You are on page 1of 46

HIDROGÊNIO

FORMAS DE OBTENÇÃO

DAYANA RODRIGUES
LARISSA BRIT TO
VILANDER KIMINAMI
O ELEMENTO HIDROGÊNIO
Entre todos os elementos químicos, possui
estrutura atômica mais simples: um próton no
núcleo e um elétron na camada externa.

Não se encaixa em grupo algum da tabela


periódica.

Elemento mais abundante do universo: 95% em


número de átomos e 75% em massa.

A forma mais básica encontrada na natureza é o H2.


PRODUÇÃO DO HIDROGÊNIO
MERCADO MUNDIAL
DISTRIBUIÇÃO
Inflamável: > 4% em mistura com
o ar ou ignição

SOLUÇÃO ALTERNATIVA: GERAÇÃO ON-SITE


PRODUÇÃO DO HIDROGÊNIO
PRODUÇÃO - ELETRÓLISE
PRODUÇÃO – REFORMA DE HC
REFORMA: Processo endotérmico ou exotérmico de conversão catalítica, de um
combustível líquido, sólido ou gasoso para um gás que pode ser utilizado como
combustível.
Reforma a
seco
Reforma a Reforma
vapor oxidativa

Reforma
oxidativa
parcial H 2
Reforma
autotérmica
PRODUÇÃO – REFORMA DE HC
A técnica de gerenciamento térmico e dos insumos define a rota de reforma.
PRODUÇÃO - REFORMA A VAPOR
Reação endotérmica.

Etapas:

(1) Reação entre o HC e o


vapor d’água

(2) Reação de deslocamento


gás-água (Shift)

(3) Formação de coque


PRODUÇÃO - REFORMA OXIDATIVA
Reações exotérmicas.

Etapas:

(4) Reação parcial: entre HC e


oxigênio

(5) Reação completa: entre HC


e oxigênio

SEGUIDOS DE REAÇÕES
PARALELAS!
PRODUÇÃO - REFORMA AUTOTÉRMICA
Reações exotérmicas e
endotérmicas.

Etapas:

(4,5) Reação entre o HC e oxigênio

(1) Reação entre HC e vapor


d’água

(6) Reação entre HC e CO2

MAIOR EFICIÊNCIA ENERGÉTICA!


PRODUÇÃO - FERMENTAÇÃO ANAERÓBIA
A fermentação anaeróbia consiste em um processo biológico no qual um combinação de diferentes
tipos de micro-organismos promovendo a transformação de compostos orgânicos complexos
(carboidratos, proteínas e lipídios) em produtos mais simples, tais como ácidos orgânicos voláteis
(ácidos acético), álcoois (etanol, butanol), H2, CO2 e CH4.

O processo de fermentação anaeróbia é desenvolvido em quatro etapas principais:


1. Hidrólise;
2. Acidogênese;
3. Acetogênese;
4. Metanogênese.
PRODUÇÃO - FERMENTAÇÃO ANAERÓBIA
PRODUÇÃO - FERMENTAÇÃO ANAERÓBIA
Na primeira fase do processo fermentativo, bactérias hidrolíticas produzem enzimas
extracelulares que promovem a degradação dos materiais particulados complexos em materiais
dissolvidos mais simples, os quais são permeáveis às membranas celulares das bactérias
fermentativas.

Na fase acidogênica, os produtos solúveis oriundos da etapa anterior são metabolizados no


interior das células das bactérias, sendo convertidos em compostos mais simples. Os compostos
produzidos incluem ácidos orgânicos voláteis, álcoois, CO2, H2, além de novas células bacterianas.
PRODUÇÃO - FERMENTAÇÃO ANAERÓBIA
As bactérias acetogênicas são responsáveis pela oxidação dos produtos gerados na fase
acidogênica em substrato apropriado (H2 e ácido acético) para as arqueias metanogênicas.

Nesta etapa do processo, o H2 pode também ser convertido em ácido acético pelas
bactérias homoacetogênicas.

Na última etapa do processo, as arqueias metanogênicas convertem o H2 e o ácido acético


em CH4 e CO2.
PRODUÇÃO - FERMENTAÇÃO ANAERÓBIA
FATORES QUE INFLUENCIAM O PROCESSO PRODUTIVO

A capacidade dos micro-organismos atuarem na decomposição de um determinado


substrato em H2 está relacionada à presença de enzimas específicas, tais como as
hidrogenases. Estas enzimas são responsáveis pela catálise da reação reversível de
oxidação do hidrogênio (2H+ +2e - ↔ H2).

A temperatura é considerada um dos principais fatores de influência na produção de


hidrogênio via fermentação anaeróbia.
PRODUÇÃO - FERMENTAÇÃO ANAERÓBIA
O pH ótimo em termos de produção de H2 se encontra na faixa de 5 a 7, sendo o pH em torno de 5,5
relacionado aos melhores rendimentos de produção de H2.
CUSTO DO H2 X IMPACTOS AMBIENTAIS
CUSTO DO H2 X GERAÇÃO DE CO2

FONTE: UFPR
Condutividade elétrica
Solução iônica ou eletrolítica: esse tipo de solução conduz eletricidade, em razão da presença de íons
(átomos ou grupos de átomos de elementos químicos com carga elétrica). Esses íons com carga
negativa (ânion) e positiva (cátions) fecham o circuito elétrico conduzindo a corrente.

FONTE: Atkins, www.agsolve.com.br


Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Experimento: Eletrólise de solução aquosa de àcido sulfúrico

Evidências experimentais:
• Formação de bolhas incolores e
inodoras em ambos os eletrodos;
• Formação de bolhas percebida mais
/E
rapidamente no pólo negativo (cátodo).
• A intensidade da formação das bolhas
na superfície dos eletrodos não pode ser
comparada devido à diferença de
tamanho entre eles.
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Espontaneidade de reação

Força eletromotriz( Potencial


Variação da energia Número de mols padrão da reação global)
livre de gibbs de elétrons
transferidos Constante
de Faraday
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Avaliação das espécies presentes no meio: Solução aquosa de ácido sulfúrico
Reação possível 𝐄 𝟎 (𝐕)

H3O+ (aq) +
2𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) 0,00
+
𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 4𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝑆𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) +0,20
SO42- (aq) 𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝑆𝑂32−
(𝑎𝑞)
+
+ 2𝐻(𝑎𝑞) -0,93
Espécies
𝑆𝑂32− → 𝑆𝑂3−(𝑎𝑞) + 𝑒 − -0,84
H2O (l) (𝑎𝑞)

+
2𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝑂2(𝑔) + 4𝐻(𝑎𝑞) + 4𝑒 − -1,22

OH- (aq)
2𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) +2𝑂𝐻(𝑎𝑞) -0,83

4𝑂𝐻(𝑎𝑞) → 𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) + 4𝑒 − -0,40
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:

+
2𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔)
H3O+ (aq)
𝑆𝑂42− + 𝐻 𝑂 + 2𝑒 − → 𝑆𝑂 2− + 2𝐻 +
(𝑎𝑞) 2 (𝑙) 3(𝑎𝑞) (𝑎𝑞)

SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)
O número de oxidação mais alto que o
enxofre pode assumir é +6.
OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:

H3O+ (aq) +
2𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) E°= 0,00 V

+
2𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝑂2(𝑔) + 4𝐻(𝑎𝑞) + 4𝑒 − E° = -1,22 V
SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)

OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:

+
2𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔)
H3O+ (aq)

2𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) +2𝑂𝐻(𝑎𝑞)
SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)
As espécies reduzem nas duas semi-
reações.
OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Avaliação das espécies presentes no meio: Solução aquosa de ácido sulfúrico
Reação possível 𝐄 𝟎 (𝐕)

H3O+ (aq) +
2𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) 0,00
+
𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 4𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝑆𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) +0,20
SO42- (aq) 𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝑆𝑂32−
(𝑎𝑞)
+
+ 2𝐻(𝑎𝑞) -0,93
Espécies
𝑆𝑂32− → 𝑆𝑂3−(𝑎𝑞) + 𝑒 − -0,84
H2O (l) (𝑎𝑞)

+
2𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝑂2(𝑔) + 4𝐻(𝑎𝑞) + 4𝑒 − -1,22

OH- (aq)
2𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) +2𝑂𝐻(𝑎𝑞) -0,83

4𝑂𝐻(𝑎𝑞) → 𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) + 4𝑒 − -0,40
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:

+
2𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝑂2(𝑔) + 4𝐻(𝑎𝑞) + 4𝑒 − E° = -1,22 V
H3O+ (aq)
+
𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 −
→ 𝑆𝑂3
2−
(𝑎𝑞)
+ 2𝐻(𝑎𝑞) E° = -0,93 V
SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)

OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:

𝑆𝑂32− → 𝑆𝑂 −
3(𝑎𝑞) + 𝑒 − E° = -0,84 V
H3O+ (aq) (𝑎𝑞)

+
𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 𝐻 𝑂
2 (𝑙) + 2𝑒 −
→ 𝑆𝑂 2−
3(𝑎𝑞) + 2𝐻(𝑎𝑞) E° = −0,93 V

SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)

OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:


2𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) +2𝑂𝐻(𝑎𝑞)
H3O+ (aq)
𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 2𝑒 −
→ 𝑆𝑂3
2−
(𝑎𝑞)

SO42- (aq)
Espécies

H2O (l)
O número de oxidação mais alto que o
enxofre pode assumir é +6.
OH- (aq)

Fonte : Brady & Sinese, 2009


Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Avaliação das espécies presentes no meio: Solução aquosa de ácido sulfúrico
Reação possível 𝐄 𝟎 (𝐕)

H3O+ (aq) +
2𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) 0,00
+
𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 4𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝑆𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) +0,20
SO42- (aq) 𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝑆𝑂32−
(𝑎𝑞)
+
+ 2𝐻(𝑎𝑞) -0,93
Espécies
𝑆𝑂32− → 𝑆𝑂3−(𝑎𝑞) + 𝑒 − -0,84
H2O (l) (𝑎𝑞)

+
2𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝑂2(𝑔) + 4𝐻(𝑎𝑞) + 4𝑒 − -1,22

OH- (aq)
2𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) +2𝑂𝐻(𝑎𝑞) -0,83

4𝑂𝐻(𝑎𝑞) → 𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) + 4𝑒 − -0,40
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:

𝑆𝑂32− → 𝑆𝑂 −
3(𝑎𝑞) + 𝑒 −
E° = -0,84 V
H3O+ (aq) (𝑎𝑞)

+
2𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) E°= 0,00 V
SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)

OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:

𝑆𝑂32− → 𝑆𝑂 −
3(𝑎𝑞) + 𝑒 −
H3O+ (aq) (𝑎𝑞)

+
2𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝑂2(𝑔) + 4𝐻(𝑎𝑞) + 4𝑒 −
SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)
As espécies oxidam nas duas semi-
reações.
OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:

𝑆𝑂32− → 𝑆𝑂 −
3(𝑎𝑞) + 𝑒 −
E° = -0,84 V
H3O+ (aq) (𝑎𝑞)


2𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) +2𝑂𝐻(𝑎𝑞) E°= -0,83 V
SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)

OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:

𝑆𝑂32− → 𝑆𝑂 −
3(𝑎𝑞) + 𝑒 −
E° = -0,84 V
H3O+ (aq) (𝑎𝑞)


4𝑂𝐻(𝑎𝑞) → 𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) + 4𝑒 − E° = -0,40V
SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)
As espécies oxidam nas duas semi-
reações.
OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Avaliação das espécies presentes no meio: Solução aquosa de ácido sulfúrico
Reação possível 𝐄 𝟎 (𝐕)

H3O+ (aq) +
2𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) 0,00
+
𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 4𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝑆𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) +0,20
SO42- (aq) 𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝑆𝑂32−
(𝑎𝑞)
+
+ 2𝐻(𝑎𝑞) -0,93
Espécies
𝑆𝑂32− → 𝑆𝑂3−(𝑎𝑞) + 𝑒 − -0,84
H2O (l) (𝑎𝑞)

+
2𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝑂2(𝑔) + 4𝐻(𝑎𝑞) + 4𝑒 − -1,22

OH- (aq)
2𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) +2𝑂𝐻(𝑎𝑞) -0,83

4𝑂𝐻(𝑎𝑞) → 𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) + 4𝑒 − -0,40
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:


2𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) +2𝑂𝐻(𝑎𝑞) E°= -0,83 V
H3O+ (aq)
+
2𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝑂2(𝑔) + 4𝐻(𝑎𝑞) + 4𝑒 − E° = -1,22 V
SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)

OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:


4𝑂𝐻(𝑎𝑞) → 𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) + 4𝑒 −
H3O+ (aq)
+
2𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝑂2(𝑔) + 4𝐻(𝑎𝑞) + 4𝑒 −
SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)
As espécies oxidam nas duas semi-
reações.
OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Avaliação das espécies presentes no meio: Solução aquosa de ácido sulfúrico
Reação possível 𝐄 𝟎 (𝐕)

H3O+ (aq) +
2𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) 0,00
+
𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 4𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝑆𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) +0,20
SO42- (aq) 𝑆𝑂42−
(𝑎𝑞)
+ 𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝑆𝑂32−
(𝑎𝑞)
+
+ 2𝐻(𝑎𝑞) -0,93
Espécies
𝑆𝑂32− → 𝑆𝑂3−(𝑎𝑞) + 𝑒 − -0,84
H2O (l) (𝑎𝑞)

+
2𝐻2 𝑂(𝑙) → 𝑂2(𝑔) + 4𝐻(𝑎𝑞) + 4𝑒 − -1,22

OH- (aq)
2𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) +2𝑂𝐻(𝑎𝑞) -0,83

4𝑂𝐻(𝑎𝑞) → 𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) + 4𝑒 − -0,40
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:


2𝐻2 𝑂(𝑙) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) +2𝑂𝐻(𝑎𝑞) E°= -0,83 V
H3O+ (aq)

4𝑂𝐻(𝑎𝑞) → 𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) + 4𝑒 − E° = -0,40V
SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)

OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2
Propostas de reações:

+
2𝐻(𝑎𝑞) + 2𝑒 − → 𝐻2(𝑔) E°= 0,00 V
H3O+ (aq)

4𝑂𝐻(𝑎𝑞) → 𝑂2(𝑔) + 2𝐻2 𝑂(𝑙) + 4𝑒 − E° = -0,40V
SO42- (aq)
Espécies
H2O (l)

OH- (aq)
Fonte : Brady & Sinese, 2009
Obtenção do Hidrogênio – Experimento 2

AVALIAÇÃO DA ENERGIA LIVRE DE GIBBS

PROPOSTAS VIÁVEIS ∆𝑮𝟎

1 +4,88.F

2 +4,30.F

3 +7,08.F

4 +3,36.F

5 +3,34.F

6 +8,20.F

7 +4,92.F

8 +1,60.F
Conclusões

Em todas as propostas apresentadas em que há


formação de H2 e/ou O2, o H2 é formado por semi-
reações de redução e o O2 é formado por semi-
reações de oxidação.

Sabido que, na eletrólise, as semi-reações de


redução ocorrem no cátodo e as de oxidação no
ânodo, pode-se afirmar que há a formação de H2
no cátodo e de O2 no ânodo.
Conclusões

O potencial aplicado é suficiente para que todas


as propostas viáveis de reações ocorram. Pelos
valores de energia de livre de Gibbs, a proposta 8
é a mais termodinamicamente favorável.

Para a reação da proposta 8 e as demais em que


há formação simultânea de H2 e O2, a proporção
é de 2:1. Portanto, a intensidade de formação de
bolhas no cátodo deve ser maior que no ânodo.
Conclusões
Das evidências experimentais, sabe-se que a
formação de bolhas foi percebida mais
rapidamente no cátodo.
Este fato se deve à menor solubilidade do H2 em
água quando comparado ao O2 e ao fato da
reação para formação de O2 depende da reação
de formação de hidrogênio.
Solubilidade dos gases, a 20ºC e 1 atm:
(Quim. Nova, Vol. 40, No. 7, 824-832, 2017)
H2 – 0,00085 mol/L
O2 – 0,0013 mol/L