PMCMV - Lei 11.

977, de 2009
Regularização fundiária, Demarcatória urbanística, Registro Eletrônico

PMCMV - Lei 11.977, de 2009
Regularização fundiária, Demarcatória urbanística, Registro Eletrônico
Sérgio Jacomino

Registro Imobiliário
1. 2. 3. 4. 5. 6. Regularização fundiária Demarcação urbanística Gratuidades emolumentares Registro Eletrônico Alguns aspectos práticos e Temas controversos

Fonte: RESOLO, 2005.

Regularização Fundiária o que é?
A regularização fundiária consiste no conjunto de medidas jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais que visam à regularização de assentamentos irregulares e à titulação de seus ocupantes, de modo a garantir o direito social à moradia, o pleno desenvolvimento das funções sociais da propriedade urbana e o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado (Art. 46).

‡ Conjunto de medidas jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais. ‡ Visa os assentamentos irregulares ‡ Titulação - titulação e registro ‡ Procedimento administrativo registral ou judicial? (item 152 e ss. das NSCGJSP).
± RFIE ± requerimento ao RI, ³nos termos da legislação em vigor´ (art. 64). ± RFIS ± Requerimento ao RI (art. 65).

Regularização Fundiária o que é?
‡ Espécies:
± Parcelamento do solo para fins urbanos (art. 58, 64, 65, etc.) ± Condomínios edilícios (art. 65, III, ).

Regularização Fundiária o que é?
‡ Modalidades da Lei 11.977/2009
± RF de interesse social (Seção II, art. 53 et seq.) ± RF de interesse específico (Seção III, art. 61 et seq.). São os implantados após 1979? ± RF de parcelamentos implantados e integrados à cidade antes de 19.12.1979.
`

RFTU - terrenos da União (Dec.-Lei 9.760, de 1946, art. 18-A e outros c.c. art. 56, § 4º); RFAL terras situadas em áreas da União no âmbito da Amazônia Legal (11.952, de 2009). RF nos Estados, DF, Municípios: legislação específica.

`

`

Regularização Fundiária o que é?
‡ RF anterior a 19/12/1979:
± Parcelamentos implantados e integrados à cidade ± Regularização total ou parcial ± pode ser de lotes ou conjuntes de lotes? ± O que é ³Certificação´? (art. 71, § 2º); ± ³Desenhos e documentos´ (idem). ± Títulos particulares ± aplica-se o art. 41 da Lei 6.766/79? ± Regularização administrativa e judicial?

Regularização Fundiária Plano geral

Demarcação urbanística

Demarcação urbanística - fluxograma

Demarcação urbanística O que é?
‡ ³Procedimento administrativo pelo qual o poder público, no âmbito da regularização fundiária de interesse social, demarca imóvel de domínio público ou privado, definindo seus limites, área, localização e confrontantes, com a finalidade de identificar seus ocupantes e qualificar a natureza e o tempo das respectivas posses´ (art. 47, III).

‡ Incide sobre que categoria de bens?

‡ Bens privados (titulados e registrados)

± Bens públicos e privados (art. 47, III); ± Bens imóveis situados em áreas urbanas (perímetro urbano ± Plano Diretor ou lei específica). (Art. 47, I); Bens imóveis em ³área urbana consolidada´ (art. 47, II). ± Bens públicos ± áreas declaradas de interesse para implantação de RF (art. 47, VII, ³c´). ± Titularidade: ‡ União ‡ Estados ‡ Distrito Federal ‡ Municípios

DU ± quem está legitimado para requerê-la?
‡ Poder Público responsável pela regularização (art. 56 c.c. art. 50):
‡ ‡ ‡ ‡ União, Estados, Distrito Federal Municípios

DU ± morfologia titular
‡ Projeto ± o que deve definir e conter o auto de demarcação?
± Cadastro dos ocupantes (art. 47, III). ± Auto de demarcação (art. 56, § 1º). ± Planta e memorial descritivo: (art. 56, I):
‡ ‡ ‡ ‡ Medidas perimetrais da área; Área total Confrontantes Coordenadas georreferenciadas da área total e parcelas (art. 56, § 1º, I). ‡ Registro anterior (matrícula ou transcrição)
± Indicação do proprietário, se houver.

DU ± morfologia titular - II
‡ Planta de sobreposição ± imóvel demarcado ± RI (art. 56, II) ‡ Certidão de propriedade privada (art. 56, III) ‡ União: títulos pelos quais se prove a propriedade pública (art. 18-A, § 2º, III e IV do Dec.-Lei 9.760, de 5.9.1946):
± Certidão do RI ± Certidão da SPU de que a área pertence ao patrimônio da União;

‡ Cronograma físico das obras e serviços (a cargo do Município definir: art. 51, § 2º c.c. art. 55).

DU ± morfologia titular - III
‡ Definição e descrição das áreas ou lotes a serem regularizados e edificações que serão ³relocadas´ ± Houaiss: ³deslocar (dados) de uma área de memória para outra´ (art. 51, I);
± Especialização de lotes; (art. 54). ± Especialização de vias de circulação (art. 54). ± Especialização das áreas destinadas a uso público (art. 54). ± Especialização das áreas não atingidas na gleba (art. 57, § 8º);

DU ± morfologia titular - IV
‡ As vias de circulação existentes ou projetadas e, ³se possível´, as outras áreas destinadas a uso público (art. 51, II c.c. art. 54); ‡ Licença urbanística (art. 53, § único). ‡ Licença ambiental (art. 53, § único) a cargo do Município ou Estado.

DU ± morfologia titular - V
‡ Sistema viário e cronograma de Infraestrutura básica, que conterá (no mínimo - art. 55 c.c. art. 2º § 6º da Lei 6.766/1979):
± ± ± ± vias de circulação; escoamento das águas pluviais; rede para o abastecimento de água potável; soluções para o esgotamento sanitário e para a energia elétrica domiciliar.

DU ± morfologia titular - VI
‡ Averbação do auto de demarcação (art. 56). ‡ Registro do parcelamento (RF) (art. 58)

Regularização Fundiária de Interesse social

RFIS ± o que é? (art. 47, VII)
‡ RF de assentamentos irregulares ocupados, predominantemente, por população de baixa renda, nos casos:
± Em que tenham sido preenchidos os requisitos para usucapião ou concessão de uso especial para fins de moradia;
‡ Como se prova o transcurso do tempo? Declaração da Administração Pública?

± Imóveis situados em ZEIS; ± Áreas da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios declaradas de interesse para implantação de projetos de regularização fundiária de interesse social;

RFIS ± incide sobre que categoria de bens?
‡ Bens imóveis situados em áreas urbanas (perímetro urbano ± Plano Diretor ou lei específica). (Art. 47, I) ‡ Bens imóveis em ³área urbana consolidada´ (art. 47, II). ‡ Bens públicos ± áreas declaradas de interesse para implantação de RF (art. 47, VII, ³c´).
± ± ± ± União Estados Distrito Federal Municípios

‡ Bens privados ocupados

RFIS ± quem está legitimado para requerê-la? (art. 50)
União, Estados, Distrito Federal Municípios Beneficiários (individual ou coletivamente) Cooperativas habitacionais, Associações de moradores, Fundações, Organizações sociais, (vide art. 1º da Lei 9.637, de 15 de maio de 1998). ‡ Organizações da sociedade civil de interesse público ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡

‡ Associações civis (finalidade atividades nas áreas de desenvolvimento urbano ou regularização fundiária)

RFIS ± quem analisa e aprova?
‡ Município. (art. 53). ‡ Município poderá dispor sobre o procedimento de regularização fundiária em seu território. (art. 49). Não é obrigatório e não obsta a RF. ‡ Município definirá os requisitos para elaboração do projeto ± desenhos, memorial descritivo, cronograma físico de obras e serviços a serem realizados. (art. 51, § 2o). ‡ Análise e aprovação correspondem ao licenciamento ambiental e urbanístico do projeto (desde que o Município tenha conselho de meio ambiente e órgão ambiental capacitado).
± Estado nos demais casos? ± APP´s ± atenção especial.

RFIS ± morfologia titular - I
‡ Projeto ± o que deve definir e conter?
± Memorial descritivo, desenhos, plantas, cronograma físico das obras e serviços (a cargo do Município definir: art. 51, § 2º c.c. art. 55). ± Definição e descrição das áreas ou lotes a serem regularizados e edificações que serão ³relocadas´ ± Houaiss: ³deslocar (dados) de uma área de memória para outra´ (art. 51, I);
‡ Especialização de lotes; (art. 54). ‡ Especialização de vias de circulação (art. 54). ‡ Especialização das áreas destinadas a uso público (art. 54).

RFIS ± morfologia titular - II
‡ As vias de circulação existentes ou projetadas e, ³se possível´, as outras áreas destinadas a uso público (art. 51, II c.c. art. 54); ‡ As medidas necessárias para a promoção da sustentabilidade urbanística, social e ambiental da área ocupada, incluindo as compensações urbanísticas e ambientais previstas em lei (art. 51, III); Definição de parâmetros urbanísticos e ambientais específicos para a área (art. 54);
‡ As condições para promover a segurança da população em situações de risco; (art. 51, IV);

RFIS ± morfologia titular - III
‡ Licença urbanística (art. 53, § único). ‡ Licença ambiental (art. 53, § único) a cargo do Município ou Estado. ‡ Georreferenciamento da área (art. 56, § 1o, I). ‡ Identificação dos lotes (especialidade objetiva) (art. 54), ‡ Identificação das vias de circulação (art. 54) ‡ Identificação das áreas destinadas a uso público (art. 54).

RFIS ± morfologia titular - IV
‡ Sistema viário e cronograma de Infraestrutura básica, que conterá (no mínimo - art. 55 c.c. art. 2º § 6º da Lei 6.766/1979):
± ± ± ± vias de circulação; escoamento das águas pluviais; rede para o abastecimento de água potável; soluções para o esgotamento sanitário e para a energia elétrica domiciliar.

RFIS - registro

RFIS - registro
‡ Documentos necessários:
± Requerimento.
‡ Especialidade subjetiva do requerente (art. 176, III, 2) ‡ Pessoas jurídicas ± certidão dos atos constitutivos (art. 65, IV). Verificação de representação etc.

± Certidão atualizada ± Projeto aprovado ± Instituição e convenção de condomínio, se o caso.
‡ Individualização da unidade autônoma, identificação, discriminação, fração ideal sobre o terreno e partes comuns (art. 7º da Lei 4.591, de 1964). ‡ Convenção de condomínio com as exigências da Lei (art. 9º).

LEGITIMAÇÃO DE POSSE

Questões polêmicas
Regime de bens, formalização e Titulação em nome da mulher

Estado civil Implicações patrimoniais
Art. 221 - Somente são admitidos registro: ... V ± contratos ou termos administrativos, assinados com a União, Estados e Municípios no âmbito de programas de regularização fundiária, dispensado o reconhecimento de firma

Estado civil Implicações patrimoniais
Art. 35. Os contratos e registros efetivados no âmbito do PMCMV serão formalizados, preferencialmente, em nome da mulher. Art. 48 (RF ± princípios) V ± concessão do título preferencialmente para a mulher. Art. 58 (demarcação) § 2o O título de que trata o § 1o será concedido preferencialmente em nome da mulher e registrado na matrícula do imóvel.

Estado civil Implicações patrimoniais
Constituição Federal
‡ Artigo 183 (usucapião constitucional) o ³título de domínio e a concessão de uso serão conferidos ao homem ou à mulher, ou a ambos, independentemente do estado civil´. ‡ Art. 189 (reforma agrária ± regulamentado pela Lei 8.629, de 25.2.1993.

Legislação Civil
‡ Código Civil (art. 1.240, § 1º). ‡ Estatuto da Cidade (art. 9º, § 1º)

Estado civil Implicações patrimoniais
casados no regime da comunhão parcial de bens (art. 1.640 do CC) ou união estável (art. 1.725 do C. Civil), os bens adquiridos na constância do matrimônio ou convivência se comunicam. ‡ O bem adquirido, a título oneroso, entra na comunhão, ainda que adquirido em nome de um só dos cônjuges (art. 1.660 do Código Civil).
‡ Beneficiários

Estado civil Implicações patrimoniais
A mulher casada (ou convivente) não pode alienar o bem sem o consentimento do consorte (art. 1.647 do CC.),(salvo no regime da separação absoluta de bens). Não pode onerar o imóvel, nem dá-lo em garantia de financiamento.

Estado civil Implicações patrimoniais
‡ Formalização do título
± Art. 221. Termos administrativos ± força de escritura pública. ± CC, art. Art. 215. Requisitos formais da escritura pública ± LRP - art. 176, § 1º, n. 4, ³a´ e mesmo artigo, n. 5, III, n. 2, letra ³a´. ± LRP ± art. 167, II, 1. ± LRP ± art. 244 e 245 ± Lei 11.977, de 2009, art. 48, IV. (resolução extrajudicial de conflitos).

Estado civil Implicações patrimoniais
‡ ‡ Adquirente solteira. Basta a indicação do nome, capacidade, nacionalidade, estado civil (solteira), profissão, RG, CPF, domicílio e residência (art. 215 do C. Civil c.c. art. 176 da Lei 6.015/1973). Adquirente casada ± regime da comunhão parcial de bens. Nome da mulher, nacionalidade, casada com Beltrano no regime da comunhão parcial de bens, após a Lei 6.515, de 26.12.1977, profissão, RG, CPF, domicílio e residência (art. 215 do C. Civil c.c. art. 176 da Lei 6.015/1973). Sugere-se que a qualificação completa do consorte deva constar do instrumento e do registro, a fim de se evitarem averbações complementárias no futuro. Adquirente casada ± regime da comunhão universal de bens antes de 26.12.1977. Nome da mulher, nacionalidade, casada com Beltrano no regime da comunhão universal de bens anteriormente à Lei 6.515, de 26.12.1977, profissão, RG, CPF, domicílio e residência (art. 215 do C. Civil c.c. art. 176 da Lei 6.015/1973). Sugere-se que a qualificação completa do consorte deva constar do instrumento e do registro, a fim de se evitarem averbações complementárias no futuro. Adquirente casada ± regime da comunhão universal de bens após de 26.12.1977. Nome da mulher, nacionalidade, casada com Beltrano no regime da comunhão universal de bens, posteriormente à Lei 6.515, de 26.12.1977, com pacto antenupcial lavrado e registrado (indicar claramente), profissão, RG, CPF, domicílio e residência (art. 215 do C. Civil c.c. art. 176 da Lei 6.015/1973). Sugere-se que a qualificação completa do consorte deva constar do instrumento e do registro, a fim de se evitarem averbações complementárias no futuro. Adquirente em união estável. Nome da mulher, nacionalidade, declaração de convivência com Beltrano, união pública, contínua e duradoura e estabelecida com o objetivo de constituição de família. Profissão, RG, CPF, domicílio e residência (art. 215 do C. Civil c.c. art. 176 da Lei 6.015/1973). Sugere-se que a qualificação completa do convivente deva constar do instrumento e do registro, a fim de se evitarem averbações complementárias no futuro.

‡

‡

‡

Questões polêmicas
Gratuidades plenárias A questão tormentosa dos Emolumentos

Emolumentos - Constituição
‡ Art. 236. Os serviços notariais e de registro são exercidos em caráter privado, por delegação do Poder Público. (...) § 2º - Lei federal estabelecerá normas gerais para fixação de emolumentos relativos aos atos praticados pelos serviços notariais e de registro.

CF ± normas gerais
‡ estabelecem princípios, diretrizes, linhas mestras e regras jurídicas gerais (BOHLER, MAUNZ, BORDEAU, PONTES, PINTO FALCÃO, CLÁUDIO PACHECO, SAHID MALUF, JOSÉ AFONSO DA SILVA, PAULO DE BARROS CARVALHO, MARCO AURÉLIO GRECCO); não podem entrar em pormenores ou detalhes nem, muito menos, esgotar o assunto legislado (MATZ, BOHLER, MAUNZ, PONTES, MANOEL GONÇALVES FERREIRA FILHO, PAULO DE BARROS CARVALHO E MARCO AURÉLIO GRECCO); devem ser regras nacionais, uniformemente aplicável a todos os entes públicos (PINTO FALCÃO, SOUTO MAIOR BORGES, PAULO DE BARROS CARVALHO, CARVALHO PINTO e ADILSON ABREU DALLARI); devem ser regras uniformes para todas as situações homogêneas (PINTO FALCÃO, CARVALHO PINTO, e ADILSON ABREU DALLARI); só cabem quando preencham lacunas constitucionais ou disponham sobre áreas de conflito (PAULO DE BARROS CARVALHO e GERALDO ATALIBA); devem referir-se a questões fundamentais (PONTES e ADILSON ABREU DALLARI); são limitadas, no sentido de não poderem violar a autonomia dos Estados (PONTES, MANOEL GONÇALVES FERREIRA FILHO, PAULO DE BARROS CARVALHO e ADILSON ABREU DALLARI); não são normas de aplicação direta (BURDEAU e CLÁUDIO PACHECO).´

‡

‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡

Diogo de Figueiredo Moreira Neto ³Competência Concorrente Limitada (o problema da conceituação das normas gerais)

Emolumentos ± Lei Geral Lei 10.169, de 29.12.2000
‡ Art. 1o Os Estados e o Distrito Federal fixarão o valor dos emolumentos relativos aos atos praticados pelos respectivos serviços notariais e de registro, observadas as normas desta Lei.

Lei 6.015, de 1973
‡ Art. 14. Pelos atos que praticarem, em decorrência desta Lei, os Oficiais do Registro terão direito, a título de remuneração, aos emolumentos fixados nos Regimentos de Custas do Distrito Federal, dos Estados e dos Territórios, os quais serão pagos, pelo interessado que os requerer, no ato de requerimento ou no da apresentação do título.

Lei 8.935, de 1994
‡ Art. 28. Os notários e oficiais de registro gozam de independência no exercício de suas atribuições, têm direito à percepção dos emolumentos integrais pelos atos praticados na serventia e só perderão a delegação nas hipóteses previstas em lei.

Lei Estadual 11.331, de 26.12.2002
‡ Da Isenção e da Gratuidade ‡ Artigo 8º - A União, os Estados, o Distrito Federal, os Municípios, e as respectivas autarquias, são isentos do pagamento das parcelas dos emolumentos destinadas ao Estado (...). ‡ Parágrafo único - O Estado de São Paulo e suas respectivas autarquias são isentos do pagamento de emolumentos. ‡ Artigo 9º - São gratuitos: I - os atos previstos em lei; II - os atos praticados em cumprimento de mandados judiciais expedidos em favor da parte beneficiária da justiça gratuita, sempre que assim for expressamente determinado pelo Juízo.

Lei Estadual 13.290, de 22.12.2008
‡ Artigo 1º - Esta lei dispõe sobre custas e emolumentos por atos praticados pelos serviços notariais e de registro referentes à regularização fundiária nas áreas de interesse social e aos empreendimentos efetuados na execução de programas de habitação de interesse social para o atendimento à população de baixa renda.

Hierarquia das leis
CF/1988
Lei Geral de Emolumentos Lei 11.331/2002
Lei 23.290/2008

Lei 11.977/09 - Programa Minha Casa - Minha Vida Aspectos Registrários Renda bruta dos Cartórios Total de cartórios pesquisados: 10.259

Até R$5.000,00 Até R$ 10.000,00 Acima TOTAL

5.265 1.427 3.567

51.32% 13,90% 34,76% 100%

Fonte: Joaquim Falcão. Quanto ganha um cartório? Blog do Noblat, 29.10.2009.

Lei 11.977/09 - Programa Minha Casa - Minha Vida Aspectos Registrários

‡ RF - Custas e emolumentos
± Gratuidades plenária (arts. 43 e 68) ± PNAD ± IBGE Distribuição das pessoas de 10 anos ou mais de idade, ocupadas, segundo as classes de rendimento de todos os trabalhos, em salários mínimos± Brasil ± 2007. ± 80.4% da população brasileira poderão contar com o benefício.

Lei 11.977/09 - Programa Minha Casa - Minha Vida Aspectos Registrários

Registro Eletrônico

Registro Eletrônico ATOMIZAÇÃO

Atomização de cartórios

Molecularização dos Cartórios

Registro Eletrônico Percurso tecnológico
‡Manuscrição ± registro verbum ad verbo ‡Inscrição ± manuscrição - fólio cronológico ‡Matrícula ± fólio real ± modelo descritivo ‡Mecanização do registro (1976) ‡Microfilmagem (Lei 5.433/1969 e Decreto 1.799, DE 1996) ‡Informatização (1977) ± microfichas ‡³Especulizarização´ do Registro ‡Georreferenciamento (Lei 10.267/2001) ‡Documentos eletrônicos ± firmas digitais (Ofício eletrônico, Penhora online) ‡Fólio Eletrônico (RE) (Lei 11.977, de 20090)

Registro eletrônico
‡ Desestruturação dos livros
‡O

Registro é informação total ‡ Abandono do modelo descritivo dos imóveis e a adoção de georreferenciamento ‡ Interconexão do Cadastro e Registro (gestão territorial ± meio ambiente etc.) ‡ Assinatura digital e Documentos eletrônicos ‡ Time stamping para o protocolo e operações críticas (prioridade) ‡ Repositórios (livros) eletrônicos na Internet ‡ Pesquisa integrada ‡ Informação em layers (camadas) ± imagem + dados + texto

Registro Eletrônico
‡ Progressiva desestruturação dos Cartórios
‡ Superação

do modelo atomizado ± molecularização do

Registro ‡ Repositórios eletrônicos na internet ‡ Bases de dados e serviços compartilhados ‡ Sistemas aplicativos eb integrados ‡ Concentração de dados ± pesquisa concentrada ‡ Migração do acervo documental para mídias eletrônicas (GED) ‡ Contratação on line. Informações estruturadas do Registro ‡ Penhora online.

O futuro do Registro
‡ Progressiva desestruturação dos Cartórios
‡ Constituição de 1988 ± art. 236 ± delegação dos serviços notariais e registrais ‡ Lei 8.935, de 1994 ‡ EC 45, de 2004 ‡ Conselho de Notários e Registradores? ‡ Executivo? Judiciário?

O futuro do Registro
‡ Progressiva desestruturação dos Cartórios
‡ Como fazer frente aos novos desafios? ‡ Como superar as assimetrias entre as regiões do pais? ‡ Como financiar a ambiciosa aposta da Lei? ‡ Como superar o paradigma da atomização dos registros?

Livros do Registro

Livros do Registro

Documentos

Títulos

Registro Eletrônico

Centralização do Registro

Centralização do registro
‡ RE ± previsão em Regulamento (art. 37). A quem competirá regulamentar? ‡ I/O ± documentos eletrônicos ± assinaturas digitais ± ICP-Brasil. E-Ping. (Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico) ‡ Protocolo e publicidade em meio eletrônico ‡ Acesso ao banco de dados pela União.

Inconsistências
‡ Art. 36. Os lotes destinados à construção de moradias no âmbito do PMCMV não poderão ser objeto de remembramento, devendo tal proibição constar expressamente dos contratos celebrados.

Inconsistências
‡ Art. 59 - A legitimação de posse devidamente registrada constitui direito em favor do detentor da posse direta para fins de moradia.
± Art. 1.196. Considera-se possuidor todo aquele que tem de fato o exercício, pleno ou não, de algum dos poderes inerentes à propriedade. ± Art. 1.198. Considera-se detentor aquele que, achando-se em relação de dependência para com outro, conserva a posse em nome deste e em cumprimento de ordens ou instruções suas.

Inconsistências
‡ Art. 17. Qualquer pessoa pode requerer certidão do registro sem informar ao oficial ou ao funcionário o motivo ou interesse do pedido. ‡ Parágrafo único. O acesso ou envio de informações aos registros públicos, quando forem realizados por meio da rede mundial de computadores (internet) deverão ser assinados com uso de certificado digital, que atenderá os requisitos da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP.

Inconsistências
‡ As matrículas não poderão ser ³objeto de remembramento´ (art. 70).
± Remembrados (ou unificados ± art. 235 da LRP) são os imóveis, não as matrículas. Estas são objeto de fusão (art. 234 da LRP).

‡ Os lotes destinados à construção de moradias no âmbito do PMCMV não poderão ser objeto de remembramento, ³devendo tal proibição constar expressamente dos contratos celebrados´.

Inconsistências
‡ Especialização da área por meio de ³coordenadas preferencialmente georreferenciadas dos vértices definidores de seus limites´ (art. 56, § 1º, I).
± É possível a descrição com outras ³coordenadas´ não georreferenciadas? Quais? ± Georreferenciamento somente da área total? E das quadras? Logradouros etc.?

Muito obrigado!
Sérgio Jacomino Registrador sergiojacomino@gmail.com