You are on page 1of 22

CRISTÃOS LEIGOS E LEIGAS NA

IGREJA E NA SOCIEDADE

Edson Peixoto Andrade


Professor e Psicólogo
INTRODUÇÃO
Ideias iniciais
• Laicato – sujeito ideal da Igreja.

• INTENÇÃO DO DOCUMENTO:
“Refletir sobre a dimensão pastoral,
evangelizadora e missionária que cristãos leigos
e leigas, por meio do testemunho, da santidade
e da ação transformadora exercem no mundo e
na igreja”.(§4)
QUAL O LUGAR DO LEIGO?
• O leigo tem índole secular (§5)

• E também são chamados a participar na ação


pastoral da Igreja (§7)
ESTRUTURA DO DOCUMENTO
• VER: O cristão leigo, sujeito na igreja e no
mundo: esperanças e angústias;

• JULGAR: Sujeito eclesial: discípulos


missionários e cidadãos do mundo

• AGIR: A ação transformadora na Igreja e no


mundo
O cristão leigo, sujeito na igreja e no mundo: esperanças e angústias
QUEM É O LEIGO PARA A IGREJA?
• VATICANO II: membro efetivo da Igreja com missão e
responsabilidades específicas.

• CHRISTIFIDELES LAICI (1988): membro do povo de


Deus: sujeitos ativos na Igreja e no mundo, membros
da Igreja e cidadãos da sociedade humana.

• MEDELIN (1968): têm a missão de fazer a Igreja


acontecer no mundo, na tarefa humana e na história
• PUEBLA (1979): homens e mulheres da Igreja
no coração do mundo e homens e mulheres
do mundo no coração da Igreja.

• SANTO DOMINGO (1992): protagonistas da


transformação da sociedade.

• APARECIDA (2007): discípulo e missionário de


Jesus Cristo.
AVANÇOS NA CONSCIÊNCIA E PARTICIPAÇÃO
DO LEIGO NA IGREJA
• Espaços de participação, evangelização e
exercício dos ministérios leigos (§27)
• Consciência missionária (§28)
• Participação na gestão da Igreja (§31)
• Atuação de profissionais cristãos (§33)
• Compromisso com movimentos sociais (§34)
RECUOS NA CONSCIÊNCIA E PARTICIPAÇÃO
DO LEIGO NA IGREJA
• Insuficiente/omissa atuação e missão nas
estruturas e realidades do mundo (§39)
• Hipervalorização do serviço no interior da
Igreja (§40)
• Enfraquecimento do profetismo e da
dimensão social do Evangelho (§42)
• Sacramentalização, devocionismo e
clericalismo (§43)
• Poucos avanços do ecumenismo e diálogo
inter-religioso (§44)
• Rejeição da dimensão social e política (§ 45)
• Resistência quanto à opção pelos pobres (§46)
• Amadorismo na formação de lideranças (§47)
E QUEM SÃO OS LEIGOS? QUAL SEU CAMPO
ESPECÍFICO
• Os leigos são casais, crianças, mulheres,
jovens, idosos, solteiros, viúvos e viúvas;
líderes (§ 52-62)
• Seu primeiro campo, âmbito de missão e
vocação específica é o mundo (§63)
• Ele deve agir como discípulo e missionário em
meio às estruturas individualistas da
globalização (§66-67)
DISCERNIMENTO DO LEIGO NA IGREJA
• Pluralidade x relativismo
• Secularidade x secularismo
• Benefícios da tecnologia x dependência
• Uso das redes sociais x comunicação virtual isolada
• Consumo x busca desordenada de satisfação
• Uso justo do dinheiro x idolatria do dinheiro
• Autonomia x isolamento individualista
• Valores e instituicões tradicionais x tradicionalismo
• Vivência comunitária x comunitarismo sectário (§ 80)
TENTAÇÕES NA MISSÃO
• Ideologização do Evangelho;
• Reducionismo socializante;
• Ideologização psicológica;
• Proposta gnóstica;
• Proposta pelagiana;
• Clericalismo;
• Individualismo (§81)
 O que se espera é uma Igreja em saída (§85)
Sujeito eclesial: discípulos missionários e
cidadãos do mundo
• IGREJA, COMUNHÃO NA DIVERSIDADE: Rostos,
carismas, funções e ministérios (§ 93)
• IGREJA, POVO DE DEUS PEREGRINO E
EVANGELIZADOR: A Salvação não é
individualista, mas considera as pessoas inter-
relacionadas e interdependentes (§98)
• A IGREJA, CORPO DE CRISTO NA HISTÓRIA (§
102)
• A INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ: Catequese para
experiência pessoal com Deus e compromisso
missionário (§ 107)
IDENTIDADE E DIGNIDADE DA VOCAÇÃO
LAICAL
• Através dos leigos a Igreja é princípio vital da
sociedade (§ 109)
• O leigo vivencia o sacerdócio comum (§ 110)
• Maria, máxima realização da existência cristã
(§ 113)
• O chamado à santidade (§ 116) de modo
particular a partir de sua inserção nas
realidades temporais (§ 118)
• Leigo: sujeito eclesial
a) Consciência da dignidade de batizado (§ 124);

b) Experimenta Cristo e se torna discípulo e


missionário (§ 132) de forma livre, autônoma e
relacional (§ 126)
ENTRAVES
• Oposição fé x vida
• Oposição sagrado x profano
• Oposição igreja x mundo
• Oposição identidade eclesial x ecumenismo (§
133)
SERVIÇO CRISTÃO AO MUNDO
• Compromisso transformador (§ 161)
• Atuação no social e no político (§ 162)
• Vivência da cidadania (§ 163)
• Ética, moral, testemunho (§ 165)
A ação transformadora na Igreja e no mundo
• A Igreja é missionária
a) pobre, para os pobres, com os pobres;
b) escuta, serviço, diálogo.

• Espiritualidade encarnada: de comunhão e


missão