiente. que tiveram suas frotas aumentadas em progressão geométrica nos últimos anos pela facilidade de crédito e a isenção 10 ... (B) Cidades menores tiveram suas frotas aumentadas em progressão geométrica nos últimos anos em razão da facilidade de crédito e da isenção de impostos. . (D) É nas cidades menores.. (C) O menor custo de vida em cidades menores. sonham muitos brasileiros. 18. pode afetar a qualidade do ar ... (E) conclusão coerente com todo o desenvolvimento. se trata em todas as discussões sobre o meio ambiente.. pois os brasileiros desses municípios passaram a utilizar seus carros até para percorrer curtas distâncias. a partir de um título que poderia ser: Carro. além dos congestionamentos e dos alertas das autoridades sobre os danos provocados ao meio ambiente pelo aumento da frota. por isso. (C) Seria necessário propiciar transporte de qualidade .TESTES DE PORTUGUÊS FCC (B) observação irônica quanto aos problemas decorrentes do aumento na utilização de carros.. (Agente Administrativo-MPE/RS 2010) A expressão pronominal em que preenche corretamente a lacuna da frase: (A) O aumento da frota de veículos. e os brasileiros desses municípios passaram a utilizar seus carros para percorrer curtas distâncias. de: (A) A facilidade de crédito e a isenção de impostos são alguns elementos que tem colaborado para a realização do sonho de ter um carro nas cidades menores.. . tornou-se possível com a oferta de crédito e a isenção de impostos. com baixo índice de desemprego e poder aquisitivo mais alto.

e com custo de vida menos elevado que o das capitais. A arte do vitral desenvolveu-se enormemente durante o período medieval. que depende de transporte coletivo para ir e vir do trabalho diariamente. constituíam as principais técnicas de pintura utilizadas pelo homem. para fugir da violência e do estresse urbano. (B) Em cidades maiores. mas nessas cidades existe bons sistemas de transporte coletivo e as pessoas usam seus carros apenas para viagens e passeios de fins de semana. para desestimular o uso de veículos particulares no dia a dia das cidades. 20. com o desenvolvimento da arquitetura. é necessário os investimentos na expansão de sistemas integrados de transporte coletivo. da cultura e das sociedades. pela facilidade de crédito e a isenção de impostos. porém. a relação estabelecida no século XII. Atenção: As questões de números 21 a 29 baseiam-se no texto abaixo. A origem dos vitrais é objeto de controvérsias. (D) O número de automóveis nos países desenvolvidos costumam ser mais elevados. quando as pinturas sobre vidro. (Agente Administrativo-MPE/RS 2010) A concordância verbal e nominal está inteiramente correta em: (A) A redução da emissão de partículas poluentes pelo escapamento dos carros é uma das metas que devem ser atingidas pelos órgãos responsáveis pela organização do trânsito nas grandes cidades. do gosto. 11 . serve para a criação de sombras e tonalidades. que são elementos que têm colaborado para a realização do sonho de tê-los. juntamente com os afrescos e as miniaturas. (E) No caso das regiões metropolitanas brasileiras. (E) Os brasileiros de cidades menores passaram até a percorrer curtas distâncias com seus carros. inúmeros moradores. a pintura complementa o colorido dos vidros. Talvez eles tenham nascido no Oriente. enfim. se mudou para condomínios fechados próximos e passou a depender de carro para seus deslocamentos. tiveram suas frotas aumentadas em progressão geométrica nos últimos anos. para o aprimoramento das formas. temas e funções transformaram-se com o apuro das técnicas de fabricação de vidros. mas se desenvolveram grandemente na Europa. (C) O planejamento urbano das grandes e médias cidades nem sempre acompanharam os deslocamentos de grandes contingentes da população. de tendências artísticas. Manter-se-ia. Nos vitrais. Suas formas. para a modulação da luz. baixo índice de desemprego e poder aquisitivo mais alto.TESTES DE PORTUGUÊS FCC de impostos são alguns dos elementos que tem colaborado para a realização do sonho de ter um carro.

a monumentalização dos edifícios públicos e o requinte arquitetônico das residências. correspondeu à fase moderna do desenvolvimento da arte de produzir vitrais. como palácios e sedes de corporações. além das funções decorativas. as imagens formam um conjunto das representações que.TESTES DE PORTUGUÊS FCC momento em que. As representações neles contidas se estenderam. as composições de vidros coloridos passaram a vedar grandes superfícies das igrejas e. com a afirmação do gótico como expressão da arquitetura. os vitrais passaram a ser utilizados como formas de iluminação dos ambientes e a pintura dos vidros adotou a perspectiva. Entre os séculos XIV e XVI. a utilização de vidros coloridos e pintados. para a heráldica. o que tornava os vitrais semelhantes aos quadros. montados em perfis de chumbo para decoração e iluminação de ambientes. beleza e integração com o projeto arquitetônico. com a expansão de novos bairros. Sua utilização ampliou-se dos espaços públicos. 12 . para as caçadas e para a mitologia. Na capital. por meio de imagens. ganharam funções pedagógicas. então. dos Santos e passagens da Bíblia. criaram e reafirmaram um perfil de São Paulo diante do Brasil. Representando temas históricos ou referentes às funções públicas dos edifícios. ampliouse a partir da virada do século passado. a vida de Cristo. Até hoje vitrais de edifícios públicos paulistanos. para os ambientes privados. No Estado de São Paulo. ensinando aos fiéis. para as epopeias. como os do Palácio da Justiça e do Mercado Municipal. causam admiração pela proporção. a partir do fim do século anterior. em especial das igrejas.

(B) se associam. (D) lembram a divulgação na Europa. Leitura. constituem importantes documentos históricos. com adaptações) 21. e o desenvolvimento da arquitetura. (B) se identifica semelhança entre os temas representados de início nos vitrais das igrejas e o emprego desses mesmos temas em residências. 22.TESTES DE PORTUGUÊS FCC Sob esse ponto de vista. ao espírito religioso. (Marly Rodrigues. (E) constituíram as primeiras formas de pintura utilizadas pelo homem. 32-34. os vitrais expressam por meio do poder das imagens a tradição. (E) poderia ser contraditório manter-se ainda hoje um trabalho feito por artesãos. além de peças de arte. porque não se sabe onde eles surgiram primeiramente. os vitrais (A) perderam seu objetivo pedagógico quando passaram a decorar as mansões de poderosos industriais paulistas. ano 18. (D) é difícil estabelecer a importância dos vitrais em séculos passados. os vitrais. (Agente de Estação-Metrô-2010) Segundo o texto. como no ensinamento da doutrina cristã. desde o início. no seu início. parte de nosso patrimônio histórico e objetos de fruição de beleza. deixando-se de lado o atual desenvolvimento das indústrias. (C) demonstram intenção primordial de indicar o prestígio social dos moradores de alguns edifícios mais amplos e espaçosos. Produtos materiais de cultura. número 1. 13 . janeiro de 2000. justificando papeis e responsabilidades sociais. bem anteriores à época medieval. pp. Publicação cultural da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. Eles nos falam do forjar de ideias que se tornaram referência e moldam nossa relação com o passado e com o presente. antes do século XII. dos princípios religiosos que marcaram o cristianismo. a determinação e o progresso. (Agente de Estação-Metrô-2010) O texto deixa claro que (A) se torna impossível considerar os vitrais como obras de arte por faltar a eles a originalidade no tratamento dos temas. o trabalho. (C) existe relação bastante próxima entre a confecção e o uso de vitrais. a excelência econômica e cultural de São Paulo. tanto na construção de igrejas.

passaram a ser usados em prédios públicos. (E) acrescenta novas opiniões a respeito da antiga presença de vitrais em igrejas. de acordo com o texto. como patrimônio histórico. (Agente de Estação-Metrô-2010) Nos 2º . como se fazia antigamente. reduziu a importância antes atribuída pelos poderosos a essa arte. (C) traz informações sobre a arte de confecção dos vitrais e seu papel histórico. (C) ao desprestígio que cerca atualmente os motivos dos antigos vitrais das igrejas paulistanas. (Agente de Estação-Metrô-2010) No último parágrafo do texto há referência explícita (A) às imagens trazidas da Europa reaproveitadas nos edifícios de São Paulo. devido ao desinteresse por um tipo de artesanato já ultrapassado. (D) Os jogos de luz e sombra associados às cores dos vitrais só passaram a ser valorizados após a utilização da perspectiva nos desenhos apresentados. 14 . tendo havido. 3º e 4º parágrafos. (D) com a expansão de novos bairros = a partir do aumento da população. (D) à representação de cenas que destacam a importância de São Paulo no território nacional. sem alteração do sentido original. tornou-se desnecessário com o desenvolvimento da arquitetura. é: (A) é objeto de controvérsias = suscita opiniões divergentes. (E) A arte moderna deixou de lado a confecção de vitrais. (C) passaram a vedar grandes superfícies das igrejas =tornaram-se elementos de decoração religiosa. 25. devido à industrialização de São Paulo. principalmente em São Paulo. 26. mudança nos temas neles representados. a autora (A) condena. (B) A mudança de temas dos vitrais. (B) apresenta informações históricas sobre o início da difusão do cristianismo. (C) O emprego de vitrais na vedação de grandes espaços nas construções. a alteração dos temas apresentados nos vitrais. portanto. (B) com o apuro das técnicas de fabricação de vidros =quando o vidro passou a ser fabricado. (B) ao abandono atual da arte de confecção de vitrais. indiretamente. antes recursos de vedação de igrejas. (E) o requinte arquitetônico das residências = a preocupação com a construção de casas. que levou ao abandono dos assuntos religiosos. (D) valoriza especialmente os elementos religiosos representados nos vitrais.TESTES DE PORTUGUÊS FCC 23. 24. (Agente de Estação-Metrô-2010) A expressão cujo sentido está transcrito com outras palavras. é: (A) Os vitrais. (E) à manutenção do espírito religioso medieval nos temas dos vitrais dos edifícios paulistanos. (Agente de Estação-Metrô-2010) A afirmativa correta.

... (B) salienta o valor artístico expresso pelos vitrais. (perder) Atenção: As questões de números 30 a 35 baseiam-se no texto abaixo. temas e funções transformaram-se com o apuro das técnicas de fabricação de vidros .. (D) indica a importância histórica dos vitrais. Cada vez que se conhece um novo estudo sobre o transporte na Região Metropolitana de São Paulo cresce a perplexidade.. (trabalhar) (E) O material e o acervo do século XX em São Paulo se . (final do texto) A expressão grifada acima (A) realça o poder econômico traduzido nos vitrais. (Agente de Estação-Metrô-2010) .. (relacionar) (D) Extraviou-se grande parte do registro das atividades dos profissionais que .. ampliou-se a partir da virada do século passado ... (Agente de Estação-Metrô-2010) Produtos materiais de cultura. a força do trabalho e o progresso de São Paulo. (C) .... .. (E) retoma informações sobre a origem dos vitrais.... (E) Na capital. 15 .. à fabricação de vitrais em São Paulo... 29.. (1º parágrafo) O verbo flexionado nos mesmos tempo e modo em que se encontra o grifado acima está na frase: (A) Talvez eles tenham nascido no Oriente . (B) Suas formas. (D) .... E não foi diferente com o mais recente estudo.... grandemente com o desenvolvimento econômico da cidade... constituíam as principais técnicas de pintura utilizadas pelo homem.. juntamente com os afrescos e as miniaturas. (Agente de Estação-Metrô-2010) O verbo entre parênteses no final de cada frase deverá ser corretamente flexionado no singular para preencher a lacuna da frase: (A) Artistas italianos. em grande parte devido à onda de demolições.... a pintura complementa o colorido dos vidros .. quando as pinturas sobre vidro.. parte de nosso patrimônio histórico e objetos de fruição de beleza ..TESTES DE PORTUGUÊS FCC 27.. (atestar) (C) A história dos vitrais em São Paulo se .. (dedicar-se) (B) Os magníficos vitrais do Mercado Municipal . (C) opõe a intenção artística dos vitrais ao objetivo pedagógico.. já desde o final do século XIX.. o que tornava os vitrais semelhantes aos quadros.. 28.. para embelezar a cidade.

que valem (pelo salário médio) R$ 14. O deslocamento mais frequente é a pé.60 milhões. E não é só. eles seriam suficientes para. A perplexidade aumenta diante dos custos crescentes e da ausência de alternativas nas políticas públicas. com o número de horas consumido nos deslocamentos. O especialista Nelson Choueri calculou. O estudo de Marcos Fernandes.09 milhões para 3. porque nesse período a frota de carros particulares passou de 3. passaram a abranger as que ganham a partir de R$ 1. mas com o tempo de percurso cada vez maior.53 milhões. Trabalho e educação são as maiores causas de deslocamentos. por 30%. mais do que em ônibus e em trens. perdem-se 165 vidas úteis por dia (em horas de trabalho) ou cerca de 50 mil por ano.520 −. há alguns anos. implantar o metrô em toda a cidade. Se esse valor pudesse ser convertido em investimentos. Nesse espaço de tempo a população da área aumentou de 16. Vê-se ali que o tempo consumido pelos deslocamentos cresce a cada investigação (está. Os veículos coletivos respondem por 55% do transporte e os automóveis. E cada vez mais pessoas deslocam-se em automóveis − em 1997 eram principalmente as que ganhavam mais de R$ 3. que.040 e. 10 minutos mais do que há uma década). com o tempo consumido nos deslocamentos em São Paulo.79 milhões para 19. mostra que. na média. da Fundação Getúlio Vargas. as pessoas poderão desperdiçar milhões de reais em um tempo determinado. em 70 minutos por pessoa. em duas décadas.TESTES DE PORTUGUÊS FCC que abrangeu 59 municípios e consultou 90 mil pessoas.4 bilhões anuais. As pessoas consomem 20% de seu tempo 16 . 10 anos depois.

O deslocamento de uma pessoa por automóvel consome 26 vezes mais energia que o mesmo percurso em metrô.TESTES DE PORTUGUÊS FCC "útil" no transporte. (D) o transporte está inteiramente voltado para seu objetivo. (Washington Novaes. (Agente de Estação-Metrô-2010) O autor do texto 17 . com adaptações) 30. 31. e são conduzidos por motoristas que trabalham de 20 a 30 horas seguidas. (E) as condições de transporte assumem importância maior do que o devido na cidade de São Paulo. a Associação Nacional de Transportes Públicos tem clamado que na cidade de São Paulo o transporte já ocupa mais de 50% do espaço total. é algumas vezes mais barato − que. Paulo. (C) o transporte público já é predominante na região metropolitana de São Paulo. praças. em razão dos prejuízos a que elas dão origem. cada vez mais sucateado. 10 de abril de 2009.É correto perceber da frase acima que (A) os meios de transporte na região metropolitana são insuficientes para atender a toda a população que necessita deles. (B) o objetivo maior dos transportes em São Paulo é sempre respeitado. Por essas e outras. garagens e estacionamentos. o de facilitar o deslocamento de pessoas de um a outro lado da cidade. apesar de certa demora nos deslocamentos de pessoas. somando ruas. sem inspeção veicular. E esse não é o único desperdício: 93% das cargas no Estado de São Paulo são transportadas por caminhões − quando o transporte ferroviário. em média. O rendimento energético de um veículo individual não passa de 30% − o restante se perde como calor. O que deveria ser meio passa a ser fim em si mesmo. O Estado de S. avenidas. têm 20 anos de uso. (Agente de Estação-Metrô-2010) O que deveria ser meio passa a ser fim em si mesmo. A2 Espaço Aberto. por atender a um considerável número de pessoas.

é: (A) Os dados obtidos em pesquisas sobre o trânsito paulistano nem sempre são utilizados com eficácia para resolver todos os problemas da região metropolitana. (C) I e III. (D) chama a atenção para a retomada do transporte ferroviário. (E) O aumento no número de veículos nas ruas gera perdas significativas no transporte de pessoas e de mercadorias na Região Metropolitana de São Paulo. (Agente de Estação-Metrô-2010) Considere as afirmativas seguintes sobre os sinais de pontuação empregados no 4º parágrafo: I. pelas facilidades trazidas pelo uso dos carros. de custos menores. (C) denuncia as condições de trabalho dos profissionais envolvidos com o transporte. que ofereceria a melhor solução para o trânsito em São Paulo. em razão da enorme extensão da cidade e sua população. contra a preferência por carros. deixa implícita uma observação crítica à predominância do transporte rodoviário em São Paulo. chamando atenção para o tempo perdido no trânsito.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (A) se vale de dados estatísticos para justificar suas observações críticas sobre a situação dos transportes em toda a região metropolitana. como os caminhoneiros. em número cada vez maior na cidade. somente. considerando-se o que diz o texto. Todo o comentário sobre o transporte ferroviário. por não haver possibilidades de soluções nem a curto nem a longo prazo. (D) II e III. 18 . (B) defende as determinações das autoridades públicas relativas ao trânsito de São Paulo. II. 32. (B) I e II. (D) Os números obtidos sobre as condições de transporte em São Paulo são assustadores. que não têm as horas necessárias ao descanso. 33. Está correto o que consta em (A) II. somente. somente. somente. isolado por travessões. (Agente de Estação-Metrô-2010) A afirmativa correta. (E) considera a eficiência dos transportes públicos em São Paulo. As aspas na palavra "útil" denotam um sentido diferente do habitual para seu emprego. (B) Os deslocamentos por automóvel nas ruas de São Paulo têm sido a melhor opção para os congestionamentos do trânsito. Os dois-pontos assinalam a introdução de um segmento que vem explicar a afirmativa imediatamente anterior. (C) As ruas de São Paulo devem sofrer intervenções do poder público para haver condições mais favoráveis à circulação dos veículos e das pessoas. III.

. a construção foi cancelada. então. (D) . sem inspeção veicular . por 30%.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (E) I... (Agente de Estação-Metrô-2010) A concordância verbo-nominal está inteiramente correta na frase: (A) Os meios de transporte na cidade de São Paulo ainda provoca insatisfação. já que as ruas recebem todos os dias um número maior de carros.. especialmente em relação ao tempo que gasta as pessoas que dependem dele. (E) Além da perda de tempo precioso no trânsito. A narrativa bíblica da Torre de Babel conta que Deus se enfureceu ao notar que os homens sonhavam com o reino dos céus e construíam uma torre para alcançá-lo. (C) As preocupações de dirigentes em todo o mundo se volta para os problemas da emissão de poluentes que comprometem a saúde das pessoas. 34. para a história é uma bênção. Se na Bíblia a pluralidade linguística era uma condenação..60 milhões. 35. sua história. em média.. que.09 milhões para 3. os pedestres estão sujeitos a respirar o ar poluído pelas emissões de gases tóxicos dos escapamentos dos veículos. (C) E esse não é o único desperdício . (B) Os deslocamentos em toda a região metropolitana está cada vez mais demorado. porque nesse período a frota de carros particulares passou de 3. que trabalham de 20 a 30 horas seguidas. (E) . (D) O rodízio de carros.. Logo. pois mostra a riqueza da humanidade. seus costumes e 19 ... II e III. (B) Os veículos coletivos respondem por 55% do transporte e os automóveis. já deveriam ser revistos. (Agente de Estação-Metrô-2010) O deslocamento de uma pessoa por automóvel consome 26 vezes mais energia . têm 20 anos de uso. cada um dos homens começou a falar uma língua diferente e. pois tem dado poucos resultados satisfatórios. que se instalaram há algum tempo na cidade. Atenção: As questões de números 36 a 40 baseiam-se no texto abaixo.. puni-los por sua arrogância. com a comunicação comprometida. Resolveu... (4o parágrafo) A frase cujo verbo exige o mesmo tipo de complemento que o grifado acima é: (A) . Os idiomas guardam a alma de um povo.

Para ele. o Iphan montou o Grupo de Trabalho da Diversidade Linguística do Brasil (GTDL). divulgado pela Unesco. linguista colaborador do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e coordenador da área de linguística do Museu Emílio Goeldi. antropólogo. mas nem sempre foi assim. Segundo o americano Denny Moore. as informações sobre o Brasil devem ser vistas com cautela − muitas das línguas citadas são extremamente parecidas e inteligíveis entre si e poderiam ser consideradas pelos linguistas como o mesmo idioma. passados de geração em geração. contempla a situação de 155 países e divide os idiomas na categoria extinta e em outras quatro de risco. e os idiomas falados por descendentes de estrangeiros simbolizavam falta de patriotismo.078 línguas indígenas. Com o objetivo de entender melhor nosso universo linguístico. o governo reconhece a importância de preservar esse patrimônio imaterial. O Atlas das línguas do mundo em perigo de desaparecer 2009. Para colonizar o país e catequizar os povos indígenas. 12 desapareceram e as demais estão em risco. todas indígenas. Durante o governo Getúlio Vargas defendeu-se a nacionalização do ensino. Dessas. em 1500 eram faladas 1. Segundo historiadores. em Belém. que se dedica à criação de um inventário de línguas brasileiras. o documento deixou de fora os dialetos de descendentes de imigrantes e de grupos afrobrasileiros por falta de dados sistematizados sobre eles − es ma-se que sejam 20 línguas. Ele apresenta a situação de 190 línguas brasileiras. Hoje. os descobridores forçaram o aprendizado do português. Por 20 .TESTES DE PORTUGUÊS FCC conhecimentos.

38. precisa ainda ser revisto. 21 . (Agente de Estação-Metrô-2010) Segundo o especialista americano citado no texto. é comum também que um idioma mais forte. (B) as falhas observadas no Atlas da Unesco se justificam porque não se dispõe de registros escritos confiáveis das línguas indígenas. caíram em desuso. como garantia de sucesso em qualquer atividade. faladas no Brasil. com mais pessoas que o utilizam em grandes centros. tomadas em épocas diferentes por autoridades de governo. (E) o levantamento feito das línguas em extinção no mundo peca por falta de estudos mais específicos sobre esses idiomas. (C) indica as condições em que ocorreu a extinção ou a diminuição do número de idiomas no território brasileiro. Em tempos de globalização. (D) o número exato de línguas faladas no Brasil. 11/3/2009. devido às semelhanças existentes entre algumas delas. (A) o grupo de trabalho montado pelo Iphan deve encontrar dificuldades em identificar as línguas de origem africana faladas no Brasil. sufoque um mais fraco. (B) divergência entre a punição narrada na Bíblia e a visão do autor quanto à diversidade linguística. pp. Mas por que as línguas desaparecem? Por diversos motivos. 37. (E) importância da participação de todos os envolvidos. com adaptações) 36. deverá ocorrer em breve. (C) superioridade do poder divino diante da pretensão humana de superar as dificuldades rotineiras da vida. Istoé.60-62. (Agente de Estação-Metrô-2010) Por isso.TESTES DE PORTUGUÊS FCC isso. (B) faz a defesa de medidas restritivas a certos idiomas. (C) a sistematização das línguas de origem africana e de descendentes de estrangeiros. (3o parágrafo) A expressão grifada na frase acima (A) retoma as causas que resultaram na extinção de muitos falares indígenas e de idiomas estrangeiros no Brasil. caíram em desuso. (Cláudia Jordão. como a morte de seu último falante. (Agente de Estação-Metrô-2010) É correto perceber no texto a (A) dificuldade de especialistas em descobrir as razões do abandono de uma determinada língua por seus falantes. (D) necessidade de um planejamento adequado para a realização de trabalhos que desafiam a capacidade humana.

Durante toda a histó- 22 .. "Nenhum homem é uma ilha". (E) .. (E) Durante o governo Getúlio Vargas defendeu-se a nacionalização do ensino.. cada um dos homens começou a falar uma língua diferente.. o governo reconhece a importância de preservar esse patrimônio imaterial . (3o parágrafo) A expressão grifada acima estabelece relação de sentido com a afirmativa de que: (A) Logo. porém. (C) . tem um alicerce na realidade ou nos sentimentos humanos – e esse não é exceção. (Agente de Estação-Metrô-2010) Hoje..... 39. caíram em desuso.. como garantia de preservação da história de um povo. o documento deixou de fora os dialetos de descendentes de imigrantes e de grupos afrobrasileiros por falta de dados sistematizados sobre eles. (2º parágrafo) O verbo flexionado nos mesmos tempo e modo que o grifado acima está na frase: (A) .. sua história. guardam a alma de um povo. Atenção: As questões de números 4 1 a 50 baseiam-se no texto abaixo. e os idiomas falados por descendentes de estrangeiros simbolizavam falta de patriotismo.. (D) ... que um idioma mais forte (.. seus costumes e conhecimentos. (Agente de Estação-Metrô-2010) . estima-se que sejam 20 línguas.) sufoque um mais fraco.... 40. sua história. cada um dos homens começou a falar uma língua diferente e. (C) . (B) Os idiomas guardam a alma de um povo. muitas das línguas citadas são extremamente parecidas e inteligíveis entre si e poderiam ser consideradas pelos linguistas como o mesmo idioma. seus costumes e conhecimentos.. (B) Se na Bíblia a pluralidade linguística era uma condenação. frase que atravessaria os séculos como um dos lugares-comuns mais citados de todos os tempos.. Todo lugar-comum. a construção foi cancelada.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (D) aponta consequências da dificuldade de entendimento entre falantes de línguas diferentes num mesmo território. passados de geração em geração. com a comunicação comprometida. escreveu o inglês John Donne em 1624..... (E) salienta a finalidade principal da existência de múltiplas línguas. (D) Por isso..

com suas relações próximas. a perplexidade diante do fim e a dúvida sobre o propósito da existência. Em certos aspectos partiu o continente humano em um arquipélago tão fragmentado que uma pessoa pode se sentir totalmente separada das demais. sejam nítidas). em particular. As mulheres saíram de casa para o trabalho. entretanto. foi trocado em massa pelas cidades. o de um continente. onde vigora o anonimato. o medo da velhice e da morte. e a instituição da 23 . mas porque se dirige àquelas questões de alma que sempre atormentam os homens. abraça e se interliga. o século XX foi pródigo em abalos de natureza social que reconfiguraram o modo como vivemos. em particular. um relevo que se espraia. como séculos de filosofia já explicitaram. é um dos nossos instintos básicos. O campo. de uma autoajuda que se pode descrever como espiritual. Como a perda de uma pessoa querida.TESTES DE PORTUGUÊS FCC ria da espécie. a dificuldade de conviver com os próprios defeitos e os alheios. Vencer tal distância e se reunir aos outros. A vida moderna. conflitos com os pais e os filhos. a biologia e a cultura conspiraram juntas para que a vida humana adquirisse exatamente esse contorno. às vezes. E é a ele que atende um setor do mercado editorial que cresce a passos largos: o da autoajuda e. alterou-o de maneira drástica. porém. As mudanças que conduziram a isso não são poucas nem sutis: na sua segunda metade. Não porque tenha necessariamente tonalidades religiosas (embora elas. a rejeição ou o abandono. Questões que. e esmagadoras quando se está só. a frustração com as aspirações que não se realizaram. nem sempre têm solução clara – mas que são suportáveis quando se tem com quem dividir seu peso.

(E) os homens são dependentes uns dos outros por natureza. mas também implicava conselhos e experiência. 141–143. Essa é a lacuna da vida moderna que a autoajuda vem se propondo a preencher: esse sentido de desconexão que faz com que em certas ocasiões cada um se sinta como uma ilha desgarrada do continente e sem meios de se reunir novamente a ele. 2 de dezembro de 2009. originava fofoca e intromissão.TESTES DE PORTUGUÊS FCC "comadre" virtualmente desapareceu. pp. embora eles vivam em sociedade. é certo. distintos das ilhas. valores sólidos e afeição desprendida. com adaptações) 41. Veja. que não aumenta nem diminui em função do sucesso ou da beleza. o que acrescenta ansiedade e reduz as chances de fazer amizades verdadeiras no local de trabalho. as famílias encolheram drasticamente não só em número de filhos mas também em sua extensão. por decisão própria. (Agente Legislativo-SP) A afirmativa inicial do texto significa. (Isabela Boscov e Silvia Rogar. aumentando o número de contatos de que se desfruta. (D) o isolamento entre os homens pode fazer parte de sua natureza. A vida profissional se tornou terrivelmente competitiva. como num arquipélago. permitindo maior aproximação entre elas. Também o celular e o computador fazem sua parte. situações de afastamento dos demais. que são isoladas por definição. (B) todos os homens podem usufruir. 24 . à semelhança de uma ilha. (Agente Legislativo-SP) De acordo com o texto. que (A) o fato de uma pessoa se manter isolada das demais é um dos aspectos inerentes à natureza humana. (C) o sentimento coletivo transforma os homens num aglomerado de ilhas. 42. Desmanchou-se também a ligação quase compulsória que se tinha com a religião. mas reduzindo sua profundidade e qualidade. em outras palavras. Perdeu-se aquela vasta rede de segurança que. (A) as mudanças sociais ocorridas no século XX alteraram o modo de vida das pessoas.

(Agente Legislativo. (Agente Legislativo. é: (A) um alicerce na realidade = uma base na existência efetiva. (A) às condições impostas tanto pela biologia quanto pela cultura ao modo de vida que se desenhou nos dias de hoje. (C) Há relação de causa e consequência no segmento um arquipélago tão fragmentado que uma pessoa pode se sentir totalmente separada das demais. corretamente. (D) às questões existenciais que se agravaram diante da percepção de isolamento existente nas contingências da vida moderna. (C) a ausência de um verdadeiro sentimento religioso induz as pessoas a uma insatisfação que marca até mesmo as relações de trabalho na sociedade moderna. (E) a ligação quase compulsória = uma convicção extrema. (D) a beleza e o sucesso pessoal passaram a ser mais importantes na vida moderna. expressa por porém. com a consciência de que cada um é parte de um todo social. (C) à retomada do espírito de união que sempre caracterizou os agrupamentos humanos. aproximando os homens em torno de serviços oferecidos pelas cidades. (3º parágrafo) A expressão grifada refere-se. está INCORRETO o que se afirma em: (A) O parágrafo se articula com o 1º por meio de uma ressalva.. (E) Substituindo-se o segmento grifado em quando se está só por estamos.SP) As mudanças que conduziram a isso não são poucas nem sutis. com outras palavras. (C) um arquipélago tão fragmentado = ilhas de relevo acidentado. (B) O segmento grifado em partiu o continente humano pode ser substituído por partiu-lhe. como alternativa à perda do antigo sentimento religioso.SP) A expressão cujo sentido está corretamente transcrito. (E) a vida moderna instituiu novos padrões e valores que regem a sociedade. 45. (Agente Legislativo.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (B) a transformação de um mundo rural em uma sociedade urbana favoreceu o surgimento de uma rede de contatos pessoais mais próximos. (B) ao crescimento de um tipo de literatura que se difundiu pelo mundo todo.SP) Considerando-se o 2º parágrafo. a palavra só deverá ir obrigatoriamente para o plural – sós.. (B) alterou-o de maneira drástica = substituiu-o paulatinamente. em detrimento das relações de verdadeira e desinteressada afeição. 44. (D) foi pródigo em abalos de natureza social = permitiu algumas alterações na sociedade. 25 . (D) Há nele enumeração de situações que exemplificam as questões de alma que sempre atormentam os homens. 43.

(D) . (E) um setor de autoajuda do mercado editorial. (2º parágrafo) O pronome grifado acima substitui corretamente.. (B) um relevo que se espraia.. considerando-se o contexto. é um dos nossos instintos básicos. (A) um arquipélago fragmentado. que acrescenta ansiedade .. (Agente Legislativo. que conduziram a isso .SP) E é a ele que atende um setor do mercado editorial que cresce a passos largos. que cresce a passos largos . (B) . (Agente Legislativo.. O segmento isolado por parênteses no 2º parágrafo apresenta sentido contraditório no contexto. 48. podendo ser inteiramente descartado.. (Agente Legislativo. (C) um dos nossos instintos básicos.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (E) à certeza de que frases que se tornam repetitivas ao longo do tempo constituem a base da autoajuda.. O emprego das aspas que isolam a 1a frase e a palavra "comadre" no 3º parágrafo tem o mesmo sentido em ambos os casos. O emprego dos dois-pontos no 2o e no final do último parágrafo sinaliza a introdução de segmentos que especificam a afirmativa imediatamente anterior a eles... (D) um dos lugares-comuns mais citados de todos os tempos. tem um alicerce na realidade ou nos sentimentos humanos . Os travessões que se encontram no 1o e no final do 2o parágrafo podem ser corretamente substituídos por vírgulas.... (C) . a respeito do emprego de sinais de pontuação no texto: I. Está correto o que se afirma APENAS em (A) III e IV... as famílias encolheram drasticamente ... porém. (1º parágrafo) A frase cujo verbo exige o mesmo tipo de complemento que o grifado acima é: (A) . tão importante nos dias de hoje. 26 . 47.. IV..SP) Considere as seguintes afirmativas.SP) Todo lugar-comum... 46.. II. III... sem alteração do sentido original.. (E) . sem prejuízo do sentido textual.

. os leitores acreditam.à ... (Agente Legislativo. abrange várias categorias.SP) Orientação espiritual . (E) A literatura de autoajuda constitui.. por: (A) à ..... 49.. (Agente Legislativo. os meios .. (E) I e II. que escritores e pensadores vêm se dedicando. Mas é possível fazer com que uma floresta secundária avance para a condição de floresta nativa? Segundo a diretora de restauração florestal da SOS Mata Atlântica... .. (D) Os livros de autoajuda procuram conduzir as pessoas a obterem com tenacidade tudo aquilo . 50..a ... As lacunas da frase acima estarão corretamente preenchidas. ainda que 27 .. respectivamente..... porque a perplexidade e a dúvida são inevitáveis .. cresce a olhos vistos em todo o mundo..à (E) a .... (B) O conteúdo dos livros de autoajuda.. as florestas secundárias geralmente não conseguem atingir as mesmas condições ecológicas que as primárias.. todas as pessoas é um dos propósitos . serve de inspiração para o sucesso na vida e na carreira profissional. .. (C) II e IV... (D) I e III.. sonham.....a ..a . mas têm o seu valor.. "Uma floresta estabelecida.SP) .. (C) Os leitores estão convictos .a Atenção: As questões de números 51 a 55 baseiam-se no texto abaixo.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (B) II e III. as pessoas recorrem para viver melhor... no momento. condição humana. que faz com que em certas ocasiões ...à . (último parágrafo) A lacuna que deverá ser corretamente preenchida pela expressão grifada acima está em: (A) O mercado editorial de autoajuda. O reflorestamento tem o papel de conservar a biodiversidade da Mata Atlântica e retomar as funções ecológicas que a tornam tão importante..a (C) a .à (D) a . essas publicações serão a inspiração para uma vida mais harmônica e feliz.à (B) à .

que (A) as áreas de florestas replantadas podem ter as mesmas funções ecológicas.SP) Está implícito no texto. "Se ela atingir determinado tamanho. O grau de biodiversidade é um dos principais fatores que diferenciam florestas primárias e secundárias. com adaptações) 51. Também a capacidade de absorver carbono é uma das diferenças entre as duas florestas. Intervenções como corte de cipó e plantio de espécies que funcionem como uma barreira podem contribuir para a restauração e a conservação das florestas. impede o assoreamento dos rios e gera emprego e renda para quem atua na restauração. (Ana Bizzotto. (Agente Legislativo. diz ela. H6. ela explica. 30 de janeiro de 2009. porém apresentam menor diversidade em relação às florestas nativas. a idade média de uma floresta secundária é de seis ou sete anos. 28 . A diretora avalia ainda que a perda de espécies na mata secundária está relacionada ao ambiente mais aberto. já que muitas delas são queimadas mais de uma vez. especialmente a idade e a existência de mata nativa nas proximidades. As florestas secundárias são definitivamente mais vulneráveis do que a primária. principalmente em relação ao fogo. Especial Sustentabilidade. Esse grau depende de vários aspectos. O Estado de S. Paulo. poderá ter funções semelhantes às da mata nativa". absorve água e forma um reservatório natural.TESTES DE PORTUGUÊS FCC secundária. diversidade e microclima adequado. Na Amazônia. A mata secundária sequestra muito mais carbono. como resposta à questão colocada no 1º parágrafo. mas isso não a torna melhor do que a primária." A manutenção de funções ecológicas na floresta secundária depende de seu desenvolvimento.

o que determina diferenças em suas funções. (Agente Legislativo.SP) A mata secundária sequestra muito mais carbono. (E) Matas replantadas podem substituir as nativas com grandes vantagens. 53. (E) o plantio de espécies diferentes na mata secundária pode torná-la até mesmo mais resistente a intempéries do que a mata nativa. 52.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (B) as condições ecológicas de uma floresta secundária são inferiores às da floresta nativa.. isso não a torna melhor do que a primária. considerando-se as enormes diferenças entre elas. não vai se tornar melhor do que a secundária. (D) A constatação de que a vida humana estaria comprometida deteu a exploração descontrolada daquela área de mata nativa.SP) Os verbos grifados estão corretamente flexionados na frase: (A) Após a catástrofe climática que se abateu sobre a região.SP) De acordo com o texto. embora sequestre muito mais carbono. (C) Florestas secundárias e florestas nativas absorvem iguais quantidades de carbono. autoridades se disporam a elaborar projetos que prevessem a exploração sustentável do meio ambiente. a mata secundária sequestra muito mais carbono. (D) Recursos ecológicos de matas nativas podem ser facilmente recuperados. em: (A) A mata secundária. em que sequestra muito mais carbono. (Agente Legislativo. (B) Floresta secundária é mais vulnerável do que a floresta nativa original. (3º parágrafo) A afirmativa acima está corretamente reproduzida. não a torna melhor do que a secundária. 54. (C) A mata secundária não se torna melhor do que a primária. (C) Os consumidores se absteram de comprar produtos de empresas que não consideram a sustentabilidade do planeta. função essencial exercida pelas florestas. comprova a semelhança entre as nativas e as secundárias. (E) A mata primária. a afirmativa correta é: (A) Florestas secundárias recuperam biodiversidade das matas nativas. (C) a dificuldade de comparar os dois tipos de florestas é muito grande. (B) Em vários países. (D) a absorção de carbono. (Agente Legislativo. (E) Com a alteração climática sobreviu o excesso de chuvas que destruiu cidades inteiras com os alagamentos.. (B) Mesmo que isso não a torna melhor do que a primária. (D) A mata primária. 29 . sequestrando muito mais carbono. os responsáveis propuseram a liberação dos recursos necessários para sua reconstrução. onde se sequestra muito mais carbono. mas isso não a torna melhor do que a primária. com outras palavras.

sendo o fígado devorado por uma águia diariamente (os órgãos dos titãs se regeneram). para que a vontade de Zeus fosse cumprida. que furtou do Olimpo e que passou a ser o marco inicial da civilização. compadecido. ao flagelo de ficar acorrentado a um penhasco do monte Cáucaso. é observado os tipos de uso do solo e as características do entorno para traçar o projeto de ação. (C) Deve valer para todos os países as medidas de segurança a ser tomada em relação à preservação de florestas. por exemplo. Atenção: As questões de números 56 a 65 referem-se ao texto que segue. é um dos mais belos: fala de um titã que resolveu ensinar às criaturas o manejo do arado. (Agente Legislativo. até que Hércules. mesmo depois de a ciência ter encontrado explicação para tantos fenômenos. o gigante passou a usar um anel com 30 . Seu sofrimento durou várias eras.TESTES DE PORTUGUÊS FCC 55. (D) Para a restauração de áreas ocupadas por atividades agrícolas. os principais acontecimentos da vida − continuam sugerindo lições. O mito de Prometeu Os mitos − narra vas pelas quais os an gos buscavam explicar. a cunhagem das moedas. como punição por ter possibilitado aos homens um poder divino.SP) A concordância verbal e nominal está inteiramente correta em: (A) Presume-se que já tenha sido extinto muitas espécies da fauna e da flora com a destruição de enormes extensões de florestas. (E) Projetos desenvolvidos por especialistas mostram que é possível conciliar restauração de florestas nativas com o manejo sustentável de seus recursos naturais. Zeus irritou-se com a ousadia de Prometeu e condenouo. a extração de minérios. (B) Os desequilíbrios no ecossistema de uma floresta pode pôr em risco a sobrevivência de certas espécies de plantas. Mas sobretudo lhes estendeu o poder e o uso do fogo. Entretanto. O mito de Prometeu. a escrita. abateu a águia e livrou Prometeu de seu suplício. simbolicamente.

TESTES DE PORTUGUÊS FCC uma pedra retirada do monte − pelo que se poderia dizer que ele continuava preso ao Cáucaso. e se aplica diretamente ao medo de que ocorram queimaduras.BAHIAGÁS-2010) Sobre os mitos. em que o atraso da ciência é compensado por conceitos abstratos. nas quais os deuses inspiram aos homens as melhores qualidades e as mais altas virtudes. que podem advir do abuso do fogo (como não pensar na bomba atômica. (C) narrativas fantasiosas. (Euclides Saturnino. narradas para representar com sabedoria e imaginação os eventos e as grandes questões humanas. (B) construções simbólicas. apresentados como leis da civilização. na leitura do texto. em função de um novo contexto histórico. Os pais sempre aconselham os filhos pequenos a “não brincarem com o fogo”. Em nossos dias. as perigosas consequências da tecnologia mal empregada. pelos quais os espectadores aprendem simbolicamente a conhecer e a enfrentar o poder dos deuses. (Analista de Sistemas. como todo mito. as catástrofes. deve ser sempre reinterpretado. que Zeus irritou-se porque os homens. (D) fábulas filosóficas. Prometeu acorrentado e punido pode lembrar-nos os riscos do progresso. Claro que o aviso é específico. em suma. representadas por titãs. inédito) 56. por meio das quais os deuses ensinam os homens a vencer as forças sobrenaturais. É um mito significativo e.BAHIAGÁS-2010) Atente para as seguintes afirmações: I. passaram a contar com um caminho próprio. Subentende-se. 31 . 57. se alguém não tivesse. a humanidade não teria dado o primeiro passo no rumo da civilização. dominando-o. afirma-se no texto que constituem (A) histórias imaginárias. (E) dramas exemplares. Mas não deixa de ser interessante pensar que. “brincado” com o fogo. qual Prometeu. (Analista de Sistemas. graças à audácia de Prometeu. a cada época. por exemplo?).

BAHIAGÁS-2010) Considerando-se o contexto. (Analista de Sistemas. (D) II e III. 59. (C) pelo que se poderia dizer (2º parágrafo) = a despeito do que se fazia.BAHIAGÁS-2010) As normas de concordância verbal estão plenamente observadas na frase: (A) Todas as eras durante as quais afligiram-no o pior dos sofrimentos.) ao flagelo (2º parágrafo) = impô-lo à humanidade. II e III. representou (A) uma ofensa irreparável ao poder de Zeus e de todos os deuses olímpicos. (C) I e II. dado que em cada contexto histórico seus símbolos podem ganhar nova interpretação. (E) um desafio ao Olimpo. o mito de Prometeu conservou tão somente seu significado positivo. está correto o que se afirma em (A) I. apenas. apenas. (E) o aviso é específico (4º parágrafo) = a advertência é simbólica.BAHIAGÁS-2010) A façanha de Hércules. traduz-se corretamente o sentido de um segmento em: (A) lhes estendeu o poder (1º parágrafo) = concedeu-lhes a potência. graças à qual Prometeu recuperou sua liberdade. que deu início à decadência dos deuses. Prometeu via seu fígado ser devorado diariamente por uma águia. compensado por um ardil conciliatório. pelo qual também os deuses do Olimpo se humanizaram. Com a marcha da civilização. como símbolo maior da capacidade e da iniciativa humanas. 60. III. Os mitos constituem narrativas cujo sentido pode ser atualizado a todo momento. qualquer lampejo criativo que proviesse dos homens. apenas.. em virtude de não admitirem contestação a seus poderes.. (B) Aos deuses irritavam sempre. (Analista de Sistemas. (B) um ato político de conciliação permanente entre os homens e os titãs. (B) I e III. (D) em função de um novo contexto histórico (3º parágrafo) = com o fito de propiciar o inédito. (D) um gesto de compaixão. Em relação ao texto. (E) II. apenas.TESTES DE PORTUGUÊS FCC II. (C) um ato de força e heroísmo. 32 . 58. (B) condenou-o (. (Analista de Sistemas.

(D) Advirtam-se as crianças para que sejam cautelosas com o fogo.) ao flagelo de ficar acorrentado. ensejando duplo sentido. os pais aconselham os filhos a não brincarem com o fogo. (E) Uma vez esclarecida sobre o fogo.BAHIAGÁS-2010) Constituem uma relação de causa e efeito. a criança não terá como queimar-se. podemos lembrar. já que a sedução das chamas só faz aumentar o perigo que estas representam.BAHIAGÁS-2010) Está clara e correta a redação deste livre comentário sobre o texto. (A) O autor chama a atenção de que um mito. consistem nos desafios ao poder de Zeus.BAHIAGÁS-2010) A construção de uma frase pode resultar em ambiguidade. mais cedo ou mais tarde. a sedução do fogo. submisso a novas análises.) a humanidade não teria dado o primeiro passo. (C) Caso os mitos deixassem de possuir uma única significação. (E) Não há como resistir ao fascínio do fogo: embora dominado pelo homem. 62. lançados por um mortal que não o teme. é quase inevitável que venham a queimar-se. continua a seduzi-lo com a dança inefável das mais vivas chamas. 63. embora o sentido deles permaneça sempre em aberto. (D) Provavelmente é o mesmo fascínio dos povos primitivos que os meninos de hoje ainda possam ficar contemplando. (C) Os pais sempre aconselham os filhos pequenos // a “não brincarem com o fogo”. (B) irritou-se com a ousadia de Prometeu // condenou-o (. (B) Não cabem aos estudiosos dos mitos explicá-los em definitivo. (E) não deixa de ser interessante // pensar que (. (C) Porquanto seja perigoso. os segmentos: (A) Os mitos (. Isso NÃO ocorre apenas em: (A) Desde meninos.. 61. (D) Claro que o aviso é específico // medo de que ocorram queimaduras.. com riscos.. bem pode não apenas explicar como aplicar-se a quaisquer fatos contemporâneos. não teríamos como interpretá-los: de vez que também nós nos alteramos no tempo. (D) Caso bem prevenida contra o perigo do fogo. ressurgindo. (Analista de Sistemas. (Analista de Sistemas...TESTES DE PORTUGUÊS FCC (C) Um fundamento das tragédias gregas. nessa ordem. a criança não se queimará. (B) Por ser muito perigoso. deve-se evitar uma criança próxima do fogo. (E) Mesmo com todas as advertências que se faz a uma criança..) continuam sugerindo lições // depois de a ciência ter encontrado explicação para tantos fenômenos. 33 . o filho é aconselhado a não brincar com o fogo. (Analista de Sistemas.

BAHIAGÁS-2010) Os mitos nos acompanham ao longo do tempo.BAHIAGÁS-2010) Está correta a flexão verbal. bem como adequada a correlação entre os tempos e os modos na frase: (A) Zeus teria irritado-se com a ousadia de Prometeu e o havia condenado a estar acorrentado ao monte Cáucaso. O mesmo raciocínio vale para os transportes por terra: a impulsão de um motor. Porque haveremos de tratar os mitos como se fossem embustes. Zeus o teria condenado e acorrentado ao monte Cáucaso. e abateu a águia. (D) Irritado com a ousadia que Prometeu cometesse.TESTES DE PORTUGUÊS FCC 64. por isso é preciso dar aos mitos a atenção que requerem. (Analista de Sistemas. não viesse Hércules a abater a águia e livrá-lo do suplício. por: (A) dar-lhes − os tratar − neles reconhecer (B) dar-lhes − tratar-lhes − reconhecê-los (C) dá-los − os tratar − lhes reconhecer (D) lhes dar − tratar a eles − os reconhecer (E) dar a eles − lhes tratar − reconhecer neles 65. substituindo a de um animal. na história da civilização. quando foi que o fator velocidade passou a ganhar prestígio por si mesmo: o que é mais rápido é sempre melhor. Talvez tudo tenha começado com as experiências pioneiras de viagens e transportes. em vez de reconhecer nos mitos a simbologia inspiradora? Evitam-se as viciosas repetições do texto acima substituindo-se os elementos sublinhados. (E) Prometeu haveria de sofrer por várias eras. pela razão óbvia de que isso diminuiria os custos do empreendimento. É provável que os primeiros navegadores já aspirassem à maior velocidade possível de suas embarcações. criou novo parâmetro para 34 . (B) Seu sofrimento teria durado várias eras. Atenção: As questões de números 66 a 80 referem-se ao texto seguinte. até que Hércules intercedera. respectivamente. (C) O sofrimento de Prometeu duraria várias eras ainda. compadecido que ficou. Alta velocidade Não é fácil precisar. (Analista de Sistemas. quando Hércules o livrara do suplício. os riscos para a segurança e o tédio da tripulação.

melhor. amanhã. minutos. Com o avião. A banda larga faz disparar as imagens na tela de um monitor. horas. O prestígio contemporâneo da velocidade manifesta-se. a velocidade não parece ter muito a fazer. e o de hoje. dias. Quando alguém repousa os olhos numa bela paisagem. atribui-se ao fator velocidade um prestígio tão absoluto que parece tolice querer desconfiar dela: uma das expressões acusatórias e humilhantes é. E continua. impacientes. no campo da informação: quanto mais rápido se divulga. e o espírito ganha tempo para dar-se 35 . Em nossos dias. “devagar. Meninos de sete anos tamborilam os dedos na mesa do computador. quase parando”. como se sabe. nossa devoração progressiva de espaço e tempo. sobretudo. mas certamente não terá como competir com a velocidade do próximo sistema de acesso e navegação. justamente. têm muito a perder – com a aceleração do processo? Estaria nesse caso a qualidade das nossas emoções e das nossas reflexões. São mais intensas as emoções passageiras? A reflexão mais rápida é a mais conseqüente? Nesses domínios da sensibilidade e da consciência. em vez de horas. A informática foi alçada ao trono de divindade e trouxe uma nova ansiedade: o potentíssimo processador de ontem está obsoleto hoje.TESTES DE PORTUGUÊS FCC as viagens: em vez de semanas. Mas por que não ponderar que algumas das capacidades humanas nada têm a ganhar – ao contrário. enquanto aguardam os longos segundos que leva o download de um novo jogo. aplicada a quem não demonstre muita pressa. a imobilidade não é paralisia: a imaginação está ativa. em vez de dias.

. que culminaram com o advento das embarcações a motor. o autor está tratando das (A) prováveis origens da busca da velocidade.) trouxe uma nova ansiedade (.. 36 .. É possível que nossa época tecnológica. Nem sempre a imobilidade corresponde a falta de ação. (Justino Borba.) (C) (.PBGÁS) No primeiro parágrafo do texto. Para um adolescente. inédito) 66. (E) prováveis origens da busca da velocidade... sentimentos e reflexões gastam o tempo que precisam gastar para que a linguagem da música e o encadeamento das idéias se alojem e amadureçam dentro de nós. maravilhada com tantas e tão rápidas conquistas.) (D) (. Amadurecer exige tempo.. (B) primeiras experiências humanas no sistema de transportes.)com a aceleração (.) 68.PBGÁS) A imagem representada na frase Meninos de sete anos tamborilam os dedos na mesa do computador (segundo parágrafo) pode ilustrar a seguinte afirmação do autor do texto: (A) Nesses domínios (..PBGÁS) Considere as seguintes afirmações.. (C) prováveis origens da busca da velocidade.. ( Analista. ( Analista..) sentimentos e reflexões gastam o tempo que precisam gastar (. (D) experiências primitivas dos navegadores. o impacto das grandes novidades traduz-se como paradoxal mistura de sentimento de insegurança e sensação de onipotência.TESTES DE PORTUGUÊS FCC conta de si mesmo... represente para a futura história da civilização uma espécie de adolescência.. (B) A informática (. identificadas com a antiga necessidade de informação e conhecimento... 67. preocupados tão-somente com a rapidez dos deslocamentos.). ( Analista.. que só veio a arrefecer nos tempos modernos. obsessão que permanece viva em nossos dias.. contextualizando-as no último parágrafo do texto: I.) (E) Estaria nesse caso a qualidade das nossas emoções (. a velocidade não parece ter muito a fazer.) capacidades humanas nada têm a ganhar (.. Quando se ouve com atenção uma peça musical ou quando se lê refletidamente um texto consistente.

(E) I. apenas. (D) I e III. (B) pela razão óbvia (primeiro parágrafo) = pelo pretexto alegado. apenas. (D) a aceleração de um processo passa a representar uma perda. no início do quarto parágrafo. 70. (B) Principais responsáveis pelos primeiros meios de transporte. ( Analista. (E) o benefício da transitoriedade se torna evidente.bons romances e belas peças musicais afastam nossa obsessão pela velocidade. 69. (B) o prestígio absoluto da velocidade se impõe inapelavelmente. (C) II e III. ( Analista.nossa reflexão e nossa emoção estariam hoje num invejável patamar. o usuário de um computador parece hipnotizado.refere-se a um tipo de situação em que (A) a aceleração de um processo acarreta óbvios benefícios.TESTES DE PORTUGUÊS FCC II. (D) Uma vez que passe a atrair toda a nossa atenção. (C) alçada ao trono de divindade (segundo parágrafo) =destituída de um patamar honroso. (B) I e II.PBGÁS) Considerando-se o contexto. a tração animal veio a ser substituída pela dos motores. (C) Se fossem mais intensos por serem mais velozes. Está correto o que se afirma em (A) I. apenas. traduz-se corretamente o sentido de uma expressão do texto em: (A) não é fácil precisar (primeiro parágrafo) = é difícil enfrentar a necessidade.PBGÁS) As normas de concordância verbal e nominal estão inteiramente respeitadas na frase: (A) Diante das imagens que na tela se sucede. (C) a reflexão mais rápida é também a mais conseqüente. 71. (D) se alojem e amadureçam dentro de nós (quarto parágrafo) = invistam-se de nossas indecisões.PBGÁS) A expressão nesse caso. 37 . ( Analista.Há domínios humanos em que a busca de velocidade não faz sentido. (E) paradoxal mistura (quarto parágrafo) = combinação contraditória. Tomar consciência de si é um processo que demanda tempo. apenas. II e III. III.

nesta carreira de que nos dispuséramos a participar. (B) No campo da informática é que o prestígio contemporâneo da velocidade tem manifestado-se de forma assim relevante.mais velocidade quisemos imprimir às nossas conquistas tecnológicas.PBGÁS) Apresenta-se de modo adequado a articulação entre tempos e modos verbais na frase: (A) Mais velocidade haja. (B) São belas paisagens. ( Analista. 38 . pagaríamos alto preço por esse ímpeto irracional. 74. (E) A menos que arrefeçamos nossa ânsia de velocidade. (C) Há paisagens aonde nosso olhar se demora prazerosamente. (C) À proporção que nossa ansiedade aumentasse. 73. (D) São belezas de um tempo onde o homem não tinha tanta pressa. ( Analista. (B) há quem atribua.muito embora a própria idéia de novidade se renove quando já for moderna.PBGÁS) A voz verbal da construção atribui-se ao fator velocidade um prestígio tão absoluto permanecerá a mesma caso se substitua o elemento sublinhado por (A) atribuímos. (D) Por mais que se potencie o fator velocidade. em cujas faz bem pousar os olhos. (D) atribuem.na carreira alucinante de que todos estamos participando.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (E) Aos meninos diante das telas não costuma ocorrer que a velocidade que os preocupa acelera também a passagem da infância. cuja sedução nos leva a contemplá-las. 72. (C) é atribuído. mais velocidade estamos a desejar. 75. ( Analista. (B) Mais velocidade houvesse. mais velocidade desejamos.PBGÁS) Está correto o emprego do elemento sublinhado na frase: (A) Há em nosso mundo paisagens belas. parece que nunca haveríamos de estar satisfeitos. (E) costuma-se atribuir. ( Analista. (C) O que está obsoleto hoje era o moderno de ontem. (E) A reação de que toda beleza nos impõe é a calma da contemplação.PBGÁS) Está clara e correta a redação da frase: (A) É tão absoluto o prestígio em que desfruta o fator velocidade que não nos faz sequer suspeitar ser seu preço tão caro.

destituindo a (B) a alçar-se num .corroborando a (D) favorecer-se de um . a aceleração representa pouco para que sejamos bem sucedidos em ambos. sobrepondo-se a qualquer outro critério. não importa onde estejam. para assimilarmos uma bela peça musical? (C) Em sua grande maioria. um paradigma de prestígio absoluto que ninguém se põe a questionar.conquanto (D) haja vista que . ( Analista. (D) Se antigamente. me dispus a ouvir música meu espírito relaxou. manifestam as crianças uma ansiedade que não é estranha aos adultos.PBGÁS) Desde que passou a gozar de um prestígio absoluto.investiu como . na ordem dada. os homens saíam ao mar por razões econômicas.dado que (C) por isso . por (A) desde que . (B) Talvez devamos nos perguntar acerca do tempo subjetivo. viajam por imagens do mundo sem saber o que buscam. representa em nosso dias. sem qualquer necessidade real. (E) Quando se fala em imaginação e em sensibilidade. o fator velocidade. 76.firmou-se como . os internautas.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (D) Na impaciência que demonstram diante de um monitor.portanto (E) apesar disso .tendo em vista que 77....sobrepujando 39 .tanto assim que (B) mas quando ..eximindo-se de (E) desfrutar de um . (E) De duas uma. 78... o prazer da arte pode nos livrar de nossas ansiedades. ou estamos hipnotizados pela velocidade.. ( Analista. ou nos tornamos tão prepotentes.preterindo (C) firmar-se como .consagrou-se a um . A frase acima guardará inteira coerência caso as lacunas sejam preenchidas. há quem viaje pelas telas de um computador. o fator velocidade impôs-se como parâmetro das ações humanas. Substituem de modo adequado as expressões sublinhadas.PBGÁS) A pontuação está inteiramente correta na frase: (A) Deve-se considerar que.. .determinou-se como . com o qual precisemos contar. hoje. que sentimos dominála pondo-a a nosso serviço.. ( Analista..investiu-se a um . respectivamente e sem prejuízo para o sentido da frase acima: (A) desfrutar de um .PBGÁS) Meu dia foi muito agitado. .

um a um.. (E) Sabe-se que.. O jornal New York Times começou a publicar.. (abalar) os inconvenientes de nossa vida tão apressada.. bem maior. para cada soldado morto..TESTES DE PORTUGUÊS FCC 79... A cultura americana. uma outra galeria.. Atenção: As questões de números 81 a 85 referem-se ao texto que segue.. os nomes das 2.. em Nova York... (B) A menos que . Essas pequenas galerias de rostos evocavam.. (B) O valor atribuído à velocidade está prestes à ser substituído por algum parâmetro que leve em conta a ecologia. (E) São muitos os que se . (eximir) de opinar sobre essa moderna e angustiosa ânsia de velocidade.801 vítimas.. ( Analista. (cogitar) de quaisquer outros critérios.PBGÁS) O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se numa forma do singular para preencher corretamente a lacuna da frase: (A) A ninguém ... tais obsessões pela velocidade nos custarão muito caro. o fator velocidade reina absoluto. (C) Desde que se alçou à tal poder. o fator velocidade não tem encontrado oponentes à altura de seu prestígio. Um ano mais tarde. na memória. ( Analista. que ocupou as páginas do mesmo jornal durante meses depois do atentado de 11 de setembro de 2001: os retratos e os obituários de todas as vítimas do ataque. o fator velocidade será submetido à uma mais rigorosa e justa avaliação. 40 . (vir) a perder o ímpeto. vive e pensa a coletividade como um conjunto de indivíduos... mais do que qualquer outra. (C) É inútil imaginar que . capturado ou desaparecido no Iraque. à curto prazo. (partir) de um entusiasta da informática iniciativas que ponham em questão o preço da velocidade. (D) Como não se .. não houve discursos de fundo.. a velocidade dos processos tornou-se indispensável à massa dos internautas.. na cerimônia do aniversário do atentado... (D) Dada à importância que assumiu na informática.PBGÁS) Justificam-se as duas ocorrências do sinal de crase em: (A) Caberá à maioria das pessoas decidir se continuarão preferindo a velocidade à qualidade mesma das experiências. 80. mas diversos oradores alternaram-se no palco para ler em voz alta.. um retrato e um resumo de sua jornada..

nações. grupos. O autor do texto trata como essencialmente análogas as referidas iniciativas do New York Times e a atitude dos oradores no aniversário do atentado de 11 de setembro. ( Analista. Em relação ao texto. (C) III.PBGÁS) Considere as seguintes afirmações: I. III.PBGÁS) A cultura americana. consideram que um fato de relevância social deve ser compreendido a partir de razões individuais. problemático se não se explorar sua dimensão propriamente social: o encontro ou a luta de idéias. (D) I e II. bem maior (. ( Analista.) Transposta a frase acima para a voz passiva.TESTES DE PORTUGUÊS FCC Para um europeu ou um sul-americano. Europeus e sul-americanos. na memória. está correto SOMENTE o que se afirma em (A) I. ao contrário dos norte-americanos. explicar e mesmo narrar um acontecimento é. uma outra galeria. 82. classes. II. a forma verbal será (A) eram evocadas. grandes interesses econômicos etc. Numa nova redação da frase acima. (B) foram evocados. (E) I e III.. vive e pensa a coletividade como um conjunto de indivíduos. mais do que qualquer outra. (D) tinha sido evocada. uma complementação correta e coerente poderá ser 41 . no mínimo. (Contardo Calligaris. ( Analista.. 83. Terra de ninguém) 81. que comece com Nenhuma outra cultura. O segundo parágrafo do texto constitui uma réplica e uma contestação ao que se narra no primeiro parágrafo. comemorar. (B) II. (E) evocaram-se.PBGÁS) Essas pequenas galerias de rostos evocavam. (C) era evocada.

(D) O autor do texto sugere que o individualismo está na base da concepção que os norte-americanos têm do que seja uma coletividade.olvidasse-os. ele já não é produtor nem reprodutor. (B) Há divergências segundo as quais os norte-americanos são incomparáveis com outros povos quanto à compreensão da sociedade.evocou-os . nas páginas memoráveis do New York Times. é mais do que qualquer outra uma coletividade identificada como conjunto de indivíduos. (B) a despeito da americana.olvidasse eles (E) expô-los . não oferece nenhuma sobrevivência à sua obra. (E) em que pese a americana.evocou-lhes . sob a forma de nomes e rostos. Perdendo a força de trabalho. Se a posse e a propriedade consti42 .evocou a eles .os olvidasse 85. sabe que a coletividade é como um conjunto onde o que importa são os indivíduos. Atenção: As questões de números 86 a 93 referem-se ao texto que segue.os olvidasse (D) expôs eles . na ordem dada.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (A) exceto a americana. expôs rostos e nomes ao longo de vários números. A velhice na sociedade industrial A sociedade rejeita o velho. (C) As diferenças entre os povos decorrem.evocou-os .evocou-lhes . valoriza e vive a convicção de que a sociedade é constituída pela soma dos indivíduos. (E) A valorização máxima de cada indivíduo estampou-se. às coisas que ele realizou e que fizeram o sentido de sua vida. uma coletividade. (C) expôs-lhes .lhes olvidasse (B) expô-los . evocou esses rostos e nomes para que o público não olvidasse esses nomes e rostos. impõe-se coletivamente como soma de indivíduos que vivem e pensam. ( Analista.PBGÁS) É preciso corrigir a redação da seguinte frase: (A) Europeus e sul-americanos não explicam os fatos sociais do mesmo modo que os norte-americanos. da compreensão que tem cada um do que seja. efetivamente. (D) contrastada com a americana. 84. pensa a coletividade como um conjunto de indivíduos que a vivem enquanto tal. por: (A) expôs a eles . ( Analista. em grande parte. Evitam-se as viciosas repetições da frase acima substituindo-se os elementos sublinhados.PBGÁS) O New York Times publicou uma galeria de rostos e nomes. (C) a par da americana.

em imobilizálos com cuidados “para o seu próprio bem”. Quantos anciãos não pensam estar provisoriamente no asilo em que foram abandonados pelos seus? Quando se vive o primado da mercadoria sobre o homem. Nos cuidados com a criança. em torná-los cada vez mais dependentes. à mentira. obrigando-os a sair do seu canto. que exige cadências cada vez mais rápidas. A moral oficial prega o respeito ao velho. Que ele nos poupe de seus conselhos e se resigne a um papel passivo. por fim. mas não o conselho. Em privá-los da liberdade de escolha. aproveita-se deles o braço servil. Suas propriedades o defendem da desvalorização de sua pessoa. mas em relação ao velho age com duplicidade e má fé. “administrando” sua aposentadoria. A racionalização do trabalho. a mudar de casa (experiência terrível para o velho) e. não se hesitará em usar a força. o velho de uma classe favorecida defende-se pela acumulação de bens. mas quer convencê-lo a ceder seu lugar aos jovens. o adulto “investe” para o futuro. elimina da indústria os velhos operários. submetendo-os à internação hospitalar.TESTES DE PORTUGUÊS FCC tuem. Memória e sociedade) 43 . (Adaptado de Ecléa Bosi. Como no interior de certas famílias. os velhos são especialmente discriminados e obrigados a rebaixar sua exigência de salário e aceitar empreitas pesadas e nocivas à saúde. segundo Sartre. a idade engendra desvalorização. Veja-se no interior das famílias a cumplicidade dos adultos em manejar os velhos. afastá-lo delicada mas firmemente dos postos de direção. Nas épocas de desemprego. Se o idoso não cede à persuasão. uma defesa contra o outro.

(E) Quantos anciãos não pensam estar provisoriamente no asilo em que foram abandonados pelos seus? 87. II. (D) Veja-se no interior das famílias a cumplicidade dos adultos em manejar os velhos. a idade engendra desvalorização. (Analista. II e III. 89. na sociedade industrial. (C) I e III. está correto o que se afirma em (A) I. (D) é bem acolhida somente quando eles pertencem à classe abastada. (E) II e III. apenas. No segundo parágrafo.TCE/CE ) Depreende-se da leitura do texto que. (E) vale apenas quando eles assumem um papel passivo na família. a sabedoria acumulada pelos velhos (A) vale apenas quando eles ainda mostram aptidão para trabalhar. apenas. a autora está-se referindo às propriedades acumuladas pelo velho da classe mais favorecida. em imobilizá-los com cuidados “para o seu próprio bem”. conceitualmente.TCE/CE ) Considerando-se o contexto. ( Analista.TESTES DE PORTUGUÊS FCC 86. apenas. (B) I e II. apenas. 88. está empregado na acepção que lhe conferem os economistas. a expressão racionalização do trabalho identifica o rigor com que se planeja e se operacionaliza a produção industrial. (B) é menosprezada porque não se costuma considerá-la produtiva. (D) II. (Analista.TCE/CE) A seguinte formulação resume. Em relação ao texto. (C) é cultuada com a mesma complacência com que se vê a criança. o argumento central do texto: (A) Que ele nos poupe de seus conselhos e se resigne a um papel passivo. III.TCE/CE ) Atente para as seguintes afirmações: I. No primeiro parágrafo. (C) Quando se vive o primado da mercadoria sobre o homem. No terceiro parágrafo. o contexto permite entender que o termo “investe”. entre aspas. traduz-se corretamente o sentido de um segmento do texto em: 44 . (B) Suas propriedades o defendem da desvalorização de sua pessoa. (Analista. ao empregar a expressão à sua obra.

nos defendemos pela acumulação de bens dos outros que julgamos constituir nossa ameaça. (E) Por que é que a tão poucos costumam sensibilizar. (B) age com duplicidade e má fé = porta-se ora com isenção. costumam valer-se de argumentos hipócritas. (C) Que ele nos poupe de seus conselhos = Que seja parcimonioso em suas recomendações. correta e coerente a redação da seguinte frase: (A) A obra do velho não se costuma perdurar porque as pessoas em geral rejeitam o que perfaz o sentido de toda a sua vida. (C) aproveitem. (Analista. 45 . a criança proporciona um investimento. (D) aproveitam. (D) especialmente discriminados = particularmente depreciados. (B) Os cuidados que se toma com a formação de uma criança não se estendem às atenções que se presta a um velho. (D) Caso não se rendam às mentiras e à persuasão de quem os cuida. (D) Quando se os privam da liberdade de escolha.TCE/CE ) Está clara. os velhos são reduzidos ao estatuto da passividade e da dependência. (E) tem aproveitado.TCE/CE ) A concordância verbal está plenamente respeitada na frase: (A) Quando ocorre aos preconceituosos explicar por que discriminam os velhos. (C) Para os adultos. ora com justiça. (Analista. há o risco de submeterem os velhos à violência. (B) De acordo com Sartre. no trato com os velhos. a forma verbal resultante deverá ser: (A) é aproveitado.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (A) o defendem da desvalorização de sua pessoa = subestimam seu prestígio pessoal. ao passo que para com os velhos costuma ocorrer o contrário. (C) O primado das mercadorias sobre os homens acabam por engendrar a impiedosa desvalorização da velhice. (B) seja aproveitado. 90. (E) empreitas pesadas = cargos de máxima responsabilidade. 92. (Analista.TCE/CE ) Transpondo-se para a voz ativa a construção aproveita-se dele o braço servil. a preciosidade que é a sabedoria acumulada numa vida? 91.

subjetivamente. não é julgar os fatos expostos. do impetrado ou de ambos. Por vezes. (Analista. mas ele explicou: − A gente costuma estudar um caso. um juiz não pode ignorar o que está nos autos. dar a sentença. Objetivamente.negar-lhes . essa é a verdade que sofreu um processo de camuflagem da parte do impetrante. Aí a tarefa fica difícil. de um parente juiz.negá-los . Foi o que ouvi. Evitam-se as viciosas repetições da frase acima substituindo-se os segmentos sublinhados. O espírito das leis − O mais difícil. há muito tempo.mantê-los (C) tratá-los .manter-lhes (B) tratá-los . para. respectivamente. que me cheirou a esoterismo. costuma-se manejar os velhos.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (E) É penoso reconhecer que. por: (A) tratar-lhes . 46 . manter os velhos imobilizados num canto qualquer. esse sentimento cresce ainda mais.negar-lhes .manter-lhes (E) os tratar . enfim. ao ouvir os litigantes. no entanto. consultar minuciosamente a legislação e a jurisprudência.TCE/CE ) No interior das famílias. em certos processos.lhes negar . uma vez abandonados num asilo. tratar os velhos como seres passivos. 93. Estranhei a expressão “fatos ocultos”.negá-los . Esses são os fatos ocultos. Mas há situações em que a intuição e a experiência de um juiz fazem-no sentir que a verdade profunda do caso não foi exposta.mantê-los (D) tratar-lhes . negar aos velhos a oportunidade de escolha. ele sabe que há mais complexidade na situação a ser julgada do que fazem ver as palavras do processo. É julgar os fatos ocultos. avaliar as razões das partes.lhes manter Atenção: As questões de números 94 a 100 referem-se ao texto que segue. quando eu ainda pensava em fazer Direito. muitos velhos ainda crêem tratar-se de uma morada provisória. pesar os dados levantados.

para isso preciso também sentir o que se entende por espírito da lei. inédito) 94. mas constitui. É tudo o que devo e posso fazer. Depreende-se da leitura do texto que a lição que ficou para o narrador. No entanto. (E) desmascarar os argumentos de ambas as partes. III. para além do que está nos autos. Foi uma manifestação de bom humor..TCE/CE ) Atente para as seguintes afirmações: I. Depreende-se do que afirma o narrador no último parágrafo do texto que ele considera o gracejo uma manifestação menos conseqüente que a do bom humor. Mas acabou esclarecendo: − Aplico a lei. no momento de proferir a sentença. O bom humor da última fala do juiz no texto é um efeito produzido pela associação entre as expressões fatos ocultos e concurso do espírito. que me parece útil para muitas situações da nossa vida. dando a impressão de que não iria responder. (B) intuir. aquilo que nem sempre está nela explicitado com todas as letras. útil para muitas situações da nossa vida. com vistas à anulação do processo. o juiz referido no texto está considerando os casos em que há a necessidade de (A) aplicar a lei com todo o rigor. às vezes julgo fatos ocultos com o concurso do espírito..TESTES DE PORTUGUÊS FCC − E o que faz você numa situação dessa? − Ele parou de falar por um tempo. (Etelvino Corrêa e Souza. (Analista. (Analista. sem qualquer dúvida. a verdade profunda que neles se encontra escamoteada. II. está correto APENAS o que se afirma em 47 . é preciso julgar os fatos ocultos. por vezes.TCE/CE ) Ao dizer que. foi uma lição que me ficou. 95. é a de que as aparências não costumam nos enganar. o que a justifica e a legitima em sua profundidade. que lembram fenômenos sobrenaturais. não um gracejo. naturalmente. desconsiderando as lições de uma jurisprudência bem constituída. (C) fazer prevalecer todo o peso do subjetivismo sobre a aplicação objetiva dos dispositivos legais. Em relação ao texto. Como vê. (D) ignorar toda e qualquer mediação da análise mais pessoal.

(levantar) num processo judicial os fatos que correspondem à verdade do caso em julgamento. valendo-se de uma frase bem-humorada. em muitas situações de sua vida. sem prejuízo. (costumar) ocorrer. há com freqüência..TCE/CE ) Há uma relação de causa e efeito entre os seguintes segmentos: 48 . que um juiz deve levar em consideração. ficou como uma lição que o narrador disse ter aproveitado.. (Analista. (E) II.. (D) enfatizou seu embuste.. via de regra é algo que subjaz ao texto e. (D) I.. (Analista.... 96. mas ele o fez.. (C) Afora o que consta em um processo. (Analista.. (implicar) uma sentença justa.. (D) ... (C) foi objeto de uma dissimulação.TCE/CE ) O verbo indicado entre parênteses deverá ser flexionado numa forma do plural para preencher corretamente a lacuna da frase: (A) . 97.. (E) Nem sempre se . (B) A aplicação mecânica das leis e dos casos de jurisprudência nem sempre . (E) se apresentou como um equívoco... uma série de fatores.TCE/CE ) Está inteiramente adequada a pontuação da frase: (A) A manifestação de bom humor do parente juiz. em que um juiz pode e deve valer-se de sua intuição. que me valeu uma lição.TCE/CE ) Na frase essa é a verdade que sofreu um processo de camuflagem.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (A) II e III... (D) Pensei que ele não fosse me responder. o segmento sublinhado tem sentido equivalente ao da expressão: (A) passou por uma manobra de explicitação. em muitos processos... (B) I e III.. (assistir) aos juízes o dever de intuir a verdade que pode estar camuflada pela linguagem de um processo.-se (atribuir) aos fatos expostos o valor de uma verdade que nem sempre eles representam. (C) I e II. 98. que a verdade profunda de um caso permaneça camuflada. não... (E) O que se entende por espírito da lei.. (B) Há certos casos. 99. (B) contaminou-se com uma operação contraditória. (Analista. o que nele se explicita.. (C) . para a objetividade de seu julgamento.

no Rio. em certas circunstâncias. ainda que bastante usados. é natural. demais. de 18 anos. Já houve muitos casos dessa operação no Brasil. Não a conheço. Os cegos que são capazes de distinguir a claridade poderão. (C) A intuição costuma acessorar os juízes. cega desde nascença.TCE/CE ) Estão corretamente grafadas e flexionadas todas formas verbais da frase: (A) Por vezes. e estimo que seja feliz em suas visões. é a intuição de um juiz que intermedeia o que está no processo e o espírito da lei. sujeitos a muitas ilusões.o réu seria injustamente condenado. poderá proceder injustamente. recebendo nos olhos a córnea da pessoa morta. Os meus. (D) É freqüente que um juiz remedie uma omissão da lei valendo-se do que lhe diz sua intuição. (D) às vezes julgo fatos ocultos / com o concurso do espírito. nos casos mais complexos que se lhes apresentam.. (E) aquilo que nem sempre está nela explicitado com todas as letras / mas constitui (. de muitas já fui ao empós. e mesmo. (B) ao ouvir os litigantes. 100. em certos processos / não é julgar os fatos expostos. e veja sempre coisas que a façam alegre. São. (C) Foi o que ouvi / eu ainda pensava em fazer Direito. esse sentimento cresce ainda mais / a tarefa fica difícil. Os olhos de Isabel Instalou-se ontem. um banco de olhos.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (A) O mais difícil. (Analista. e eram miragens que me levaram ao meio de um 49 . como o da jovem Isabel. de acidentados e natimortos. (E) Caso a intuição do juiz não intervisse naquele caso. em muitos casos. É pelos olhos que entra em nós a maior parte das alegrias e tristezas. (B) Se não se dispuser a examinar bem o caso e não se prover da melhor intuição. Ali será conservada na geladeira uma parte dos olhos tirados de pessoas que acabam de morrer. ter vista perfeita..) o que a justifica e a legitima. enxergam bem. que passou a ver bem.

TESTES DE PORTUGUÊS FCC

deserto onde me alimentei de gafanhotos e lágrimas, tomando sopa de vento, comendo pirão de areia, como diz a canção. A fina membrana dos olhos não guarda a lembrança das visões; mas que sabemos? A matéria viva é uma coisa sutil e sensível que ninguém entende. O jornal não diz de quem eram os olhos com que hoje vê a moça Isabel; e ela, nunca tendo visto antes, não sabe se as visões de hoje são verdade ou fantasia; talvez esteja a ver este mundo através do filtro emocional de uma criatura já morta; (...) mas tenham visto o que tiverem antes, que ora vejam tudo em suave e belo azul, a cor dos sonhos e descobrimentos nas navegações dos 18 anos. Que são tontas, mas belas navegações. (Rubem Braga, O homem rouco. Rio: Editora do Autor, 1963)

101. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) As expressões banco de olhos, córnea, operação, visões,miragens, filtro emocional e cor dos sonhos indicam que o autor do texto desenvolve seu tema de modo a (A) considerá-lo numa perspectiva clínica e científica,eximindo-se de especulações subjetivas. (B) combinar dados objetivos e considerações subjetivas, prevalecendo estas sobre aqueles. (C) tornar acessível uma questão científica por meio de uma linguagem informativa e jornalística. (D) mesclar, na linguagem jornalística, a informação e a crítica que o fato informado suscita. (E) alternar o sentido positivo de um feito científico e os aspectos negativos que ele implica. 102. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) Considere as seguintes afirmações: I. O autor acredita que, por já ter usado bastante seus olhos, passou a ser uma presa fácil das miragens e das ilusões. II. É dado como fato que o bem sucedido transplante fez de Isabel uma fiel depositária das visões do doador. III. O autor sabe que é dado como certo serem os olhos incapazes de, em sua membrana, gravar lembranças de visões. Está correto o que se afirma APENAS em (A) I. (B) II. 50

TESTES DE PORTUGUÊS FCC

(C) III. (D) I e II. (E) II e III. 103. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) Considerando-se o contexto, na frase (A) (...) estimo que seja feliz, o verbo sublinhado tem o mesmo sentido que apresenta na frase Estimou o prejuízo em dez milhões de reais. (B) (...) enxergam bem, e mesmo, em certas circunstâncias, demais, a expressão sublinhada tem o sentido de e eles próprios. (C) A matéria viva é uma coisa sutil e sensível, a expressão sublinhada está aludindo às miragens e às ilusões. (D) (...) ver este mundo através do filtro emocional, o emprego do termo sublinhado é inadequado, assim como em Chega-nos a luz através dos vitrais. (E) (...) que ora vejam tudo em suave e belo azul, a expressão sublinhada tem o sentido de que agora vejam tudo. 104. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) O sentido contextual da frase Que são tontas, mas belas navegações, na qual se retoma uma informação anterior,está adequadamente formulado em: (A) Como são tontas, mais do que belas, as navegações dos 18 anos! (B) Aos 18 anos, as navegações são belas, uma vez que tontas. (C) Porque belas, as navegações dos 18 anos são também tontas. (D) As navegações dos 18 anos, sendo tontas, não deixam de ser belas. (E) São tontas, antes de belas, as navegações dos 18 anos. 105. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) De muitas ilusões fui ao empós. Mantém-se tal e qual a expressão sublinhada caso se substitua fui ao empós por (A) estive no encalço. (B) estive às voltas. (C) pus-me a perseguir. (D) vi-me imerso. (E) sempre me confrontei. 106. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) As normas de concordância verbal estão plenamente respeitadas na frase: (A) São por nossos sentidos que a vida nos vai disciplinando e amadurecendo, deles se valendo para dissolverem nossas miragens. (B) Das tantas ilusões que nos alimentaram a juventude não costuma restar muitas na maturidade. 51

TESTES DE PORTUGUÊS FCC

(C) Terão os novos olhos de Isabel mantidos os sonhos e as visões de que se povoou os olhos do doador? (D) Fosse de quem fosse, as córneas doadas permitiram que Isabel tivesse acesso à cor dos sonhos que cabem a um jovem desfrutar. (E) Mais doadores de córnea houvesse, mais jovens poderiam recuperar ou inaugurar a visão de todas as cores de que é feito o mundo. 107. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) A exclusão ou inclusão de vírgula(s) alterou o sentido da seguinte frase do texto: (A) Ali, será conservada na geladeira uma parte dos olhos tirados de pessoas que acabam de morrer (...). (B) Os cegos, que são capazes de distinguir a claridade,poderão, em muitos casos, ter vista perfeita (...). (C) Instalou-se ontem no Rio um banco de olhos. (D) (...) estimo que seja feliz em suas visões e veja sempre coisas que a façam alegre. (E) O jornal não diz de quem eram os olhos com que,hoje, vê a moça Isabel (...). 108. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) Meus olhos estão bastante usados, mas não considero meus olhos inaptos para ver as miragens que seduzem meus olhos, e não atribuo a meus olhos o poder de alguma autêntica revelação. Evitam-se as repetições da frase acima substituindo-se os elementos sublinhados por, respectivamente, (A) não lhes considero - que seduzem-os -não lhes atribuo (B) não considero-os - que seduzem-nos -não os atribuo (C) não os considero que lhes seduzem -não atribuo-lhes

(D) não os considero - que os seduzem -não lhes atribuo (E) não lhes considero - que os seduzem -não lhes atribuo 109. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) Estão corretamente flexionadas todas as formas verbais da frase: (A) Se Isabel rever as imagens captadas há tempos por seu doador, talvez venha a se surpreender. (B) A fina membrana não provém a memória das visões,nunca houve o caso de alguma que as retesse. (C) As visões que proviessem de uma outra pessoa e passassem a ser nossas, seriam como fantasmagorias que em nossos olhos se detivessem. (D) Ainda que não retenhem visões antigas, as córneas herdadas sempre deixarão a impressão de que acumularam muitas experiências. (E) É desejo do autor do texto que Isabel distingua apenas as coisas belas, que veja apenas o que constitue a navegação dos dezoito anos.

52

circunstâncias (D) meus olhos .ilusões . que não se sabe a identidade de quem doou. (Analista de Sistemas. é natural. mas espera-se que sejam belas suas visões. 112. na frase São.) mas tenham visto o que tiverem antes.miragens . analisem. sujeitos a muitas ilusões.meus olhos 111.circunstâncias .Prefeitura de São Paulo) Considerando-se o contexto do segundo parágrafo. conquanto ela tenha beneficiado-se de uma doação de córnea cuja identidade do doador não é sabida. chegam atrasados e ainda reclamam! (B) Ora..TESTES DE PORTUGUÊS FCC 110.miragens .ilusões (E) ilusões . (Analista de Sistemas. mas espera-se que sejam belas as visões de Isabel. os segmentos sublinhados estão se referindo. (E) Ignora-se a identidade do doador. 53 . (B) Isabel foi beneficiada de uma doação de córnea. ora finjam não ver a extensão dessa fraude. Não se sabe a identidade do doador. beneficiada que foi pela doação de córnea. de muitas já fui ao empós. a (A) meus olhos . e só depois palpitem.) No contexto da frase acima.. vejam primeiro.ilusões (B) ilusões . que ora vejam tudo em suave e belo azul (. depois considerem as versões. espera-se que Isabel teria belas visões mediante o benefício de uma doação de córnea.Prefeitura de São Paulo) Considere as seguintes afirmações: I.miragens . respectivamente. que ora vejam os prejuízos que causaram.. As afirmações acima articulam-se de modo coerente e correto na frase: (A) Embora não se saiba a identidade de quem doou-lhe. II. e eram miragens. III. (C) O que não posso admitir é que ora vejam. (D) Se até ontem fingiam não ver. Isabel beneficiou-se de uma doação de córnea.. (C) O que se espera é que as visões de Isabel sejam belas. (D) A identidade do doador de córnea que beneficiou Isabel não é sabido. (Analista de Sistemas. a expressão sublinhada tem o mesmo sentido que apresenta no contexto do período: (A) Ora vejam. Espera-se que Isabel tenha belas visões. (E) Por ora vejam apenas os fatos.Prefeitura de São Paulo) (. mas o que se pode esperar é que por meio da mesma ela tenha belas visões.ilusões (C) meus olhos .

TESTES DE PORTUGUÊS FCC

113. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) Está clara e correta a redação da seguinte frase: (A) Não obstante seja toda matéria viva uma coisa sutil e sensível, quem afirmaria que não se guardem nos olhos a fina membrana das visões? (B) Quantas alegrias e tristezas nos chegam pelos olhos, a par das ilusões e das miragens que tanto nos confundem, ao longo de nossas vidas... (C) Confessa o cronista, que tendo já usado tanto os seus olhos, que inclusive enxergam até demais, bem por isso nunca os eximiu às ilusões. (D) Caso víssemos, pela córnea doada, tudo o que constituiu-se na experiência das visões alheias,cujos sentimentos estaríamos a reviver. (E) Já maduro, o cronista tende a crer que, as experiências visuais dos dezoito anos, equiparam-se aos das navegações e grandes descobrimentos. 114. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) Está correto o emprego da expressão sublinhada na frase: (A) O cronista admite que já foi levado ao meio de um deserto em cujo passou por maus bocados. (B) O doador cuja a identidade manteve-se oculta teve,certamente, visões inesquecíveis. (C) Que sejam belas as visões a que, felizmente, a moça Isabel terá acesso, a partir de agora. (D) Embora sejam tontas as navegações dos dezoito anos, trazem experiências com as quais nenhum jovem deseja furtar-se. (E) A doação de órgãos é um gesto que a generosidade é indiscutível. 115. (Analista de Sistemas- Prefeitura de São Paulo) O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se numa forma do singular para preencher corretamente a lacuna da seguinte frase: (A) Não se ...... (admitir) que os doadores tenham seus nomes revelados. (B) Por falta de informação da família do morto, ......(deixar) muitos doentes de receber o benefício de um transplante. (C) Pena não se ...... (ver), através do filtro emocional de uma criatura já morta, todas as belas cenas que ela testemunhou. (D) ...... (interessar) muito a Rubem Braga as visões que a jovem Isabel passou a experimentar aos dezoito anos. (E) ...... (ocorrer), neste texto, especulações fantasiosas a respeito do que poderia ficar gravado numa fina membrana.

Atenção: As questões de números 116 a 130 referem-se ao texto abaixo: Cuidado: o uso desse aparelho pode produzir violência A revista Science publicou, em 2002, o relatório de uma 54

TESTES DE PORTUGUÊS FCC

pesquisa coordenada por Jeffrey Johnson, da Universidade de Colúmbia, em Nova York. O estudo mostra uma relação significativa entre o comportamento violento e o número de horas que um sujeito (adolescente ou jovem adulto) passa assistindo à TV. Pela pesquisa de Johnson, os televisores deveriam ser comercializados com um aviso, como os maços de cigarros: cuidado, a exposição prolongada à tela desse aparelho pode produzir violência. Estranho? Nem tanto. É bem provável que a fonte de muita violência moderna seja nossa insubordinação básica: ninguém quer ser ou continuar sendo quem é. Podemos proclamar nossa nostalgia de tempos mais resignados, mas duvido que queiramos ou possamos renunciar à divisão constante entre o que somos e o que gostaríamos de ser. Para alimentar nossa insatisfação, inventamos a literatura e, mais tarde, o cinema. Mas a invenção mais astuciosa talvez tenha sido a televisão. Graças a ela, instalamos em nossas salas uma janela sobre o devaneio, que pode ser aberta a qualquer instante e sem esforço. Pouco importa que fiquemos no zapping (*) ou que paremos para sonhar em ser policiais, gângsteres ou apenas nós mesmos (um pouco piores) no Big brother. A TV confirma uma idéia que está sempre conosco: existe outra dimensão, e nossas quatro paredes são uma jaula. A pesquisa de Johnson constata que, à força de olhar, podemos ficar a fim de sacudir as barras além do permitido. Faz sentido. (*) zapping = uso contínuo do controle remoto. 55

TESTES DE PORTUGUÊS FCC

(Contardo Calligaris, Terra de ninguém)

116 ( Analista Judiciário- TJ/PE) . Em relação à pesquisa coordenada por Jeffrey Johnson, o autor do texto manifesta (A) sua inteira estranheza, uma vez que tem convicções diametralmente opostas às do pesquisador. (B) sua inteira concordância, detalhando todos os elementos da pesquisa e colando-se à argumentação dela. (C) o acolhimento da conclusão geral da pesquisa, mas não deixa de trilhar um caminho reflexivo pessoal sobre o fenômeno observado. (D) sua parcial concordância, pois julga que o pesquisador se valeu de uma argumentação bastante estranha, nem sempre coerente. (E) sua plena discordância, uma vez que não vê qualquer relação entre assistir à TV e as eventuais atitudes de violência do público televisivo. 117. (Analista Judiciário- TJ/PE) Considere as afirmações abaixo. I. Na pesquisa de Jeffrey Johnson, ficou claro que é um exagero estabelecer uma relação de causa e efeito entre a exposição prolongada a programas de TV e atitudes de violência. II. De acordo com o autor do texto, a literatura e o cinema já estimulavam, antes do surgimento da TV,os mesmos níveis de violência social. III. O autor do texto defende a idéia de que a mídia pode estimular ações de violência que são geradas por nossa insatisfação com nós mesmos. É correto o que se afirma em (A) I, II e III. (B) I e II, apenas. (C) II e III, apenas. (D) II, apenas. (E) III, apenas. 118. (Analista Judiciário- TJ/PE) Considerando-se o contexto, traduz-se corretamente o sentido de uma expressão do texto em: (A) exposição prolongada = exibição intermitente. (B) nostalgia de tempos mais resignados = remorsos por antigas submissões. (C) uma janela sobre o devaneio = uma refração da realidade. (D) renunciar à divisão constante = recusar o freqüente desacordo íntimo.

56

a forma verbal resultante será (A) seja alimentada. a se crer nas conclusões da pesquisa realizada.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (E) sacudir as barras além do permitido = ratificar os limites inaceitáveis. abrem janelas sobre o devaneio. de acordo com a pesquisa. (Analista Judiciário. 121. (C) A invenção moderna mais astuciosa. 120. de cujos efeitos trata o autor do texto.TJ/PE) Transpondo-se para voz passiva o segmento Para alimentar nossa insatisfação. teria sido não a do cinema. (Analista Judiciário. 122. (B) A insubordinação básica em que se refere o autor do texto derivaria da insatisfação dos nossos recalcados desejos. ela costuma freqüentemente ser proclamada.TJ/PE) Preserva-se plenamente a concordância verbal na frase: (A) Caberia comercializar-se os televisores com uma advertência expressa sobre o perigo que representa as exposições contínuas à tela de uma TV. com cujo nos acostumamos. (D) tenha alimentado. da qual poucos se insurgem. (Analista Judiciário. (B) alimentemos. 119. (B) Boa parte dos atos de violência provém. (Analista Judiciário. (D) O hábito do zapping. do excesso de horas que dedica uma pessoa a assistir à TV.mas a da TV. (E) fosse alimentado. não deixa de ser bastante provocadora e radical.TJ/PE) Está correto o emprego do elemento sublinhado na frase: (A) A relação significativa cuja se demonstrou na pesquisa se dá entre o comportamento violento e a audiência à TV. (E) A conclusão de que nossa sala é uma jaula. coerente e correta a redação da seguinte frase: (A) Sempre haverá quem discorde que a literatura fosse inventada de modo que assim a supríssemos com nossas insatisfações. (D) Todo aquele que. (B) Quanto à nostalgia de tempos mais resignados. assistindo continuamente à TV. (E) Não se atribua tão-somente à TV as atitudes de violência que se vem disseminando nos grandes centros urbanos. (C) Seria da responsabilidade dos programas de TV certas incitações à violência. (C) seria alimentada. costumam valer-se dos recursos do zapping. é um dos responsáveis pela abertura rápida de janelas sobre o nosso devaneio.TJ/PE) Está clara. com que chegou o autor do texto. ou vice-versa. 57 .

para que reconheçamos na TV. respectivamente.TJ/PE) Jeffrey Johnson realizou uma pesquisa.motivados para (C) quanto mais olhamos . e o autor do texto. 123. (E) O autor preocupa-se. preferiríamos ser nós mesmos. é decisivo.acrescentou-lhe . o zapping. mas. constitui na verdade.condicionados em 124. (D) Queremos por vezes imaginar: que somos policiais ou gângsteres.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (C) É pela suspeita de haver uma nova dimensão. (D) Julga o autor do texto que nos insubordinamos contra as barras de nossa jaula quando nos alimentamos de devaneios propiciados pela TV. que tornam essa pesquisa ainda mais instigante aos olhos do público.impregnados de (D) tão logo olhemos .lhe acrescentou . teria alcançado influenciarnos tanto como a TV. acrescentou a essa pesquisa elementos de sua convicção pessoal.predispostos a (E) conquanto olhemos . mas nenhum desses meios.acrescentou-lhe . inventamos a literatura e em seguida o cinema. (Analista Judiciário. por (A) por mais que olhemos . que se chega à conclusão de não precisarmos subordinarmos os devaneios. Preserva-se o sentido essencial dessa frase caso se substituam os elementos sublinhados. insaciável de imagens. com a tese de que nossa violência tem origem em nossa divisão interna.tornam-a 58 . (B) O fato de imaginarmos que há uma dimensão além das nossas paredes. sobretudo. (C) Por mais confortável que seja. um meio de tentar suprir com rapidez nossa fome. Evitam-se as viciosas repetições da frase acima substituindo-se os elementos sublinhados. o poder de abrir tantas janelas. (Analista Judiciário. por (A) comentá-la .submetidos a (B) de tanto olharmos . (E) Afirma-se no texto que faz sentido concluir-se de que a pesquisa de Johnson vai de encontro às teses confirmadas por este pesquisador.ao comentar essa pesquisa.sentirmonos por assim dizer completos.a tornam (B) a comentar . segundo a ordem em que se apresentam.lhe tornam (C) comentar-lhe . 125. podemos ficar a fim de sacudir as barras além do permitido.TJ/PE) A pesquisa de Johnson constata que. além da que vivemos.TJ/PE) Está inteiramente correta a pontuação do período: (A) Primeiro. à força de olhar. responsável maior por nossas rebeldias. (Analista Judiciário.

(afetar) as imagens nostálgicas de um passado íntegro. (D) Jamais conviu às emissoras de TV divulgar essas pesquisas..acrescentou-lhe . (C) Sugere-se.. a de Johnson dá corpo à tese de que a exposição contínua à tela de TV torna-nos mais violentos. seria o caso de pedir providências às autoridades.. (E) Se de fato viéssemos a nos contentar com o que somos. estaríamos demonstrando certa agitação íntima que caracterizasse nosso estado de insatisfação.. o estudo ao qual se aplicou Johnson teria algum efeito sobre o público....TJ/PE) Está inteiramente correta a articulação entre os tempos e modos verbais da frase: (A) A pesquisa de Johnson analisou um fenômeno que constituísse uma verdadeira obsessão que caracterize o homem moderno: o fascínio pela TV.. mas é possível que outros fatores hajam de modo determinante sobre o nosso comportamento.TJ/PE) O verbo indicado entre parênteses deverá flexionar-se numa forma do singular para preencher corretamente a lacuna da frase: (A) Quase ninguém. resiste à tentação de passar velozmente por todos os canais de TV. 127. as inúmeras janelas abertas pela TV não terão a mesma força de atração que as pesquisas demonstrassem. (Analista Judiciário.. (E) Se as violências que provêem do hábito de assistir à TV se saneiassem por conta de alguma regulamentação governamental.tornam-na (E) a comentar . que o fato de nos aprisionarmos em nossa sala de TV fosse o responsável pela nossa predisposição a que cometêramos atos violentos. (D) Mesmo que não apresente grandes novidades em relação a pesquisas já realizadas. caberá? (C) Se a ninguém . a quem. (B) Imergem da pesquisa de Johnson alguns dados reveladores quanto à ação da TV sobre nós. (D) Embora a cada um de nós ... (preocupar) os efeitos de se ficar colado a uma tela de TV. (Analista Judiciário... (C) Quem revir as várias pesquisas sobre a relação entre TV e comportamento haverá de se deparar com resultados que talvez constituam motivo para algum alarme..TJ/PE) Estão adequados o emprego e a flexão de todas formas verbais na frase: (A) Se as pesquisas bem realizadas sempre intervissem no comportamento das pessoas. a todos intranqüiliza a onda crescente de violências. (Analista Judiciário. 59 ...TESTES DE PORTUGUÊS FCC (D) comentá-la . (valer) do controle remoto. nessa pesquisa. (B) Caso fiquemos muito tempo no zapping. (B) Se aos governantes não .. então. 128. passamos.. (caber) tomar providências para regulamentar a programação de TV. na fase adulta..acrescentou-a . que quase sempre as encriminam como responsáveis pela multiplicação da violência social. a nos sentir divididos. entre os que se .tornam-lhe 126..

(D) A TV confirma uma idéia / que está sempre conosco. boa parte das violências modernas adviram pela atenção excessiva consignada à TV. (E) insubordinação básica / muita violência moderna. 129. (B) Conquanto haja outros fatores responsáveis pela expansão da violência. A manifestação mais representativa do final da Idade Média e início da Idade Moderna. (E) Talvez fosse o caso – para se avaliar a pesquisa de Johnson – de se estudar o comportamento de comunidades que não têm acesso à TV. (Analista Judiciário.TJ/PE) Considerando-se o contexto. foi a primeira codificação de leis realizada na França em 1804 – o Código Civil Francês. (Analista Judiciário. A escrita das leis e atos normativos. Instruções: As questões de números 131 a 137 referem-se ao texto que segue. (C) fiquemos no zapping / ou que paremos para sonhar.. quando ascendia a burguesia. (B) proclamar nossa nostalgia / renunciar à divisão constante.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (E) Os que não gostam de TV jamais . nesta ordem. procurou-se criar uma linguagem para expressão das leis e atos normativos pautada na abstração e na técnica. (D) De programas violentos da TV costuma advir alguma inspiração para atos de violência. a TV está entre as causas principais das atitudes violentas que marcam nossa sociedade. (C) Ainda que não seja a única responsável. através da criação de 60 . as ações representadas por (A) número de horas / passa assistindo. segundo vários autores. tais como os que se multiplicam hoje em dia. constituem uma causa e seu efeito. (haver) de se lamentar por terem aberto janelas sobre seus próprios devaneios. percebida através da linguagem jurídica escrita. retiraria elementos da escrita usual e procuraria eximilos de suas ambigüidades. o Código Napoleônico.. 130. No início do século XIX.TJ/PE) É preciso corrigir a redação da seguinte frase: (A) A menos que hajam outros fatores. vaguezas... a responsabilidade da TV não é pequena..

( Analista Judiciário. (E) enfatiza a clareza resultante da constante institucionalização da escrita jurídica. (C) critica a universalização e a neutralidade da linguagem jurídica escrita. Tal tipo de escrita visava à universalização e tinha pretensões de neutralidade. São Paulo: Brasiliense. (FRANCHI. (B) sujeita a interpretação exata das leis à supremacia do Código Civil Francês. ou Código Napoleônico. além do que a busca maior era a produção de leis tão claras que dispensassem interpretação. Resultou. (B) valoriza a escrita usual. ainda. 132. (D) aponta a abstração e a técnica como instrumentos de interpretação exata dos atos normativos.TRT 23º ) O texto (A) considera a abstração e a técnica os instrumentos mais eficazes para a interpretação das leis. ( Analista Judiciário. (A) encara a institucionalização da escrita jurídica como um resultado negativo da busca de clareza das leis. (D) condiciona a clareza das leis e atos normativos à influência de línguas clássicas como o Latim e o Grego. 133. no entanto. em muito ajudada por termos técnicos derivados de línguas clássicas como o Latim e o Grego. 1977) 131. Linguagem – atividade construtiva. capaz de esclarecer ambigüidades e vaguezas. visava à universalização e tinha pretensões de neutralidade.TESTES DE PORTUGUÊS FCC uma semântica artificial. (E) vê na criação de uma semântica artificial uma manifestação representativa do final da Idade Média. promovendo uma constante industrialização da escrita jurídica. 61 . mantém-se o sentido original apenas em: (A) Tal tipo de escrita. ( Analista Judiciário. Carlos. (C) explora propostas relativas a critérios a serem adotados para a escrita das leis e atos normativos. quando fosse possível reconhecê-lo em qualquer situação e não confundi-lo com qualquer outra coisa. quimérica a possível clareza – idéia de que algo apreendido seria claro. visto ser a busca maior a produção de leis tão claras que dispensassem interpretação.TRT 23º ) Reestruturando-se o quarto parágrafo do texto. O avanço das legislações redundou em uso de termos específicos em demasia.TRT 23º ) O texto.

(C) Sendo que a busca maior era a produção de leis tão claras que dispensassem interpretação.TRT 23º ) Passando para a voz passiva a frase A escrita das leis e atos normativos (..TRT 23º ) O pronome sublinhado em procuraria eximi-los de suas ambigüidades referese a (A) atos normativos.. (E) Uma vez que tal tipo de escrita visava à universalização e tinha pretensões de neutralidade.. 137.. (C) escrita usual. muito tempo uma linguagem adequada . outras questões sociais. 135.. (D) teriam retirado. (D) Acrescentando-se que a busca maior era a produção de leis tão claras que dispensassem interpretação... (C) seriam retirados... (B) idéia. (E) vários. 136. (D) jurídica. visava à universalização e tinha pretensões de neutralidade tal tipo de escrita.... ( Analista Judiciário. ( Analista Judiciário... ( Analista Judiciário.) retiraria elementos da escrita usual. ( Analista Judiciário.expressão das leis e ... (B) retirar-se-ia. (E) tinham sido retirados..tal tipo de escrita visava à universalização e tinha pretensões de neutralidade. (D) escrita das leis. tal tipo de escrita visava à universalização e tinha pretensões de neutralidade. (E) vários autores.obtém-se a forma verbal (A) teriam sido retirados.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (B) Ainda que a busca maior fosse a produção de leis tão claras que dispensassem interpretação. 134. (B) elementos. (C) possível.TRT 23º ) A mesma regra que justifica a acentuação no vocábulo início aplica-se em (A) técnica. a busca maior era a produção de leis tão claras que dispensassem interpretação. As lacunas da frase acima serão corretamente preenchidas por 62 .TRT 23º ) Busca-se .

a Instruções: As questões de números 138 a 145 referem-se ao texto que segue.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (A) a . que supervaloriza um em detrimento de outro. contrária ao etnocentrismo. pois.à . essa afirmação é utópica. podem conviver com suas diferenças concretas. para todo cidadão. Trata-se de uma questão que tem por princípio o 63 . ter consciência de que.a (C) a .à (B) há .à (D) a . A diferença precisa ser concebida assim: algo produtivo. e a viabiliza como uma complementação do outro. em uma sociedade. A sociedade avalia a existência da diferença como negativa. o diferente é discriminado e. não obstante essa diferença não dever gerar desigualdade de oportunidade. Assim.a (E) há . a coexistência entre os diferentes é necessária. pois a sociedade ainda não conseguiu distinguir as diferenças e articulá-las.à .a . Essa é uma visão relativizadora. é necessário compreender o outro nos seus próprios valores e não ter como base os nossos próprios. complementar. Aceitar o diferente impede a transformação da diferença em uma hierarquia. sem conceder privilégios a uns e restrições a outros.à . Hoje. brancos e negros relacionam-se necessariamente uns com os outros.a . e os direitos devem ser proporcionalmente iguais. a fim de evitar o preconceito. É importante. O ideal é ser igual.

III. (D) vê na diferença entre os indivíduos uma força capaz de estreitar as relações sociais. (FERNANDES. (B) concessão. A integração do negro na sociedade de classes. 64 . (B) II. Os direitos devem ser proporcionalmente iguais aos deveres impostos ao cidadão. A partir desse pensamento é possível conceber as relações sociais como despidas de preconceitos e fundamentadas na aceitação do outro. 1976). (E) associa a discriminação ao caráter hierárquico da diferença. 138. (C) finalidade. F. 140. (C) considera o etnocentrismo uma postura produtiva na sociedade atual. em relação ao primeiro. Está de acordo com texto o que se afirma APENAS em (A) I.TESTES DE PORTUGUÊS FCC respeito ao indivíduo. (D) I e II. 139. ( Analista Judiciário. (C) III. As diferenças existentes entre os indivíduos não devem ser pretexto para discriminá-los. II.TRT 23º ) O texto (A) valoriza os valores individuais como condição para aceitação dos valores alheios. ( Analista Judiciário. ( Analista Judiciário. (B) apóia o fato de a sociedade conceder privilégios a uns e impor restrições a outros. (E) condição. (D) adição. (E) I e III. uma (A) conseqüência. Nossos próprios valores medem-se pelo valor que atribuímos àqueles que convivem conosco. apresenta.TRT 23º ) O segundo parágrafo do texto. São Paulo: EDUSP.TRT 23º ) Considere as seguintes afirmações: I.

144.TRT 23º ) Na frase não obstante essa diferença não dever gerar desigualdade de oportunidade. (B) virtual .prejuízo (E) viável . está corretamente completado em (A) cujo o princípio é o respeito ao indivíduo. ( Analista Judiciário. (E) senão. (C) dos outros. ( Analista Judiciário.paliativo .TRT 23º ) Na relação entre o vocabulário e os efeitos de sentido do texto. (B) para com os outros. (D) ilusória . ( Analista Judiciário. (E) divergência.malogro.exceção .TESTES DE PORTUGUÊS FCC 141.aperfeiçoamento. (E) aos outros. (C) embate. 143. (B) por isso. (C) discutível . os termos utópica.bloqueio . (D) pelos outros. (C) a despeito de. restrição. 142.limitação . ( Analista Judiciário.revés.TRT 23º ) A expressão sublinhada em relacionam-se necessariamente uns com os outros está corretamente substituída em (A) por outros. correta e respectivamente. (D) porquanto. mantém-se o sentido original substituindo-se a expressão sublinhada por (A) além de.omissão . 145. (B) extensão. ( Analista Judiciário. 65 .TRT 23º ) O segmento Trata-se de uma questão. (D) distanciamento.enfraquecimento.TRT 23º ) O elemento assinalado em coexistência traduz idéia de (A) união.. detrimento serão substituídos. por (A) aparente ..

dedicou-se à questão da efemeridade dos suportes de informação. mas não para verificar quanto dura um CD-ROM. O livro impresso. Sobre a efemeridade das mídias Um congresso recente. até agora. são mais perecíveis que o livro. e saíam mascadas. com pouco tempo de uso se enrolavam todas. em Veneza. Há muito tempo se realizam estudos para salvar todos os livros que abarrotam nossas bibliotecas. as fitas de vídeo perdem as cores e a definição com facilidade. (E) pela qual o princípio é o respeito ao indivíduo. (C) aonde o princípio é o respeito ao indivíduo. uma das soluções mais adotadas é escanear todas as páginas e passá-las para um suporte eletrônico.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (B) cujo princípio é o respeito ao indivíduo. A partir de meados do século XIX. o papiro e o pergaminho até o livro impresso e os atuais meios eletrônicos. passou-se ao papel de polpa de madeira. desde a tábua de argila. que. (D) com a qual o princípio é o respeito ao indivíduo. demonstrou que sobrevive bem por 500 anos. da foto ao filme. e parece que este tem uma vida máxima de 70 anos (com efeito. do disco à memória do computador. Mas aqui surge outro problema: todos os suportes para a transmissão e a conservação de informações. As velhas fitas cassetes. basta consultar jornais ou livros dos anos de 1940 para ver como muitos se desfazem ao ser folheados). Tivemos tempo suficiente para ver quanto podia durar um disco de vinil sem ficar riscado demais. mas só quando se trata de livros feitos de papel de trapos. 66 . Atenção: As questões de números 146 a 155 baseiam-se no texto apresentado abaixo.

TESTES DE PORTUGUÊS FCC saudado como a invenção que substituiria o livro. Mas estou feliz porque os livros continuam em minha biblioteca – uma garantia para quando os instrumentos eletrônicos entrarem em pane. dentro de alguns séculos. elétricos ou eletrônicos são rapidamente perecíveis. ou não sabemos quanto duram e provavelmente nunca chegaremos a saber. a única forma de ler notícias sobre o passado continue sendo a consulta a um velho e bom livro.TRT 16º) É correto deduzir das afirmações do texto que (A) a confiabilidade de suportes simples pode superar a dos mais complexos. 67 . É possível que. não poderíamos usar nenhuma memória eletrônica. ameaça sair rapidamente do mercado. (Analista. 147. Basta um pico de tensão. Os suportes modernos parecem criados mais para a difusão do que para a conservação das informações. mormente os centenários. (D) a obsolescência de todos os suportes de informação tem a mesma causa. Se houvesse um apagão bastante longo. (Adaptado de Umberto Eco – UOL – Notícias – NYT/ 26/04/2009) 146. Gravei em disco rígido portátil de 250 gigabytes as maiores obras primas da literatura universal. um raio no jardim para desmagnetizar uma memória. para (A) o grau de obsolescência dos livros antigos. (E) os livros feitos de papel de trapo não resistem mais que cinco séculos. (Analista. sobretudo. o autor tem sua atenção voltada. (B) a limitação da mídia eletrônica revela-se na transmissão de informações. não sou um conservador reacionário. Sabemos que todos os suportes mecânicos. porque podemos acessar on line os mesmos conteúdos por um custo menor. (C) já houve tempo suficiente para se precisar a durabilidade do disco rígido. Não.TRT 16º) Analisando diferentes mídias.

(Analista. com o uso constante.TRT 16º) Está adequada a correlação entre tempos e modos verbais na frase: (A) O autor nos lembra que as velhas fitas cassetes. (B) Caso fosse outro o tema do congresso realizado em Veneza. (D) a preservação das informações. III. quaisquer que sejam seus suportes. 148. (D) única forma de ler notícias sobre o passado. (E) I e III. (E) a fidedignidade das informações que circulam em suportes eletrônicos. No terceiro parágrafo. (D) I e II. (B) Gravei em disco rígido portátil. (C) o conservadorismo de quem rejeita os suportes modernos de informação. amante dos livros. 68 . o que logo as tinha tornado obsoletas. apenas. que se vem revelando cada vez mais precária. No segundo parágrafo. (B) II e III. (C) I. o autor. II. II e III. (E) os livros continuam em minha biblioteca.TRT 16º) Atente para as seguintes afirmações: I. apenas. afirma-se que vem sendo processada a cópia eletrônica de livros para preservar a massa de informações dos volumes que lotam nossas bibliotecas. mas também aspectos éticos envolvidos na transmissão de informações on-line. 150. o autor sugere que informações impressas em livro estão mais seguras do que as que se vêem processando em suportes mais avançados. enrolavam-se e mascavam-se. (Analista. (Analista. No primeiro parágrafo. provavelmente não o havia tomado para comentar. (C) mais para a difusão do que para a conservação das informações. Está correto o que se afirma em (A) III. apenas.TRT 16º) O autor nega que seja um conservador reacionário – negativa que pode ser justificada atentando-se para o segmento (A) consulta a um velho e bom livro. apenas. 149. considera-se não apenas a efemeridade dos últimos suportes de mídia.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (B) a conservação dos livros.

que se vêm revelando muito resistentes. de cujo estudo muito tem colaborado. mas não se podem avaliar com segurança quanto tempo permanecerão disponíveis. (E) A cada vez que surge um novo suporte de informações. ter-se-ia a impressão de que ele se revelasse o mais seguro e mais duradouro.. (B) Tivemos tempo suficiente para ver quanto podia durar um disco de vinil (.TRT 16º) Está clara e correta a redação do seguinte comentário sobre o texto: (A) Umberto Eco. 152. reconhecido ensaísta italiano. os de hoje ressentem-se do uso constante. que provaram ter resistido há mais de cem anos de impressão. feitos de papel de polpa de madeira. (Analista. (Analista. (Analista. é possível que os homens do futuro não pudessem interpretar plenamente a nossa cultura.TRT 16º) Na frase Mas aqui surge outro problema.TRT 16º) As normas de concordância verbal estão plenamente respeitadas na construção da seguinte frase: (A) Diferentemente do que ocorre com livros muito antigos. (E) O autor. 153. livros se confeccionarão com papel feito de trapos.) 69 .TESTES DE PORTUGUÊS FCC (C) Terá sido uma surpresa para muita gente inteirar-se do fato de que. antes de ler esse texto. que se julgavam preservadas numa memória eletrônica. (C) Em Veneza realizou-se o congresso aonde se discutiu a questão de que a efemeridade dos suportes de informação revela-se bastante precária. dedica-se com frequência à analisar temas modernos. (E) Atribuem-se a picos de tensão ou raios ocasionais a causa de muita perda de informações. pôde comprovar e comparar a qualidade e a durabilidade de diversos suportes de informação.. (B) Muita gente ignora o fato revelado pelo autor. um intelectual italiano que já não é jovem. não sou um conservador reacionário. 151. elas serão suficientes para dar notícia do que pensamos e criamos. (B) Caso deixassem de haver as grandes bibliotecas de hoje. (C) Confia-se a um suporte eletrônico incontáveis informações. (D) Ainda que só venha a restar da nossa época algumas boas bibliotecas. que a durabilidade dos velhos livros pudesse ser reconhecidamente superior à dos novos suportes. o termo em destaque exerce a mesma função sintática que o termo sublinhado em: (A) Não. antigamente. (D) Ainda há muitos livros em sebos. (D) Talvez a ninguém ocorresse. no qual se informa que já houve livros cuja fabricação se valia de um resistente papel de trapos.

na etiqueta. os suportes modernos não revelam a mesma eficácia. (D) Uma vez que foram criados para difundir informações. dedicou-se à questão da efemeridade dos suportes de informação (. (Analista. A moda logo passa.TRT 16º) Os suportes modernos parecem criados mais para a difusão do que para a conservação das informações.. 155.) as fitas de vídeo perdem as cores e a definição com facilidade. (C) É na difusão. (Analista. elétricos ou eletrônicos. na gíria. (C) dedicou-se à questão (1º parágrafo) = a ela foi dedicada. em Veneza.. (B) podemos acessar os mesmos conteúdos = os mesmos conteúdos podem ser acessados. pensar e agir que lhe pareciam os mais civilizados. por isso. Preserva-se o sentido essencial da frase acima nesta outra correta redação: (A) Difundir.TRT 16º) Verifica-se correta transposição de uma para outra voz verbal no seguinte caso: (A) os livros continuam em minha biblioteca (3º parágrafo) = os livros têm continuado em minha biblioteca...) obras primas (3º parágrafo) = tinham sido gravadas obras primas. Atenção: As questões de números 156 a 163 baseiam-se no texto apresentado abaixo. os que permitem ver logo que uma pessoa está acostumada com o que é prescrito de maneira tirânica pelas modas – moda na roupa. Caipiradas A gente que vive na cidade procurou sempre adotar modos de ser. mas não conservar. (E) Gravei (.. os suportes modernos tem sua conservação muito menos eficaz. na comida.) 154. e não na conservação das informações. nos espetáculos. que os suportes modernos revelam maior eficácia.) (E) Sabemos que todos os suportes mecânicos.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (C) (.. são rapidamente perecíveis (. (D) se realizam estudos (1º parágrafo) = estudos sejam realizados. na dança. (B) Criados os suportes modernos. criados para vincular informações. trocar de 70 . (E) Embora criados para difundir e conservar as informações. revelaram-se mais produtivos quanto à difusão do que para conservar as informações.. a gente da cidade deve e pode mudar.. eis o que se conclui acerca dos suportes modernos. (D) Um congresso recente. na escolha dos objetos.

repetição – ou paródia e imitação deformada. registre-se. que será altamente apreciado por quantos se interessem por essa cultura tão especial. quando entra em contato com gente assim. o citadino diz que ela é caipira. resto. por exemplo. Há. Diz. conhecemos não praticadas por caipiras. que não sabem qual é o cantor da moda nem o novo jeito de namorar. É o caso do disco Caipira. creio que não se pode falar mais de criatividade cultural no universo do caipira. e nada pode ficar parado. Nem podia ser de outro modo. O que há é impulso adquirido. e já quase extinta. iniciativas culturais com o fito de fixar o que sobra de autêntico no mundo caipira. do selo Eldorado. Que. aliás. porque o mundo em geral está mudando depressa demais. Recortes) 71 . Raízes e frutos.TESTES DE PORTUGUÊS FCC objetos e costumes. festas caipiras. ou dizia. porque ele quase acabou. mas por gente que finge de caipira e usa a realidade do seu mundo como um produto comercial pitoresco. na maioria das vezes. danças caipiras. querendo dizer que é atrasada e portanto meio ridícula. se entra em contato com um grupo ou uma pessoa que não mudaram tanto assim. gravado em 1980. mais ou menos parecida. que usam roupa como a de dez anos atrás e respondem a um cumprimento com certa fórmula desusada. (Adaptado de Antonio Candido. estar em dia. Hoje. porque hoje a mudança é tão rápida que o termo está saindo das expressões de todo dia e serve mais para designar certas sobrevivências teimosas ou alteradas do passado: músicas caipiras. Como consequência.

. 72 . apenas. (B) de as mudanças do nosso tempo ocorrerem em alta velocidade. (Analista. sublinhando os impulsos a que os caipiras têm que se render. apenas. No último e longo período. 158.. enfatizando as críticas dos citadinos aos modos caipiras.TESTES DE PORTUGUÊS FCC 156. acentuando a variabilidade que ocorre com as modas. (D) III. destacando parâmetros adotados pelos caipiras. estabelece-se uma contraposição entre as expressões (A) mais civilizados e fórmula desusada. apenas. o autor emprega o termo quase em função (A) de remanescerem repetições e paródias que aludem ao mundo caipira.TRT 16º) Ao afirmar que o universo do caipira (. é correto afirmar que o segmento (A) Diz. (E) é atrasada e meio ridícula. 157. Com a expressão o que é prescrito de maneira tirânica.) quase acabou.TRT 16º) Atente para as seguintes afirmações sobre o primeiro parágrafo: I. está correto o que se afirma em: (A) II e III. (D) deve e pode mudar.TRT 16º) Atentando-se para o 2º parágrafo.TRT 16º) No primeiro parágrafo. 159. identificando pontos de vista adotados pelos citadinos. com cuja imposição os citadinos estão acostumados. apenas. II e III. (E) da autenticidade que o citadino ainda reconhece nos costumes caipiras. (E) I e III. (B) certas sobrevivências teimosas ou alteradas designa a precária permanência de costumes caipiras. (Analista. ou dizia sugere a velocidade com que um novo elemento da moda aprimora um anterior. a sequência de pontos-e-vírgulas destaca uma enumeração de traços que identificam um caipira aos olhos do citadino. (C) I. (D) da fermentação cultural que se propaga criativamente nesse universo. (C) de iniciativas culturais que reavivam e fortalecem os costumes caipiras. Em relação ao texto. (Analista. A submissão dos citadinos aos valores da moda é a causa de uma alternância de valores que reflete uma clara hesitação entre o que é velho e o que é novo. (C) de maneira tirânica e está acostumada. (B) logo passa e estar em dia. pensar e agir. (B) I e II. II. (Analista. o autor está qualificando modos de ser. III.

referentes à frase acima: I.. // mas por gente que finge de caipira (. meio ridícula. 160. III. e portanto.) (E) (. 162.. Está correto APENAS o que se afirma em (A) II e III. meio ridícula.) (C) Nem podia ser de outro modo.. (D) um produto comercial pitoresco traduz a maneira pela qual o citadino reconhece a moda que ele mesmo promove. (C) o citadino diz que ela é caipira. 73 .. II. o autor retoma o que já havia identificado como impulso adquirido.. (C) III. (Analista.. constituem uma causa e seu efeito.) conhecemos não praticadas por caipiras. portanto. para atender à concordância obrigatória com iniciativas.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (C) o termo está saindo das expressões de todo dia refere-se à moda que deixa de ser segui-da. (E) II.) hoje a mudança é tão rápida // que o termo está saindo das expressões de todo dia (.. A expressão com o fito de fixar pode ser corretamente substituída por cuja finalidade é conservar.. (E) a realidade do seu mundo está-se referindo ao universo do citadino. (B) o citadino diz que ela é caipira.. (Analista.TRT 16º) Há. e.) que será altamente apreciado // por quantos se interessem por essa cultura tão especial (. O autor deveria ter-se valido da forma registrem-se.. meio ridícula.. proposta para o segmento final do primeiro parágrafo: (A) o citadino diz que ela é caipira querendo dizer que é atrasada. (D) I. // porque o mundo em geral está mudando depressa demais. em vez de registre-se. portanto. os segmentos destacados em: (A) (. iniciativas culturais com o fito de fixar o que sobra de autêntico no mundo caipira. na frase anterior.) 161. (B) I e II.) (B) (.TRT 16º) Considerando-se o contexto. (D) (. (Analista. Com a expressão iniciativas culturais..) uma pessoa está acostumada // com o que é prescrito de maneira tirânica (... nesta ordem. (3º parágrafo) Atente para as seguintes afirmações. registre-se. querendo dizer. que é atrasada...TRT 16º) Há justificativa para esta seguinte alteração de pontuação. querendo dizer que é atrasada e.

me surpreendendo assim. cede lugar às modas citadinas. brilhar um pouco.. tive de repente um ataque de pudor. seria preciso ganhar a vida de outro jeito. sempre haverá quem a adote. 163. para instaurar uma vida mais simples e sábia. entrando numa loja para comprar uma gravata. (C) A moda. (D) Vive-se num tempo onde as mudanças são tão rápidas que fica difícil acompanhar-lhes em sua velocidade. (E) o citadino diz que ela é caipira querendo dizer: que é atrasada. Será um sonho vão? Detenho-me um instante. de que quase todos tomam como parâmetro. e portanto. saber intrigas? Uma vez. por que procurar a voz de mulher na penumbra ou os amigos no bar para dizer coisas vãs. cortar lenha.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (D) o citadino diz: que ela é caipira. Atenção: As questões de números 164 a 173 referem-se ao texto que segue. entre duas providências a tomar. define as maneiras de vestir e pensar de que se comprazem os citadinos. Mas. São uma necessidade que inventei. cujos os valores são sempre efêmeros. para me fazer essa pergunta. algo de 74 . apenas me fazem falta. Seria preciso fazer algo de sólido e de singelo. dá na gente um sonho de simplicidade. (Analista. no meio dessa desarrumação feroz da vida urbana.. a cultura caipira cujos valores tanta gente se encantou. assim como sempre haverá quem não lhe poupe o aspecto de superficialidade. meio ridícula. querendo dizer: que é atrasada. tirar areia do rio. dizer coisas. esse ofício absurdo e vão de dizer coisas. e portanto meio ridícula. nesse comércio de pequenas pilhas de palavras. Um sonho de simplicidade Então. a escolher um pano colorido para amarrar ao pescoço. Por que fumar tantos cigarros? Eles não me dão prazer algum. (B) A moda sempre existiu. Por que beber uísque. (E) Os modos de ser com que se apropria a gente dacidade são os que lhes parecem mais civilizados. não assim.TRT 16º) Está correto o emprego de ambos os elementos sublinhados em: (A) Enfraquecida. lavrar a terra. de repente.

TESTES DE PORTUGUÊS FCC útil e concreto. fortes. afora o da pura imaginação. tem de repente um sonho assim. como os bois. está correto SOMENTE o que se afirma em (A) I. Um momento! Tiramos um lápis do bolso para tomar nota de um nome. (C) uma relação mais direta e vital do homem com os demais elementos da natureza. (C) III. (D) o aperfeiçoamento do espírito. Para que tomar nota? Não precisamos tomar nota de nada. nem número. Todo mundo. com certeza. que cada um de nós cria inconscientemente. gravatas e telefones são elementos utilizados pelo cronista para melhor concretizar o mundo que representa uma antítese ao seu sonho de simplicidade. uma característica exclusiva dos escritores que não mantêm relações mais concretas com o mundo. (B) II. O cronista condiciona a conquista de uma vida mais simples à possibilidade de viver sem precisar produzir nada. ( Analista. o cronista Rubem Braga idealiza sobretudo (A) uma depuração maior no seu estilo de escrever. O telefone toca. É apenas um instante. ( Analista.. doces. (E) II e III. 200 crônicas escolhidas) 164. que me fatigasse o corpo.marcado por excessivo refinamento. sem executar qualquer tipo de trabalho. na perspectiva do cronista. Cigarros. (D) I e II. bons. 75 . mas deixasse a alma sossegada e limpa.. precisamos apenas viver sem nome. distraídos. (Rubem Braga. as mangueiras e o ribeirão. (B) as pequenas necessidades da rotina. (E) a paixão ingênua que pode nascer com a voz de uma mulher na penumbra. Em relação ao texto.TRT 1º ) Considere as seguintes afirmações: I. de um número.TRT 1º ) Em seu sonho de simplicidade. II. por meio de reflexões constantes e disciplinadas. 165. III. Alimentar um tal um sonho de simplicidade é.

167. (D) Todas as coisas que se sonha nascem de carências reais.TRT 1º ) Transpondo-se para a voz passiva a frase Eles não me dão prazer algum. dizer coisas.TESTES DE PORTUGUÊS FCC 166. ( Analista. (C) apresenta como conseqüência de instaurar uma vida mais simples e sábia o fato de ganhar a vida de outro jeito. ( Analista. (C) Não dura senão um rápido instante os vislumbres de uma vida mais simples. pelo qual revela aos outros as verdades mais profundas. mas aquele que atribue importância exclusiva aos negócios e à rotina urbana.aqueles valores supérfluos que encorporamos sem nunca os analisar.. e anotamos nomes e números. na sugeição aos velhos hábitos e compromissos. seria preciso ganhar a vida de outro jeito. mas há que se reconhecer nele a beleza de uma vida a ser levada com muito mais distenção. (B) justifica com a expressão comércio de pequenas pilhas de palavras a visão depreciativa que tem de seu próprio ofício. é obvio. para instaurar uma vida mais simples e sábia.TRT 1º ) Na frase Mas. (D) utiliza a expressão não assim para apontar uma restrição à vida que seria preciso ganhar de outro jeito. esse ofício absurdo e vão de dizer coisas. com os quais se envolvem permanentemente. que empecilhos tão fortes nos impedem de desfrutála? (E) A singeleza de uma vida natural exclue.. com a repetição de dizer coisas. ( Analista.TRT 1º ) As normas de concordância verbal estão inteiramente respeitadas SOMENTE na frase: (A) Quando se fatigam os corpos. não assim. (E) Se houvessem mais coisas simples em nossa vida. (D) Se uma vida mais natural nos restitui a extinta simplicidade. 76 . a importância de seu trabalho de escritor.não sonharíamos tanto com elas. (C) Um telefone corta abruptamente nossa evazão imaginária. as almas restam mais sossegadas e limpas. resultará a forma verbal (A) têm dado. 169. o cronista (A) ressalta. (B) Quem vive de forma mais displiscente não é o homem distraído das obrigações. (B) O que aflige o autor é os compromissos e os ofícios vãos. ( Analista.TRT 1º ) Está correta a grafia de todas as palavras na frase: (A) O sonho do cronista parece estravagante. nesse comércio de pequenas pilhas de palavras. (E) se vale da expressão ofício absurdo e vão para menosprezar o trabalho dos escritores que se recusam a profissionalizar-se.01/10/01 168.

( Analista. nestes tempos modernos de hoje que atravessamos. com a qual amontoa pequenas pilhas de palavras inúteis.saímos deste e perdemos toda a continuidade do devaneio que vale mais à pena do que viver assim mecanicamente. 170. onde a rotina nos faz mergulharmos em inúteis atividades que nem paramos para pensar nelas.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (B) é dado. tomei consciência de que pretendia ficar elegante com um pano colorido que mecanicamente. (B) Como nunca te conviu sonhar. que se ostentam tão vaidosamente? (E) Ah. (E) Com que providências haveremos de tomar. quando olhando-me com a gravata. (E) foi dado.TRT 1º ) Está clara e correta a redação da seguinte frase: (A) Deu-lhe um sonho de simplicidade em face dessas desarrumações na vida. (C) Se estamos emersos num sonho e o telefone toca. excesso de rigor. amarrara ao pescoço.quando considera seu ofício não mais que uma banal operação.TRT 1º ) Está correto o emprego da expressão sublinhada na frase: (A) Tirar areia do rio e cortar lenha são atividades a que o cronista se entregaria com amor. se retêssemos por mais tempo os sonhos que valham a pena sonhar. para mudar nossa vida? 172. (D) teriam dado.TRT 1º ) Todas as formas verbais estão corretamente flexionadas na frase: (A) Se todos se detessem mais do que um instante. (D) A verdade é que nem mesmo certo prazer é mais obtido pelo cigarro. aos quais o cronista deseja pactuar. ( Analista. (C) O cronista provê de sonhos sua vida. que aliás acomete a qualquer um. (C) tem sido dado. (E) Apenas viver simplesmente torna-se um sonho em nosso tempo. deduzo que sejas feliz.. são exemplos de simplicidade.TRT 1º ) Está inteiramente adequada a pontuação da seguinte frase: (A) Tive. ( Analista. 77 . sim um ataque de pudor. (D) De onde proviram as gravatas. um sonho seria mais que um sonho. ( Analista. (B) Ele julga ridícula a tira de pano colorido do qual se pretende ficar elegante.. significará de fato algo para nós? (D) O ribeirão e o boi. (C) A pessoa cujo o nome anotamos. assim como ocorrem em outros fatos da vida. ainda que sejam fugazes. cujo vício alimentamos sem pensar. 171. (B) O cronista demonstra. talvez. 173.

valores que. 78 . Práticas e convenções Os direitos e deveres estabelecem-se primeiro na prática. olhando-me com a gravata tomei consciência.com a gravata. cujo acatamento coletivo muitas vezes demanda as prescrições de um código. que mecanicamente amarrara.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (B) Tive sim um ataque de pudor quando. (D) Tive.mecanicamente. que mecanicamente amarrara ao pescoço. um ataque de pudor quando. Ocorre que a legitimidade desse código pode vir a se tornar mera e vazia convenção. olhando-me com a gravata. apenas hoje. firma-se em valores culturais. que apenas retiram de um texto caduco aquilo que as pessoas há muito removeram de suas práticas sociais. por vezes. mecanicamente. tomei consciência. As recentes alterações no Código Civil brasileiro. sim. um ataque de pudor quando olhando-me. de que pretendia ficar elegante com um pano. depois por convenção. amarrara ao pescoço. refletindo. essas alterações não fazem mais que formalizar (quase diria: envergonhadamente) direitos conquistados ao longo das lutas feministas. quando olhando-me com a gravata. sim. (E) Tive. ao pescoço. firmaram-se há décadas. (C) Tive. desde que a mulher tomou para si a tarefa que lhe cabia: demarcar com clareza e soberania o território de sua atuação. estão longe de representar algum avanço mais profundo. de que pretendia ficar elegante com um pano colorido. No que diz respeito ao papel da mulher na modernidade. com tal atraso. tomei consciência de que pretendia ficar elegante com um pano colorido que. tomei consciência de que pretendia ficar elegante: com um pano colorido que. colorido. amarrara ao pescoço. As revisões dos dispositivos da lei fazemse. sim. O senso do que é justo. do que é socialmente desejável. quando seus postulados já não refletem a evolução dos fatos da cultura. Atenção: As questões de números 174 a 183 referem-se ao texto que segue. na prática social. elogiáveis em tantos aspectos. um ataque de pudor. mesmo do que é moral.

(C) III. (B) As recentes alterações que .. (nascer) todo direito.. a justiça humana seria uma simples convenção..TRT 1º ) Segundo o texto... sem influência de um em outro. As lutas feministas constituem um claro exemplo de que.. revelam-se anacrônicas..ignorando direitos há muito firmados na prática. (C) ocorrem simultaneamente. se não distinguimos entre o que é e o que não é um fato social.TESTES DE PORTUGUÊS FCC território que há muito é seu. 176. antes de se sistematizarem num texto legal... (Diógenes Torquato.no que diz respeito ao papel da mulher na sociedade moderna. respectivamente.TRT 1º ) Considere as seguintes afirmações: I.. com influências recíprocas.. não por convenção. (B) II. (estipular) devem acompanhar a prática das ações sociais. respectivamente..constituindo-se plenamente numa clara convenção.TRT 1º ) Para preencher de modo correto a lacuna da frase. ( Analista. (D) Se dos postulados dos códigos . (haver) no Código Civil brasileiro são elogiáveis em muitos aspectos. As recentes alterações no Código Civil brasileiro. as práticas sociais e o estabelecimento dos textos legais (A) ocorrem simultaneamente. (dizer) respeito definir o que é ou não é legítimo. III. (D) constituem... (E) II e III. II. ( Analista. 79 ... ( Analista. o verbo indicado entre parênteses deverá adotar uma forma do plural em: (A) As normas que num código legal se . 175. respectivamente. A legitimidade de um código legal depende de que este se apresente sem nenhum defeito formal.. inédito) 174.. Em relação ao texto está correto SOMENTE o que se afirma em (A) I. o plano das convenções e o plano da vida cultural. (E) constituem.. o plano dos valores ideais e o plano dos valores históricos.. (B) constituem. os valores e os direitos se afirmam na prática das ações sociais. mas pela ação cotidiana que se fez histórica. (D) I e II. (C) Não nos . o plano da vida cultural e o plano das convenções.

.... são um tanto tímidas.deve ser comprovado na prática. (C) Firma-se o senso do que é justo à proporção que passassem os anos. 80 . ... O valor de um código... sucesso muitas se empenham.TRT 1º ) A expressão de cujo preenche corretamente a lacuna da frase: (A) É um processo de luta . ( Analista. Os homens. 177. somente. (D) São de se elogiar as alterações apresentadas pelo Código que recentemente se lançou. sucesso ninguém mais duvida..TRT 1º ) Considere os seguintes casos: I. .. somente. O valor de um código estabelecido por convenção deve ser comprovado na prática. muito se falou. (B) As novidades do novo Código Civil.. estabelecido por convenção.passarão a acatá-los.. esforço devemos reconhecer.TRT 1º ) Os tempos verbais estão adequadamente articulados na frase: (A) As mulheres muito lutariam para que possam ter seus direitos respeitados. travaram-se ao longo de muitas décadas.. III.. A alteração na pontuação provoca alteração de sentido em (A) I... ( Analista.. II e III. 180. agora o Código Civil brasileiro incorporou as mudanças ocorridas. II. é acompanhar a evolução dos fatos da cultura. Somente agora o Código Civil brasileiro incorporou as mudanças ocorridas.. ( Analista... (D) A grande tarefa do legislador. que ignoram os direitos da mulher... (B) Esses valores se instituíram na prática. (C) I e III. (E) As práticas sociais... . somente. 179.(conquistar) que muitos dispositivos legais se tornaram imediatamente obsoletos.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (E) Ao longo das lutas feministas tanta coisa se .. (D) II e III. Somente... são por vezes ignoradas.TRT 1º ) A única frase corretamente construída é: (A) Espero que Vossa Excelência aprecieis o novo código. (B) I e II. 178.. (C) As lutas feministas.. Os homens que ignoram os direitos da mulher passarão a acatá-los. (E) Coube às mulheres lutar para que sejam reconhecidos os direitos que lhes negássemos. somente. e só muito depois houveram sido formalizados.. ( Analista. (E)I. valor nenhum outro deveria se sobrepor. .

(B) É louvável. (C) Se passares os olhos pela nova redação. (C) Os povos primitivos orientam-se por uma tradição de valores mais precisos e mais permanentes que os nossos. (C) O autor do texto ao tratar de práticas e convenções está referindo às ações nas quais cujos seus valores nem sempre são imediatamente acompanhados pela legislação vigorosa. até então. mais difícil é haver quem discuta os valores já estabelecidos na prática social. 181. (E) Se contra fatos não há argumentos.TRT 1º ) Está inteiramente clara e correta a redação da frase: (A) É na constância da prática que os valores culturais se retificam. as alterações do novo código não obtiveram mais do que buscar acompanhar fatos há muito consolidados. à exemplo do que ocorreu com o antigo. ( Analista.não se passando o mesmo com a prática das ações. (B) Embora elogiáveis sobre muitos aspectos. ( Analista. (D) Conserva contigo esse exemplar do novo código. à qual. (C) À vista do que dispõe o novo código. (E) Não obstante haja quem o discorde. (E) Não se impute à uma mulher a culpa de não ter lutado por seus direitos. por favor. não caberá àninguém a condição "natural" de cabeça de casal.TRT 1º ) É preciso corrigir a redação da seguinte frase: (A) Li o novo código e. confirmando-se assim como valores onde sua legitimidade torna-se indiscutível. a coragem com que as feministas pioneiras se lançaram à luta. ( Analista. poderá ver que são pequenas as alterações. (D) Há sempre quem discuta as leis. se reservava para o homem. nada tenho a lhe opor. 183. tal como pode observar quem venha acompanhando o processo das batalhas feministas. à qual. (D) Pode ser que à curto prazo o novo código esteja obsoleto em vários pontos. levo-lhe ainda hoje a nova redação do código.TRT 1º ) A necessidade ou não do sinal de crase está inteiramente observada na frase: (A) Deve-se à luta das feministas o respeito aos direitos que cabem também às outras parcelas de injustiçados que integram a nossa sociedade.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (B) Se o senhor preferir. 182. (E) Se Vossa Senhoria não fizer objeção. (B) Encontra-se a disposição dos interessados a nova edição do Código Civil. muitos acreditam que o que é justo decorre do texto legal. esta é uma afirmação autoritária. aliás.não vá perdê-lo. na qual não se deve recorrer. já se fizeram objeções à torto e à direito. no fundamental. todas as pressões sociais sempre a conduziram àquela "virtuosa" resignação 81 . (D) A demarcação de um campo de direitos não prescinde de muita luta. aguardarei que termines a leitura integral do código. reconheça-se.

conecção . responsabilidade.. 184. ( TRE/ PI) Tantas ... e a falta de .. (A) vos .....fizesse .. V.Sa .concenso (D) divergências ...vossa (C) lhe . (A) propossem .conecção . entre os vários departamentos impediam que se chegasse a um . a faltar.vierem 187.vierem (C) propusessem . ( TRE/ PI) Antes que se . (A) Sabendo .conexão ..fosse fazer .. que isso ... em relação ao caso.ateram-se .fosse fazer .....vierem (B) propusessem ..sua 186..concenso (C) divergências .consenso 185....virem (D) propossem .deveis ...deve ....ativeram-se .. grande estoque de material.. ( TRE/ PI) Com a autoridade que . .... a alternativa que preenche corretamente as lacunas da frase apresentada. a recursos que porventura ..deveis ... falta. cabe.deve ...conexão . ( TRE/ PI) .sua (B) vos ....ateram-se .virem (E) propusessem .iríamos comprar (D) Sabíamos ..ativeram-se .deve ..compraríamos (B) Soubéssemos .vossa (D) vos ..fazendo ...consenso (B) diverjências .comprássemos (C) Sabendo ...... na folha de respostas.TESTES DE PORTUGUÊS FCC Instruções para as questões de números 184 a 190....ativeram-se . reformas..iria fazer ..íamos comprar 82 ..conexão . Assinale.sua (E) lhe . (A) diverjências .. inspecionar os trabalhos da usina que está sob ..consenso (E) diverjências . os técnicos de inspeção .compraremos (E) Saberíamos .

. com 192. a alternativa em que o período está corretamente pontuado..revista .. (A) lhe .de confiança nos funcionários.. mas poucos se sensibilizaram com isso.contratarão 189.contratarão (C) vão . considerando correção.. nesse emprego. Assinale na folha de respostas. ( TRE/ PI)Essa questão apresenta cinco propostas diferentes de redação....revisto . ( TRE/ PI) Diga . mas não ...revistos .. (C) Repetindo.... mas penso que não se . mas poucos.às (D) à . (E) Repetindo a recomendação o diretor.o .a continuar (B) lhe .de continuar (E) o . novos auxiliares. ( TRE/ PI) As listas de pessoal admitido ...continuar (D) o .... (A) a -a -as (B) a .. duas horas.....as (E) à . ser .. ela que só retornarei . com isso.à continuar 190. poucos se sensibilizaram com isso.à ..TESTES DE PORTUGUÊS FCC 188.o .contratará (B) vai . o diretor deu um voto de confiança nos funcionários. nos funcionários mas poucos se sensibilizaram. ( TRE/ PI) Assinale. casa após . a alternativa que corresponde à melhor redação. (D) Repetindo a recomendação.. o diretor deu um voto de confiança nos funcionários mas.. a fazer o trabalho.a . clareza e concisão. (A) vão .contratarão (D) vai . (A) Repetindo a recomendação o diretor deu um voto... mas poucos se sensibilizaram.revistas . na folha de respostas..de continuar (C) o ....lhe ....o .contratará (E) vão . se sensibilizaram com isso. (B) Repetindo a recomendação..revistos .. deu um voto de confiança...lhe . ( TRE/ PI) Ajudei..às 191.. a recomendação o diretor deu um voto de confiança nos funcionários..às (C) à .. 83 .. aconselho ..à .à .

está em contato direto somente com a natureza e os animais. enquanto esteja em contato direto somente com a natureza e os animais. (D) O conhecimento do dia e da noite era o único que o homem das épocas remotas tinha.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (A) O homem com relação ao tempo. III. (E) Ainda que conheça a solidão propriamente dita. porque conhece a solidão propriamente dita. Instruções para as questões de números 194 a 198. ( TRE/ PI) I. a pessoa tem a sensação de ter rompido com o mundo. a pessoa conhece a solidão propriamente dita. era o único conhecimento que eles tinham em termos de tempo. Baseie-se exclusivamente nas informações nela contidas. (B) A pessoa conhece a solidão propriamente dita quando. 84 . Leia atentamente cada uma delas e assinale. decorrente que a humanidade no que se refere a tempo acordava com o sol e se deitava com a noite. II. o homem em termos de tempo só tinha conhecimento do dia e da noite. 193. a alternativa que esteja de acordo com o texto. se se pensar em épocas remotas da história da humanidade. A pessoa tem a sensação de ter rompido com o mundo. por causa de que acordava com o sol e se ditava quando anoitecia. tem a sensação de ter rompido com o mundo. que o homem das épocas remotas da história da humanidade acordava e se deitava com eles.somente em contato direto com a natureza e os animais.segundo esteja em contato direto somente com a natureza e os animais. portanto o homem só tinha conhecimento do dia e da noite. (D) A pessoa tem a sensação de ter rompido com o mundo quando conhece a solidão propriamente dita.a despeito de estar em contato direto somente com a natureza e os animais. Essas questões referem-se a compreensão de leitura. acordava com o sol e deitava-se ao anoitecer. (E) O dia e a noite. (C) Em épocas remotas da história da humanidade. (B) Relacionado com o tempo em épocas remotas da sua história. (A) Mal tem a sensação de ter rompido com o mundo. na folha de respostas. (C) Se a pessoa tem a sensação de ter rompido com o mundo. A pessoa está em contato direto somente com a natureza e os animais. A pessoa conhece a solidão propriamente dita. a humanidade acordava com o sol e se deitava ao anoitecer. só tinha conhecimento do dia e da noite. Assinale a alternativa em que as frases acima estão em correta relação lógica e sintática.

TESTES DE PORTUGUÊS FCC 194. ( TRE/ PI) Infere-se do texto que (A) o mundo. mas para mim é chato. aceita normalmente a idéia de que o mundo é redondo. por esse motivo. 196. Atenção: As questões de números 195 e 196 baseiam-se no texto abaixo. (E) o colorido das siglas e apelidos hierarquiza e rotula as tendências das diferentes épocas. o que o deixa atrapalhado para acreditar que o mundo é redondo. embora não os conheça. que nos outros lugares é embaixo ou de lado.deste momento. e ele pode pensar que o mundo só é chato no Brasil. Ronaldo só vê o mundo como uma planura. 85 . para ele nada precisa parecer. que nos outros lugares que ele não viu vai redondando. (B) dizem que o mundo é redondo. (C) tendenciosamente hierarquizadas. o que lhe dificultaria aceitar a idéia de que o mundo é redondo. quer pela autoconsciência que uma geração tem do momento em que vive. Infere-se do texto que (A) tanto as gerações atuais quanto as vindouras alicerçam-se em fatores subjetivos para a rotulação das épocas. (D) existe uma autoconsciência capaz de estabelecer confronto entre uma época e outra. Porque eu estive em muitos países e vi que lá o céu também é em cima. por isso o mundo parecia todo reto para mim. quer pela visão que. as diversas épocas alimentam-se da autoconsciência das gerações que nelas vivem. (E) se Ronaldo viajasse. Eu sei que o mundo é redondo. constataria que o mundo parece plano em toda parte. para Ronaldo. Quando dizem para ele é só acreditar. para ele não parece chato. é um globo. ( TRE/ PI) De acordo com o texto. (C) Ronaldo só acredita naquilo que vê. quando tendenciosamente hierarquizadas. possuirá um grupo póstero de analistas. mas Ronaldo só sabe que o mundo é redondo. pois sabe que ele se arredonda em outros países. 195. ( TRE/ PI) As diferentes épocas são mais facilmente rotuladas quando coloridas de siglas e apelidos. o que Ronaldo poderá comprovar com sua própria observação no dia em que puder viajar. (B) há um grupo póstero de analistas cuja função consiste em criticar o lado negativo de cada época. o locutor. em seu monólogo. (D) como nunca saiu do Brasil. Mas Ronaldo nunca saiu do Brasil e pode pensar que só aqui é que o céu é lá em cima.

tanto é verdade que. Tanto quanto produzir originalmente. por vezes agressiva. pois elas apresentam uma face que realmente não é a sua. (C) acredita que ser é mais importante do que parecer. 198. já que nela existem ainda povos primitivos. Atenção: As questões de números 197 e 198 baseiam-se no texto abaixo. materiais e até mesmo tecnológicos. (B) deixa-se enganar pelo lado exterior das coisas. morais. uma das condições da criação de "um mundo só" . das realidades próprias. A consciência plena da diversidade parece dar maior força à convicção profunda da unidade humana . (D) a possibilidade de conhecimento das obras escritas de outros povos é um fator que permite ultrapassar barreiras culturais.na certeza de que a ignorância das realidades alheias é dupla fonte de mal. (C) o desconhecimento de outras culturas leva ao isolamento e à mediocrização das obras literárias de um povo. contemporânea e futuramente. de cultura rudimentar. há formas e estruturas sociais que podem dar lições de eficácia aos povos ditos avançados. mesmo dos povos ditos atrasados. ( TRE/ PI) De acordo com o texto. ( TRE/ PI) Infere-se do mesmo texto que 86 .sem preconceitos de falsos valores raciais. (E) só acredita no que lhe dizem quando pode comprovar um fato com os dados de sua experiência pessoal. éticos. (D) questiona a disparidade existente entre aquilo que as coisas são e aquilo que elas parecem ser. em que a complexidade e divisão dos instrumentos de ação parecem dar uma medida do progresso. (E) os preconceitos contra povos mais atrasados são rompidos quando eles têm obras escritas passíveis de tradução.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (A) afirma que seria muito melhor se as coisas fossem aquilo que elas parecem ser. pela subestimação das realidades alheias e pela supervalorização. 197. traduzir é. culturais. (B) a aldeia global vai sendo estabelecida à medida que os escritores de cada país encontram tradutores eficientes para melhorar suas obras. (A) a civilização contemporânea não tem o direito de ser pretensiosa. o que o leva a desconfiar daquilo que as coisas parecem ser. neste particular.

e muito menos brasileiros morriam antes de completar um ano de vida.00 hoje) e apenas 2.1 milhões de membros da população economicamente ativa ganhava até dois salários mínimos por mês (ou R$ 302. Atenção: As questões de números 199 e 200 baseiam-se no texto apresentado abaixo. seja ele avançado ou atrasado. 87 . esgoto e coleta de lixo. O Brasil entrou no século XXI justificando o lugarcomum do século passado: continua sendo um país de contrastes.TESTES DE PORTUGUÊS FCC (A) a civilização de um povo deve ser avaliada pelo seu progresso tecnológico.4% ganhavam mais de vinte salários mínimos. Isso. Por esse ângulo. A queda foi maior do que os especialistas haviam projetado no início da década. (D) há instrumentos precisos para avaliar o grau de desenvolvimento de um povo. A mortalidade infantil caiu 38%: de 48 por mil nascimentos para 29. Isso é o que revelam os números iniciais do Censo 2000. pode-se dizer que o Brasil é um país igualitário: ostenta a dramática igualdade na pobreza. eletrodomésticos. divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).00 à data do recenseamento e R$ 400. no mundo atual. R$ 4 000.6. telefones. muito mais brasileiros estavam estudando. povos ditos avançados e outros ditos atrasados. ou seja. tinham carros. luz. (B) não se pode discriminar um povo por causa do nível pouco avançado do seu estágio cultural. em comparação com o primeiro – 1991 –. a despeito de a maioria da população continuar vivendo com rendimentos franciscanos: pouco mais da metade dos 76.00 – um salário relativamente modesto nas sociedades desenvolvidas. (C) não existem mais. (E) o progresso de um povo está diretamente associado ao seu grau de civilização. água encanada. No último ano da década passada.

Enquanto no Sul e no Sudeste os domicílios com carro somam mais de 40%. a do "milagre brasileiro". (3º parágrafo) A afirmação acima aponta para 88 . em matéria de expansão dos benefícios sociais e do acesso a bens indispensáveis no mundo contemporâneo. De certo modo. no que toca ao crescimento econômico foram uma década das mais medíocres. no Norte e no Nordeste não chegam a 15%. ( TRT. os anos 1990 foram uma década ganha. Paulo. parcos 2. Se é verdade que. Entre 1991 e 2000.7% ao ano. O desequilíbrio regional e social do consumo acompanha. É óbvio que a retomada do desenvolvimento é condição sine qua para a elevação da renda do povo. o melhor ano do período. (Adaptado de O Estado de S. o Produto Interno Bruto (PIB) não chegou a 6% – muito abaixo dos picos registrados na década de 1970. desde a transformação do País em sociedade industrial.TESTES DE PORTUGUÊS FCC Os números agregados escondem que o consumo se distribui de forma acentuadamente desigual pelo território e entre os diversos grupos de renda. a concentração da capacidade aquisitiva. obviamente. quem pode consumir bens duráveis acaba consumindo por si e por quem não pode. em média. Mesmo em 1994. como o telefone.20º )De certo modo. maio/2002) 199. quem pode consumir bens duráveis acaba consumindo por si e por quem não pode. Os dados que apontam para a intolerável persistência da igualdade na pobreza entre os brasileiros têm relação manifesta com o desempenho da economia. o Brasil cresceu.

TESTES DE PORTUGUÊS FCC (A) a melhoria real do padrão de vida da população brasileira. apresenta índices positivos de melhoria na qualidade de vida do povo brasileiro. (E) a falsidade do resultado de certas pesquisas. assinala um aumento geral do poder aquisitivo do povo brasileiro. a respeito do texto. (C) um equilíbrio final da capacidade de consumo da população nas várias regiões brasileiras. cujos dados desvirtuam a realidade.pois eles indicam o consumo de bens duráveis por uma população que não tem poder aquisitivo. (D) o paradoxo que resulta dos dados do último censo. masque deixam de mostrar dados pouco animadores da situação econômica e social da população brasileira. II. em todo o território nacional.20º ) Considere as afirmativas abaixo. apesar de um valor modesto para o salário mínimo. (B) resultados estatísticos aparentemente otimistas. Está correto o que se afirma SOMENTE em: (A) I e II (B) II e III (C) I (D) II (E) III 89 . O Censo 2000 I. especialmente quanto à garantia de emprego. indica o avanço do Brasil. igualando os resultados de cada uma delas. idêntico ao de algumas sociedades desenvolvidas. especialmente a da classe social mais desfavorecida. 200. ( TRT. registrando existência de consumo mesmo entre os mais pobres. III. reduzindo a um mínimo as diferenças regionais. ao lado de disparidades acentuadas.

TESTES DE PORTUGUÊS FCC GABARITO DOS TESTES DE PORTUGUÊS FCC 1-B 2-C 3-D 4-A 5-E 6-A 7-C 8-B 9-D 10-E 11-C 12-B 13-E 14-D 15-A 16-C 17-E 18-D 19-B 20-A 21-C 22-B 23-A 24-C 25-D 26-A 27-B 28-D 29-C 30-E 31-A 32-E 33-E 34-D 35-E 36-B 37-D 38-A 39-B 40-E 41-E 42-D 43-B 44-A 45-D 46-C 47-E 48-B 49-D 51-A 52-B 53-C 54-A 55-E 56-B 57-C 58-E 59-A 60-D 61-E 62-D 63-B 64-A 65-C 66-C 67-B 68-A 69-E 70-D 71-E 72-C 73-B 74-A 75-D 76-B 77-C 78-E 79-A 80-D 81-A 82-C 83-D 84-E 85-B 86-C 87-E 88-B 89-D 90-A 91-D 92-E 93-C 94-B 95-A 96-C 97-E 98-D 99-B 101-B 102-C 103-E 104-D 105-A 106-E 107-B 108-D 109-C 110-A 111-E 112-D 113-B 114-C 115-A 116-C 117-E 118-D 119-B 120-A 121-C 122-D 123-B 124-E 125-A 126-D 127-C 128-B 129-A 130-E 131-C 132-A 133-D 134-B 135-E 136-C 137-E 138-D 139-B 140-A 141-E 142-C 143-D 144-A 145-B 146-A 147-D 148-E 149-B 151-E 152-A 153-C 154-C 155-B 156-A 157-A 158-E 159-B 160-D 161-D 162-C 163-B 164-C 165-C 166-B 167-D 168-A 169-B 170-C 171-A 172-B 173-E 174-D 175-B 176-A 177-D 178-C 179-E 180-E 181-D 182-E 183-A 184-D 185-E 186-B 187-A 188-E 189-C 190-A 191-D 192-C 193-B 194-A 195-E 196-D 197-C 198-B 199-B 90 .

TESTES DE PORTUGUÊS FCC 50-C 100-A 150-D 200-D 91 .