You are on page 1of 59

Gêneros acadêmicos

São os textos produzidos ou lidos
no ambiente acadêmico, com o
objetivo de resumir , apresentar,
demonstrar, difundir, recuperar
ou contestar o conhecimento
produzido, acumulado ou
transmitido nas instituições de
ensino superior.
1

Principais gêneros acadêmicos:
Na modalidade oral, podemos citar
conferências, discussões, exposições,
aulas, entrevistas de campo,

comunicações, aulas participativas,
aulas expositivas, seminários, colóquios,
arguição de tese, exame de qualificação,
entrevistas de seleção etc.
2

Na modalidade escrita, temos, entre
outros: artigos científicos, relatórios
científicos, notas de aula, diários de
campo, teses, dissertações, monografias,
artigos de divulgação científica, resumos
de artigos, de livros, de conferências,
resenhas, comentários, projetos, manuais
de ensino, bibliografias, fichas
catalográficas, currículos vitae,
3

memoriais, pareceres
técnicos,sumários, bibliografias
comentadas, índices remissivos,

glossários, etc.

4

Observe:

Fichamentos

Ensaio e
resenha

Artigo

Monografia

ESCRITA ACADÊMICA

Resumos e
pôster

Textos de opinião

Relatório

Projeto

5

Fichamento O fichamento é uma técnica de trabalho intelectual que consiste no registro sintético e documentado das ideias e/ou informações mais relevantes (para o leitor) de uma obra científica. literária ou mesmo de uma matéria jornalística.1. 6 . filosófica.

7 .Estrutura do fichamento a) Cabeçalho . local de publicação. editora e ano da publicação) b) Corpo .assunto .referência(autoria. título.é o texto propriamente dito.

entre colchetes [. Obedece algumas normas: a) toda citação deve vir entre aspas...1. Consiste na transcrição fiel de trechos fundamentais da obra estudada. utilizando-se no local da omissão. d) a supressão de uma ou mais palavras deve ser indicada. três pontos.1.Fichamento por citação Aplica-se para partes de obras ou capítulos. 8 . deve constar entre parênteses o número da página de onde foi extraída a citação. c) a transcrição tem que ser textual e não esquemática.]. b) após a citação.

15) 9 . Ciência e conhecimento Científico. M.10). o modo e os instrumentos do „conhecer‟.. Metodologia do trabalho científico. (p. „porque o disseram‟. „porque o senti‟. isto é conforma-se com a aparência. “Além de ser uma sistematização de conhecimentos. E.. [. 1995. (p.” (p. 12-13) “O conhecimento popular caracterisa-se (sic) por ser predominantemente: superficial. Uma das diferenças é quanto à condição ou possibilidade de se comprovar o conhecimento que se adquire no trato direto com as coisas e o ser humano”. mas o que os diferencia é a forma. „porque todo mundo diz‟ “. 4. com aquilo que se pode comprovar simplesmente estando junto das coisas: expressa-se por frases como „porque o vi‟. “O conhecimento popular e o científico possui objetivo comum.MARCONI. p. São Paulo: Atlas.A.M. LAKATOS. In: ______.08-22.] ciência é um conjunto de proposições logicamente correlacionadas sobre o comportamento de certos fenômenos que se deseja estudar. ed.

43) 10 . é comum os assassinos de mulheres serem absolvidos sob a defesa de honra” (p. “defendeu a abolição da escravatura. Nísia Floresta Augusta.30) “na justiça brasileira. 132) “a mulher buscou com todas forças sua conquista no mundo totalmente masculino” (p. ao lado de propostas como educação e a emancipação da mulher e a instauração da República” (p.Uma das primeiras feministas do Brasil.

11 .

local de publicação. No corpo do texto. 12 . seja em que nível for. editora. número do volume se houver mais de um e número de páginas. o título da obra. um resumo sobre o assunto do livro ou do artigo. edição.1. ano da publicação.2. Fichamento bibliográfico: Deve conter o nome do autor (na chamada). incluindo detalhes importantes sobre o tema tratado que possam ajudar ao pesquisador em sua tarefa de pesquisa.

LAKATOS. ed. métodos científicos.variáveis. 4. fatos. a que são submetidas hipóteses básicas. rigorosamente caracterizadas e subsequentemente submetidas à verificação.MARCONI. 1995. o conteúdo deste livro aborda ciência e conhecimento científico. Metodologia do trabalho científico. 13 . resulta de toda uma metodologia de pesquisa.A. o conhecimento científico. não obstante falível e nem sempre absolutamente exato. leis e teorias. Real. contingente. Mostrando todo o encadeamento da metodologia do conhecimento científico. E. M. vulgar ou popular. Seu propósito fundamental é evidenciar que. há diferenças essenciais entre o conhecimento científico e o senso comum. sistemático e verificável. O livro trata de questões relevantes para a metodologia do trabalho científico.plano de prova e verificação das hipóteses. 214 p.hipóteses. elementos constitutivos das hipóteses .M. resultantes muito mais do contexto metodológico de que emergem do que propriamente do seu conteúdo. embora a ciência não seja o único caminho de acesso ao conhecimento e à verdade. São Paulo: Atlas.

Breve história do feminismo no Brasil . revistas e depoimentos. 1993. São Paulo: Editora Brasiliense. A obra insere-se no campo da história e da antropologia social. A autora descreve em linhas gerais todo o processo de lutas e conquistas da mulher. A autora utiliza-se de fontes secundárias colhidas por meio de livros.brasilescola. Aborda os aspectos históricos da condição feminina no Brasil a partir do ano de 1500.http://monografias. A abordagem é descritiva e analítica. Maria Amélia de Almeida. 14 .com/regras-abnt/tipostrabalhos-academicos-fichamento TELES.

15 . abreviadamente. não precisando obedecer a estrutura da obra. Fichamento tipo resumo: Pode-se utilizar esse tipo de ficha para expor. A ficha de resumo deve ser breve e redigida com as próprias palavras. as principais ideias do autor ou também para sintetizar as ideias principais de um texto ou de uma aula.1.3.

In: ______. o que leva ao conhecimento científico é a 16 forma de observação do fenômeno. LAKATOS. Ciência e conhecimento Científico. Metodologia do trabalho científico.08-22. Lakatos & Marconi apresentam dois aspectos importantes: a) a ciência não é o único caminho de acesso ao conhecimento e à verdade. M. ed. A partir desse pressuposto. . E. 4. é necessário analisar as particularidades do objeto ou fenômeno em estudo. b) um mesmo objeto ou fenômeno pode ser observado tanto pelo cientista quanto pelo homem comum.M. São Paulo: Atlas.MARCONI. O conhecimento científico se caracteriza pela possibilidade de se comprovar os dados obtidos nas investigações acerca dos objetos.A. 1995. Para que o conhecimento seja considerado científico.p.

O cuidado principal para uma boa apresentação oral é captar e conservar a atenção de seu auditório. 17 .Apresentação oral Numerosos são os trabalhos e estudos redigidos por estudantes ou profissionais que devem ser apresentados oralmente.2.

Desenvolver a Apresentação.1. .Preparação prévia . 18 .Elaborar um Resumo.Treinar a Apresentação. .

2.Elaborar um resumo do trabalho a apresentar O resumo deve possibilitar que a plateia perceba. O resumo deve conter: 19 . o tema e o conteúdo da apresentação. de uma forma simples.

. que prendam a atenção da plateia sem exigir esforço). . .-Uma ou duas frases introdutórias (frases com poucas palavras.Metodologia (quais as etapas de elaboração do trabalho apresentado e tempo de elaboração).Conclusões. 20 .Objetivos (explicar de uma forma simples qual a finalidade da realização do trabalho que se está a apresentar).

Calcular o tempo gasto na apresentação de cada página (calcule o nº de páginas de acordo com o tempo tempo disponível).Usar sempre letras minúsculas. . 21 . .Elaborar uma apresentação de Power point ou slides para projeção . exceto nas letras do título (Fonte: Acima de 20).Incluir sempre o título em cada página.3.

.Não “encharcar” o página com muitas frases e figuras (7 linhas por página / cerca de 7 palavras por linha). . 22 .Evitar ao máximo o uso de abreviaturas.Ao usar gráficos de barras. . usar um máximo de 8 barras.Ao mostrar dados de outros autores ter o cuidado de colocar as referências dos mesmos..

equilibrando o gasto do tempo com o esclarecimento do assunto abordado.Desenvolvimento da apresentação A apresentação de cada página deve ser acompanhada de explicações breves que ajudem a perceber o conteúdo dos mesmos. 23 .4.

5. 24 . Primeiro treina-se sozinho e posteriormente deve-se treinar com pessoas a assistir. passase à etapa de treino da apresentação. qual o tempo gasto para apresentá-las e qual o discurso a utilizar (desenvolvimento da apresentação).Treinar a apresentação Terminadas as etapas anteriores. A finalidade do treino é habituar o orador para apresentar cada página.

25 .Responda às perguntas que lhe forem colocadas.Apresentação . motivação e olhando para a plateia.Seja firme e positivo.Use as mesmas palavras dos diapositivos e aponte para os mesmos de forma a orientar a plateia.6. . . .Fale devagar. com clareza.

26 . -Reserve um tempo para responder às perguntas do auditório.7-Conclusões -Lembre simplesmente duas ou três ideias principais que o auditório deve guardar e focalize seu discurso nelas. -Não interrompa seu interlocutor durante a pergunta e admita se não souber responder totalmente a uma questão.

os membros da Banca Examinadora (com exceção do orientador) assumem uma postura de provocar o candidato. 27 . dissertação ou tese é uma exigência para que o candidato obtenha o título que almeja. as recomendações são outras. A defesa pública da monografia. pois.No caso de apresentação PARA A DEFESA DE UMA PESQUISA CIENTÍFICA. O pesquisador deve manter a calma. na maioria das vezes.

28 .

Resumo indicativo ou fichamento 2. A NBR 6028:2003 da ABNT define: 2.2.Resumo crítico ou resenha 29 .1.3.2) Resumo : A ABNT (2003: NBR 6028:) conceitua resumo ou síntese como “apresentação concisa do texto.Resumo informativo 2. destacando seus aspectos de maior relevância”.

1-Resumo indicativo ou fichamento: Sumário narrativo das informações presentes no texto. apenas oferece um panorama geral de suas ideias. Ele facilita: . é elaborado com frases nominais breves cada uma correspondendo a uma ideia apresentada pelo texto.a assimilação dos conteúdos estudados 30 .a execução dos trabalhos acadêmicos . Não traz dados qualitativos nem quantitativos. não dispensa a leitura do texto original. Em geral.2. Tem o objetivo de fazer o registro dos estudos de um livro ou de um texto.

jemaonline. Michele) 31 .mas é também uma forma de estudar e/ou assimilar criticamente os melhores textos e temas de sua formação acadêmicoprofissional”. é preciso usar fichas que facilitam a documentação e preparam a execução do trabalho.TELISE. Para isso. Não só.O resumo indicativo ou fichamento também pode ser definido como: “ uma forma de investigação que se caracteriza pelo ato de fichar (registrar) todo o material necessário à compreensão de um texto ou tema. (www.blogspot.com.

1.2.2. local de publicação.Tipos de fichamento a) Bibliográfico b) Conteúdo c) Citações 1.2. editora e ano da publicação) b) Corpo Veja alguns exemplos: 32 .1.referência(autoria.assunto . título.Estrutura do fichamento a) Cabeçalho .

É a descrição. 33 . uma revista. um artigo ou um texto de qualquer outro estilo literário) .com comentários dos tópicos abordados em uma obra inteira ou parte dela.Serve para colocar e organizar os dados da fonte utilizada (seja ela um livro. um jornal.a) Ficha bibliográfica .

com/regras-abnt/tipostrabalhos-academicos-fichamento TELES.brasilescola. 1993. Breve história do feminismo no Brasil . Maria Amélia de Almeida. A autora utiliza-se de fontes secundárias colhidas por meio de livros. A abordagem é descritiva e analítica. 34 . A obra insere-se no campo da história e da antropologia social. revistas e depoimentos. São Paulo: Editora Brasiliense. Aborda os aspectos históricos da condição feminina no Brasil a partir do ano de 1500.http://monografias. A autora descreve em linhas gerais todo o processo de lutas e conquistas da mulher.

b) Ficha de conteúdo : Tem a função de registrar a idéia principal do texto lido por meio de citações. É uma síntese das principais idéias contidas na obra. 35 . resumos e esquemas. para facilitar a memorização. transcrições literais. O aluno elabora com suas próprias palavras a interpretação do que foi dito.

p. acabado. Portos de Passagem. 2ª. e de um contexto.GERALDI.1993. A historicidade da linguagem. -Esse movimento constitutivo da linguagem que se dá na história pelo trabalho dos sujeitos é denominado de “Historicidade da linguagem”. 8-15 -As palavras não carregam em si um significado pronto.:__________. 36 . -Para que ocorra a negociação de sentidos é preciso que a língua seja parcialmente determinada e vaga. -O trabalho lingüístico contínuo é responsável pelas mudanças e pela permanência da língua. -A negociação de sentidos é entendida como um trabalho lingüístico. São Paulo: Martins Fontes. -O trabalho lingüístico produz uma sistematização aberta:diferenciação e repetição. Ed. -Os sentidos são construídos no momento da interlocução. In. J W.

com/regrasabnt/tipos-trabalhos-academicosFichamento : Educação da mulher: a perpetuação da injustiça (pp. A autora trabalha ainda assuntos como mulheres da periferia de São Paulo. São Paulo: Editora Brasiliense. Segundo capítulo. Maria Amélia de Almeida. violência. a luta por creches. 37 . como relato de uma prática. saúde e sexualidade. 1993.brasilescola. até os anos de 1975 em que foi considerado o Ano Internacional da Mulher. TELES. A autora divide seu texto em fases históricas compreendidas entre Brasil Colônia (1500 – 1822).http://monografias. O trabalho da autora baseia-se em análise de textos e na própria vivência nos movimentos feministas. 30 – 132). Breve história do feminismo no Brasil . participação em greves.

38 .c) Ficha de citações: é o cadastro de citações (trechos) de livros e periódicos. É uma transcrição textual: reprodução fiel das frases que se pretende usar na redação do trabalho.

é comum os assassinos de mulheres serem absolvidos sob a defesa de honra” (p.Uma das primeiras feministas do Brasil.30) “na justiça brasileira. “defendeu a abolição da escravatura. ao lado de propostas como educação e a emancipação da mulher e a instauração da República” (p. 132) “a mulher buscou com todas forças sua conquista no mundo totalmente masculino” (p.43) 39 . Nísia Floresta Augusta.

ficando explícito o tema principal do documento. . inclusive. resultados e conclusões do documento. afirmativas e não de enumeração de tópicos. 40 . de tal forma que este possa. metodologia. em entrelinhamento menor.Recomenda-se o uso de parágrafo único. sem recuo de parágrafo.2.O resumo deve ser composto de uma seqüência de frases concisas.A primeira frase deve ser significativa. dispensar a consulta ao original.2. .(TF: Texto fonte) .Resumo Informativo: Informa ao leitor finalidades.

41 .o resumo é um texto que explicita de forma clara uma compreensão global do texto lido. que recupera de forma concisa o conteúdo do texto lido numa espécie de equivalência informativa que conserva ou não a organização do texto original. produzido por um aluno-leitor que tem a função demonstrar ao professor-avaliador que leu e compreendeu o texto pedido. No ambiente acadêmico. a função do resumo acadêmico é ser um texto autônomo.-Deve-se usar verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular. Nessa esfera de circulação.

ou seja. devemos deixar de lado os exemplos dados pelo autor.Um bom resumo deve ser:  Breve e conciso: no resumo de um texto. Ele deve trazer as idéias centrais (o argumento) daquilo que se está resumindo. O texto do resumo deve ser compreensível 42 . as idéias devem ser apresentadas em ordem lógica. como tendo uma relação entre elas. Assim. Ele é o resultado da sua leitura de um texto  Logicamente estruturado: um resumo não é apenas um apanhado de frases soltas. por exemplo. detalhes e dados secundários  Pessoal: um resumo deve ser sempre feito com suas próprias palavras.

A melhor receita para fazer um resumo é seguir o critério do desenvolvimento de um texto: introdução. Desenvolvimento e conclusão. Observe um exemplo de resumo informativo: 43 .O aluno ao resumir um texto com as próprias palavras deve manter-se fiel às idéias do autor em questão.

objetiva-se desenvolver um instrumento para mensurar. Uma amostra de 143 respostas de participantes do MBA da Faculdade de Economia. quando decomposta em quatro componentes. também. pode ser base para uma ferramenta de diagnóstico na implementação de sistema de informação. 44 . Palavras-chave: satisfação do usuário.84 e cuja validação empírica foi feita pela análise fatorial e depois confirmada pela análise multidimensional em um conjunto variado de aplicativos. aumentando suas chances de sucesso. disponibilidade. Foram identificados quatro componentes da satisfação do usuário: praticabilidade. foi desenvolvido um instrumento para medir a satisfação do usuário em relação a aplicativos específicos elegíveis pelo próprio pesquisado pelo método survey. que a satisfação do usuário. Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEARP) da Universidade de São Paulo (USP) foi utilizada e o resultado aponta um instrumento (de 5 pontos na escala tipo Likert) cujo coeficiente de consistência interna medido por meio do coeficiente alfa de Cronbach foi de 0. Para tanto. precisão e adequação da informação. sistemas de informações. a satisfação do usuário de Sistemas de Informações.empiricamente. Essa pesquisa sugeriu.Desenvolvimento de um instrumento para mensurar a Satisfação do usuário de sistemas de informações Volume: 38 .Número: 3 Data: julho/ agosto/ setembro/ 2003 Autor: José Dutra de Oliveira Neto e Edson Luiz Riccio Neste trabalho.

foi desenvolvido um instrumento para medir a satisfação do usuário em relação a aplicativos específicos elegíveis pelo próprio pesquisado pelo método survey. a satisfação do usuário de Sistemas de Informações. Metodologia Para tanto.. Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEARP) da Universidade de São Paulo (USP) foi utilizada .Como o resumo está estruturado: Objetivo Neste trabalho. Amostra Uma amostra de 143 respostas de participantes do MBA da Faculdade de Economia. objetiva-se desenvolver um instrumento para mensurar. 45 . empiricamente..

Resultado O resultado aponta um instrumento (de 5 pontos na escala tipo Likert) cujo coeficiente de consistência interna medido por meio do coeficiente alfa de Cronbach foi de 0. aumentando suas chances de sucesso. que a satisfação do usuário. 46 . pode ser base para uma ferramenta de diagnóstico na implementação de sistema de informação. disponibilidade. quando decomposta em quatro componentes.84 e cuja validação empírica foi feita pela análise fatorial e depois confirmada pela análise multidimensional em um conjunto variado de aplicativos. Foram identificados quatro componentes da satisfação do usuário: praticabilidade. Conclusões Essa pesquisa sugeriu. também. precisão e adequação da informação.

em um primeiro momento. de tal forma que.Resumo crítico ou Favorece de modo significativo a resenha construção de saberes. pois.3. 47 . reúne esses elementos. além de apresentar as idéias centrais do texto. lançando o olhar crítico e criativo sobre eles. em um segundo momento.2. o(a) estudante ou pesquisador(a) precisa identificar os elementos constituintes da obra e. requer a elaboração de juízos de valor sobre essas idéias.

ou síntese do conteúdo A avaliação crítica 48 .O que deve constar numa resenha Devem constar: O título A referência bibliográfica da obra Alguns dados bibliográficos do autor da obra resenhada O resumo.

por combater. postura prescritiva. as noções falsas de língua e gramática.Um gramático contra a gramática Gilberto Scarton Língua e Liberdade: por uma nova concepção da língua materna e seu ensino (L&PM. 112 páginas) do gramático Celso Pedro Luft traz um conjunto de idéias que subverte a ordem estabelecida no ensino da língua materna.uma variação sobre o mesmo tema: a maneira tradicional e errada de ensinar a língua materna. 1995. veemente. o ensino da gramática em sala de aula. Nos 6 pequenos capítulos que integram a obra. sempre na mesma tecla . inutilidade do ensino da teoria gramatical.tão comum nas "aulas de português". a obsessão gramaticalista. a visão distorcida de que se ensinar a língua é se ensinar a escrever certo. intencionalmente. o esquecimento a que se relega a prática lingüística. 49 . o gramático bate. purista e alienada .

antes de tudo. o essencial. imanente ao ser humano. o saber dos falantes e o saber dos gramáticos. gramática tradicional e lingüística.sustenta a tese do Mestre. dos lingüistas. um fato natural. o ensino útil. teórico de espírito lúcido e de larga formação lingüística e professor de longa experiência leva o leitor a discernir com rigor gramática e comunicação: gramática natural e gramática artificial.O velho pesquisador apaixonado pelos problemas da língua. É. Essa fundamentação lingüística de que lança mão traduzida de forma simples com fim de difundir assunto tão especializado para o público em geral . e o leitor facilmente se convence de que aprender uma língua não é tão complicado como faz ver o ensino gramaticalista tradicional. do ensino inútil. 50 . o relativismo e o absolutismo gramatical. do irrelevante. dos professores.

51 .

52 .

53 .

54 .

55 .

56 .

57 .

58 .

59 .